Rinha de galo

Dia desses ouvi que está tramitando no Congresso um projeto que pretende legalizar as rinhas de galo. A proposta, que altera a Lei de Crime contra o Meio Ambiente, estabelece que não constitui crime a realização de competições entre animais.

Para argumentar a favor da sua proposta, Antonio Ebling afirma que essa prática já está enraizada na cultura brasileira, e que “a lei deve andar em consonância com os hábitos do povo e não contra eles”.

Aprovada ou não, só sei de uma coisa, tem muita gente em Alpes torcendo pela legalização desse “esporte”.

About these ads

1.691 respostas para Rinha de galo

  1. maicon witt disse:

    as rinhas de galo tem que ser liberados a qualquer custo!pois,é 1 esporte muito antigo,que as pessoas nem conhecem,e estão julgundo.

    • antonio disse:

      é verdade briga de galo é um esporte melhor que esiste

    • paulo disse:

      Vc tem razão maicon, porque se não fosse nós criadores de galos combatente a raça já estaria extinta! Será que eses burros não comseguem ver isso.

      • Anônimo disse:

        coloca sua mãe para brigar seu idiota vagabundo

      • Anônimo disse:

        EI CARA OU PONHO MEU PINTO PRA BRIGAR COM APAÇARINHA DA TUA MÃE SEU FDP. anonimo>

      • linda disse:

        burro é vc que deveria tar na cadeia cria galo pra briga fasso prodesto CONTRA isso á 3 anos

      • Anônimo disse:

        essa linda eh + uma idiota mau sabe escrever, enquanto somos roubados todos os dias por politicos, e por impostos ela quer que os preservadores desses animais vão preso. esses galos que voce diz criar devem ser mestiços pois c fossem de combate nunca ficariam juntos hahahahahahahaahahaaahahahh

      • Anônimo disse:

        O cara que disse que bota o pinto pra brigar com a paÇarinha da tua mãe, prq vc não bota pra brigar com a piranha da tua mulher, seu corno safado, é por isso que vc é corno se preoculpa em pegar a passarinha dos outros e não liga pra perua da tua mulher que o Ricardão ta pegando todo dia.

      • Addi Junior disse:

        Ai vc que não tem coragem de se indetíficar, e se diz anônimo, 1º teu pinto não é de raça, nem mistiço é ñ a prara brigar com a paçarinha de da mãe de ningém, 2º vagabundo é vc que nem se expresar sabe. Nos somos presevadores de uma especie que são centenarios e se ñ fose a nossa dedicação ela já estaria estinta do mundo, sou afavor da legalização pois isso alem de esporte irá gerar emprego como existia antes. Legalise já

    • sandro disse:

      Eu sou apaixonado por galos de Raça, meu pai era galista e parou por causa de mudanças e eu sempre gostei da criaçao das raças, agora estou recomeçando a apurar a minha raça de galos de combate… sou de pleno acordo na liberaçao do esporte, mais caso isso nao aconteça podemos pensar em:
      COMBATE DE GALOS SEM MORTE DOS ANIMAIS, EXEMPLO.
      A SGRIMA E UM COMBATE DE TOQUE COM A PONTA DA ESPADA SEM A MORTE DO SER HUMANO… TERIA COMO ADAPTAR PARA OS GALOS DE BRIGA? PODE SER A NOSSA SAIDA!

      • linda disse:

        pelo amor de cristo nao fassa isso os galos so frem um pokado cria eles pra ter o prazer de ficar com eles (qualquer animalaté um galo pode ser seu amigo pra a vida nao deche eles brigarem mais vamos acabar com isso n entendo a cabeça de vcs pra fazerem isso . Isso nao é um esporte aki em minha cidade tem um cara que faz esse troso já denunciei diseram que nao dava nda pra mim retira a denuncia eu continueii até o fim fiz protesto tudo que tinha direito entao presderam ele os galos dele estao comigo todos me fazem compania uma compania maravilhosa nao fasa mais issi vc vai ter a alegria de saber que salvou uma vida presiosa os galos nao sao qualquer coisa SALVE ESSAS VIDAS QUE PODEM SER A MELHOR COMPANIA !!!!!!

      • linda disse:

        pelo amor de cristo nao fassa isso os galos so frem um pokado cria eles pra ter o prazer de ficar com eles (qualquer animalaté um galo pode ser seu amigo pra a vida nao deche eles brigarem mais vamos acabar com isso n entendo a cabeça de vcs pra fazerem isso . Isso nao é um esporte aki em minha cidade tem um cara que faz esse troso já denunciei diseram que nao dava nda pra mim retira a denuncia eu continueii até o fim fiz protesto tudo que tinha direito entao presderam ele os galos dele estao comigo todos me fazem compania uma compania maravilhosa nao fasa mais issi vc vai ter a alegria de saber que salvou uma vida presiosa os galos nao sao qualquer coisa SALVE ESSAS VIDAS QUE PODEM SER A MELHOR COMPANIA !!!!!! UNS GALOS TAO LINDOS MORTOS ISSO NAO PODE !!!!!

      • sandro disse:

        Cara linda… Voce e ambientalista e como tal sei que a sua paixao e preservar, preservar oque? A VIDA! certo…
        Voce ja observou em videos como e feito a carne de hamburguer? entao proucure videos corelacionados a isso…
        Voce ja observou como sao postos os nossos ovos de granja? entao proucure videos correlacionados…
        Pintinhos apenas natos sao triturados…
        galinhas em um espaço de 30 x 30 cm confinadas…
        animais criados para extraçao da pele… e por ai vai…
        Pessoas combatem em RING por milhoes…
        Pessoas combatem em um tatame…
        Eu nao crio esta especie para morer! o instinto e natural… como o seu de protejer!
        pegue um galo de raça e uma galinha, choque os ovos que serao postos por essa galinha… Com o passar do tempo vera que eles crescem e comessam naturalmente a combater… com o avançar da idade se eles nao sao separados eles combatem ate a morte!
        Eu concordo em uma maeira de combate sem morte!
        Eu amo o galo de raça, esta no meu sangue…
        toda vez que um galo e exposrto ao outro em sua fase adulta ele vai brigar, isso vale ate mesmo para o seu crescimento e com os irmaos sem que seja separado, na fase adulta do galo ele combate ate a morte!
        Cara Linda, fassa uma experiencia e depois podera dizer oque deveremos fazer para crialos em comunidade sem que se matem combatendo!!!
        Linda, somente nos os criadores de galos de raça e que estamos errados?

      • marcus disse:

        o linda vc ja se perguntou porque Deus fez os galos com esta natureza bélica? eu acho que não, se isto fosse algo tão abominável assim, Deus não criaria um animal assim, tem coisas muito mais preocupante nesse mundo pra vc protestar, vai protestar contra o crak, cocaina, assassinatos a sangue friu, aos meninos que vivem nas ruas e quanddo crescem se tornam estupradores, ladrões, latrocidas etc. vai procurar o que fazer!!!!linda.

      • Anônimo disse:

        idiotas em uma briga de galos ar muitas trapassa eles bota a ter mesmo uma coisa feita de ferro nas espora e outra coisas a mas isso e errado por que fari mais a inda o outro eles nasem prara briga eu sei que esta nu sangi delis mas uma coisa que nao nase neles e agulhas ferros pontudos e pode persebe qui em uma briga as vesis tem hum galo que saem rodano e kae ao chao poriso que e erado

      • paulo disse:

        para o anonimo, que meu pinto comeu a passarinha da mãe dele. não sou casado mais gostaria de come tua mãe de 4 e botar meu galo pra gozar na bola da tura irmão.

      • paulo disse:

        boto meu pinto de novo seu. anonimo, agora pra comer teu cu. fdp. tua mãe gostou dele vc vai gostar tb. vallleuuuuu.

    • Anônimo disse:

      Eu tambe sou a favor pois quem esta gastando o dinheiro para alimentar ogalo e a postando o galo é o dinheiro de pessoa e tambem depois quem vai cuidar do galo depois é o, dono…em tendero …. se importem com sua vida …..

    • tamis disse:

      conheso muito bem essa falta de nada pra fazer vamos parar com isso já deu quem faz isso devia ir pra cadeia !!!!

      • Anônimo disse:

        QM TEM QUE IR PARA CADEIA E VC E PEGAR PENA PERPETUA VAI LAVAR PRATO VAI EM VEZ DE CUIDAR DA VIDA DOS OUTROS QM E VC QM E VC PARA FALAR DESSE ESPORTE

      • marcus disse:

        o tamis, tu sabia que o brasil proibiu a briga de galo ah poucos anos atraves de uma leizinha de maus tratos? na maioria dos paises da américa é permitido. vc ja entrou num presidio? vc cha que pessoas que cresceram vendo briga de galos e se apaixonaram por isto merecem ser presos? cuidado que seu filho um dia pode ver uma briga de galo e gostar muito!!! o tamis vai procurar uma lavagem de roupa!!!!!

      • cristina disse:

        E vc deveria cuidar da sua vida,sua intrometida.

      • paulo disse:

        tamis. que tem que ir pra cadeia é os corruptos e os mal feitore e a té mesmo teu vasinho que deve ter feiro orgias, com tura mulher.

    • ricardo disse:

      isso e uma putaria da porra grande coisa uma briga de galo crueldade e nos matadores que temos em todas as cidades de media e pequeno pote isso sim e crueldade mata os animas a pauladas animais que não tem instinto nem sangue de briga a briga de galo ta no sangue deles so briga se eles quiserem os animais os bois as vacas não doces são matadas a pauladas e sangradas vivas ainda qual e mais crueldade e quem ta aqui reclamando da briga de galo não ver isso mais adora uma picanha assada um bom espeto de boi e não ver o sofrimento que eles sofrem antes da morte e bom refletir se fosse para proibir tudo eu seria a favor da proibição da briga de galo mais teria que proibir todo tido de crueldade com os animais tipo tourada,farrado boi, matadouros de cavalos, jumentos, vaquejada, e tantas outras que no final todas acaba com o sacrifício do animal que sofre sem fala os galos briga pela raça não brigão a força se correr perde a briga no matadouro o touro não tem essa opção

    • GABRIEL SILVA DE CARVALHO disse:

      tem que ser liberados todas as rinhas de galos,porque para nós que somos galistas é um esporte e o povo fica falando que é judiaçaõ ´; pra mim isso naõ é judiaçao eu sou galista e nunca vou deixar de criar meus galos.

      • GABRIEL SILVA DE CARVALHO disse:

        O ibama fica se preocupando com os galos , o ibama tem que se preocupar é com o desmatamento do amazonas e não com os galos os galos não estão fazendo mal algum ao ibama,Eu espero que sejam todas as rinhas de galos todas liberados.

    • josean disse:

      e mesmo eu crio galos a dois anos e adoro o esporte

    • 100MAUDADE disse:

      “Creio que qualquer juiz que estude de maneira imparcial a nossa cultura,irá dar o pleno direito de vida aos nossos combatentes.Basta ele enxergar que nem os órgãos gonvernamentais nem os ambientalistas, tenham condições técnicas de fazer o manejo desses galos.Pois se trata puramente de aves de convivência impossível uns com os outros,e exterminá-los para que não aja agressão entre eles é algo inaceitável para qualquer ser humano de bom senso.Ninguém pode brincar de Deus para dizer se uma raça pode ou naum existir.E se um juiz decide que é proibido ao galista manejar esses animais,e os apreendem e assim os condenam a morte certa,pois até hoje sabemos que os galos apreendidos viram carne para urubus,degolados por funcionários do gonverno ou mortos por terem sido colocados no mesmo espaço.Ai sim estaria ele defendendo um ato de crueldade. Dizemos sempre e sempre repetimos.Amamos nossos animais,não somos seres bizarros com tendencias sádicas como já estamos sendo tratados pela midia e alguns juristas infruenciados pela midia.Somos seres iguais aos outros com a diferença de termos nascidos em regiões cuja cultura do galismo está irraizada pelas gerações que ali fincaram seus pés e foi passada de geração para geração.Somos cidadãos brasileiros e também temos direitos!!”

      Ricardo Costa

    • 100MAUDADE disse:

      Será que colocar galos pra brigar é tão cruel quanto á caça á raposa,que nem tem como se defender,ou a caça ao ganso ou a qualquer outro animal? Gente parem para pensar,galos brigam por instinto,agente apenas regula esse instinto natural que eles tem! Crueldade é matar animais que nada fizeram e que não tem como se defender!!! os galos brigam contras seus pares,com com nível de igualdade,vence o melhor!!!

    • Anônimo disse:

      seu f.d.p discarado
      uma briga de galo e bom mais us galos saem muitos feridos por causa das trapassa tem jeté que bota agulha na espora do galo e vários equipamento fazendo hum estrago maior nu outro galo por isso que eu acho errado a : rinha de galos por causas das trapassas que ar na briga de galos eu sei que eles nase para brigar mas eles nu nase com Agulha nas esporas e por isso que e errado a rinha de galos bota uma agulha na sandalha da tua maé e da uma surra nela seus covardis cornos

      • Anônimo disse:

        Acontece que as esportas artificiais são MENOS LETAIS que as esporar naturais, ja que as de metais não dao infexão

      • 100MAUDADE disse:

        Coloca teu nome antes de opná em alguma coisa sua besta analfabeta!Sou criador sim defendo a briga de galo sim,e daí? Quem tu pensa que é pra falar da minha mãe ou de qualquer outra coisa?
        Tú não passa de uma alma perdida a procura de paz seu filhote de Cruz Credo! Nem vou xingar a tua mãe pois a coitada não teve culpa de ter uma aberração feita tú que pensou que ia ser gente!!

        Aos criadores de galos,aos que gostam e aos que não gostam mais respeitam nossa opinião deixo um abraço!!

    • elizeujunior disse:

      acho que
      essas pessoas que denuciam estao perdedo seu tempo porque e um espote e deve ser liberado

  2. P.S.C disse:

    Sei que e uma coisa triste ver os animais se despedaçando mas isso e um isntinto dos combatentes poi eles ja nasceram para o combate são de pura raça poi eles não podem vir em grupos como garças, patos silivestres andorinhas etc; e por isso que varia pessoas os criam pois se acabarem vão ficar em estinção.
    Olha como o Brasil estar a margem de violência e pobreza por que os politicos e a magistratura façam um acordo com esses criadores para a legalização desses eventos?
    olha tem o IPTU que muitas pessoas não pagam pois faça um acordo com esses criadores apaixonados de pagar uma quantia mensalmente o anualmente por ave tenho certeza sóm quem tinha a ganhar era o pais tenho certeza que se realizase esse apelo que todos os criadores tanto sonha o brasil daria um salto para o progreso…

    • cicero.rafael disse:

      comcordoplenamente pois e essa minha paixao proibida acho maginifico esses animais

    • Pedro Malazarte disse:

      PSC, dificilmente você vê algum animal se despedaçando numa rinha. Geralmente 99%, quando o dono do galo vê q ele vai perder, já retira a ave. E quando algum criador teimoso insiste em deixar, os q estão assistindo ja pedem pra parar e o juiz tb determina o fim da briga. Esses são os criadores q tem amor por suas aves, ninguém vai ver carnificina e sim um bom combate. E deixo o meu recado para os ambientalistas que querem aprender como “esse povo” (galistas) pensam, vou dizendo, seria muito bom entender como pensamos, mas seria muito mais importante entender como esses galos são tratados…, muito melhor que os seus cães e gatos, com a melhores rações feitas com alimentos humanos, banho de sol etc… vão brigar com mais de um ano e meio… agora perguntam quanto tempo uma galinha de corte vive e como é tratada, mas isso pra voces ambientalistas nao importa, desde q ela esteja bem fritinha nos vossos pratos… mas vcs continuam ai com vossas bossalidades… então leiam e aprendam. Finalisando, não vou dizer que não exista a banda podre no galismo, que tratam mal as aves, isso existe, mas muito mais porque não é legalizada. E os criadores de bem, que amam estes animais e os preservam, estão deixando de criar porque são tratados como bandidos. Continuem assim seus ambientalisas que o mundo vai ficar como vocês gostam… só com cães e gatos. Parabéns pra vocês… Alias, pq voces não adotam uns galos de briga que o IBAMA apreede, se é q vcs estão tão preocupados com os galos… pq não? ou é tudo papo furado de ambientalista fajuto???

    • devilla disse:

      é verdade sem duvida quem ama o esporte como eu amo pagaria para poder ter os galos
      e rinha sem medo

  3. Anônimo disse:

    parabens

  4. julio disse:

    Antes de fazer qualquer comentário contra ou ate mesmo a favor devemos conhecer o assunto para darmos uma opinião.

    Antigamente os homens disputavam em arenas com espadas e o combate era ate a

    morte, com os galos de briga ANTIGAMENTE os galos brigavam com esporas de aço

    podendo também o combatente morrer. Hoje os lutadores tem proteção luvas etc,mas

    podendo causar mesmo assim lesões,os galistas de hoje usam proteções,esponjas e censor eletrônico nos galos que

    não sofrem nem um arranhão,veja como o galista moderno esta disputando com seus galos.

    abaixo o que tem de errado em briga de galos sou galista e não fico no anonimato mas temos que mostrar provar que não maltratamos esta raça ao contrario cabe somente a nos preservar esta espécie.

    http://br.youtube.com/watch?v=KYE9cjXFzUI&feature=related

    http://br.youtube.com/watch?v=U2R0zZSXIUs

    muito obrigado pela oportunidade.

    Júlio

    • Daniela disse:

      Pois é, suas brigas de galo são tão inofensivas que foram removidas pelo youtube.

    • Anônimo disse:

      Para com esse papo furado, todo galista gosta de uma boa briga… buchas são só nos treinos, mais é mentira que os galos são forçados a brigar, isso esta nos instinto deles, quem cira sabe. Mais com certeza eles são muito bem tratados, brigam em escelente condição e tem tempo e um juiz pra julgar se a luta deve continuar, a mesma só continua quando ambos os galos tem condição de vence-la, é uma luta justa!

  5. andre meeeeesquita disse:

    o que tem levados algumas pessoas criticaram a briga de galo, esconde até mesmo de forma velada a inoperãncia de arcabouço montado para dá segurança pública, em verdade não em atendidos as necessidade da população, notadamente as das grandes ciddes, como São Paulo, Rio de Jaaneiro, Porto Alegre, B. Horizonte, Fortaleza, Recife e outras. Enquanto o tráfico se articula de se enraíza cada vez mais no seio popular, a polícia desvia um dezenas de seus integrantes para perseguir galos de briga, deixando, por outro lado, a polulação desasitida , o que é lamentável. O reiro é fonte reguladora se costume e essa contra-marcha de punir uma prática milenar, alémde são refletir a lógica de criação das normas juridica, joga na criminalidade pessoas de bem que nunca seequer tiveram seus pés dentro de uma delegacia. Pergnta-se isso é razoável. O que se quer criar é uma legião de criminosos?

    • não as rinhas. disse:

      Amigo, não entendi o que vc disse, poderia expressar sua opinião de forma mais clara.

      • lopes disse:

        o que sepedee que a lei seja cumprida para marginais estupradores que estao p/ impunes nao aos homes de bem que criam suas aves com todo o cuidado e nao seja desviado a atençao da policia atras de galista ao inves estar combatendo realmente o crime que acntece realmente comtra populaçao

  6. Catalán3 disse:

    Tomás de Aquino disse: “Ninguem peca por utilizar a natureza para a finalidade que foi criada”

    Nós, os galistas, preservamos a espécie há mais de 5 mil anos. Tanto é que as aves estão presentes; mesmo, a tal UIPA, havendo matado mais de 9 milhões de aves, só no Estado de São Paulo, entre os anos de 1956 a 1963. (tudo documentado e relatado na Câmara Federal em Brasília).

    O assunto tem raizes muito mais profundas; a finalidade da peseguição não é apenas ao galismo, é contra as pessoas; contra a cultura popular, a tradição, a história…

    Como é possivel que alguem se diga propetor do que não lhe pertence?. Como alguem pode ser protetor de um animal que tem dono e, conseqüentemente, tem seu protetor, provedor legítimo?. Como esse alguem, de atitudes completamente insanas, pode ter acolhida legal?. O que há por trás disso?.

    Nisto há um grande problema de formação moral e absoluta ignorância, tanto no tocante aos galos, quanto ao que se refere aos próprios maus-tratos que os galistas estamos recebendo, especialmente por parte das autoridades, que embora sabendo que estão cometendo atos de abuso, desrespeitam as Leis existentes, sem entendermos ainda a justa razão, prestigiando e benefíciando pessoas, cuja única finalidade é perseguir o semelhante, humilhâ-lo e desmoralizâ-lo perante a sociedade e a própria família.

    Vejam só… Um grupo de pessoas, pelo simples fato de se julgarem protetores do que não lhes pertence, acredita que deve perseguir o seu semelhante. Pessoa esta quem, na verdade, é o único e verdadeiro protetor do animal – há mais de cinco mil anos -, que o insano grupo diz querer proteger, e que, como vimos recentemente em alguns jornais – pois a maioria deles não publica os fatos verdadeiros – , o único que querem é matar os galos, a tradição e a cultura do nosso povo.

    Esse pessoal das ditas “protetoras de aniamis” estão sendo banidos de todos os lugares por insuflarem o terrorismo. Leiam jornais europeus e americanos. Documentemo-nos, pois a lei não está contra nós, está sendo, isso sim, interpretada da forma que interessa a esses egocêntricos e pseudos moralistas.

    Só uma pessoa desajustada pode dizer que é protetor do que não lhe pertence e nunca viu; Só alguem alucinado por alguma idéia mirabolante, é capaz de investir contra o seu semelhante, por algo que este semelhante preserva e cuida, e que em nada interfere no andamento da natureza, no dessenvolvimento do país.

    Essas pessoas estão alucinadas. Que pena!!! Deveriam aproveitar o tempo e se dedicarem a obras beneficientes, caso contrario morrerão com um forte remorço na consciência. DEUS castiga por perseguir pais de família, pessoas honradas e humildes trabalhadores.

    • não as rinhas. disse:

      1- Tomás de Aquino se referia a natureza que deve ser usada e usufruida pelos seres humanos, vc acredita mesmo que um galo foi criado para brigar e se ferir até a morte?

      2-Vocês preservam de que maneira? Fazendo-os brigar até a morte? Quem preserva são os criadores que os deixam livres para continuar a espécie.

      3-Então se eu tenho um PittBull e quero colocá-lo para brigar eu posso? Se meu vizinho espanca seu cão, sua mulher ou seu filho, tenho que ficar quieta porque são dele e não meus? Se eu quero obrigar meu filho a brigar ou mesmo espancá-lo eu posso? Afinal é MEU filho e ninguém pode fazer nada?

      4-Os maus tratos aos galistas devem ser em virtude da indignação da população que gostaria que vocês sofressem o mesmo que obrigam estes animais a sofrerem.

      5-A cultura dos chineses é espancar e matar cães, dos japoneneses e dinamarqueses é exterminar golfinhos, dos mulçulmanos é mutilar meninas indefesas, estas culturas devem permanecer porque são culturas de um povo?

      6-A natureza pertence a todos nós habitantes da Terra, portanto qualquer um que quiser pedir proteção por esta ou aquela espécie pode sim fazer isto.

      7-Deus castiga quem humilha, maltrata e obriga um outro ser ou espécie a fazer algo que o fira. Já que foi falado em Deus, na bíblia está escrito que “O justo zela pelos seus animais”(O justo tem consideração pela vida dos seus animais, mas as afeições dos ímpios são cruéis.)Pv12.10.

      8-Um homem pode ter harmonia com os animais, mas por sua natureza maligna é o único que sobrepuja pelo seu próprio prazer.

      9- Já que gosta de falar bonito, olha só: ” crueldade contra os animais é toda ação ou omissão, dolosa ou culposa ( ato ilícito), em locais públicos ou privados, mediante matança cruel pela caça abusiva, por desmatamentos ou incêndios criminosos, por poluição ambiental, mediante dolorosas experiências diversas ( didáticas, científicas, laboratoriais, genéticas, mecânicas, tecnológicas, dentre outras), amargurantes práticas diversas ( econômicas, sociais, populares, esportivas como tiro ao vôo, tiro ao alvo, de trabalhos excessivos ou forçados além dos limites normais, de prisões, cativeiros ou transportes em condições desumanas, de abandono em condições enfermas, mutiladas, sedentas, famintas, cegas ou extenuantes, de espetáculos violentos como lutas entre animais até a exaustão ou morte, touradas, farra do boi ou similares), abates atrozes, castigos violentos e tiranos, adestramentos por meios e instrumentos torturantes para fins domésticos, agrícolas ou para exposições, ou quaisquer outras condutas impiedosas resultantes em maus-tratos contra animais vivos, submetidos a injustificáveis e inadmissíveis angústias, dores, torturas, dentre outros atrozes sofrimentos causadores de danosas lesões corporais, de invalidez, de excessiva fadiga ou de exaustão até a morte desumana da indefesa vítima animal”

      10-Pra finalizar leia a Constituição e veja o que ela diz sobre isto:http://www.ibama.gov.br/leiambiental/home.htm

      • lopes disse:

        se nao fosse o hinstinto do animal ate eu protegeria masvoces tem que entender que uma raça milenar e nao raça ibrida

      • gorzizable disse:

        eh risivél o comentario acima exposto, mas vamos ás respostas:
        1-crueldade seria privarmos qualquer animal de manifestar o seu instinto, de forma estranha, eh isso q a lei propoem e querendo vc ou não, os homens se valem de todos os outros animais, seja pra consumo ou por prazer…portanto a lei deve ser pra todos os animais e não somente para uma unica espécie(lei esta q não protege o galo de briga)
        2-não concordo q os galos briguem ate a morte, sou a favor da luta entre eles mas não do seu sacrificio…este esporte deve ser regulamentado pelas autoridades q nunca nos deram a oportunidade d discutir o assunto.e pro seu conhecimento se tratando de galo de briga não existe a minima possibilidade de te-lo em liberdade.
        3-neste item foste muito infeliz pq um galista ñ obriga em nenhum momento o galo a fazer nada q ele ñ desaja fazer, o galista jamais bate, humilha ou grita com este animal…bem diferente do q acontece com outros animais.
        4-discordo novamente…quem denuncia ou humilha um galista eh sem sombra de duvidas um falso moralista, pois só tendo uma visão muito curta para ñ enxergar os maus tratos q aves, suinos, bovinos e equinos e outros animais são submetidos todos os dias para q possamos nos alimentar..vou dar um unico exemplo mas poderia escrever um dia inteiro pra vcs sobre o tema:uma galinha poedeira passa a vida inteira(não algumas horas)num espaço d o tamanho d uma capa d DVD,em um metro quadrado são postas 28 galinhas(acreditem)pelo resto da vida, elas tem os bicos cortados com uma lamina quente pra q não possam escolher a ração q vão comer nem se bicar, ñ conseguem siquer bater asas pela vida inteira, não tomam sol pela vida inteira para nos dar ovos q iram nos alimentar…ah!quando deixarem d produzir vão todas pra panela…e isto ta certo?isto não eh crueldade?em nome da nescessidade tudo podemos?se o seu filho querido for picado por uma cobra vc vai clamar por soro anti-ofidico, e vc sabe como ele eh produzido, explico:
        o cavalo q não tem culpa d ter mais sangue do q nos recebe todo o veneno da cobra pra q ele produza o tão esperado soro…agora imaginem como fica o cavalo…dai pode?dai não eh maus tratos…mas isso eh só pra começar…
        5-este ponto eh interessante….observem q em todos os casos citados eh o homem q pratica os atos…o homem não pratica ato algum com os galos, o homenm ñ maltrata o galo e no quesito cultura devemos ter em mente q rinhas de galos existem em todos os continentes do globo

      • gorzizable disse:

        continuação da questão 5 segue abaixo:
        5-não podemos simplesmente eliminar o q ñ esta do nosso acordo, precisamos achar uma solução q resolva o problema, pois se fosse assim o país do futubol teria q repensar essa manisfestação legitima, ja q todos os anos temos torcedores q são mortos por torcerem por seus times nos estadios sempre deixando muitos feridos, não devemos eliminar e sim regulamentar esta pratica.
        6-concordo plenamente com este comentario, o gaolo de briga vem sofrendo muito com esta lei q deveria em “tese” protege-lo pois, na pratica o q acontece eh q depois d aplicada vemos o efeito devastador q ela produz:
        o ibama sem saber o q fazer com os galos apreendidos, os sitios ñ querendo receber os animais, a maioria deles são sacrificados(pasmem)por se saber o q fazer com eles.e ainda vemos algum funcionario do ibama ou da policia dizendo pra algum jornalista q esta ajudando a combater os maltratos aos animais….doi na alma.
        7-como ja disse antes, galos não são obrigados a nada, fazem somente o q querem fazer, do contrario do cavalo q eh literalmente obrigado a nos carregar pra onde quisermos com medo de apanhar de relho se não o faz…alguém ja perguntou se gosta disso…queria ver esses ambientalistas de plantão responder essa..
        8-concordo plenamente…precisamos de uma vez por todas entender q todas as especies q prosperaram foi pq o homem teve ou tem interesse nela, seja economico ou por simples admiração…caso contrario se o homem não tivesse interesse no galo de rinha certamente ñ teriamos a população q hj temos dessa espécie e provavelmente ja estaria em extinção.
        9-concordo novamente com esta questão, sou totalmente contra os maus tratos aos animais, vejo todos os dias cavalos maus nutridos puxando carroças pesadas, animais q sofrem uma vida inteira por nós, animais q sofrem pra serem comercializados em pet-shops separados das mães e se espremendo a espera de um possivel dono…ANTES DE ACUSAR UM GALISTA DE MAUS TRATOS AOS ANIMAIS DEVEMOS DEFINIR E REPENSAR TODAS AS RELAÇÕES HOMEM-ANIMAL, SOB PENA DE SER INJUSTOS OU HIPOCRITAS COM OS HOMENS E PRINCIPALMENTE COM OS ANIMAIS…
        VAMOS REGULAMENTAR AS RINHAS DE GALO…FAZ BEM PRO HOMEN…FAZ BEM PRO GALO!!!

      • evilasio lima disse:

        caro amigo,concordo com muita coisa na qual voçe defende,tenho 38 anos,comecei criar animais combatentes desde os 12 anos,conheço varias pessoas que vivem,no campo,na cidade que como eu criam aves combatentes,gostaria que voçe tivesse razao e nossos animais pudesem ser criados,em zoologicos ou em areas preservadas do ibama,ficaria mt feliz e com certeza apoiaria essa lei tao sem fundamentos e tao vastas,infelizmente, como a maioria das nossas leis,me responda com toda sinceridade se realmemte estamos colocando nossos animais em estinçao e maltratando,eles sobreviveriam a mais de 5000,anos,quanto aos cachorros eles,sao o melhor amigo do homem,e nao nasceram realmente p brigar,imfelizmente somos vitimas de maus administradores,que dao uma pessima educaçao aos nossos jovens,que tornam-se adultos revoltados,violentos,por assistir a televisao e ver que milhoes sao roubado,desviados e ninguem vai preso,vamos prender quem. precisamos mudar a atençao do povao,vamos prender os galistas,pessoas de bem,que nunca foram se quer,numa porta de delegacia,isso sim vai dar materia boa, e o povo esquece que vai ter eleiçao.me orgulho de ser galista,nao pela pratica do esporte,mas porque tenho ovos,carne,de boa qualidade,e muitas amizades boas por todo o brasil,gerando varios empregos.quanto as outras,touradas,farra do boi etc..um erro nao justfica o outro,crie-se leis especificas para cada animal.

      • Adriana disse:

        Parabéns! enfim alguém inteligente, pensante, que escreve algo que realmente vale a pena ler.
        Meu total apoio e admiração à suas palavras.
        Também fiz meu comentário. Leia se interessar.

      • Thiago Matozinhos - MG disse:

        o instinto do animal é sim, lutar até a morte, tendo em vista que apenas os colocamos juntos daí pra frente o instinto animal se encarrega de fazer. Experimenta criar pintinhos e deixá-los crescer juntos para ver se com certa idade eles não irão se estranhar e brigar até a morte. A resposta está aí.

      • sim as rinhas disse:

        Vou responder ao cidadão acima:
        1 – A natureza do galo índio diz que ele deve defender o seu território mesmo que seja com a morte. Você já viu dois galos índios soltos na natureza?
        2 – Livres jamais continuarão a espécie, pois se autodestruiríam.
        3 – Pittbull é uma raça que foi criada pelo homem através do cruzamento de diversas raças, portanto o homem fez ele para ser violento, o galo indio foi criado por Deus assim. Quanto a seres humanos você só pode estar brincando comparando com os galos?
        4 – Ninguém obriga um galo índio a brigar, é genético.
        5 – Qual é a gravidade de cada caso?
        6 – Preservar a natureza e no entanto ninguém manda prender quem faz aborto, que é o pior pecado e crime que o homem pode cometer.
        7 – Judiar de animais indefesos sim é errado, agora quando podem se defender e eles é que atacam um ao outro, cada caso é um caso.
        8 – Mas há harmonia entre os galos e seus dono. A desarmonia acontece entre os galos.
        9 – Você pesquisou no dicionário que homens escreveram, os mesmos homens que escreveram essas lindas palavras não vêem ligação disso com o aborto(dilaceração de seres vivos, filhos criados a imagem de Deus; e ficam preocupados com ferimentos em galos?). Podemos acreditar no que 1/6 dúzia de homens escreveram?
        10 – Quando cumprirem metade das leis da Constituição aí podemos conversar.

      • Anônimo disse:

        PELO VISTO VC NAO SABE MUITO O Q ESTA ESCREVENDO QUANDO DECIDIR DEFENDER UMA CAUSA PROCURE FICAR POR DENTRO DO Q ESTA DEBATENDO,GALOS DE COMBATE FORAO FEITOS SIM PARA O COMBATE E SE VC NAO SABE ELES BRIGAO SIM MAIS TEM REGRAS NAO LUTAO ATE A MORTE COMO VC PENSA E NAO PODEM SEREM SOLTOS NA NATUREZA,NO PARAGRAFO 3 VOCE CITA SEUS VIZINHOS VC DEVE TER MUITO TEMPO DISPONIVEL PRA TOMAR CONTA DELES SE ELES BRIGAM EM SUAS CASAS PROBLEMA DELES O Q VC TEM A VER COM ISSO PORTANTO SE NAO QUER VER OS GALOS SE COMBATEREM ARRUME UMA OCUPAÇAO PRA VC E DEIXE CADA UM NA SUA.BJ

      • 100MAUDADE disse:

        NÃO VENHA AQUI NESSE ESPAÇO GENERALIZAR BRIGA DE GALOS COM OUTROS TIPOS DE BRIGAS COMO DE CÃES OU OUTROS.DIZEMOS QUE BRIGA DE GALOS É UM ESPORTE SIM E MAIS QUE ISSO BRIGA DE GALOS É UMA CULTURA MILENAR,QUEM É VOCÊ PRA DIZER AFIRMAR QUE SOMOS OU NÃO DEFENSORES DESSE ANIMAIS?CRIAMOS COM O MAXIMO DE CUIDADOS NOSSOS ANIMAIS,E PRESERVAMOS SIM PORQUE ANTES DELE IR AO COMBATE TIRAMOS RAÇA DAQUELE ANIMAL DE FORMA QUE ELE SE TORNA UM BANCO GENÉTICO. PARA VOCÊS QUE VIVEM A COMER CARNE DE SUPERMERCADO SEM SABER NEM COMO QUE SÃO ABATIDOS É FACIL NOS CRITICAR,OS GALOS VÃO A COMBATE GERALMENTE DUAS VEZES AO ANO,ANTES DISSO SÃO TARTADOS COM O MELHOR QUE HÁ NO MERCADO E DEPOIS QUE DISPUTAM OS TORNEIOS SÃO TARTADOS POR VETERINÁRIOS E MUITOS VOLTAM COMO VENCEDORES E SÃO ENCOSTADOS SÓ PARA REPRODUÇÃO.
        SÃO BEM TRATADOS E PROTEGIDOS SIM SENHORA POR NÓS! TRATAMOS E AMAMOS OS NOSSOS ANIMAIS!
        QUANTAS BRIGAS DE GALOS A SENHORA JÁ ASSISTIU? CREIO QUE A SENHORA NÃO TENHA NENHUM CONHECIMENTO DE FATOS USA SÓ O QUE LÊ EM ARTIGOS.CONHEÇA PRIMEIRO E DEPOIS CRITIQUE!!
        AOS AMIGOS CRIADORES E AOS SIMPATIZANTES DE NOSSA CULTURA DEIXO O MEU ABRAÇO!!!!

    • Adriana disse:

      Voces “pobres pais de familia, protetores inocentes de seus animais”, deveriam colocá-los para brigar apenas para que eles pudessem extravasar seus instintos naturais, cumprir com seu papel na natureza e quando quisessem fazer apostas milionárias deveriam vcs mesmos entrar na arena e se enfrentarem.
      É da natureza sim do animal enfrentar seu oponente, defender seu território, sua ou suas fêmeas e sua família, o que não não faz parte de sua natureza é ser instigado a lutar para encher os bolsos de seus supostos protetores.
      Pessoas egoístas que por se dizerem seres racionais, superiores acham que podem subjugar animais obrigando-os a brigar até a morte muitas vezes, que quando não ocorre na própria rinha, causa mutilações nos mesmos.
      É lamentável que ainda se chame esse tipo de prática de cultural, quando na verdade não passa de uma cultura de bábaros.
      jogar pessoas para serem devoradas por animais tb já foi uma prática “cultural”, assistida e aplaudida por nobres da sociedade romana, já pensou se esse tipo de cultura não fosse banida da humanidade? Talvez fosse hoje nosso principal passa tempo nos fins de semana, uma vez que a essa altura também já teria sido legalizada.
      Portanto, vamos evoluir e não regredir.
      Não às rinhas de galo, de pessoas e de qualquer coisa mais…

      • evandro medeiros disse:

        Querida Adriana, colocá-los para brigar apenas para extravasar seus instintos? Aí pode? E não se obriga os galos a brigarem, eles lutam por instinto e vc come ovos, carne, um bifinho, que tal um churrasquinho? Já se perguntou como foram gerados? Galinhas criadas exclusivamente para postura, nunca viram o sol, nunca comeram um bichinho, um matinho, nunca ciscaram, vivem? em três ou quatro, as vezes cinco ou seis em gaiolas minusculas, apertadas, só comem, bebem e botam ovos, os mesmos ovos que vc come em sua casa e a carne que vc consome, os animais ficam as ùltimas 48 ou 72 horas sem receber comida para ¨limpar¨ o estômago, depois recebem um choque elétrico e são furados para sangrar até morrer e depois disso chegam ao seu prato e por ùltimo porque o ibama, o governo e os hipócritas de plantão não fecham os rodeios de BARRETOS e AMERICANA, só pra citar os mais conhecidos, em que a atração principal é a monta de touros e cavalos, que para pularem alucinados tem uma correa colocada lhe apertando a virilha, os culhões, o pinto e tudo mais que tiver ali por perto e isso tudo sem o seu conssentimento? Será que é porque gera muita receita, muito dinheiro, muito lucro pra muita gente ainda que se fôr com algo proibido, é ilicito.Se vc lêr esta resposta, e eu espero que leia, lembre-se disso quando fôr comer seu ovo frito, seu bifinho ou participar de um churrasquinho.Um abraço pra vc e pra todos os galistas que aprimoram as raças, cuidam bem de seus animais, geram empregos diretos e indiretos, pagam bastante impostos para os governos com a compra de ração, milho, remédios e insumos em geral.E viva a raça BRADOCK/MONTENEGRO.

      • E. Lopes disse:

        também é preciso mencionar a crueldade na briga de galo. Geralmente acontece de um galo brigar e ficar cego . até mesmo dos dois olhos . daí então acabará morrendo . às vezes fica o galo aleijado , para o resto da vida por ferir um tendão da canela ou da coxa. e galo de briga devia ter tempo de aposentadoria também. Tipo cinco brigas e já se aposentar . teve casos de galos que depois de dez brigas ganhas na rinha. brigou a décima primeira e morreu na arena. Também devia ser banido o costume de galos cegos irem lutar na rinha. se já perdeu um olho numa briga , o que o dono fará com ele se perder o outro ? devia ser banido também o costume de colocar esporas de ponta artificial nos galos que lutam. são muito mais contundentes e afiadas que uma espora natural. E os bicos de metal também o são. E se o galo apanhar e correr , o dono ainda dirá que o coitado não tem raça ! Tem também os casos de alguns desalmados calçarem esporas até mesmo em galinhas e fazer brigar em rinha ! por essas e outras questões é que a gente vê que rinha de galos não é tão simples. primeiro que a lei jamais vai poder acabar com esse costume . se fosse mesmo , já teria acabado… Com toda essa perseguição de que reclamam os criadores . Mas também tem sido cometidos um monte de abusos aos galos , como os que eu falei . até doping em rinha já inventaram . os instinto guerreiro existe , até mesmo nos filhotinhos . Mas não se pode usar isso pra justificar até as barbaridades . até a covardia . até a canalhice… Que Deus Abençoe a todos os galos de combate . mesmo àqueles que só vivem para satisfazer a ganancia e o sadismo de quem os maltratam e se aproveitam de sua força. sua coragem e sobretudo do seu instinto briguento e orgulhoso.

    • Adriana disse:

      Parabéns!
      Enfim alguém inteligente que escreve algo que realmente vale a pena ler…
      Meu total apoio e admiração à suas palavras.
      Foi a vc, “não as rinhas” que fiz meu comentário.
      Também dei minha opinião sobre a legalização das rinhas, se interessar leia mais abaixo.

      • 100MAUDADE disse:

        Acho que se um galo podesse escolher entre viver cego dos dois olhos ou mesmo alejado por um longo periodo,a viver apenas 45 para virar seu prato principal querida adriana,ele certamente escolheria a primeira opção! eu preferiria escolher lutar pela vida a viver vegetativamente por um curto periodo de tempo! e galos mesmo cegos dos 2 olhos ja vi muitos que comiam bebiam e até cruzavam normalmente se não fosse assim oq seria dos cegos que nascem vendo e no decorrer de sua vida é acometido da cegueira?

      • Anônimo disse:

        A verdade sobre o IBAMA e Falsos ambientalistas.

        Os Criadores de galos, frequentadores de rinhas e galistas em geral, vêm tornar público a verdade escondida por tanto tempo por uma mídia tendenciosa e equivocada assim como aquelas pessoas que de tanto ouvirem mentiras repetidas já estão acreditando que são verdades.

        Queremos deixar bem claro que o IBAMA nunca teve nem tem a menor intenção de proteger essa ave única e maravilhosa que é o galo combatente, o que eles querem na verdade é destruir a espécie para hostilizar homens e mulheres de todo segmento da sociedade que vem preservando gratuitamente esse patrimônio genético através do tempo. Acrescente-se ainda, que não é só correto, mas imperioso, proteger sem demagogia e preservar com sabedoria, o leigo geralmente é pródigo em soluções simplistas para tudo, e o mal intencionado, no seu eufemismo, um detentor de arsenal dos mais nocivos na prática do seu vandalismo. Ora sabemos que a briga de galo é um fenômeno natural que ele briga por orgulho, pois é dotado de um gen único entre as aves. Esses galos que vivem se auto selecionando e por isso não sobrevivem sem a participação humana, pois se forem soltos se mutilarão e se destruirão pela sua belicosidade. Querer fazer uma lei que faça um galo de raça combatente deixar de brigar é como querer criar uma para revogar a lei da gravidade. Seus combates causam fascínio em alguns admiradores desse espetáculo da natureza, que os criadores apenas controlam para que não aconteça aleatoriamente, administrando sua agressividade. Julguem os senhores, através dessas fotos, a vida que um galo combatente pode viver com seus preservadores, É verdade que um dia ele pode se acidentar num combate, mas muitos campeões estão aposentados com toda saúde, enquanto os galináceos para produção de alimentos têm em média 45 dias de vida, Conhecemos o caso de um galo com 13 anos de vida que veio a morrer por morte natural com direito a enterro e choro de uma criança que o amava. Por outro lado, vejam as fotos abaixo a miséria que sofrem esses animais quando são apreendidos por esses pretensos protetores. Primeiro se arrebentam por falta de opções, pois são forçados a ficarem em um só espaço e depois são mortos, acusados de não serem sociáveis quando na verdade é a intolerância e a incompetência que está destruindo um animal que só faz 0 que gosta. Quem quiser pode fazer a seguinte experiência: deixe um galo com bastante fome depois coloque milho para ele, perto de outro galo solto. Com certeza ele vai preferir brigar – “expulse a natureza com um forcado e ela voltará correndo”. Aqueles que criticaram a justa e bem fundamentada decisão da Juíza em ter liberado através de uma decisão judicial a preservação e a tradição cultural do galismo, fiquem sabendo que todos os Juízes bem informados, que conhecerem um pouco desse animal e julgarem com imparcialidade serão favoráveis também, pois ninguém é obrigado a criar um galo, nem estamos pedindo isso, porem ninguém tem o direito de proibir este direito aos preservadores. E só podemos confiar na justiça para evitar a extinção dessa espécie. Por que essas invasões são ilegais? Diz o Art. 5º da Constituição: `Ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei válida e eficaz`. E mais: `Ninguém será privado da liberdade ou de seus bens (GALOS) sem o devido processo legal`. Ou seja: não existe lei ou dispositivo legal que disponha sobre o assunto de maneira clara e indiscutível, mas, o que acontece é que as autoridades, pressionadas ou mal informadas acabam por praticar atos que contrariam a própria Constituição, principalmente quando apreendem as aves indevidamente nos criatórios.

      • 100MAUDADE disse:

        Prezado Assis Cruvinel:

        Acho qua a sua esperamça de ver os juizes tomarem decisões imparciais a respeito do galismo,para que as várias raças de galos de briga não sejam simplesmente exterminadas pelos falsos defensores,tem fundamento. Creio que qualquer juiz que estude de maneira imparcial a nossa cultura,irá dar o pleno direito de vida aos nossos combatentes.Basta ele enxergar que nem os órgãos gonvernamentais nem os ambientalistas, tenham condições técnicas de fazer o manejo desses galos.Pois se trata puramente de aves de convivência impossível uns com os outros,e exterminá-los para que não aja agressão entre eles é algo inaceitável para qualquer ser humano de bom senso.Ninguém pode brincar de Deus para dizer se uma raça pode ou naum existir.E se um juiz decide que é proibido ao galista manejar esses animais,e os apreendem e assim os condenam a morte certa,pois até hoje sabemos que os galos apreendidos viram carne para urubus,degolados por funcionários do gonverno ou mortos por terem sido colocados no mesmo espaço.Ai sim estaria ele defendendo um ato de crueldade. Dizemos sempre e sempre repetimos.Amamos nossos animais,não somos seres bizarros com tendencias sádicas como já estamos sendo tratados pela midia e alguns juristas infruenciados pela midia.Somos seres iguais aos outros com a diferença de termos nascidos em regiões cuja cultura do galismo está irraizada pelas gerações que ali fincaram seus pés e foi passada de geração para geração.Somos cidadãos brasileiros e também temos direitos!!

  7. claudio n. gomes disse:

    LIBERADA

    • Francisco josé disse:

      Infelizmente as vertentes que deveriam merecer maior rigor e fiscalização do conjunto de poderes constituidos, passa a margem desses grandes problemas. As festas “funk” em diversos locais de nosso Pais revelam aspectos amedrontadores do avança das drogas e do poderes do traficantes que, inclusive, deixa perplexos todos os brasileiros tamanha a força e poder intimidador dos traficantes. A mídia até mesmo nos momentos em que tentou fazer cobertgura desses acontecimentos, tornou-se vítima dessa gente que não tem medo e nem o menor respeito pelo poder público. Lembro de “Tim Lopes”, jornalista da “GLOBO”. Pois é, na ditadura militar, por não haver liberdade de imprensa, até mesmo receitas culinarias eram publicadas em jornais. Tudo era censurado. HOje esse controle, de certa forma, é exercido pelas força das armas, pelos traficantes. Assim, se voltam alguns a perseguir pessoas de bem, tgrabalhadoras e honesta que por conta de uma tradição milenar, da cultura impregnada e enraizada em todos os estados dessa Nossa Amada Pátria, pelo fato de serem amantes das brigas de galo. Até mesmo algumas “ONGs”, naturalmente interessadas na biopirataria, saqueadoras de nossas riquezas, como ocorre na amazonia, para levantar uma cortina de fumaça se utilizam de argumentos os mais absurdos, para também protestar contra a birga de galos. Não me lembro, entretanto, de qualquer delas interessadas na CPI das “ONGs”. E por falar em tal CPI alguém sabe dizer se virou pizza? Foi decretada a extinçao da espécie, por que os criadores por certo vão terminar por se desmotivar e não tardara a extinção. Pois é o aparato policial, até a polícia rodoviária federal, estão a caça de brigas de galos, enquanto isso os traficantes exibem seu potencial belico. Que o futuro nos seja leve porque o quadro que se vai desenhando nada tem de belo o esperançoso,mas reflete um quadro escuro, obscuro e de completa insegurança de cada um de nós.

  8. wagner disse:

    sou galista e estou torcendo para legalizacao de rinhas de galos por que sou um apaixonado pelo esporte acho que as rinhas de galos fazem parte de minha vida e seria bom para nossa associacao que podesemos criar os nossos galos livre sem ter que andar escondido para realizar as conpeticoes . continuaremos a realizar nossos torneios de rinhas de galos , mesmo sendo escondido, fazemos isso todas as semanas de madrugada e´ onde nos encontramos para movimentar nossas criacoes vendemos e compramos galos de pessoas diferentes para modificar as nossas racas de galos e assim vamos continuar !!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    e so um aviso e um apelo para a liberacao de rinhas de galos !

  9. GOMES disse:

    Olha meus amigos nossos combatentes ou galos de rinha são aves territoriais que combatiam por instinto em meio a natureza antes mesmo de ser capturada pelo homem , isso a milhares de anos , bem antes de Jesus Cristo , portanto o combate entre galos é um fenomeno natural que somente se aprimorou devido ao interesse e captura do homem , isso em nosso país principalmente em meu estado ”RS’ já é cultura a muitos e muitos anos , jamais por mais que queiram terminar com nossa cultura conseguirão porque só quem é galista sabe a paixão que temos por estes animais . tenho certeza que é uma questão de tempo para regulamentarmos o combate entre galos em nosso país , ao menos é oque acredito.
    grande abraço aos amigos
    Gomes/Rs

    http://br.msnusers.com/Galismosul

    • Anônimo disse:

      Freitas,sc tbm concordo os politicos deviam se preucupar com a sociedade,saude educaçao ,emprego moradia as pessoas passando fome droga e tantos outros .liberem a rinha de galo deixa a alegria do povo, vao cuidar das pessoas as crianças os idosos morrendo de fome e doença.abrs. a os meus amigos GALISTAS,

  10. [...] Dêem uma olhada no tópico Rinha de Galo. Tá pegando fogo a [...]

  11. cesar tassi disse:

    Claro que as rinhas devem ser liberadas, trata-se de um esporte ~milenar….casualmente estava lendo uma reportagem de um pessoal associado de um tal “Rancho dos Gnomos”…são radicalmente contra…mas eles vêem gnomos nas matas…nós, os sertanejos, os índios, não vemos….mas eles têm um poder especial…kkkk

  12. nao disse:

    dalhe GRÊMIO…dalhe galo blue!

  13. Maneco disse:

    concordo com o Não ………… mas meu sogro ia fica facero…..

  14. Jcunha disse:

    É uma vergonha !

    Cadeia para esses malditos , bestas humanas , fora seus palhaços !

    • zoio disse:

      amo briga de galos e foda se os comtras !!! galos brigao por instinto e eu preservo eles

    • Edilreis disse:

      Pobre analfabeto que não entende nada de preservação e conservação das espécies biológicas e nem tão pouco de banco genético.
      Não sou galista e nem fundamentalista ecolôgico, sou um écologo, se é que você sabe o que é isso. Como é fácil educar, difícil é acabar com as sequelas da ignorância.

      • evandro medeiros disse:

        Caro Edilreis, nem todos nasceram em berço de ouro como vossa senhoria e puderam estudar e fazer um curso superior assim sendo gostaria de lhe dizer que a profissão que o senhor escolheu tem acento agudo no primeiro ¨o¨ e não no ¨e¨ e que ecológico não tem acento circunflexo.Volta pra escola ignorante.Analfabeto é vc.

  15. RONALDOC disse:

    A briga de galos pode parecer cruel e sem sentido aos olhos de leigos, no entanto, é assunto complexo e delicado, pois essa prática é a responsável pela preservação da espécie até os dias de hoje. A genética do galo de briga vem sendo utilizada, de forma científica e informal, para o melhoramento do rebanho de corte mundial. Podemos dizer que em todas as raças de corte modernas foi utilizada a genética do galo de briga para obtenção de animais mais rústicos e com maior ganho de peso. Acabar com as rinhas é decretar a extinção dos galos de briga no Brasil. Vivemos em tempos de aquecimento global e desequilíbrio ambiental, fato que proporciona o surgimento de epidemias e o galo de briga, com sua enorme resistência às doenças, tem papel importante na proteção do rebanho nacional. Aos que são contra, sugiro estudar o assunto para opinarem de forma bem fundamentada ou então parem de falar besteira, porque o ouvido dos outros não é privada.

  16. Wal disse:

    Até o momento em que o Ronaldo tiver essa concepção q aquecimento e de é preciso colocar galos para se matarem é preciso para a presevação da espécie o mundo vai continuar se aquecendo e raças sendo extintas. Onde já se viu criar animais só para brigas? para se matarem! Isso é o cúmulo do rídiculo! Ele deveria ser colocado em uma jaula com outro cara, os dois armados e que começassem um duelo, pois ao contrario seria devorado por lobos. Queria ver q reação teria ele. Talvez assim ele usuria pelo menos 1% de sua cabeça de animal. Onde já se viu violencia resolver problemas de aquecimento e extinção de raças?? Isso só pode passar na cabeça de um grande babaca que só ajuda a contribuir para que o mundo seja esse caos em que vivemos. E infelizmente, o mundo está cheio de pessoas assim!!!!

    • Washington jean disse:

      Wal vc deve ser corno, muito corno se vc gosta de brincar de boneca o poblema é seu maricona.

    • Anônimo disse:

      wal vc é um viado q não sabe oq diz galos de briga são criados a maioria das vezes por pais de familias

    • Anônimo disse:

      vc nao gosta nao fala nada .porke vc nao olha para as pessoa ai morrendo na calsada mentingo criança jogada no meio do lixo por maés ceim amor .olhe para isso em vez de implicar com kem cria gallos d rinhas a da um tempo tchal

    • evandro medeiros disse:

      A raça que deveria ser extinta é sua, os hipócritas que só sabem criticar, será que por acaso a sua vida é um livro aberto? Será que não esconde nada, heim?

    • Kelly disse:

      Wal, vc é inteligente e pegou uma frase dentro de um texto para ficar gozando de uma pessoa humilde, porém corajosa que não tem medo de expor seu ponto de vista. Evidentemente, que ele se referia a problemas maiores que afetam o nosso planeta e que merecem maior atenção que os galos combatentes ou aos maus tratos dos mesmo. Ninguem poderá ou conseguirá amainar a belicosidade dessas aves, que nasceram para brigarem entre si.
      Voce desconhece a importância dos galos combatentes para a melhora e para a preservação da avicultura industrial? A maiaoria dos seus pares (ambientalistas) pouco sabem, ou nada sabem sobre os galos combatentes, voce deveria consultar a EMBRAPA (continua)

      • Flavio mendes s. disse:

        Queridinha essas aves agem por estinto nos criadores apenas damos condiçoes pra elas usarem seu estinto vai na feira de animais compre uns dez galos e os solte juntos depois de duas horas vai la e veja o que aconteceu sua burra ….. flavio formosa goias

      • Galos de rinha disse:

        Curioso como existem pessoas interessadas a fazerem o bem, e fazem o oposto! Quem realmente conhece a natureza de um galo de rinha sabe que ele tem no instinto a agressividade.Somos apenas dosadores da agressividade nata desses animais.Eles ja estariam extintos não fosse a nossa intervenção,que cuidamos e reproduzimos e assim damos continuidade a espécie. E fazemos isso por que aprendemos a admirar a robusteza que eles desempenham em seus combates!!

  17. RONALDOC disse:

    Wal você é um imbecil.

  18. claudio n gomes disse:

    SIM PORQUE E DIREITO DO POVO.

  19. doardo disse:

    esses ambientalistas xiitas…

  20. Anônimo disse:

    Não aceito a idéia de legalização de brigas de galo,acho uma enorme maldade e covardia aos animais.

  21. JUAREZ disse:

    Com certeza para legalizar as rinhas teriamos que pagar algum imposto para o governo que provavelmente repassaria aos ambientalistas que se diga poucos sabem como se cria um galo ou uma galinha só sabem é falar e criticar as rinhas, mas conhecimento sobre os animais e seu instinto com certeza não sabem.Fica uma pergunta ‘ALGUM AMBIENTALISTA JÁ CRIOU GALOS OU GALINHAS ALGUM DIA?” É muito mais facil criticar né?

  22. RONALDOC disse:

    Amigos galistas, é com tristeza que venho divulgar, para reflexão de todos, mais um crime cometido com os galos combatentes. Na segunda feira passada, motivada por uma denúncia, a polícia do Rio de janeiro, invadiu um criatório na cidade de Nova Iguaçu. Durante a operação foram capturados vários frangos que estavam soltos e os mesmos foram amontoados em giolões de ferro e, em seguida, o criatório foi lacrado. A polícia só retornou ao local no dia seguinte e o pior já havia ocorrido. Os animais presos nos gaiolões ficarão expostos ao sol escaldante do verão carioca e, consequentemente, morreram de sede e insolação. Fatos como esse têm acontecido com frequência, pois a polícia não tem conhecimento do manejo necessário para o bem estar dos animais apreendidos, colocando-os juntos em locais apertados e a destruição é geral. Em outros casos os animais apreendidos são sumariamente exterminados, como aconteceu no sul do país onde o delegado simplesmente mandou degolar todos os animais de um criador. Quando a briga de galos foi tornada crime, o argumento era a proteção dos animais, mas o que está ocorrendo na prática é um extermínio. Não sei se as autoridades têm conhecimento do crime que está sendo cometido que é a destruição de um patrimônio genético nacional e a extinção de uma espécie. Amigos galistas e amantes dos galos de briga, somos a única esperança desses animais, não vamos deixar que a ipocresia e a mentira venção.

    • Dario disse:

      Numa confição , um padre disse para mim que briga de galo é um esporte , que não é pecado.
      Concordo com ele , Deus ama mais os animais ou o ser humano? Ja tentei parar de criar galos de briga , mais quando saia no quintal e não via os frangos , as galinhas, os galos , fiquei desesperado , fui na casa de um amigo , pedi um galo emprestado e uma galinha para por no quintal.

    • evandro medeiros disse:

      Caro RONALDOC, e o que aconteceu com esse delegado ou os PMs que mataram os animais ( galos, galinhas, frangos, frangas e pintinhos)?
      Provávelmente nada.
      E os que maltratam somos nós, né?
      Se não tivesse a ¨proteção¨ da policia, a maioria estariam vivos até hoje.

  23. sousa leite disse:

    quando sera que vamos poder fazer nossos combates de nossas aves em paz

  24. eu +EU!!!!!!!!!!!!!!!!!! disse:

    ESTE SITE E MUITO LEGAL GREMIO

  25. josé rodrigues disse:

    com a liberação das rinhas as cidades aonde tem rinhas os galistas teria que bancar uma cheche ou mesmo uma ação cultural , uma casa de apoio para dependentes quimicos ou coisa parecida, pois so assim estes que se dissem protetores de animais ficaria~~ao calados pois eles não tem serventia para nada

  26. Heikel disse:

    Eu,cresci fazendo briga de galo , conhesso muita gente relacionada a isso, pessos de boa indole como uma geração que temos aqui na cidade de pais filhos e agora netos que ja chega a quaze 150anos de história e nunca desabonaram a justiça ,mas com a proibição, nas suas própias propiedades agora optarão por serem contraventores pois eu sei que como os galos que nunca se rende,a nossa geracão que gosta e aprecia e cuida muito bem desses animais nunca desistirá de tentar a legalização.Para voltarmos a sermos pessoas de boa conduta novamente OBRIGADO .

  27. Alexandra disse:

    Meu marido 33anos, criador de galo e convivendo c/ isso, as vezes acho que a natureza pode cobrar caro essa atitude deles[deles galista] as vezes acho bonito.Acho lindo um galo tozado bem cuidado e saudavel p/ o combate;

  28. VALE A PENA disse:

    Deus fez o ser Humano com abilidades tais q cada um de nos sabemos, q nao e uma pratica exercida pelo instindo deses animais q podera destruir o ser humano ou o mundo.
    Todos sabemos q o q vem destruindo o nosso mundao sao os poluentes as queimadas os desmatamentos c o mundo retrocede-se ou fasa uma analise anos atras como era. havia tantas empresas q a hoje, tinha inumeros carros. hoje temos o carro a gasolina disel alcool etc.., faça uma comparaçao em qual a diferensa de valor de um carro q nao gere muitos poluentes, e o carro q gerra, pelo valor eu acho q nao queren melhorar nosso meio ambiente ou diminuir a destruiçao da camada de osonio, os carros poluentes deveriam ser tirados de sirculaçao e trocados por carros q nao gerem tanta destruisao e o valores resarcidos as pessoas, dando condisoes favoraveis para q posam comprar um carro nas condiçoes favoraveis ao meio ambiente.
    Outra coisa Deus deu varios esportes entao porque nós seres humanos estarmos contra nos mesmos vamos fazer algo q mude nossa camada de ozonio, pois todos temos pensamentos diferentes mas se pensarmos todos juntos nesta causa (CAMADA DE OZONIO) poderemos exercer nosos esportes em pas obrigado pela atensao.

  29. gilmarllyn -rj.zona oeste. disse:

    TEM QUE ACABAR COM OS POLITICOS,NAO AS BRIGAS DE GALO,ROUBA E NAO VAO PRESOS ,EU ADORO UM BOM GALO DE COMBATE TIVE MUITOS PAREI POR MUITOS MOTIVO . UM DIA EU AINDA VOUTO A CRIAR,TENHO ALGUNS OVOS GUARDADO;

  30. chuchu disse:

    quando um galo e bom e claro que ele vai ter um bando de pinto

  31. josé rodrigues disse:

    tenho 46 anos desde meus 10 anos eu ja frequentava as rinhas, passei a criar meus combatentes adqueridos dos galista mais fortes daqui de goiás, hoje eu tenho minha propria raça atraves de varios cruzamentos anos e anos de dedicação aos meus pupilos, já consegui varias vitórias e derrotas tambem, neste tempo todo já foram mais de 10 mil pintos tirados e selecionados uma grande ajuda para a genetica brasileira, sera que isto não tem valor nenhum para os nossos puliticos , quantos sacos de ração eu já comprei neste tempo todo, remedios vacinas , sera que eu co m minha criação naõ deu emprego para varias pessoas porque eles politicos não fazem uma pesquisa para ver quantos empregos diretos e indiretos os galistas e criadores dão por este brasil afora, ja pensaram nisso, hoje mesmo foi dia de compra olhe so milho,ração inicial, ração tuque, aaveia, ração balanceada com varios tipos de sementes, remedios vermifugos,vacinas,vitaminas etc, então voces vão ver quantos galistas e criadores estão fazendo suas comprar todos os dias do m~es neste brasil, nois os galistas e criadores deveria õ ser mais respeitados voces não achão… obrigados a todos…vamos a luta pela liberdade de fazermos o que nós mais gostamos levar nossos pupilos a classificação final….

    • Rodnei Silveira disse:

      Boa noite amigo José Rodrigues!!!!
      Sou apaixonado por golos de combate desde pequeno como tantos nesse Brasil afora e gostaria muito que o senhor ou alguém que ler meu comentário me ajudasse a conseguir uma raça de galos bons pra mim recomeçar minha criação!!!
      Obrigado e um abraço para todos que gostam de galos e também para os que não gostam!!!

    • Rodnei Silveira disse:

      Muito boa noite a todos!!!!
      Gostaria muito de comprar ovos de animais testados para mim começar minha criação!!!
      Sou apaixonado por esses lindos pupilos que nos enchem os olhos e só nos dão alegria!!!
      Ate meus 17 anos criei galos combatentes mais nunca tive nem um que pudesse dizer que foi bom!!!
      Espero que alguém que assim como eu admira esses animais possa me ajudar e me vender alguns ovos!!!
      Gosto mesmo desses animais!!!
      Grande abraço a todos!!!

      • Jose Carlos disse:

        Tenho 50 anos e sou galista iniciante, tenho 3 galos indio, raça pura: um galo aseel preto, de Montes Claros, um galo carijó, de Conselheiro Lafaiete, um galo borrado do Rio Grande do Sul, tenho 3 galinhas pretas lindas, fiz duas chocas e nasceram varios pintainhos, destes tenho 6 frangas, e onze frangos, todos com com seis meses de idade, coloquei uma galinha com 15 ovos pra chocar, esses ovos foram ganhos de um novo amigo que fiz atraves de minhas aves, são ovos de galinhas shamo, bankiva e paquistanês, esses eu só conhecia pela internet, se Deus quizer agora vou aprimorar mais e mais a minha raça de galos indios combatentes.
        Moro em Ouro Preto – MG, e meu imail é: zecarlossillva@yahoo.com.br – se vcs quizerem com prar ovos ou frangos e frangas terei prazer em vender a preços bem em conta, sem furar o olho de niguem.
        abraços a todos galistas…

  32. TALES FERRI disse:

    Opa, alguem poderia me passar algumas dicas, tipo: Vitaminas pra galos e como prepara-los antes das rinhas, estou começando na lida.
    Obrigado

  33. João Catira disse:

    As rinhas de galo no Brasil tem que ser liberadas, pois ja é uma tradição do povo brasileiro, criar aves combatentes é uma arte e o artista e sua obra tem que ser LIVRES…

  34. josé rodrigues disse:

    cavalos de corrida, tem quecorrer para apurar cada vez mas sua raça, os galos de briga e a mesma coisa, temos que enfiar isto na cabeças destas pessoas que so fala da boca para fora, muitas coisas que não são verdade, as bragas de galos tem regras que são obedecidas pelos galistas e juizes na hora dos combates, quando for liberadas muito em breve sera mais facil de controlar todos os que si dizem galistade verdades, aqueles que coloca uma galinha com um galo é espera um ano para poder classificar seus frangos, como disse no começo, galo de briga tem que brigar para podermos ficar com os melhores , e continuar raçando e melhorando cada vez mais esta especie que se não fosse nois os galistas de verdade, já terião sida extinta do nosso territorio brasileiro, viva os galista do brasil por tanta coragem para deveder esteesporte milhenar..obrigado a todos os galista

  35. VENTURA disse:

    Eu sou gaúcho e não desisto nunca!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Desde de piá estou envolvido com galos, e vou morrer com eles , se o patrão velho lá de cima permitir.

  36. anderson disse:

    Adoro briga de galos venha no prosimo torneio aqui dia 22/10/2008 e capelinha.

    • ze pedro disse:

      tambem adoro, mas acho que a policia não tem outra coisa a fazer alem de nos persseguir,como se não tivsse assassinos soltos.traficantes.ou é porque isso não da ibope

  37. FBI VLDRS disse:

    paixão brasileiras;futebol,rodeios,lutas,torneio de passaros,etc…Porque não brigas de galos???

  38. CARLOS GENILDO disse:

    PODE OBSERVA QUE , QUEM E CONTRA SÃO BURGUESES QUE AGEM COM DEGAGOGIA E SE DIZ CONTRA A MACONHA MAS E O MESMO QUE FUMA, REBANHO DE DEMAGOGO SAFADOS .

  39. Anônimo disse:

    O GOVERNO EM VEZ DE SI PREOCUPAR EM PRENDER OS MAGINAIS QUE ESTAO SOUTO POR AI ESTAO PREOCUPADO COM RINHA DE GALO ISTO E UMA VERGONHA,GALO DE BRINGA ELE JA VEM DO ESTINTO ELES JA NASCEM BRIGANDO POR ISTO NUMCA VAI SE ACABAR ,VAMOS PRENDER OS TRAFICANTES QUE ESTAO SOUTO POR AI ROUBANDO ESTUPRANDO,

  40. ROCHA disse:

    MAIS UMA VEZ O GOVERNO NAO TEM NADA PARA SE PREOCUPAR ELES ESTAO PREOCUPADO COM RINHA DE GALO,MAIS NAO ESTAO PREOCUPADO COM O MAGINAL QUE ESTAO SOUTO POR AI ROUBANDO MATANDO E PRATICAMENTE MANDANDO NO RIO DE JANEIRO.TEM TANTO GOVERNISTA POR AI QUE ROUBAM E ESTAO SOUTO.

  41. SANTOS disse:

    SE O GOVERNO ESTA PREOCUPADO COM A RINHA DE GALO OU COM COM O IMPOSTO,SE FOR PELO O IMPORTO VAMOS PAGAR PARA ELES.

  42. anonimo disse:

    nos galistas criamos com todo carinho alguns ate gastao oque nao podem para poder criar bem,ai eles vem e levao todos e os sacrificao a final quem sao os criminosos nos ou eles?

  43. joao barros disse:

    Quem nao gostar que passe pelo outro lado da rua, mas nao critique o que nao conhece. Galo de briga e coisa seria nao e molecagem nao. Querem protege-los com essa lei ambiental fajuta, nao os comam, pois do contrario e uma protecao com a boca suja de sangue….

  44. edvon fernandes disse:

    para os que tiram conclusoes preciptadas apenas pela ideia de que combate entre aves e o cumulo da violencia, es um recado: um cao adulto pode ou nao briagar entre si porem se seu dono mandar e ensentivar, fatalmente brigarao . por este lado sem duvida trata-se de um ato covarde, tal acao. no entando dois galos jamais combaterao por ordem de seu dono, pois e da natureza de ambos que briguem independente da vontade alheia , alem do mais o sistema nervoso das aves e menos evoluido que dos mamiferos, refocando a ideia de que os mesmos sentem monos dor que um cao . se alguem achar cruel tal opiniao va à padaria mas proxima e xingue o churrasqueiro e nunca mais coma galinha

  45. Jussiê disse:

    sou plenamente a favor da legalização das rinhas de galos combatentes.só nós galista cria e preserva essas aves de combate.quantos aos maus tratos que todos leigos comentam. mais ninguem observa os maus tratos nos rodeios, nas vaquejadas, nas farras de bois,os cavalos e éguas puxando carroças, animais sendo sacrificados nos terreiros de camdoblés,os galos apreendidos pela policia e fiscais do Ibama no Estado do Rio Grande do Sul que foram degolados e os seus corpos jogados foram ,por estás pessoas que têm a obrigação de defendê-las e nem uma providência foi tomada pelas autoridades deste país e nem tão pouco foi mostrado pela imprensa que só querem descriminar e marginalizar os galistas que são pessoas honesta trabalhadoras e cumplidoras dos seus direitos e deveres perante a sua familia e a sociedade e pagadores dos seus impostos para o crescimento e desenvolvimento do nosso país. Senhores políticos peço que crie uma lei para a legalização do nosso esporte cultural e milenar deixa pelos nossos antepassados.Porquer toda lei deve andar em comsonância e com os costume de uma sociedade e não contra essa sociedade pois o esporte galistico já faz parte a muito e muito anos da cultura dos brasileiros.Só queremos podermos ir para nossas rinhas sem sermos molestados pela polícia e pelos fiscais do Ibama.legalização das rinhas já. Um abraço para todos os galista e políticos que abraçem a nossa causa(que é a liberação urgente das nossas rinhas).Para podermos práticarmos o nosso esporte cultural emilenar.Brasil país democratico onde todos têm o direito de gosta de alguma coisa,nós galista gostamos do nosso esporte e amamos e preservamos os nossos combatentes implumados da especie gallus gallus.

  46. Julio gomes disse:

    sou totalmente a favor desse esporte conhecido popularmente como briga de galo e peço as nossas autoridades compêtentes que crie uma lei de liberação do esporte galistico no Brasil, pois este esporte já faz parte da cultura dessa sociedade. E quanto aos maus tratos eu não vejo por parte de nós galista criamos da melhor forma possível os nossos galos, tanto no que se trata de alimentação,manejo com os galos, os locais que eles ficam, são todos vitaminados, vermifúgados coisa que muita criança desse país não têm.Há outros esportes que o homem usa os animais e tem maior influência do homem sobre o animal tais como: os rodeios, vaquejadas, corrida de argola. Bois, cavalos e éguas puxando carroça e sendo açoitados pelos seus donos e ninguem e principalmente a imprensa crítica e nem as autoridades toma as devidas providências que a lei determinar, só sabem é perseguir e descriminar e marginalizar os galista que são a unica salvação dessa especie de ave para que elas não seja extintas do Brasil e do nosso planeta.

  47. Paulo disse:

    sou sim a favor da liberação desse esporte conhecido como briga de galo,pois este esporte foi deixado pelos meus antepassado e se não fosse nós galista esta especie já tinha sido extinta.Criamos e preservamos este grande banco genético que é o nosso galo combatente, e os senhores políticos deveriam nos ajudar a continuar a preservar os nossos galos, sabem como criando uma lei de liberação do nosso esporte cultural e milenar. Um abraço a todos os galista do Brasil e aos de Sergipe. Peço que voçês galista sergipano também deixe seu comentário……………………..

  48. JUAREZ disse:

    Tenho uma ideia pessoal, vamos neste espaço pedir que alguem ligado a politica nacional se pronuncie a favor da legalização dos combates de galos,ai podemos ter certeza e dar algum credito a eles (politicos) pois não adianta eles aparecerem só na epoca de eleição, vamos ver quem tem coragem de assumir e apoiar nossa luta.
    Legalização já.

  49. Jose Eduardo Guimarâes Coelho disse:

    O galista é o verdadeiro presevador da referida espécie de animal. O galo compatente só existe hoje devido o cuidado que o criador tem com seus animais. Aqui na minha cidade ( Sobral – Ce ) vivem muitas famílias desse esporte salutar, qua é a briga de galo.
    Vamos fazer um trabalho de concientização junto aos nossos representante e legalizar a briga de galo no Brasil.

  50. josé rodrigues disse:

    sou a favor deste esporte, sou galista com muito orgulho, pago minhas contas em dia trato da minha familia com muito amor e carinho, não sou bandido sou sim galista, e vou continuar minha batalha para liberação até o fim da minha vida, vamos todos juntos unidos pra frente de batalha nossa maior arma é o nosso titulo de eleitor, vamos mostrar para estes politicos que somos gaslistas e tambem eleitores que pode ate mudar uma eleição, a partir deste pensamento eles os politicos vai nós defender com outros olhos, obs. outro dia mei filho mim ligou do colégio pai vem mim buscar pois aqui fora esta tendo uma briga de traficantes pelo ponto de droga, tive que sair correndo do meu trabalho para defender meu filho, neste momento não vi policia mais quando e para prejudicar os galista eles vão com varios corros e policiais, será que as coisas estão trocadas, será que um galo de briga tem mais valor que uma ciança não seria ,melhor proteger nossas crianças dos traficantes,dos pedofilós, ora vamos parar de brincadeiras vamos proteger nossos filhos, nossos costumes,nossas tradições nossa liberdade, lembre somos galistas mais também somos eleitores ..

  51. Jussiê disse:

    sou plenamente a favor da legalização das rinhas, pois só quem cria galo de combate sabe o amor que os galistas têm pelo seus animais e se não fosse os galistas está espécie já teria sumido do planeta.E quanto os maus-tratos que tanto se comenta sobre galo de combate são geralmente por pessoas ignorantes e leigas sobre esse assunto que é o galismo,e também porque é um esporte que só interressa aos criadores e preservadores dessa espécie, nos demais esportes em que é usado animais tais como: rodeio,vaqueijada, corrida de laço,farra do boi,corrida de cavalos e etc é apresentado para um grande público por este motivo ninguém crítica e ninguém persegui principalmente as autoridades deste país.

  52. Anonimus disse:

    sou plenamente a favor…… só rinha galo quem cuida deles………….quem não entende merda nenhuma de galo não tem nem em casa um pra saber como é…… vamos legalizar logo…. precisamos de mais eventos

  53. matheus de a lemos disse:

    sou apaixonado por esse esporte por isso torco por sua legalizacão

  54. puleiro disse:

    sou plenamente a favor da legalisação das rinhas……além de gerar empregos,é um salto para a história e cultura de nosso pais….os galos combatentes ja nascem com esse estinto de brigar até a morte….e isso faz parte de uma cultura que vem de nossos antepassados…!legaqlise já;;

  55. José Seabra disse:

    Caros galístas,

    Há muito venho procurando outras vozes para discutir o assunto da legalização dos combates entre galos de raça específica. Lutas legalizadas, com regras definidas, acessórios que miniminizem traumas inerentes a luta, critérios de ranking, enfim, condições que já são praticadas mais não chegam ao conhecimento do público em geral. Precisamos também quantificar econômicamente isso com: valor de nosso plantel, custos de manutenção, postos de trabalhos, etc.., só assim poderemos sensibilizar os políticos para efetivamente aprovem a legalização de um esporte , que na verdade é uma tradição cultural.
    Por ter uma criação de cavalos de corrida PSI, tenho alguns galos, é uma combinação comum entre nós, sabemos apreciar a natureza de cada indivíduo, dando-lhes o treinamento e a atividade que mais condiz com suas características naturais.
    Agora que achei este blog. prometo acessá-lo mais vezes e trocar informações como anda o processo aqui em Brasília. abraços à todos e saudações.

  56. josé rodrigues disse:

    seja bem vindo josé seabra, quanto mais opiniões mais chances teremos de legalizar nosso esporte, voçe é criador de cavalos de corrida que tambem e uma paixão nacional igual o galo de briga, cavalo e galos de briga são os animais lindos e completos do mundo.. vamos a luta pela liberação, obrigado a todos galistas do brasil

  57. nao disse:

    galo forte so o GREMIO…parem com essa merda de discussão porra!
    parecem bichas!!

  58. thig disse:

    Esses filhos da puta sem escrupulo, atrasados mentalmente, sem cérebro, deveriam voltar a época dos gladiadores para serem colocados na arena e sairem de lá sem olho, sem boca, sem braço e com a bunda do lado aveso .
    Para todos que apoiam as rinhas de galo.
    NAO AO PRIMITIVISMO.
    A cultura de um pais nao é manter esses shows macabros, é a EVOLUÇAO das posturas, do comportamento dos seres humanos.
    Se pensam que o congresso vai apoiar… vào se fuder.

  59. tony disse:

    deveria ser liberado esporte entre animais pricipalmente de galos entre outras aves

  60. José Seabra disse:

    Caro Thig,.

    A evolução começa com o respeito as opiniões de todos e pela boa educação, espero que você comece a exercitar pelo menos estas regras básicas. um fraterno abraço

  61. francisco disse:

    oi eu sou criaton de galo de briga
    si vcs qui bota briga de galo vê pos tamboril
    qui leva piza rsrsrrsrsrsr

  62. marcio disse:

    como podem proibir um esporte milena

  63. doardo disse:

    eu tô achando que o pessoal que cria galos vêm bêbados comentar aqui.

  64. Flávio disse:

    Eu crio Galos de raça a mais de 20 anos. E creio que os debates em torno do assunto são de pouco ou nenhum objetivo exato.
    Eu acho que deveriam fazer debates sólidos que possam envolver de maneira prática e sem preconceitos, toda uma sociedade. Debates que reúnam galistas, criadores, admiradores, entendidos e lideranças políticas para analisarem as possibilidades de afrouxar algumas leis e programa outras que funcionem de fato. Afinal, sabemos que embora sejam proibidas as rinhas de galo funcionam por todo o Brasil.
    Questões como:
    E um uma cultura milenar?.
    E uma tradição?
    Quem cria cuida?
    Quem cuida poderia ter mais direitos?
    O que fazer com os galos apreendidos?
    Como programar políticas fiscais contra os aproveitadores e contrabandistas de galos.
    Ajudas à aqueles que querem salvar raças de galos da extinção?
    Enfim… Eu acho que estamos caminhando lentamente, porém passos já foram dados espero que um dia meus filhos e netos possam ouvir as histórias de galistas e criadores assim como eu ouvi e possam também se tornar zeladores galistas assim como meu avô foi, meu pai e eu somos hoje e ajudar a preservar estas espécies que permeiam nossa vida e cultura.

  65. CICERO RAFAEEL disse:

    NÃO VERJO NADA DE MAIS NAS BRIGAS DE GALOS SER LEGALISADA SEIRA UMA BOA QUE O COMGESSO A PROVE ESSA LEI

  66. Flávio disse:

    Autoria: Jayme Caetano Braun
    Valente galo de rinha,
    guasca vestido de penas!
    Quando arrastas as chilenas
    No tambor de um rinhedeiro,
    No teu ímpeto guerreiro
    Vejo um gaúcho avançando
    Ensangüentado, peleando,
    No calor do entreveiro !

    Pois assim como tu lutas
    Frente a frente, peito nu.
    Lutou também o chiru
    Na conquista deste chão…
    E como tu sem paixão
    Em silêncio ferro a ferro,
    Cala sem dar um berro
    De lança firme na mão!

    Evoco neste teu sangue
    Que brota rubro e selvagem.
    Respingando na serragem,
    Do teu peito descoberto,
    O guasca de campo aberto,
    De poncho feito em frangalhos.
    Quando riscava os atalhos
    Do nosso destino incerto!

    Deus te deu , como ao gaúcho
    Que jamais dobra o penacho,
    Essa de altivez de índio macho
    Ques ostentas Já quando pinto:
    E a diferença que sinto
    E que o guasca bem ou mal!
    Só lutas por um ideal
    E tu brigas pôr instinto!

    Pôr isso é que numa rinha
    Eu comtigo sofro junto,
    Ao te ver quase defunto.
    De arrasto , quebrado e cego,
    Como quem diz Não me entrego:
    Sou galo, morro e não grito
    Cumprindo o fado maldito
    Que desde a casca eu carrego!

    E ao te ver morrer peleando
    No teu destino cruel.
    Sem dar nem pedir quarteu.
    Rude gaúcho emplumado.
    Meio triste , encabulado,
    Mil vezes me perguntei
    Pôr que é que não me boleei
    Pra morrer no teu costado?

    Porque na rinha da vida
    Já me bastava um empate!
    Pois cheguei no arremate
    Batido , sem bico e torto ..
    E só me resta o conforto
    Como a ti, galo de rinha
    Que se alguem me
    dobrar – me a espinha
    Há de ser depois de morto!

  67. cleu disse:

    alguns acham maldade mas é o extinto dos animais a rinha de galo tras fonte de renda para algumas pessoas, tem tambem que ver que os criadores de aves de combate estão preservando os varios tipos de raças deferentes se as brigas de galo são proibidas os rodeios tambem devem ser.

  68. knnor disse:

    os galos são a nobreza,a alto estima das aves,a beleza da criação, quem a conhece ,conhece o seu criador , pois quem a tem são pessoas de grande caráter , porque o tempo e a dedicação para criar e preservar da extinção essas aves e ouvir perseguições de ignorantes no assunto ,mostra que os galistas são os merecedores de grandes elogios,de apláusos e de grande respeito pela sociedade. um abraço a todos galistas e nunca se renda como exemplo das nossas belas aves. KNNORR-SP

  69. Flávio disse:

    A despeito de tudo ser um criador de Galos Combatentes, pode ser considerada uma arte, obra prima de seu criador. Como um… Ciêntista com suas pesquisas, seus inventos.
    Sem modéstia um Galista sempre exibe com orgulho e satisfação, um frango, que nasceu de um cruzo quase feito em suas mãos.
    Galista, homem querreiro e menino que leva sobre os ombras a barra do seu tempo que não deixa a modernidade deste mundo tão moderno apagar o trago nem a amizade que foi feita nos quintais de mundo.
    É nosso dever nossa missão, manter viva a nossa criação.

    • Galos de rinha disse:

      Os desenformados nos veem como sádicos por assistir-mos as brigas de galos,Quando na verdade estamos ali para ver tão somente o desempenho de nossa raça! Cada galo que brigamos são como se fossem nossos representantes dentro de uma rinha,sua vitória é a nossa vitória,sua derrota tbm é a nossa!!!
      trabalho com a justiça,não ponho meus galos em combate para não entrar na marginalidade,mais gostaria de o fazer pois acho um espetaculo a forma de combate dessas aves! Quem sabe um dia o bom senso das autoridades enxergue nosso amor pela tradição passada pelos nossos ancestrais para nós,que é a briga de galos combatentes!! Tá em nosso sangue ! Salvem as baleias,as araras azuis e todos os animais em risco de extinção.Nossos galos não correm risco algum,e já estão protegidos por nós os criadores e defensores dos galos de rinhas!!!!

  70. Espero que um dia aja a lei de legalização a rinha pois mais que isso e muito pior as brogas o propio cigarro e não a lei para broibirem, a rinha e e um esporte como um outro qualquer sempre tera nós temos mcuidado especial com os animsis não são criados de qualquer jeito por isso são os melhores animais de se criarem

  71. Flávio disse:

    Em 1934 foi editado o Decreto Federal 24.645 que proibia a partir dai as brigas de galos ou qualquer luta entre animais, mesmo sendo esta promovida em ambiente privado.
    Colocando assim todos os criadores de Galos de raça na ilegalidade. Que falta de consideração daquele Presidente Janio Quadros. Por certo estava de porre quando fez este decreto.
    Mesmo assim vemos atualmente, pessoas, gente como a gente. Criadores Galistas que são presos e autuados muitas das vezes em flagrante em locais que promovem brigas de galos e apostas em dinheiro.
    Isso ocorre porque as rinhas estão, ainda, implicitamente proibidas pela Constituição Federal e pela Lei de Crimes Ambientais, art. 32.
    Mas o Supremo Tribunal Federal ainda não levou em consideração as dezenas de projetos de lei que institui os Combates Galísticos como atividade de preservação das raças eaprimoramento zootécnico das aves usadas neste esporte milenar.
    Eu como um cidadão acredito ainda no bom senso. Porém, defendo leis que asseguram desde que legalmente regularizadas de acordo com as disposições da lei, amplo apoio e desembaraço imediato na expedição de quaisquer documentos para seu funcionamento.
    Seria interessante também permissão aos criadores, possuidores, aficionados do esporte galístico, amplo apoio no sentido de realizarem apresentações e eventos em instituições ou instalações adequadas para este fim.
    Eu gostaria como cidadão e criador de Galos Combatentes a 15 anos, que a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara de Deputados compriendesse que a prática de certos esportes que envolvam a utilização de animais domésticos ou domesticados são manifestações culturais.
    Enfim espero que todos os Galistas Criadores, possuidores de Galos Combatentes, aficionados, e autoridasdes e entendidos de forma favorável que possam também refletir na importancia de nossos interessos acima de tudo de nossa expressão.
    Não somos meros ignorantes e bebados, ilegais, como alguns demagogos freguentadores deste fórum afirmam.

  72. RONALDOC disse:

    Este texto foi publicado pelo amigo Emerson e traduz com exatidão o significado do galismo. Eu gostaria que as autoridades o lessem com muita atenção e imparcialidade.

    “A VERDADE”
    A ignorância das coisas conduz-nos fatalmente ao exagero. A citação não é nova, é bem sabido. A confirmação temos obtido através da história, onde povos e nações nos ofereceram muitos exemplos, alguns extremamente precipitados e sinistros, como o ocorrido a GALILEU, quase queimado vivo por sentença do Tribunal da Inquisição, simplesmente por ter afirmado ser a terra redonda. Mas, se o que ignoramos é sempre exagerado, é implícito que reconheçamos ser o exagero o subterfúgio dos desarrazoados.É o caso das lutas de galos, esporte emocionante, praticado em todo o mundo civilizado, mas que à morbidez de certas pessoas se afirma como perversidade, sadismo e outras tantas tolices, que bem caracterizam conflitospsiquicos ou mentalidade por demais rasteira e atrofiada de quem assim o julga, mutilando a ótica e turvando os horizontes.
    É bem sabido de que todo leigo tem soluções próprias para os problemas alheios. Por essa razão, compreende-se facilmente porque as lutas de galos são tão caluniadas por alguns, que contra elas despejam uma infinidade de julgamento errôneos, infundados, absurdos e em sua maioria levianos.
    Entre as opiniões mais generalizadas, figura a de que as lutas de galos são promovidas por pessoas incultas, rudes, grosseiras e na maior parte das vezes, de nenhuma ou de muito pouca civilidade. É certo de que as pessoas que esgrimam com semelhantes argumentos, certamente nunca presenciaram uma luta de galos realizada na devida forma, senão jamais argumentariam que somente indivíduos sem cultura e de instintos baixos poderiam interessar-se por essa modalidade de espetáculos. Semelhante argumentos esboroam-se facilmente quando são citados nomes de galistas ilustres, muito aliás, que se destacam nas diversas atividades em todo mundo.
    O mais interessante é que pessoas nada esclarecidas sobre os processos biológicos que regem os seres e as coisas e muitas vezes incapazes de distinguir um galo de uma galinha, arvoram-se como seus defensores, ignorando que essas extraordinárias aves brigam desde os primeiros dias de nascidas e se não houver a pronta interferência do homem, se aniquilarão ou se inutilizarão para sempre. O galista, pois, verdadeiro protetor de uma espécie de grande méritos, é um abnegado e mais do que isto, tem de possuir uma espécie de real vocação para o esporte, pois a criação e o manejo desses animais se prende à particularidades muito especiais, onde a dedicação, carinho e o espírito de observação são fatores para se levar a bom termo a tarefa. Parecerá exagero isto, mas quem conhecer de perto um galista, em pouco tempo se inteirará de seu carinho e dedicação para com suas aves e não raro verá que, com orgulho, ele lhe apontará determinado animal, já afastado das competições, com seis anos ou mais conservado como ? jóia rara ?. E feliz desse exemplar que não teve a indefectível sorte de um frango de corte!!! Morrerá de velhice ou de insidiosa doença, mas jamais para o inglório fim culinário.
    Galo-de-briga luta instintivamente, e isto se constituí no seu maior desejo. Não são instigados um contra o outro como comumente acreditam os leigos no assunto. Brigam por necessidade, pelo seu próprio instinto e pelas excepcionais qualidades com que a natureza os dotou. Apenas o homem, para que essa luta não se tornasse aleatória, como sucederia sem a sua interferência, estabeleceu normas para a igualdade em peso e altura evitando um desproporcional domínio de um lutador sobre o outro. Ninguém desconhece que as lutas de galos são praticadas em todo o mundo desde épocas imemoráveis! Nas Américas. Este emocionante é difundido da Patagônia às terras frias do Canaã. Em Orlando, na Florida, existiu um rinhandeiro famoso conhecido pelos galistas de todo mundo. Várias são as especialidades sobre o esporte publicadas nos Estados Unidos com matéria muito atraente. Podemos destacar, Gamecock, Game Fowl, News, The Feathered Warrior, Poltry Press e Grit and Steel, esta, beirando os 100 ANOS de EXISTÊNCIA. Entre centenas de anúncios de criadores de aves de combate, apetrechos galísticos, medicamentos, rações, e outros da espécie, destacam-se alguns de escolas para galistas, onde os novatos no esporte especializam-se na difícil arte de reproduzir, criar e preparar os galos para as rinhas.
    Na FRANÇA, onde o esporte está regulamentado por lei do então Presidente Marechal Charles De Gaulle, existe uma Confederação dos Galistas com sede na Cidade de Lille, com o nome ? FÉDERÁTION DES COQUELEURS RPÉGION NORD DE LA FRANCE ?, a qual mensalmente pública interessante jornal intitulado ? LE COQ GAULOIS ?.
    Transportando-nos à ESPANHA, vamos encontrar um órgão galístico, este, operando dentro do Sindicato Nacional de Ganaderia e conhecido como Grupo Sindical de Criadores y Exportadores de Gallos de Peleas y Aves Deportivas. Foi fundado em 1967 em Madrid e com grande objetividade vem controlando e incentivando a criação dessas belicosas e notáveis aves.
    Encontramos também na América do Norte entidade galística similar de grande atuação conhecida como The United Gamefowl Breeders Association ? UGBA e no MÉXICO, filiada a Unión Nacional de AVICULTORES, A Sccion de Criadores de Gallos de Combate, na própria Capital Federal.
    Na Índia, berço das lutas-de-galos, existem vários órgãos de preservação às raças de briga, como por exemplo, o The Departament of Animal Husbandry, em Andhara Pradesh que vem selecionando e aperfeiçoando a muitas vezes secular raça Assel de combate, uma das mais antigas do globo, o mesmo acontecendo no Paquistão, onde a Pakistan Poultry Association tem o encargo dessas importante tarefa. Omesmo acontece no JAPÃO, onde o combatente shamo vem sendo preservado sob o sistema de competições por vários órgãos locais, entre eles a ZENKOKU NIHON-KEI KYOKAI.
    Na Inglaterra, muito embora as lutas de galos permaneçam incompreensivelmente proibidas há mais de um século, é surpreendente como o desenvolvimento do esporte vem crescendo dia a dia, num frontal desafio às autoridades locais que perguntam a si mesmas a razão da expansão de uma prática julgada já marginalizada, sem encontrarem uma saída satisfatória.
    A resposta é fácil, entretanto. Não é necessário que recorramos ao cabedal de juristas ou a psicólogos, nem tampouco a dogmas de intolerantes puritanos para chegarmos à razão. As lutas de galos existem e florescem devido a uma Lei biológica imutável e soberana, muito diferente da lei dos homens, pois enquanto a primeira está integrada no equilíbrio natural das coisas, a segunda emana do interesse ou da conveniência de cada um, ou ainda, do admitido como certo dentro de uma comunidade. Ninguém dirá de bom senso que a lei dos homens proíba de chover ou fazer sol. Ninguém de bom senso, portanto, poderá admitir que dois galos deixarão de brigar devido a uma simples lei ditada pelos homens. Se os galos lutam é porque são belicosos e se não ocorresse, os homens jamais se interessariam por tal esporte. Tanto é assim, que em algumas reportagens o JORNAL LONDRINO ?NEWS OF THE WORLD ? focalizou o assunto, demonstrando que as lutas de galos na Inglaterra continuam mais VIVAS do que nunca. Por outro lado, existem na GRÃ-BRETANHA vários clubes de aves de briga que zelam pela preservação das velhas raças inglesas de combate, de atuação muito destacada na sobrevivência do esporte. O certo é que em nenhum país do mundo a proibição às lutas de galos possui o efeito desejado. Não é admissível, pois, que na era ATÔMICA e das viagens à lua, entidades cabalísticas que se arvoram defensoras dos animais continuem em atraso em atraso biológico secular, perpetrando acintoso crime contra a ZOOTECNIA. Caberia, isto sim, às nossas autoridades, fiscalizar tais entidades e somente permitir atividades as que possuem efetivamente condições para dentro de um campo biológico e não teórico, imprimir campanha de proteção aos animais, atendendo-se às condições peculiares a cada espécie, dentro de suas aptidões e finalidades e não explorando demagogicamente o lado sentimental dos leigos e desavisados. Não é cabível que se protejam as espécies selvagens do extermínio e se permita passivamente o aniquilamento de algumas domésticas, puras e simplesmente por um inexplicável ódio ZOOLÓGICO. Seria um paradoxo dos mais gritantes e absurdos! Aos galistas , pois, vem sendo legada a difícil e importante missão de proteger e preservar uma das mais nobres espécies domésticas, OGALO COMBATENTE, evitando sua miscigenação e abandono, sem o que viria a ser interrompido expressivo ciclo muitas vezes MILINAR de rigorosa e profícua seleção. Atentar-se contra legados de tal natureza alegando-se a tese de proteção aos animais é que não encontramos justificativas.
    Em conhecido livro sobre avicultura, JOÃO BRUNINI, categorizado autor patrício, afirma com grande propriedade que se não houver existido as PELEJAS de galos como DESPORTO POPULAR desde tempos remotos, seria pouco provável que houvesse na atualidade exemplares de aves tão fortes e perfeitas, e a AVICULTURA tanto COMERCIAL como a praticada simplesmente por afeição careceria de um de seus mais sólidos baluartes!
    Ma, magnífico exemplo, investido de grandes ensinamentos, que deveria deixar muita gente a meditar pela grandiosidade do seu conteúdo filosófico e que toca diretamente às lutas de galos, nos dá SANTO AGOSTINHO, o ÁGUIA DOS DOUTORES- nos versículos 25 e 26 do capítulo VIII ? Livro I ( Tomo Terceiro ) de sua grandiosidade obra DE ORDINE, ( BAR-LE-DUC, L. GUÉN Cº – ÉDITEURS ? 1864 ).

    Conta-nos SANTO AGOSTINHO, que após oferecido a Deus seus votos de cada dia, pôs-se a caminhar com dois amigos por um lugar que lhe era familiar, quando perto à soleira de uma porta deparou dois GALOS que se entregavam a um combate muito violento. Pararam para APRECIAR a peleja e sobre o espetáculo são essas suas considerações:

    ? Detivemos-nos. Quem não olha ou por onde não passam olhos amigos ao procurar se em alguma parte aparecerá aquela beleza da inteligência que modifica e governa tudo, tanto pela ciência como pela ignorância, que arrasta por toda parte seus discípulos ávidos, e se faz procurar por toda parte? De onde e em que lugar não pode ela absolutamente revelar-se? Assim, naqueles GALOS, era preciso ver suas cabeças inclinadas para a frente, as penas do pescoço eriçadas, os choques violentos, os desvios ágeis e em todos os movimentos desses animais, nada que não fosse conveniente. Tudo neles, REGULADO POR UMA RAZÃO SUPERIOR, enfim, a lei imposta pelo vencedor, seu CANTO DE GLÓRIA e seus membros assumindo uma forma imponente para atestar a magnificência da dominação; o vencido, testemunhando a derrota, arrepiando as penas do pescoço, não demonstrando na voz e nos movimentos senão disformidades; portanto, nada que não fosse em harmonia com as leis da NATUREZA. Indagamos então uns aos outros. Por que isso é assim? Por que RAZÃO achamos no aspecto do combate um certo prazer de espectador? Que havia em nós que buscava coisas tão longe dos sentidos?? Que havia ainda influenciado a despertar os sentidos?? Dissemos a nós mesmos; onde não está presente a lei? Onde o império não é conferido ao melhor? Onde não está presente a sombra da constância? Onde deixa de existir a imagem dessa beleza tão real? Onde deixa de existir o equilíbrio? Nossas reflexões eram locais, mas meditamos como coisas tão notáveis tinham até então escapado ao pensamento de 03 ( três ) homens que a elas se dedicavam. Assim que regressamos, pois escrevemos com cuidado este acontecimento em nosso livro. Ninguém pode recuar-se a aprova-lo, mas é raro e difícil senti-lo quando nos entregamos ardentemente a outros estudos ?.

    Também SÃO THOMÁS DE AQUINO tece considerações muito objetivas que podem ser aplicadas às lutas de GALOS.

    Diz ele:

    ? …..ninguém peca por usar uma coisa para o fim ap qual ela é destinada. Ora, na ordem das coisas, as menos perfeitas são para as mais perfeitas; assim como também, no seu processo de geração a natureza vai do imperfeito para o perfeito. Donde vem que, como na geração do homem, forma-se em primeiro lugar o ser vivo, depois o animal e depois o homem, assim também os seres que só têm vida, como as plantas, são destinados geralmente a servir todos os animais; e os animais, ao homem. Por isso, não é ilícito usarmos das plantas para utilidade dos animais, e dos animais para a nossa ?.

    ( SUMA TEOLÓGICA, VOL. XIX, PAG. 125, TRAD. DE ALEXANDRE CORRÊA ).
    Ora, dentro das utilidades destinadas ao homem, certamente que está o esporte, o divertimento. Épor isso que o cavalo é usado nas corridas, os peixes nas pescaria por distração, a raposa para satisfação da vaidade e luxo femininos e o GALO COMBATENTE conseqüentemente, para as disputas nos rinhandeiros.
    Mas, para chegarmos a origem do galo doméstico e particularmente a do GALO COMBATENTE, teríamos que retroceder a eras muito remotas. Exaustivas pesquisas nos conduziriam a épocas ASSAZ distantes antes de atingirmos a ARCH/EOPTERYX LITOGRAPHICA, cuja existência data do JURÁSSICO, era MESOZÓICA, há cerca de 120 a 160 milhões de anos dos dias atuais, como afirmam certos cientistas,arqueólogos e outros. Esta é a remota e provável responsável pelas espécies de aves que povoam o nosso PLANETA. Do GALLUS, ave selvagem e extremamente COMBATIVA, cujo habitat se estende a algumas regiões do SUDESTE ASIÁTICO, é indiscutível que surgiram os GALOS DE RINHAS de intransigente e admirável apanágio GURREIRO.
    As mais antigas citações sobre as lutas de GALOS, vêm-nos do código de MANU, há mais de 5.000 ( cinco mil ) anos de nossa era. É fácil de se entender portanto, como essas fabulosas aves chegaram ao surpreendente estágio atual de beleza, força coragem e resistência. Empregadas em sistemáticas competições durante séculos e séculos e submetidas a cada geração a processo de preparo físico especiais e alimentação adequada, é claro de que teriam de exibir semelhantes atributos, tornando-se uma das espécies domésticas dos mais altos méritos.

    O JORNALISTA LEAN CAU, num dos números da revista ? PARIS MATCH ?, membro de uma SICIEDADE PROTETORA DE ANIMAIS DA FRANÇA onde o esporte está REGULAMENTADO POR LEI, assim se refere às lutas de galos:
    ? Como se ousa fazer os galos lutarem entre si? Resposta: por se amar no mais elevado grau o que neles é o mais digno de ser amado e liberado; sua beleza, sua coragem e seu instinto. Ninguém mais do que um GALISTA ama seus GALOS. São os GALOS-DE-BRIGA, animais NOBRES, LIVRES, BELOS E ORGULHOSOS, nos quais não se injetam hormônios e não se castiga os olhos; animais a que não se impede de dormir com PODEROSAS LÂMPADAS; que não se aglutinam aos milhares, asa com asa nas granjas para que engordem em algumas semanas, onde vacilam miseravelmente sobre suas pernas de ossos frágeis; que não se mata, que não se ferve e que não se embrulha em série em papel celofane. São, ao contrário, animais dos quais se cultiva a beleza, a força e a resistência física, aos quais se oferece a alegria sim, a alegria de fazer-lhes explodir o que eles mais gostam no mundo: seu prodigioso instinto de combate, transmitido geração a geração ?.

    E sabem qual a vida média de um GALO COMBATENTE?? Sem medo de errar podemos fixa-la num ciclo de quatro a seis anos e às vezes mais, como por exemplo célebre e belicoso CHANTECLER NORTE-AMERICANO, cuja foto foi publicada num dos números de uma quase centenária revista galística daquele país irmão. Vinte anos de idade chegou a completar a referida ave, já cega pela velhice e alimentada pelo seu dedicado dono. Sua morte causou grande tristeza a seu criador, pois havia sido um grande CAMPEÃO DOS RINHANDEIROS.

    E sabem quanto VIVE UM FRANGO DE CORTE? Uma GALINHA DE POSTURA?
    Posso assegurar que o 1º ( primeiro ) não passará de noventa dias e a 2ª ( segunda ) será descartada após o 1º ( primeiro ) ano.

    A importância e a necessidade, pois, da preservação dos GALOS COMBATENTES no mundo atual dentro DO SISTEMA DE COMPETIÇÕES, tornou-se tão necessária que hoje pessoas mais diligentes vêm organizando FERERAÇÕES E ÓRGÃOS semelhantes , para que essas aves não se deteriorem nem desapareçam ou cheguem à beira DA EXTINÇÃO.
    Mas, para isso, há a necessidade também de se combater lendas e abusões, algumas fortemente arraigados à cultura popular, ou por supertição ou por simples ingenuidade. Assim, ainda há quem acredite que manga com leite faz mal. Passar em baixo de escada da azar. E outras muito corriqueiras. São crendices que antecedem nossos tataravôs e que chegam aos nossos dias atreladas a preconceitos outros do mesmo gênero, que se banalizam e se eternizam nos hábitos populares e são difíceis de ser erradicadas. O mesmo acontece com o ESPORTE GLÍSTICO, vítima de campanha infundadas, difamatórias e absurdas. Isto, tornou-se um hábito através de gerações e se deve à campanhas perniciosas de pessoas HIPÓCRITAS, PSICOLOGICAMENTE ANORMAIS E LEIGAS no que seja PROTEÇÃO aos ANIMAIS. Jamais essas pessoas souberam o que vem a ser CRUELDADE, PRESERVAÇÃO DAS ESPÉCIES, APRIMORAMENTO DAS RAÇAS OU COISAS SEMELHANTES. Falam da boca pra fora enquanto se acomodam em cômodas poltronas de suntuosos gabinetes. Ora, todo cidadão perfeitamente normal sabe que a CRUELDADE tanto pode ser física como mental. Todas são perversas. A física, pode partir de uma agressão armada ou não, enquanto a mental pode mesmo ter origem num ato de intimidação, coação ou impedimento de qualquer atividade individual. Por ser complexa é sumamente diversificada. CRUELDADE não se limita apenas a uma agressão física e muito mais do que isto, é uma ação covarde das mais variadas formas. Quando uma granja avícola sacrifica milhares e milhares de pintos, queimando-os vivos ou afogando-os num rio mais próximo, está cometendo uma abominável CRUELDADE. Quando num abatedouro coloca centenas de cabeças de aves num funil, sem qualquer defesa, para que sejam decapitadas e seu SANGUE se esvale pelo fino gargalo para que não se perca uma só gota, queiram ou não, está se cometendo uma terrível CRUELDADE. Porém, quando 02 ( dois ) galos lutam, com ou sem a interferência do homem, não há explicitamente qualquer ato de CRUELDADE, já que se trata de uma impulsão biológica traduzida numa necessidade nata do seu instinto. Por isso, eles são de RAÇA COMBATENTES. Podem ser JAPONESES, INDIANOS, CHINESES, TAILANDESES, ESPANHÓIS, INGLESES, NORTE-AMERICANOS, etc. Não importa, são todos de RAÇA COMBATENTES e com o mesmo instinto belicoso. Lutam por necessidade como o fizeram seus ancestrais há MILÊNIOS atrás. Só que numa luta de GALOS não há a interferência direta de homem sobre o animal. Apenas, há uma regulamentação para que ambos os lutadores se igualem em peso e altura para que impere um equilíbrio na disputa, coisa que não acontece em CAMPO ABERTO, quando 02 ( dois ) ou mais desses lutadores de penas fortuitamente se deparam e medem forças. Nesse caso, o menor não recuará ante o poderio do maior e o tempo se encarregará do resto. É a lei biológica, sábia e imutável que DARWIN classificou como a lei da sobrevivência que confere ao mais forte a perpetuação das espécies. Um ponto, porém, deve ser ressaltado; é que o GALO COMBATENTE, trazido à domesticidade, demonstrou outras aptidões na combatividade, já que luta apenas em defesa do território, mas por necessidade para liberação de energia. E todo GALISTAS sabe que GALO COMBATENTE EMGAIOLADO por muito tempo, afastado das lidas, morre inapelavelmente de tédio. Essa que é a VERDADE! Nos dia atuais, os pesquisadores do chamado 1º ( primeiro ) mundo, preocupam-se com grande empenho na utilização das espécies silvestres no melhoramento genético das raças domésticas. Para isso, são criados ? Bancos de genes ? com a finalidade de por em prática os animais avançados conhecimentos da engenharia genética com fins a melhorar entre outras coisas, a senectude dos plantéis das várias espécies de animais domésticos. Cogita-se, inclusive, na implantação de uma Rede Nacional de Bancos de Gemoplasma para a conservação da biodiversidade como um todo. As raças de galinhas, de carne ou postura, serão as mais beneficiadas. Embora tenham tido origem nas similares combatentes, o que é incontestável, vêm se deteriorando com sofisticação imposta à avicultura para a obtenção de produtos mais precoce e rentáveis. Para isso, os animais são mantidos sob poderosas lâmpadas, em gaiolas individuais, algumas vezes em estrados de madeira e alimentados com rações que lhes proporcionam em 45 dias condições de mercado. Em conseqüência, tornam-se apáticas, vulneráveis à doenças, perdem a fertilidade e se retiradas do local de confinamento, mal saberão caminhar. Quanto às raças de galos combatentes, isso não acontece. Selecionadas em competições em milhares de anos, com alimentação apropriada, assistência veterinária permanente e invulgar carinho, exibem-se hoje em protótipos de robustez, rusticidade, arcabouço ósseo/muscular privilegiado, fertilidade, força e coragem. Sem dúvida, o que pode haver de mais positivo para a recuperação dos rebanhos avícolas atuais, que muito carecem de um eficaz e diligente trabalho genético. E não é só. O galo combatente brasileiro é dos melhores do mundo e pode com sua rusticidade e compleição física ser utilizado na formação de aves de corte de grande categoria, evitando-se a importação de matrizes do exterior e, conseqüentemente, economizando-se divisas. Por outros lado, temos de reconhecer que as lutas de galos se constituem em uma das mais autênticas manifestações folclóricas do nosso povo. Os criadores dessas fabulosas aves, são invariavelmente, pessoas ordeiras e trabalhadoras, chefes de família exemplares e antes de mais nada preservam perseverantemente uma espécie das mais valorosas. Se não fosse sua ação nesse sentido, por certo já estaria ela extinta pela miscigenação ou pela atuação inconseqüente de pessoas de pouca ou nenhuma visão do que seja meio-ambiente, biodiversidade e eco-sistema. Certo de que existem indivíduos menos esclarecidos e levianamente mal orientados. Pode ser até que essas pessoas tenham mesmo bons sentimentos; apenas não sabem utilizá-los. Não obstante, este procedimento vem causando grandes danos a humanidade, por vezes, irreversíveis. O biólogo Forest Muir, Direto do Departamento de Ciências Avícolas da Universidade de Ohio ( USA ), em pronunciamento publicado no Columbus Dispatch, em 24 de março de 1991, referindo-se as aves de raças combatentes, faz importante referências às suas qualidades, terminando em considerá-las aves de grande importância para o futuro da indústria avícola. Se as lutas de galos fossem realmente um esporte de vândalos e cruéis personagens, não possuiriam a farta literatura mundial nas mais variadas línguas, complementadas com centenárias revistas, nem possuiriam órgãos de preservação, ou ainda, leis de proteção e preservação, como acontece em vários países, inclusive o Japão. Isto, sem dúvida, seria assunto para uma interminável explanação e consumiria ainda muitas folhas de papel. E isto é dizer pouco, sabendo-se que figuras como os Presidentes Norte Americanos Washington, Jefferson, Jackson e Lincoln foram ardentes apreciadores das rinhas de galos, sendo este último, inclusive, renomado juiz de rinhas. Também, nomes como o do inventor dos pára-raios, Benjamim Franklin, do escritor Ernest Hamingway, do Presidente Argentino Hypólito Hirigoyen e de muitos outros, podem ser acrescidos a esta lista. No Brasil, destacamos nomes como o do Senado Pinheiro Machado, Ministro Oswaldo Aranha, o do saudoso Presidente Tancredo Neves, o do jornalista Assis Chateaubriand e o de Lineu de Paula Machado, para não citar uma lista interminável de autênticos galóficos de ontem e de hoje. Na Constituição Brasileira, verifica-se na Seção III ? Do desporto, em seu artigo 217 que ? é dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não formais, como direito de cada um ?. Logo a seguir, nas alíneas IV é garantida ? a proteção e o incentivo às manifestações desportivas de criação nacional. À luz do direito, temos ainda na nossa Constituição, em seu Capítulo VI ? Artigo 225 ? Do meio Ambiente ? um esteio amplo e sólido que pode ser perfeitamente adequado aos processos de preservação das raças de galos combatentes, já que constituem elas o mais sólido baluarte de avicultura de todos os povos, bem como o definiu certo avicultor e escritor patrício. Entre outras coisas, reza o seu Artigo 225 ? Parágrafo 1º – alínea VII ? proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécie ou submetam os animais a crueldade ?. Ora, é indubitável que as raças de aves combatentes se constituem num patrimônio genético inestimável e que isso só foi possível devido à prática de sucessivas competições em milhares e milhares de anos. Também é indubitável de que esses processos aparentemente cruel, mas evidentemente necessário, premiou a espécie com atributos surpreendentemente apreciáveis, como impressionante rusticidade, musculatura privilegiada, vigor físico incomum e extraordinário potencial genético. Não fossem as lutas de galos, jamais isto teria acontecido. Por outro lado, não se pode atribuir crueldade ás práticas desse folclórico esporte, já que não há ação direta do homem sobre o animal, uma vez que eles lutam por impulso natural instintivo porque assim determina e impele seus genes. O certo é que não se pode julgar crueldade em competições galísticas sem conhecer de perto esses animais e compreender também, o amor e dedicação a eles dispensados pelos seus criadores, sejam no Brasil ou em qualquer outra parte do mundo. Crueldade contra os animais, existem sim, em proibir a prática dessas competições, já que com esses ato impensado atenta-se contra o patrimônio genético de toda uma espécie, causando-lhe deterioração e em seguida sua extinção com graves prejuízos ao contínuo melhoramento das raças destinadas ao comércio e à indústria! Não é por frivolidade que os puros-sangues são postos a competir nas pistas de corridas! Não é por sutileza de princípios que o pombo-correio é treinado para competir! Não é por requintes de agressividade que determinadas raças de cães são treinadas no combate ao crime e proteção do patrimônio público ou privado! Também não é por inominável crueldade que se põem os galos a pelejar! Tudo isto, é indubitável, possuir ligações óbvias com a célebre teoria do naturalista Lamarck, de que a função é que faz o órgão. Compreende-se assim, a necessidade da preservação do galo combatente, principalmente pela sua inquestionável importância no seio das espécies domesticas. As competições a que são submetidos, nada mais são do que um complemento à manutenção e ao aprimoramento de suas qualidades, o que ocorrendo a séculos. E é bom que se diga que a proibição a essa prática em alguns países jamais alcançou o fim desejado. E isso é muito fácil de se entender, pois um galista jamais foi ou será um contraventor e sim cultor de uma avicultura especializada, queiram ou não os ? donos da verdade ?. Não fosse isso, a espécie combatente já estaria extinta ou desfigurada pela miscigenação e dela só teríamos notícias em publicações ou livros. Aliás, as campanhas que comumente são detonadas contra o esporte galístico, até aqui, têm-se constituído num amontoado de leviandades, sem qualquer fundamento lógico, arrazoado ou científico, em que se possa enquadrar tese de proteção ou preservação de qualquer espécie animal. Que haja gente que não goste das competições galísticas, se admite. Não se pode obrigar ninguém a gostar de determinadas coisas, assim como o gosto por uma delas não pode ser imposto a quem quer que seja e, muito menos, cabe a alguém impor a outros a sua vontade de não gostar, pura e simplesmente por sua maneira de encarar os fatos. Na verdade, não compete ao ser humano guerrear irracionalmente contra os galos combatentes nem contra qualquer outra espécie animal, mas pesquisar sua utilidade e valor intrínseco no contexto biológico. Devemos, igualmente, nos compenetrar, de que Proteger pe Conservar e Não eliminar e que Por sua vez é Manter, Aperfeiçoar e Não Destruir já Que Não Existe Nenhuma Sabedoria em o Homem Destruir o que Ele Não Criou. Acrescente-se ainda, que não é só correto mas imperioso, proteger sem demagogia e preservar com sabedoria, pois o leigo geralmente é pródigo em soluções simplistas para tudo, e o mal intencionado, no seu eufemismo, um detentor de arsenal dos mais nocivos na prática do seu vandalismo ornitológico. Especificamente com respeito ao galismo, há um adágio latino de Horácio que se aplica bem ao caso e deve servir de advertência ? Naturam Expelles Furca, Tamen Usque Recurret ( expulse a natureza com um forcado e ela voltará correndo ).
    Emerson, julho de 2008

  73. Anônimo disse:

    muito legal vamo carça

  74. sou galista a mais de 15 anos e meu pai e galista a mais de 60 naos e o meu avó foi galista a mais de 80 anos e fou passar essa prática para minhas gerasao para os meus decendentes proibir as brigas de galos e colaborar com a sua extinçao

  75. Helio disse:

    PESSOAL EM BREVE UM SITE COMPLETO SOBRE GALOS – http://WWW.STUDIOARREPIO.COM.. NO MOMENTO ESTÁ EM CONSTRUÇÃO

  76. Flávio disse:

    O Atlético Mineiro é igual Galo Índio. Não podem dizer que não afina, que aguenta todos os castigos, Que não deicidi a questão com um unico ataque certeiro, que não tem filhos bons que vão fazer sucesso em outro quintal. Enfim, que pode “brigar” levar vários golpes e no fim sair vitorioso com a certeza do dever cumprido apesar de fado maldito.

  77. João Catira disse:

    O criador de Galos Combatentes é antes de tudo um preservador de raças, o galismo ja faz parte da cultura , dos costumes, das tradições do povo brasileiro, então temos DIREITO a uma REGULAMENTAÇÃO das Rinhas de Galo.
    Tal REGULAMENTAÇÃO só sera possivel com a união de TODOS os galistas brasileiros,
    formando Associações em todos os estados brasileiros e uma Federação a nível Nacional, assim teremos representatividade e poderemos EXIGIR nossos direitos junto aos nossos governantes .
    Saudações Galisticas, João Catira

  78. Olá,
    Vi que vc ajuda a combater esse tipo de esporte.
    Segue um link com mais uma ação do Ibama e da Polícia Florestal.

    http://felipegesteira.blogspot.com/2008/08/clube-da-luta-fechado.html

    Abraços.

  79. ARISTIDES MANOELVILAVERDE disse:

    PRIMEIRO GOSTARIA DE DIZER QUE FUI CRIADO DENTRO DE UM RINHADEIRO E SOU FILHO DE UM DOS MAIORES GALISTAS DE CARAZINHO-RS,GOSTARIA DE SABER PRIMEIRO PORQUE A POLICIA NAO COMBATE A VIOLENCIA,AS DROGAS,AS ATROCIDADES FEITAS EM NOSSAS CRIANCAS ,TEMOS QUE ACABAR COM A FOME A MISERIA E A CRIMINALIDADE QUE CADA VEZ MAIS CRESCE EM NOSSO PAIS.ACABAR COM AS RINHAS DE GALO É ACABAR COM UM ESPORTE MILENAR.

  80. BRENO PERIRA SANTOS disse:

    axo muita jacuzisse do governo brasileiroo’ aquele disgramado do vassourinha q proibiuuu’ so quero lembrar q galo mata o outro até mesmo criado juntos desde pequenos,pois esta no seu sangue..estintooo,ja crieii galinhas cujo os filhos’pintos’brigam até morrer!!!Abre o olho nossos governantes… pq nao vai correr atras dos traficantes,ladroes,assasinos,isso q é o dv dessas PORQUEIRAS de policias,q sao subordinadas a maioria das vezes!!!

  81. voces governos querem a cabar com as brigas de galos no pais mais nao esta pençado que podendo acabar com brigas de galo
    e colaborar com a extinçao do galo no pais

  82. OBERDAN disse:

    SOU CRIADOR E NÃO DEIXO NUNCA. NÃO EXISTE PIOR MALDADE NA TERRA DO QUE O DESMATAMENTO NA AMAZONIA, ISSO SIM É QUE DEVERIA SER PROIBIDO, GALO DE BRIGA É PRESEVADO, HOJE EU TENHO MAIS DE UM REPRODUTOR JA COM MAIS DE 4 ANOS E VAO MORRER DE VELHO.

  83. Paulo Roberto disse:

    a discussão em torno da briga de galo é antiga e improvável encontrar um consenso entre pseudosambientalistas e criadores, precisamos travar um discussão na mudança do artigo que trata os maus tratos aos animais, alterando com apenas uma frase… exceto os animais criados para tais fins. a segunda discussão seria os ambientes onde se realizam os combates, sua legalidade comercial evitando as apostas que é crime, é necessário suas regulamentações de funcionamento, pois a extinção dos galos combatentes é impossivel, enquanto existir um apaixonato tal qual eu, essas espécies jamais serão extintas e continuarão combatendo. em ambientes legalizados ou não, pagando impostos ou não. precisamos nos fortalecer no caminho da legalização do esporte da briga de galo como manutenção de um costume milenar, e que escorre nas nossas veias. sempre firme companheiros, aqui em alagoas a luta continua. um abraço.

  84. JORDÃO DIAS disse:

    ENQUANTO A HIPOCRISIA IMPERAR NO BRASIL A BRIGA DE GALO NÃO SERÁ LIBERADA …MACHADO DE ASSIS DIZIA QUE BRIGA DE GALO É JOCKEY DOS POBRES ….DESDE AQUELE TEMPO A BRIGA DE GALO ERA POPULAR E ATÉ AGORA FAZ PARTE DA TRADIÇÃO BRASILEIRA ,COM MAIS DE 1 MILHÃO DE AFICIONADOS POR TODO BRASIL . PURA BURRICE DEIXAR NA CLANDESTINIDADE , UMA VEZ LEGALIZADA AS REGRAS PRESERVARIA OS GALOS ( PODER-SE-IA UTILIZAR BICOS DE PRATA E ESPORA DE BORRACHA COM PONTA GROSSA ) SÓ PODERIAM COMBATER OS GALOS TRATADOS E TODO CLUBE DE GALO SERIA ASSISTIDO POR MÉDICO VETERINÁRIO E TODA LUTA EM QUE HOUVESSE UM GALO EM GRANDE DESVANTAGEM A LUTA SERIA INTERROMPIDA .
    ASSIM SE CUMPRIRIA O QUE ESTÁ ESCRITO NA CONSTITUIÇÃO QUE TODA TRADIÇÃO E COSTUME DEVEM SER PRESERVADOS unindo o útil ao agradável , e ainda o que é melhor sem maltrato .

  85. JORDÃO DIAS disse:

    Shamo Colorado.
    Actualmente en el Japón existe un movimiento entre los criadores más adelantados en el sentido de la selección y preservación del Shamo, principalmente del Akassaka, esto es gallos de pescuezo y dorso de color colorado. Sin embargo, existen Shamos de varias otras coloraciones en sus plumas, que van del negro al blanco o al mismo cenizo, plateados, amarillos o dorados, uno de los más bonitos. Los gallos de esta variedad presentan pescuezo y dorso de color amarillo paja con el resto del cuerpo negro brillante. Las gallinas son bayas, muy claras, con pescuezo marrón oscuro. En rápidas pinceladas son estas las principales razas de gallos combatientes japonesas.

  86. Jacinto Frias disse:

    Os que pensam que é crueldade as brigas de galos não sabem o que é crueldade .Crueldade é quando vai a um desses famosos lugares a saborear um saboroso frango , que bom , mas na verdade , sabes como o mataram ? Olha que fácil sem ter a mínima chance de se defender o põem no recipiente e dão um choque eletrico na cabeça e logo passam por uma lâmina cortante que decepam a cabeça e ainda quase vivo vem ao seu encontro água quente e tudo isso para que você que tanto defende os animais…. possa comer com umas batatinhas (frango com batatas) ,
    O galo de briga defende sua vida e tem uma oportunidade para se defender , enquanto o frango que tu comeste não teve a mínima oportunidade e assim também passa com a vaca , e outros animais que são cruelmente abatidos . Os hipócritas defensores dos animais saboreiam a carne , pura hipocrisia .
    Esses hipócritas ficam falando contra briga de galo …..que hipocrisia … !!!! e olvidam o frango de corte abatido aos 45 dias de vida !!!!!

  87. danilo disse:

    liberar as briga s de galos e algo que ja deveria ter acontecido pois pior e gente brigando e se matando e providencia nenhuma e tomada!o galo briga, por que ja e do extinto dele brigar .sou um ffanatico por brigas de galos sou tambem um criador e mim revolta as autoridades o poder legislativo q com tantos problemas q o brasil e o mundo vem atravessando ficar pegando no pe de quem gosta dos esportes galisticos.vcs perseguidores da briga de galos procurem se aprofundar mais sobre o assuto ,e procurar algo melhor pra faser

  88. anonimo cacha disse:

    Poo rinha de galo não era pra ser proibido pq não e a jente que cria os galo não e a jente que compra milho ração então a jente faz o que quer com os galos

  89. Criador de Ipatinga MG. disse:

    Sou criador de galos de briga há 26 anos…..a minha pergunta é se esses que proibem as brigas de galo vão contribuir de alguma forma para preservar a raça pura de galos combatentes, (tenho certeza que eles não sabem nem o que seja isso). Falam do que não conhecem, pois se os galistas forem banidos, quem vai criar galos para mostrar um galo índio para nossos filhos e netos, na roça não se acha um galo verdadeiramente de raça como os que temos nas cocheiras dos criadores, é como comparar um pangaré com um cavalo puro sangue. Espero que as autoridades combatam o que realmente é crime, a corrupção que tanto nos assola, moramos num paiz produtivo e vivemos na pior por culpa dos criminosos de colarinho branco que desviam verbas e ficam impunes.

  90. Nada lhe pertence mais que seus sonhos. A Historia nos ensina. Que em época de injustiças e tirania O homem e chamado a lutar Os bravos de coração puro que tem fome de vida sede de justiça e dotados de grande determinação. Esses vão para a batalha Os fracos a esses sucumbem ante o medo e a covardia. Que DEUS nos de forca E coragem para não abdicarmos de nossas crenças Tenhamos FÉ para acreditarmos na luta mesmo que essa tirania tente destruir. Nossos valores. Recuperemos a nossa honra que DEUS esteja conosco nessa luta. Pois e certo eles são muitos poderosos e maus. Mas a verdade esta do nosso lado. Estamos lutando pela tradição e preservação de uma raça única no mundo na qual deveríamos inspirar e a prendermos. Pois eles lutam somente pela vitória. E somos a ultima esperança dessa raça de guerreiros Emplumados. Ante a sanha mortal dos perseguidores. Uma só semente vale por MIL FLORESRAS sejamos essa semente fértil e fecunda ainda que tudo possa parecer perdido. Façamos como nossos guerreiros emplumados lutem com todas as forcas. Pois o que conta e como lutamos, pois, a vitória pertence aos homens e a gloria a DEUS pote ser que um dia a coragem termine, Mas esse dia só será possível. Quando trairmos nossas amizades e desertarmos nossos amigos. Então terá chegado o fim da nossa FRATERNIDADE

    Mas esse dia não e hoje HOJE e um dia de luta. Podem querer dobrar-me a espinha, mas, isso só acontecera depois de morto, pois, eu venho de um lugar onde a gente Acredita nos JOVENS ouve os velhos e respeita o eterno Eu venho de um lugar aonde o canto e de campo e de rio, mas, sobritudo eu venho de um lugar onde o HOMEM tem PATRIA PENSA E OPINA EU SOU GOIANO EU SOU GALISTA,

  91. Flávio disse:

    Vendo galos de combate, tenho matrizes, reprodutores de várias raças, pintos e frangos e frangas.
    phvermelho@hotmail.com

  92. Flávio disse:

    Eu sou criador aves de raça. GaloÍndio, combatente,de combate, de briga… Enfim muitas são as formas de se identificar estas aves.
    Vindas para o Brasil a centenas de anos para agradar reis e rainhas os galos de combate exibem força e coragem. Dotadas de plumagens exuberantes possuem um extinto peculiar as dos animais selvagens. Os machos não toleram outros machos em seu território. As fêmeas se tornam mortalmente agressivas quando os filhotes nascem. Estes por sua vez iniciam combates mortais após 20 a 390 dias pós nascimento. Seria uma forma de reafirmarem quem dominará o “clâ”.
    Estes combates entre pintinhos não raro são mortais podendo deixar nos que sobrevivem seguelas irreparáveis.
    Enfim depois de adultos tanto machos como fêmeas propiciam belos espetáculos de combate saltos perfeitos e sincronizados defesas e ataques surpresas, garantem um espetáculo único e raro hoje em dia devido a perseguição ferrenha sobre galistas e criadores. Por isso que digo:
    ” Deus te deu , como ao gaúcho
    Que jamais dobra o penacho,
    Essa de altivez de índio macho
    Ques ostentas Já quando pinto:
    E a diferença que sinto
    E que o guasca bem ou mal!
    Só lutas por um ideal
    E tu brigas pôr instinto!
    Pôr isso é que numa rinha
    Eu comtigo sofro junto,
    Ao te ver quase defunto.
    De arrasto , quebrado e cego,
    Como quem diz Não me entrego:
    Sou galo, morro e não grito
    Cumprindo o fado maldito
    Que desde a casca eu carrego!”

  93. nao disse:

    vao toma tdo no cu…aqui no RS quem eh macho mesmo tem um galo brigador pra competição….o nome do meu galo é pissudão…além de ganha na cancha…enprenha a galinhada…..

  94. Anônimo disse:

    briga de galo galo e uma diverção como a vaquejada mais como no brasil
    é´proibido por que a vaquejadatambem era pra ser proibido por que judea
    com o galo ecom os cavalos se tentarem proibir a briga de galo nos
    tambem lutamos para vaquejada acaba……………………………..
    o nome do meu melhor éo aranha matador……………………………..

  95. RonaldoC disse:

    Agora virou moda. Policiais foram a uma rinha a qui no meu estado, botaram todos de cara na parede e exigiram duzentos reais de cada um para que fossem liberados. Na semana passada, outros policiais exigiram duzentos mil reais para que todos fessem liberados em outra rinha aqui no meu estado, alguns poucos conseguiram dar mil reais e o restante, a grande maioria, foram levados a delegacia. Na verdade eu não sei de quem é a culpa, se é do governo brasileiro incompetente no trato do assunto galismo ou dessa nossa imprensa mentirosa e sensacionalista que vivi dizendo que no galismo rolam milhões. Essas informações publicadas na mídia chamaram a atenção de policiais de caráter duvidoso para a atividade, com o objetivo de obter dinheiro dos galistas. No entanto, o que eles não sabem, porque a mídia não publica, é que 90% dos galistas são pessoas umildes que não têm a mínima condição de dar o dinheiro que eles querem. O Galismo existe a 5000 anos, é liberado ou regulamentado em quase todos os países do mundo, principalmente nos mais desenvolvidos. Galistas não são bandidos, são cidadãos como quaisquer outros, que pagam seus impostos e são os únicos responsáveis pela preservação da espécie gallus gallus.

  96. Irmãos, espero que nossos governantes comecem a olhar para coisas anornais em nosso Pais como pedofilia, trafico, crimes ediondos, parcionais e pricipalmente a violencia.
    E crie uma forma para que este esporte com mais de 5.000 (cinco mil anos), venha ser liberado, digo no Brasil porque em varios outros Paises do mundo a briga de galo chega a ser o primeiro esporte.

  97. LUIZ FILHO disse:

    Sou funcionário público estou morando atualmente em SÃO JOÃO DA FRONTEIRA e gostaria de manter contato com galistas de SOBRAL e TIANGUÁ, inclusive gostaria de saber quando havera algum torneio.
    OBRIGADO.

  98. raffa disse:

    Olá,

    gostaria de saber se alguem pode me dizer onde posso encontrar uma rinha de galo aqui em São Paulo.

    Muito Obrigada

  99. carlos galo chamo disse:

    a….recomendo aos criadores a queles que nao sabem a respeito dessa raca que e o nosso chamo.procura.se enformar sobre essa lenda podemos disser isso.valeu.. tenho saudade do meu champion , divinopoles…eterno….guerreiro emplumado que morreu aos 4 anos e 4 messes sobrevivel a 7,brigas mortais.sendo campiao…faleceu em 2007 mes de setembro na minha chacara, em caratinga mg…no dia 11 de setembro as 9.20 da manha

  100. JUAREZ disse:

    ESTA PUBLICADO NO GLOBO DE QUE O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO MATOGROSSO CIDADE DE CUIABA LIBEROU AS RINHAS DE GALOS NAQUELE ESTADO, ALEGANDO QUE A PRATICA FAZ PARTE DA CULTURA POPULAR.ATE QUE ENFIM UMA BOA NOTICIA PARA NÓS GALISTAS.

  101. bolacha disse:

    q loucura borges.. tao até vendendo galo agora
    aehiuaehiaehehiehauehaeu
    dale colorado dos pampas

  102. macillyo almeida disse:

    Os GALOS saõ de rinha e valem mais que 200 reais e tambem saõ terapia para pessoa que gosta mas quem naõ gosta fala mal. tambem existe pessoa que naõ gosta mas fica quieto por saber que èESPORTE DE RESPEITO,naõ tem rivalidade saõ uma conhencidencia quando todo se ve. RESPEITO QUEM PERDE DINHEIRO SAõ BOBO QUE NAõ SABER APOSTA.

  103. saõ galos de rinha nao de terreiro tem valor é esporte é terapia para pobre,ricos,mudo feio saõgalos de valor lutir comtra tira rinhas

  104. alexandre disse:

    só sei de uma coisa liberando ou naum eu vou criar ele !
    pq eu amo esses animas
    e nunca vou parar

  105. Emanuel disse:

    Seguinte pessoal, tenho um galo cinze, galo bão de briga… estou pedindo 1200 e posso fazer em duas vezes… tenho certeza que quem comprar não vai se arrepender… qualquer coisa se estiver afim de parcelar em mais vezes falem ai que divulgo ele no mercado livre… dai da pra parcelar em até 12 vezes pelo mercado pago… coisa segura… e posso mandar por sedex, o cara do correio eh meu amigo.

  106. sergio augusto de souza disse:

    O pior é que nem como hobbie, se pode ter uma criação devido os oportunistas que se diz da lei. espero um dia poder voltar a criar meus bichinhos na forma da lei!

  107. Michel disse:

    Liberada a rinha de galo no estado do Paraná somenteeee..
    por enquanto é o único estado do Brasa…

  108. sergio disse:

    Ao invés de legalizar rinha de animais, sou a favor de um projeto que legalize a RINHA DE IMBECIS, ou seja, daqueles que acham que os animais não sofrem. Apoiar um projeto desses é coisa de político que não tem o que fazer. Sob o disfarce de cultura e tradição, estes neuróticos tentam se divertir as custas do sofrimento alheio. Para aqueles que acham que rinha não é maus tratos de animais, podem seus filhos pra brigar em uma arena até a morte e façam suas apostas.

  109. Flávio disse:

    As rinhas de galo são são crueis para os galos, mas diversão garantida para os galistas e apostadores que ganham. Porque muitos galistas não se sensibilizam com o sofrimento a qual são submetidos os seus animais? Porque as lutas se tornaram ao longo dos séculos um ritual a ser celebrado com riquintes de festa, uma celebração! Ponto de encontro de amigos onde os galos são apenas uma atração.
    Isto mostra a que ponto chegou a insensibilidade dos corações destes criadores que não lamuriam a perca de suas aves.
    Sou criador de galos a 17 anos tenho um ecelente plantél e não gostaria de ver quase defunto num rinhadeiro um bichinho que eu vi nascer e crescer no meu quintal.
    Não posso negar que sempre adorei velos pelear no chão de terra firme onde eles sempre foram criados.
    Porém sempre tive aquele cuidado de nunca deixar um dos meus, machucar aponto de marcar ou sangrar a ponto de morrer.
    Para isso sempre quando coloco dois galos no mesmo chão do terreiro para pelear estou certo de que 15 ou 20 minutos depois vou banhá-los e recolocá-los em seus viveiros certo de que não perdi nada.
    Sou a favor de projeto inovador para os criadores. Um projeto que nos ampare enos defenda Um projeto que ampare proteja as aves da morte sanguinária que sempre foi as rinhas de galo.
    Sou a favor de um projeto que permitaque as aves lutem mas nunca até a sua morte e não nem nunca até perderem seus membros ou sentidos.
    Dessa forma garantiremos o direito a vida das aves, mas também as rinhas de galo.

    • Dario disse:

      Meu irmão, ja tive um galo que brigou 13 vezes, matou 8 . para mim é uma honra , O meu galo era respeitado na região, sua raça era procurada,o espirito da briga de galo é a vitoria do galo ,se matar o adversario , melhor é.Hoje não tenho mais esse galo, mais tenho uma boa lembraça. Quando treino um galo para brigar, procuro alimenta-lo com tudo de melhor , com carinho . Valorizo minha criação de galos , mas não deixo de valorizar meus filhos ,minha familia ,meus amigos e em primeiro lugar Deus e a Igreja. Mudar a briga de galos , seria como mudar o futebol,bater lateral com os péis,etc… Devemos lutar para a liberção das rinhas .Quem não gostar não vá nas rinhas , deixa prá quem gosta, não interfira, ninguem leva um quilo de milho para meus galos,ninguem vai na minha casa perguntar se eu preciso de algo. O ser humano precisa acabar com essa mania de querer julgar o proximo.Briga de galo para mim é como uma pescaria, valorizo o ser humano, Jesus morreu por nós , não pelos animais.

      • Dario disse:

        E tem mais , quando levo um galo na rinha , pode ter certeza que sua procedencia ficou em casa ,pintinhos,frangos, frangas,etc..

  110. julio cesar disse:

    eu acho muito legal a briga de galo , nao podia ter essa lei sou rinhador e MANDO UM ABRASSO PARA TODOS OS RINHADORES.

  111. julio cesar disse:

    QWUEM QUIZER COMPRAR GALOS BONS DE BRIGA E PUROS INDIOS ENTRE NO MEU ORKUT JULIOTOZO@HOTMAIL.COM

  112. ivan da silva disse:

    acho uma tremenda hipocrisia oq estão tentando fazer com nos galistas .
    tanta coisa real para se preocuparem .
    cada galista q vive e uma garantia de preservação dessa especie .

  113. Anônimo disse:

    Sou contra Galistas que tratam sua criação como brinquedos descartáveis.
    Que as aves combatentes tem como características formológicas o instinto de combate por sobrevivência, se justificando assim o fato das avés combatentes brigarem tanto, não justifica deixá-los lutarem até a morte ou mutilação irreparável.
    Esta certo que é um maravilhoso espetáculo, é lindo vê-los pelear, mas se tivermos amor à nossa criação nunca permitiremos que eles lutem até o fim, afinal eles não estão na selva mas sim no nossos cuidados.
    E esta conversa é de Galista pra Galista.
    Quem não é Galista, quem não cria, mas fica vindo aqui e dando palpites na verdade não está contribuindo para a preservação destas aves “selvágens”.
    São bem vindos neste espaço público mas queiram interár-se com agente sobre o assunto, para uma melhor discussão.
    Briga de Galos Só Com Proteção!!!!

  114. JUAREZ disse:

    ACHO QUE O MATO GROSSO É UM PAIS NOVO,PARABENS A JUSTIÇA MATOGROSSENSE QUE PROCUROU CONHECER O GALISMO ANTES DE APROVAR A LEI.VAMOS CONTINUAR LUTANDO PARA QUE EM TODO TERRITORIO NACIONAL SEJA LIBERADO ESTE ESPORTE QUE TEM MAIS DE 5000 ANOS DE EXISTENCIA.

  115. wellington silva lima disse:

    sou favoravel ao esporte quem cria as aves conhece os habitos das mesmas sabe do que estou falando são combatentes de natureza nos criamos para renovar e preservar a especie temos varios modos de proteger a especie nos criatorios e nos combetes por isto que os governates deveriam fazer uma lei liberando as rinhas em todo o pais este pais não e livre

  116. Anônimo disse:

    ai ja depositei o dinheiro mande os ovos mais rapidos possivel obrigado

  117. Anônimo disse:

    olha pode mandar pelo correio meu endereço e rua 7 q14 ll12 vila redençao cep 76630-000 renato eterno vieira

  118. “Meu nome Luciano sou criador de galos de briga desde pequeno hoje estou com 28 anos, ou seja, há mais de vinte anos eu acho que Deus fez os galos de briga para brigar tanto é que se eles não forem para as brigas eles vão para a panela e é de instinto deles brigarem tanto que Deus deu bico , deu as esporas, e deu o instinto que é matar para sobreviver e não é porque algumas pessoas não gostam que deve se proibir tanto é que estamos num País democrático cada um cuida da sua vida sem ter que dar satisfação para ninguém não é porque eu não gosto de uma coisa que eu devo proibir alguém de gostar dessa coisa é de instinto do ser humano ninguém é igual a ninguém todos temos gostos e necessidades diferentes, quando as brigas de galos foram proibidas pelo Presidente do Brasil Jânio Quadros muitas pessoas não sabem a causa, foi porque o pai de uma de suas amantes foi morto numa rinha onde ele apostou e não pagou, a partir daí, com influência de sua amante, foi que o Presidente proibiu as brigas de galo, apesar de ter se arrependido depois, já era tarde para voltar atrás, então quer dizer que foi por uma coisa banal, não com relação a morte do pai da vadia, porque ninguém quer ver seu pai morto, mas sim da proibição das rinhas, tanto que ele poderia ter morrido em qualquer lugar não exatamente na rinha, porque se ele apostou e não pagou, é porque ele era pilantra, como tem diversos tipos de apostas em vários outros tipos de coisas como o futebol, onde quem perde não paga, pilantras tem aqui e em qualquer lugar do mundo e assassinos também e cumpram á pena quem for, minha indignação não é pelo ocorrido, mas sim pela proibição das rinhas que é só no Brasil e que é um País democrático, então policiais e autoridades competentes parem para pensar e vão atrás de criminosos e bandidos e não de quem faz o que gosta e que nunca deveria ter sido proibido, já que é para ter um controle melhor façam uma lei que libera as rinhas e os criatórios, e se for preciso anilhem os galos e galinhas ou seja, façam uma associação dos criadores de galos de briga mas tudo legalizado, e lembrem-se que uma coisa não tem nada haver com a outra. Um abraço a todos que gostam e a todos que criam os galos de briga.” Galos brigam por instintos
    eu preservo por AMOR

  119. Renan disse:

    eu tambem concorde eu não acho esse esporte, uma criminalidade!
    aliais eu acho isso um momento de lazer i tambem todos fim de semana eu tou em RINHAS….!!! ASSISTINDO COMO BOTANDO PRA BRIGAR….
    POR ISSO VAMOS NESSA LUTA GALERA…….

  120. cleber disse:

    Vou fafer uma pergunta se voce um galo o que voce prefere morrer servir de refeiçao ou ter change de lutar e ser o melhor

  121. mergulhador disse:

    ola amigos so tenho umas coisas ha dizer se briga de galo e crime boxe tambem e ,…ja que dizem que e maltrato entao pegar peixe de anzol tambem e,..se e crime contra a vida destes combatentes entao tirar a vida de um boi de uma galinha de um cavalo de um peixe etc… pra comer tambem e crime entao tambem …..entao e melhor o povo virar vegetariano e passar ha comer verdura porq toda a carne proven de vida e vida so se tem uma entao cambada lembre_se disto antes de vir falar de combate da carne q vcs carnivoros conssomem em tuas mesas sem dar chance pro animal se defender por isto digo viva a vitoria a liberaçao dos combates de raças da nossa cultura mas q seja liberada e apresciada mas sem violencia entre os irmaos galista grandes mestres garndes treinadores viva a cultura brasileira vivaaaa

  122. mergulhador disse:

    concordo com vc amigo cleber e isto ai lutar e ser o melhor ,…com certeza vai ser melhor q parar na mesa de um e de outro sem chance de se defender no comate se defendem e sao tratado pra isto depois de campeao ainda ganhan uma otima galinha rsr…sendo q na mao de roedores ganhan faca e mordida ,…e isto q eles querem acabar com a cultura do galismo ,…antes de existir tantas coisas proibidas o mundo nao vivia esta decadencia morte droga violencia desmatamento fome buraco na camada de ozonio sao tantas coisas q nao caberia aqui neste site entao seja la quem for fassa direito faça certo cuide do planeta e as aves deixa conosco porq quem tem cuida e se cs perdem tempo querendo cuidar do que ha fazemos quem estar ha cuidar da terra ,…ate mas valeu abraço para todos ha mas uma coisa nunca fui numa rinha nao mas gosto de ver os combates deles ok

  123. mergulhador disse:

    ae jcunha cadeia pra vc tambem entao por matar o coitado do animal so pra poder come_lo certo sem a menos dar chance pro coitado se defender deuma faca ,…bestado rsrsrs

  124. Pablo Mattos disse:

    confesso que tentei ler os comentários até o fim mas antes de chegar na metade eu mi revoltei, deu vontade de vomitar.
    fico feliz em saber q uma hora ou outra muitos ou todos humanos vão morrer, e só assim deicharão a natureza em paz… inclusive os galos
    o nome do animal é “GALO” não “GALO DE BRIGA” como muitos idiotas sem cultura, sem estudo, sem informação e sem compaixão por outras formas de vida o chamarão, ou vão me dizer que o galo olhou pra vocês e disse: “oi, meu nome é galo de briga, quero matar ou morrer hoje, tudo bem?”
    também vi alguém dizer: “é o instinto deles, eles nasceram para o combate”. Pois digo que não, eles não nasceram para o combate, eles simplesmente defendem o seu território, assim como o homem defende sua casa e sua familia. Imaginem que apareça uma espécie mais poderosa que nós, um extraterrestre por exemplo, e ai eles pegassem seus filhos para matar e vender como vitelo no mercado, pegassem sua mulher e vendessem mamas e lombo e pegassem você e botassem em outra casa trancada para guerrear com outro? caso contrário, você seria um inutil e seria morto? parece até filme não é?

    vi outros dizerem, sem o minimo de argumento xingando um suposto amibientalista: “ambientalistas idiotas” – “essa gente não sabe o que fala” – e etc…
    Pois digo a vocês seres inferiores, que vocês só nos chingam assim, pq não tem o conhecimento necessário para argumentar com alguém que durante anos, trabalhou durante o dia e estudou durante a noite, todos os dias, as vezes nem nos finais de semana descansava, para um dia se formar e ter que aturar uns, com todo respeito, vagabundos que ganham direito as custas do galo, que ja não sabe se vai estar vivo no outro dia!
    Eu estudei durante anos em prol do bem dos animais, sempre com o objetivo do bem dos animais, ganhamos pouco para isso, mas é gratificante ver quando salvamos algo, uma vida. é vocês não tem idéia, como é triste ler o que vocês escrevem, ja fui campeão estadual de muay thay 2 vezes, ja fui soldado e cabo do exército, ja trabalhei carregando saco de batata na feira, e nunk matei uma formiga. não venham mi dizer q cuidam dos galos e q as rinhas tem juizes, pq quando estava no exército cansei de entrar nos locais a paisana para apreender , e ter uma pilha de galos mortos num canto, e outros dois em péssimo estado lutando e ninguém para encerrar a luta e determinar um vencedor, isso não é luta, isso é maldade.
    Também condeno a ação de militares que após a apreenção acabam matando os animais de sede, ou no sol, por apenas engailarem e jogarem num canto, isso é descaso, negligência e falta de preparo para o serviço.
    Gostando ou não, lutarei contra vocês e contra qualquer tipo de gent q causar algum maltrato contra qualquer bixo que seja. e peço do fundo do meu coração, que um dia vocês acordem e pensem melhor, pra que causar e/ou dar este tipo de vida e sentimento ao Galo que só o que quer, é viver e acordar no outro dia, e ter suas crias em paz, e só lutar se um dia encomodado, mais ou menos como nós. Não quero ser chato, e sei q muitos vão rir da minha cara quando lerem isto, achem o que quiserem, essas coisas mi deicham muito triste, desmotivado e mi faz perder as esperanças na raça humana

  125. Pablo Mattos disse:

    sntes de qualquer coisa que venham mi criticar

    saibam que sou vegetariano, não como animais
    e vegetariano não come aves nem peixes pois carne branca ou vermelha, é carne de qualquer jeito, e vegetariano não come carne

  126. Pablo Mattos disse:

    luciano… cada um cuida da sua vida, isso msmo
    e deichem o galo em paz

  127. Roseli disse:

    gostaria de saber o contato desse Juiz que liberou a rinha ou da organização que promove estes capeonatos.
    Obrigada.
    Roseli

  128. Fabiano disse:

    Aprecio brigas de galos, e respeito os que não apreciam por tanto aos que não apreciam vãm cuidar das vidas de vcs e não deixem em paz.

  129. bruno disse:

    galos enterrados vivos em jp pelo ibama

  130. everton disse:

    galos jogados no lixo pelo ibama na paraiba

  131. diego disse:

    ibama dis que vai colocar galo combatente em extinção

  132. leandro disse:

    policia militar vai nas rinhas de natal rn para receber propina

  133. erivelton disse:

    asssim como lutas livres sãos legais por q não liberar as brigas de galos?tanta coisa para faser vão cuidar de suas obrigações, ao inves de vcs tarem correndo atras de um esporte querido por muitas pessoas cada um tem o seu esporte então deixe-nos empazzzzzzzzzzzzzzzzzzz.ok

  134. joni martins disse:

    sou galista devemos nos unir para liberar as rinhas de galo no pais pois tem outras coisas que o ibama pode ficalizar neste pais as caças as pesca predatoria o desmatamento pois os galista preservao isto porque temos que ter sombra para criar nossos galos.obrigado au mato grosso de liberar no seu estado espero que algum politico do parana libere no nosso estado obrigado.

  135. sem nome disse:

    TODA SOCIEDADE TEM QUE TER REGRAS SIM. O CUMPRIMENTO ÀS LEIS POR TODOS OS CIDADÃOS DEVE ESTAR A CIMA DE TUDO. DEVEMOS RESPEITAR ÀS LEIS SEMPRE, SE NÃO AO INVÉS DA ORDEM, SERIA O CAOS TOTAL. SOU, PORTANTO, UM DEFENSOR DA LEI, COM CONVICÇÃO.
    MAS APESAR DE LEIGO EM ASSUNTOS JURÍDICOS, JÁ OUVI FALAR NUM TAL “ESPÍRO DA LEI”. QUE QUER DIZER MAIS OU MENOS O SEGUINTE: AO FAZER A LEI O QUE É QUE O LEGISLADOR PRETENDIA NAQUELE MOMENTO, O QUE REALMENTE OS FEITORES DA LEI OBJETIVAVAM ATINGIR. AQUELA LEI ERA PARA REGULARIZAR O QUÊ? AGORA EU PERGUNTO? SERÁ QUE ESSA LEI ABJETIVAVA ACABAR MESMO COM AS BRIGAS DE GALO NO BRASIL. SE A LEI QUE VERSA SOBRE MAUS TRATOS DE ANIMAIS QUISESSE REALMENTE ACABAR COM AS CHAMADAS BRIGA DE GALO, O LEGISLADOR NÃO PODERIA MUITO BEM DIZER: FICAM PROIBIDAS A BRIGAS DE GALO NO BRASIL. POR QUE SERÁ QUE NÃO EXISTE UMA LEI PROIBINDO, TERMINANTEMENTE, AS CHAMADAS BRIGAS DE GALO NO BRASIL?……SERÁ PORQUE ELAS (AS DISPUTAS) NÃO SÃO TÃO ABSURDAS ASSIM…… SERÁ QUE NÃO EXISTE ESSA PROIBIÇÃO PORQUE OS LEGISLADORES SÃO TODOS MAUS……. OU PORQUE ELES (OS LEGISLADORES) SÃO O ESPELHO DA NOSSA SOCIEDADE, COM QUALIDADES, HÁBITOS, COSTUMES, DEFEITOS, ORIUNDOS DE VÁRIAS CAMADAS SOCIAIS, QUE TRAZEM EM SUA FORMAÇÃO UMA CARGA DE CONCEITOS CALCADOS NA TRADIÇÃO E NOS COSTUMES. MUITOS (LAMENTAVELMENTE) JÁ SE ESQUECERAM QUE O BRASIL COMEÇOU NO CAMPO, NA ROÇA, NO MATO. O BRASIL PASSOU A SER URBANO A POUCO TEMPO ATRÁS.

    UM CIDADÃO COMUM FICA A MERCÊ DE INTERPRETAÇÕES DESSA LEI AS MAIS VARIADAS POSSÍVEIS. ACOMPANHE O RACIOCÍNIO:
    - UMA PESSOA IDÔNEA, “BEM INTENCIONADA” QUE NASCEU NO ASFALTO, POUCA RELAÇÃO COM O CAMPO, COM O SERTANEJO, ESTUDOU SOMENTE EM COLÉGIOS PARTICULARES, CLASSE BOA, OS FILHOS VÃO AO SHOPPING, VIAJAM DE AVIÃO, PRAIA, ETC , COMO INTERPRETARIA ESSA LEI DO MEIO AMBIENTE NO TOCANTE AOS GALOS COBATENTES? EXEMPLO: INTERPRETAÇÃO DADA POR ESSAS ONGS FALACIOSAS E DE INTENÇÕES AS MAIS DUVIDOSAS POSSÍVEIS E MUITAS TVS VÃO NO EMBALO.
    - UMA PESSOA TAMBÉM IDÔNEA, QUE HOJE TAMBÉM VIVE NA CIDADE, MAS COM ORIGEM RURAL, COM SENTIMENTO ARRAIGADO NA NATUREZA, QUE AJUDAVA SUA MÃE MATAR GALINHA, PISANDO COM UM PÉ NAS ASAS E OUTRO NOS PÉS DA GALINHA E DEGOLAVA SEU PESCOÇO COM UMA FACA, AJUDAVA SEU PAI MATAR PORCO, SANGRAR E ARRANCAR A PELE, E MUITO MAIS, TUDO ISSO NATURALMENTE E FELIZ? E ISSO NÃO ERA NATURAL? EXEMPLO DE INTERPRETAÇÃO DIFERENTE DA 1ª::: T.J. DE MATO GROSSO.

    MUITAS PESSOAS, HOJE, QUE QUANDO ESTÃO COMENDO PRAZEIROZAMENTE UM BOA CARNE, ACHAM QUE ESSA CARNE CAIU DO CÉU, PRONTINHA NÃO TEVE SANGUE, GEMIDO, DOR, NADICA DE NADA, NINGUÉM SE FERIU E NINGUÉM A MATOU: SÃO OS CHAMADOS FILHOS DO ASFALTO. “OS ESTRITAMENTE CORRETOS”.

    MAS…. DIZEM ALGUNS: A MAIORIA É CONTRA AS BRIGAS DE GALO. É…. OUTROS DIZEM: A MAIORIA TAMBÉM CRUCIFICOU CRISTO. E O TAL DIREITO DAS MINORIAS? DIREITOS INDIVIDUAIS? E O MAIOR DELES: O DIREITO DE SER FELIZ….. EU CONHEÇO UMA PESSOA QUE NÃO TEM CASA PRÓPRIA, NÃO TEM CARRO, NÃO VAI AO SHOPPING, ETC, MAS É UM SER HUMANO QUE VALE TANTO QUANTO OU MAIS QUE QUALQUER OUTRO, ELE COM SEUS CINCO GALINHOS QUE CRIA, É MAIS FELIZ DO QUE MUITOS OUTROS QUE TEM CINCO MIL BOIS.

    NÃO OBSTANTE ESTAR EM JOGO A SOBREVIVÊNCIA DE UMA ESPÉCIE APURADA AO LONGO DE APROXIMADAMENTE 5OO ANOS NO BRASIL, ESSA AVE MARAVILHOSA, EXUBERANTE E INEGUALÁVEL EM SEU POTENCIAL, BELEZA E FORMOSURA, MAS ESTÁ EM JOGO, TAMBÉM, A VIDA DE CENTENA DE MILHARES DE CRIADORES, BRASILEIROS, TRABALHADORES, PAI DE FAMÍLIAS, RESPEITADORES DAS LEIS E QUE ANSEIAM E IMPLORAM POR UMA DECISÃO URGENTE DE NOSSOS LEGISLADORES. LIBEREM(COM REGRAS DURAS) OU PROIBAM, DE UMA VEZ POR TODA, AS CHAMADAS BRIGAS DE GALO NO BRASIL

  136. Déborah disse:

    Olha,pra mim vocês,ou todos nós que somos chamados de seres humanos,e que somos considerados com inteligencia superior dos animais,sabe,vcs deviam ter o minimo de respeito com eles,pois um homem que se diz HOMEM nunca diria q isto deveria ser legalizado,quem diz que deve ser aprovado,esta mostrando estrema ignorancia pois nao sabe e nao entende de vida,se voce é casado e tem filhos o que eles vao pensar de voce,se voce é solteiro, o que seus amigos vao pensar,e se vc acha que os outros nao tem nada a ver com a sua vida,parabens voce é mais um parasita na sociedade.Mostra que voce nao teve educaçao e nunca tera se continuar agindo assim.Se voces fossem pessoas,como dizem ser,e tivessem o minimo de inteligencia,como dizem ter,nao aprovariam isso,e se importariam para um país mais justo,e se vcs me entendem hj um senador ganha na base 60 mil reais,sem fazer nada e um policial ganha menos de 600reais,e ele protege a nossa vida.E se vcs nao se preocupao com isso,volto a dizer,voce é mais um parasita nesta sociedade

  137. RonaldoC disse:

    Amigos galistas e simpatizantes, estou confeccionando um documento que será enviada à Brasília através de um amigo político e galista. Esse documento tem por finalidade desmistificar a briga de galos, deixando as autoridades a par da verdade sobre o galismo, sobre as pessoas que o praticam e sobre o que está acontecendo na repressão às rinhas. Considerando que o referido documento está na fase final de confecção e, ainda, que esse documento não é meu, e sim nosso, venho solicitar a ajuda de vocês no formnecimento de textos ou fotos que conprovem as arbitrariedades que o poder público está fazendo com os galistas e seus animais.
    Cabe informar que pretendo finalizar o documento até a próxima segunda feira.
    Amigos, ficar calado ou reclamando de nada adianta, precisamos arrumar um jeito de ser-mos ouvidos, não somos bandidos, apenas tivemos a coragem de assumir nossos gostos, diferentemente da maioria das pessoas que ficam prezas as convenções que a sociedade impõe . Estamos buscando contatos com apresentadores de televisão para, quem sabe, poder lançar ao público a verdade sobre o galismo e o que ele representa para os galista e para o próprio gallus gallus. Gostaria de receber a opinião de vocês. Um abraço a todos e agradeço desde já por qualquer colaboração.

  138. RonaldoC disse:

    Cara Débora, vou te dizer o é ser parasita:
    - ser parasita é condenar pessoas que você não conhece por coisas que você também não conhece;
    - ser parasita é tomar partido contra uma coisa que você não tem a menor idéia do que é, sem saber que tal atitude está causando a destruição de uma espécie animal que convive com o homem a mais de 5000 anos;
    - ser parasite é só ser mais um manipulado pelas falsas informações publicadas pela mídia;
    - ser parasita é não ter persolnalidade própria e ficar sempre a merce dos modismos impostos pela sociedade moderna.
    As rinhas de galos podem parecer cruéis aos olhos de leigos, no entanto, foram e sempre serão as responsáveis pela perpetuação da espécie gallus gallus, visto que 95% dos indivíduos dessa espécie são destinados às rinhas e, acabar com as mesmas, é decretar a extinsão dessa raça tão importante para o desenvolvimento da avicultura de corte doméstica e industrial, pois contribui com seus genes para o aumento da rusticidade, precocidade e ganho de peso. Em todos os comentários contre as brigas de galos, ainda não houve sequer um que, com o término das rinhas, apresente uma proposta para preservação da espécie, conforme prevê a constituição brasileira. Na verdade, esses pseudo-defensores querem mais que os galos se danem e se a espécie for extinta melhor ainda. Mais eu e muitos outros não pensamos assim, pois gostamos de galos e sabemos que somos sua única esperança de sobrevivência. A atitude correta para preservação da espécie e proteção contra maus tratos é uma regulamentação federal estabelacendo regras rígidas para a criação dessas aves e para os combates, a fim de reduzir a violência nos mesmos, protegendo os animais. Sei que muita coisa já foi feita nesse sentido mas podemos melhorar.
    Cara Débora, tudo na vida tem uma razão de ser. Os galos podem não significar nada para você, mas significam muito para muitas pessoas.

  139. Déborah disse:

    Ronaldo,isso quer dizer que se vc quer continuar sua família vc deve começar a bater em todos né,significa muito pra vc??hahaha nao acho ,pois quem diz q a perpetuaçao da especie acontece assim….GOSTO MUITO DOS ANIMAIS SIM,por isso já tenho minha propria carteira de defensora dos animais,se vc duvida,bom,não preciso da opniao dos outros,pra mim ter a tal PERSONALIDADE,pois saiba q tenho uma PERSONALIDADE formada,coisa q muita gente com experiencia de vida nao tem,e pode ter certeza que os galos não dependem de vc e nem de outras pessoas para sobreviver,pq animais merecem carinho,já pensou se vc não tivesse carinho e atençao,ficaria revoltado com a sociedade,vc acha que um galo que não tem carinho e atenção não fica revoltado???por isso que depois de um tempo de participar destas rinhas eles ainda continuam e ainda acham que é pq o galo gostah de briga
    Sinceramente,pensa na tua vida e reflete,se poe no lugar destes pobres animais.

  140. Déborah disse:

    E se significa tanto pra vc,quem sabe vc não cria um aviário pra vc,pq se gostar quer dizer MACHUCAR,aaaaaa entaum eu não tenho dicionario em casa né.

  141. Déborah disse:

    Pablo Mattos parabens pelo seu depoimento!!!

  142. Ana Paula disse:

    Bom, concorda com minha amiga deborah, si tu fosse homem o bastante, que nem tu diz que é, nao estaria fazendo esse tipo de coisa, garanto que se fosse ao contrario vc seria o 1° a reclamar e por favor, pense nas consequencias, o galo nao foi feito para se Mal TRATADO, agora se vc pensa assim, bata em vc mesmo!
    Afinal, nós somos seres que nem qualquer animal.
    E uma perguntinha basica:
    Voce vai ser menos homem se começar a fazer o que é certo?
    Resposta: Ah! Eu acho que não né!
    então pense nas suas atitudes antes de fazer o que vc sia que é decente.

  143. Déborah disse:

    Concorado Ana

  144. Déborah disse:

    concordo

  145. sem nome ou CANGA BRAVA disse:

    Por que será que houve uma maior propagação, uma maior ênfase ao “ ÓDIO ZOOLÓGICO” contra os galos combatentes, ultimamente?
    Nada acontece por acaso não. Inocentes somos nós. Leiam a Folha de São Paulo de hoje, dia 26/11/2008, folha A3, “Quem tem medo da CPI das ONGs? As ONGs receberam em 6 anos, aproximadamente 34 bilhões de reais.
    Agora pasmem: “somente as organizações que se dedicam a causas ambientais e de defesa dos animais, receberam segundo o IBGE com aumento de mais de 60%, MAIS DE 3 VEZES DO QUE RECEBERAM AS ÁREAS COMO SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL.
    Somente na região da Amazônia existem mais de 100.000 entidades, muitas delas estrangeiras, e ainda, não se sabe na realizadade o total de ONGs no Brasil.
    Não podemos generalizar, é claro, porque existem muitas ONGs sérias e merecedoras de todo respeito, mas cabe a pergunta?
    A propagação desse “ódio zoológico” contra os galináceos não seria para justificar o recebimento de toda essa grana? Queriam mostrar serviço?

  146. Ana Paula disse:

    Grande PALHAÇADA!
    Quero ver que resposta insegura que vou receber.

  147. João disse:

    Tenho 38 anos, quando nasci meu pai já criava galos, hoje também crio, é chato ver pessoas que não conhecem o assunto ficarem usado o espaço para “bate boca”, temos que respeitar a opinião de cada um. Muitos conhecem o assunto só atraves da mídia, sem nunca ter visitado uma cocheira de galos. Os que são contra respeito e admiro o esforço que fazem para defender suas posições. Abraços a todos.

  148. Ana Paula disse:

    Que bom que você admira! Mas nao respeita!
    Se respeitasse nao estaria fazendo esse tipo de coisa com pobres animais.

    Isso não é um ”bate-boca”, é a preocupação que tenho com os animais.

    Agora pense. Você acha que faer rinha de galo é respeitar e admirar os animais?????

    Qualquer um em sã conciencia sabe o que é certo e o que é errado, pelo menos qualquer pessoa normal, mas acho que vc nao é!

    Eles tambem tem sentimento, vc acha que gostam de serem machucados?

    Agora se me responder que eles gotam, ah..daí sim…concerteza vc nao é uma pessoa normal.

    Pense…nas consequencias desses pobres bichinhos…

    Não é por mim, é por eles!

  149. Déborah disse:

    Olha vou me retirar deste bagulho aki,por que pessoas q não sabem o que um bicho sentem, qse coloquem no lugar deles,bando de ignorante que tem mais de 20 anos na cara e não sabe o q é vida,vcs tem q ter vergonha na cara,em machucar bichos q não podem defender-se,ora vcs tem q ter o minimo de vergonha na cara meu,vcs são maiores do q um galo,pelo menos no tamanho,porque na inteligencia vcs,numa escala de 1 a 10,se deem ao respeito,e naum respondo a mais nenhuma pergunta q me fizerem,não quero mais participar desta vergonha nacional,q ninguem toma providencia de nada,bem q dizem:O PAÍS É O ESPELHO DO SEU POVO.

  150. Déborah disse:

    Sua inteligencia,numa escala de 1 a 10,aaaaaa com certeza ganharia ZERO,povinho sem cultura.

  151. Ana Paula disse:

    Concordo Deborah..Isso é povo vagabundo que machuca os animais só pra ganhar dinheiro

    Toh Fora!

  152. jhon lennon disse:

    concorde que 30,00

  153. jhon lennon disse:

    30,000

  154. nao [rei do ingles] disse:

    chuch my left egg…. fuck you gallo off rinha… tatch my binbow

  155. CANGA disse:

    É pouco provável que o homem por volta de 5.000 anos atrás tenha domesticado a espécie GALLUS GALLUS para fins de alimentação . (pelo seu pouco volume de carne e pela abundância de animais existentes a sua volta, àquela época).
    Domesticou o cavalo para servir de montaria, domesticou o cão para guarda e auxílio à caça, etc.., e domesticou o galo pelo seu excepcional D.N.A.
    Em conseqüência desse fato, temos nos dias de hoje as galinhas caipiras, os frangos de corte comerciais e industriais e seus descendentes direto os chamados por muitos de “galos índios”.
    Será que o mesmo D.N.A. especial que fez com que eles existissem até hoje, poderá leva-los à extinção? O máximo de sensatez é muito importante nesta hora

  156. RonaldoC disse:

    Caros companheiros galistas, Como vocês podem observar eu estou completamente correto. Criticar e falar um monte de besteiras é muito fácil, no entanto, apresentar uma solução coerente e inteligente para o problema, isso, nenhum contra faz. Qualquer pessoa inteligente que ler os comentários aqui postados vai compreender o que nós galistas queremos e o que somos, no entanto, se tiver com a mente bloqueada pór ódio, preconceito e burrice, jamais vai chegar ao X da questão. Vamos continuar com o que fazemos a 5.000 anos, que é preservar a espécie gallus gallus, pois somente nós gostamos deles.

  157. Déborah disse:

    Não coloque mais pessoas na sua visão falsa sobre o que é preservar.Voce não esta correto coisa nenhuma,vc não esta correto no fato de fazer estas violencias com os bichos e eu tbm não estou correta de ficar aqui falando com seres q não tem amor ao proximo,não falo besteiras,falo a verdade q vcs sabem,mais por uma questao de orgulho,dizem q é preservar.Quer continuar continue,pois eu vou lutar de unhas e dentes para q isso não seja permitido.Tenho minha personalidade formada,não vou mudar a minha opniao,e não vou gostar de rinhas de galo,pq vc foram induzidos por pessoas sem escrupulos,e acham q estao agradando.Parem de ser orgulhosos,tratem animais com respeito,pq é isso q eles merecem,e se vcs não sabem, a partir deles que temos a nossa especie hj,homo sapiens.

  158. Anônimo disse:

    oi gostaria de conhecer sua rinha thau

  159. João Catira disse:

    Déborah para de falar bobagem, ler muito pode ser a única luz na escuridão da sua ignorância

  160. Déborah disse:

    hahahahaha,coitado,o unico ignorante aqui é vc ok!

  161. Amadeu " Iporã Pr." disse:

    É o unico esporte que amo de verdade . Só quem gosta que sabe como a adrenalina sobe ao ver dois galos combatentes se pegando. São as mais belas aves que conheço, sou a favor da liberação. As pessoas que não gosta tinha que se preocupa mais com outras coisas com seus filhos que podem está drogado.

  162. Mauro G de FigueiredoMaug disse:

    Amo os galos de briga desde o tempo em que não sabia ainda falar e do colo da minha mãe, os contemplava, quando nosso vizinho os colocava em treinamento. Existem abusos ou excesso nesta atividade esportiva? Claro que sim. Mas desafio qualquer um a me mostrar onde não existe, quer na medicina , na política ou mesmo at nas igrejas.Só mesmo com a ligalização, uma janela de proteção combatendo os abusos, bem como as imperfeições hora existentes, sessarão.O serviço de fiscalização com certeza exigirá dos rinhadeiros um acompanhamento veterinário o que protegerá a integridade física do nobre animal em apreço.

    Mauro Gomes de Figueiredo

  163. Mauro G de FigueiredoMaug disse:

    Retificando o comentário acima, eu quiz dizer que sómente c a legalização uma janela de proteção aos referidos galos, se abrirá, impedindo os abusos hora existentes, pois o serviço de fiscalização com certeza exigirá dos rinhadeiros um acompanhamento médicoveterinário, o que preservará a integridade física dos tão nobres animais em a
    preço.

    Mauro Gomes de Figueiredo.

  164. Déborah disse:

    Tudo bem Mauro,concordo,mais tem, gente q não pensa como vc ,q nem acompanhamento veterinario o bichinho tem.

  165. RonaldoC disse:

    Mauro você está coberto e razão. Nós sabemos que existem galistas e galistas. Como você, também amo meus animais. Não sou jogador e, para falar a verdade, não gostode jogo, no entanto, devo reconhecer que o mesmo deve fazer parte da atividade, pois agrega valor aos animais, tornando viável a sua criação, contribuindo para a perpetuação da espécie. Concordo que somente a existência de uma lei federal, que estabeleca regras para a criação das aves e para os combates, protegerá essa espécie de maus tratos e da extinção. Essa lei, ao meu ver, deveria ser elaborada pelo governo (IBAMA), com a participação de representantes dos galistas, biólogos, veterinários e entidades sérias de proteção aos animais, contanto que seja devidamente respeitada a natureza da espécie.
    A briga de galos não pode ser tratada da mesma forma que outros tipos de rinha, as quais sou contra, em função do galo de briga ser o único animal que depende da rinha para o desenvolvimento e sobrevivência da espécie. Em outras rinhas existentes a parcela de indivíduos destinados às mesmas não passa de 1%. É o caso de cães e canários, no entanto, na de galos, esse percentual chega a 98%
    Sei que todos os verdadeiros galistas estão dispostos a acatar uma lei nesse sentido, no entanto, da forma como a coisa anda atualmente, fica difícil, pois nenhum de nós consegue enxergar a lógica que há em o poder público vir a nossas casas, nos chamar de bandidos, apreender nossos animais super bem-tratados e levalos para que sejam cremados vivos, enterrados vivos, destruidos, violentados em sua natureza (galos desprogramados) ou degolados em nome da proteção contra maus tratos.
    Um abraço a todos.

  166. Déborah disse:

    Que a politica brasileira não funciona,eu concordo Ronaldo.

  167. andrieison disse:

    eu sou afavor só quem conhece para explicar muitos achaõ que é só pegar o galo e ir brigalo não senhor ele deve passar por processo de cuido ele é vitaminado com diversos remédios come rasão da melhor que tem.
    quem não conhece nem deveria opinar sobre esse assunto

  168. andrieison disse:

    eu cuido galos desde 12 anos e tenho 17 e não vou parar por causa de alguns pés de porco fardados

  169. Déborah disse:

    devo lhe dizer q vc é um dos poucos q cuida,pois se sabe mesmo,nem todos cuidam dos bichos,e se ”pés de porco fadados” ,se refere a mim,sinto meu amigo,mais sou protetora dos animais e vou continuar a defender como vc quer continuar com sua rinha,opino o quanto quiser,quem manda em mim sou eu,e ninguem me diz o q fazer,ok!!!

    • walter disse:

      Quanta ignorância, galos brigão por instinto o homem só controla quando isso vai acontecer isso e inevitável crio em meu sitio e da natureza deles. m Cobrem impostos e imponham regras seria uma das maiores arrecadações de imposto do Brasil fora o numero de empregos e ilegal, mas já vi gente morrer por brigas nas ruas estádios ate em lugares do mais alto poder publico nunca vi falar homem more em rinha se e um crime regularize, pois esse e o dever dos que realmente se preocupam não causa mal a sociedade gera emprego a prova esta ai para quem quiser ver imponha regras e seremos grandes em nossa cultura não podemos condenar estes amimais a extinção galos de rinha só serve para rinha sem rinha estarão instintos.

    • Anônimo disse:

      DÉBORAH: VC DEVERIA SE PREUCUPAR COM SUA VIDA E NÃO AS DOS OUTROS, CUIDE MAIS DAS CRIANÇÃO QUE PASAM FOME E DEIXE OS GALOS COM SEU DONOS.

      PAULO

  170. João Catira disse:

    O criador de Galos Combatentes é antes de tudo um preservador de raças, o galismo ja faz parte da cultura , dos costumes, das tradições do povo brasileiro, então temos DIREITO a uma REGULAMENTAÇÃO das Rinhas de Galo.
    Tal REGULAMENTAÇÃO só sera possivel com a união de TODOS os galistas brasileiros,
    formando Associações em todos os estados brasileiros e uma Federação a nível Nacional, assim teremos representatividade e poderemos EXIGIR nossos direitos junto aos nossos governantes .
    Saudações Galisticas, João Catira

  171. Déborah disse:

    hahahah Concordo,nosso governantes são tão sujos como vcs,criadores de galos para a briga injusta.

  172. Déborah disse:

    hahahahaha

  173. RonaldoC disse:

    Débora você é doente.

  174. Déborah disse:

    Nao Ronaldo,só estou rindo da ignorancia de alguns,que pensam que vao conseguir algo com os governantes!!!hahaha,Até parece,gracinha!

  175. Déborah disse:

    Bom,esta lei aí q vcs querem q seja aprovada,obviamente ,ainda nao existe,mais existe uma q diz que é Crime ao meio ambiente,no textinho lá em cima,e nao vem dizer que já esta aprovada,pq os policiais estao recolhendo varios e varios bichos de rinhas,bom se esta lei naum esta aprovada,quer dizer que vcs estao fora da lei,sendo assim,vcs sao criminosos,e eu como sou honesta,venho de uma boa familia e tenho escrupulos nao participo de conversas com criminosos.Só responderei o que for perguntado e o que eu achar q esta me agredindo psicologicamente.

  176. Déborah disse:

    Leiam isto

    Art 32.Praticar ato de abuso,maus-tartos,ferir ou mutilar animais silvestres,domesticos ou domesticados,nativos ou exotiocos:

    PENA-Detençao de três meses a um ano

    1°Incorre nas mesmas penas quem realiza experiencia dolorosa ou cruel em ANIMAL VIVO,ainda q para fins didáticos ou científicos.

    2°A pena é aumentada um terço,se ocorre morte do animal

    è lei brasileira,seus inconsequentes

    • lucio disse:

      eu li animais ou aves?o problema com esse sistema falido de leis,pessoa,é que a valorização dos animais ou aves,são maiores que a dos homens,vc é capaz de defender com unhas e dentes as aves e os animais e nem se quer importar com seu semelhante,não fique tapada com uma visão tão curta.

  177. RonaldoC disse:

    Taí ! Nisso eu concorde com você Débora. Concordo, ainda, que também são criminosos todas as pessoas que criam cachorros com o a cauda e/ou orelhas aparadas ou castrados; todos os veterinários que fazem esse tipo de cirurgia; todos os criadores de galinhas poedeiras que cortam os bicos das mesmas com alicate; todos os criadores de porcos que aparam as caudas, retiram pedaços da orelha dos animais para marcação e os castram; todos os criadores de cavalos e bois que marcam seus animais com ferro quente e os castram; todos os donos de laboratórios que fazem experiências com animais; todas as pessoas que criam pássaros engaiolados; todos os donos de granjas que submetem os frangos a uma alimentação artificial repleta de ormônios; todos as pessoas que caçam animais; todos os criadores de bois que realizam a descorna dos mesmos; todos os criadores de cachorros que tosam seus animais os privando de sua pelo original; todas as pessoas que promovem e/ou participam rodeios, touradas, corrida de cavalos e concursos de marcha; todos os órgãos públicos que apreendem os galos de rinha e os cremam vivos, interram vivos ou, simplesmente, os exterminam; tadas as entidades de proteção aos animais que recebem galos apreendidos e os deixam morrer por falta de manejo adequado ou violentam a sua natureza; todos as entidades de proteção que castram animais; e todas as pessoas que promovem a extinção de uma expécie animal por ignorância; preconceito ou burrice.
    Considerando que todos os acima descritos podem ser perfeitamente enquadrados no Art 32, são todos criminosos e lugar de criminoso é na cadeia.
    Menos hipocrisia por favor!

  178. Déborah disse:

    Olha só pra calar a tua boca,entra nesta mensagem aki,cola ela na barra branca na internet,e vai aparecer um janela com tres opçoes,clica na q ta escrito ABRIR.
    Esse é o endereço:
    http://www.apasfa.org/futuro/RINHAS.pps#267,23,Slide%2023
    Hipócrita!

  179. RonaldoC disse:

    O que esses slides mostram só reforçam a necessidade de haver uma lei estabelecendo regras para a criação e para os combates de galos, lei essa que proteja a integridade dos animais. A briga de galos existe a 5.000 anos e nenhum país do mundo consegui acabar com a mesma, pois deparam com a uma cultura milenar e com a extinção de uma espécie de grande valor zootécnico. Muitos países resolveram o problema com leis de preservação dos galos combatentes.
    Quanto a rinhas de cães, ou qualquer outro tipo de rinha, sou contra, visto que esses animais não nasceram para isso e precisão ser instigados para que lutem, sendo galo de briga o único animal que tem no combate a sua principal função. Quanto a calar a minha boca, cara Débora, isso vai ser difícil, visto que crio galos à 31 anos, li vários livros espacializados no assunto, inclusive extrangeiros, fiz várias pesquisas e, em função disso, sei exatamente o que estou falando. Muito diferente de pessoas como você que só sabem o que a mídia ensinou, ou seja, um monte de mentiras e sensacionalismo.
    Não adianta tapar o sol com a peneira, pois a briga de galos vai continuar existindo como sempre existiu. A atitude correta é manter os galistas e rinhas sob o controle e fiscalização do governo e, assim, poder proteger os animais de maus tratos.
    Obs,: vamos ou não vamos botar aquele turma que eu falei na cadeia?

  180. Ana Paula disse:

    Poh! Si tu acha que os bichos espedaçados tem que virar lei, realmente:
    Tu nao sabe o que fala.

  181. Ana Paula disse:

    A tah e vc acha o que? que os seus livros nao tem sensacionalismo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Pelo amor de Deus pelo menos um pouco de inteligência e amor!

    Fico envergonhada qndo vejo gnt pensando assim, isso que se diz ser humano!

    VC só sabe falar que a rinha de galo existe a 5.000 anos!
    E daí??? vai mudar algo??? Vc vai continuar sendo o msm troxa de sempre que continua maltratando os animais!

    E que preconceito é esse de que rinha de galo pode e rinha de cachorro não?

    Pra mim é tudo a mesma coisa só muda de endereço;

    E enquanto aos seus livros: Vc perdeu tempo, cultura e dinheiro.

  182. Déborah disse:

    Tempo,cultura e dinheiro já sabiamos ana,e acho q a inteligencia tbm.Ronaldo,vc viu aquelas navalhas q sao usadas em rinhas???HUm…acho q sim né,só nao me diga q nao usa,a e seus galos saem sempre daqueles jeito das fotos né,nao minta!Galo pode e cachorro nao!hahahahahahaha,sao especies distintas,mas com sentimentos,nao definitivamente vc nao sabe o q significa “VIVA A VIDA”mas,sao ignorantes como vc que infelizmente constituem nosso país,e o país é o espelho de seu povo ,entao né…..Vc nao vai parar com rinhas,hahahahahaha,tranqüilo,tbm nao vou parar de defender,e veremos quem é q tem a voz da razao,nao me diga q é vc,até pode nao ser eu,mais qualquer pessoa em sã consciencia sabe q o q vc faz é errado,e isso nao é 100%sua culpa,é dos nossos governantes podres,q naom proibem isto,e quem é meio doidao por natureza,acaba se envolvendo com esses tipos de rinhas,nao só de galo,como de cao e outros bichos.Sabe uma vez eu estava na casa de uma amiga e sua vizinha tinha um muro bem alto,e de noite eu ouvia muitos caes latindo e pessoas gritando,eu estava no sofá,me levantei e fui até o jardim,deduzi q era uma rinha.Quando o dia amanheceu eu liguei para a policia,denunciei e eles vieram, bom 12 pessoas foram presas,2 cachorros mortos foram carregados pela policia e os outros 9cães foram levados para um central de adoçao para os bichos,dos cachorros mortos,minha amiga me contou,pq sai quando estavam prendendo as pessoas,eu precisava ir a faculdade.E sobre a midia ensinar,se vc diz tanto q lê e pesquisa o q lhe da direito de pensar q eu tbm naom leio e pesquiso eim?Aí vc vai dizer-aí suas respostas sao ignorantes.
    Pois lhe digo q nao,vc pensa no lado lucrativo e eu penso no lado de como o bicho está,pois lhe garanto q um galo dura muito mais em uma fazendinha só para catar quando o dia amanheçe(adoro quando eles fazem isto) do que em um rinha!!!!

  183. Déborah disse:

    para cantar

  184. RonaldoC disse:

    Queridas Débora e Ana Paula,
    Vocês sabem o que é “viseira para cavolo”? Se não sabem, vou dizer: é um apetrecho que se usa na cara dos cavalos para que enxerguem em uma única direção. Pois vou dar um conselho. Tirem a viseira. Vocês estão cegas pelo ódio que sentem pelos galistas e isso não deixa que vocês enxergem os fatos em sua plenitude. E quanto a briga de galo pode e de cão não pode, eu acho que ou eu não me fiz entender claramente ou vocês não sabem interpretar textos.
    Gozado, eu sou violento e vocês e que vivem a ofender as pessoas que vocês não conhecem.

    Aí, não leva a mal, mas vocês estão assintindo muito Sítio do Pica-Pau Amarelo.

  185. Déborah disse:

    hehe
    se eu fosse tao criança como vc.Cara vai sonhando ,to nem aí pro q tu diz ta

  186. Déborah disse:

    o legal mesmo foi q tu naum falou se usa as navalhas e se teus galos saem despedaçados, né!!!

  187. João Catira disse:

    A Déborah e a Ana Paula são crianças que estão falando de coisas que não entendem…

  188. RonaldoC disse:

    Taí Débora! Esse é o seu problema! Você está a mercê das mentiras que são publicadas pela mídia. No Brasil nunca se usou navalhas nos galos. As esporas, inicialmente, eram as naturais dos próprios galos, mas isso causava problemas porque nunca existia dois galos com o mesmo tamanho de esporas e as brigas ficavam injustas e ocorriam muitas mortes por infecção. Com o objetivo de solucionar esse problema, foram criadas esporas artificiais de alumínio com ponta de 4mm, mas essas eram mais duras que os ossos dos galos e, casualmente, um galo quebrava um osso do outro, sem contar que não eram descartáveis e poderiam causar infecções se não fossem devidamente limpas. Para solucuionar esse problema, atualmente, foram criadas esporas de plástico, descartáveis, que imitam perfeitamente a espora natural dos galos, só que bem menores em comprimento e com ponta rombuda de 3 a 4mm. Se você não sabe, as esporas naturais são as mais agrressivas, pois são afiadas naturalmente, curvadas em forma de gancho e, por estar em contato quase que permanente com o solo, é infectada de micóbios e podem causar sérias infecções. Muitas pessoas, eté as que criam galos comuns, serram as esporas desses animais para evitar acidentes com seres humanos, outros animais e até com outros galos.
    Outra coisa que também evoluiu foi o tempo máximo das brigas que, inicialmente, era de duas horas, baixou para uma hora e meia, baixou para uma hora e quinze minutos, baixou para cinquenta e cinco minutos (atualidade), em alguns locais já baixou para quarenta e cinco minutos (ao meu ver, o ideal é quarenta minutos) . Se você acha que 55 minutos é muito, fique sabendo que na India uma briga de galos pode levar mais de um dia para ser decidida. Já existe em outros países a briga de galos desarmada, ou seja, os galos usam sensores no local das esporas que contam o número de pancadas que um dá no outro e o maior número ganha, saíndo ambos ilesos.
    No Brasil Muita coisa já foi feita para proteger os galos durante os combates, mais podemos melhorar muito o regulamento brasileiro, com essa finalidade é claro.
    Estou muito agradecido por ter me chamado de criança, pois essas são puras de coração.

  189. RonaldoC disse:

    Este texto foi publicado pelo amigo Emerson e traduz com exatidão o significado do galismo. Eu gostaria que as autoridades e pessoas que são contra os galos de briga, inclusive você Débora, o lesse com muita atenção e imparcialidade.

    “A VERDADE”
    A ignorância das coisas conduz-nos fatalmente ao exagero. A citação não é nova, é bem sabido. A confirmação temos obtido através da história, onde povos e nações nos ofereceram muitos exemplos, alguns extremamente precipitados e sinistros, como o ocorrido a GALILEU, quase queimado vivo por sentença do Tribunal da Inquisição, simplesmente por ter afirmado ser a terra redonda. Mas, se o que ignoramos é sempre exagerado, é implícito que reconheçamos ser o exagero o subterfúgio dos desarrazoados.É o caso das lutas de galos, esporte emocionante, praticado em todo o mundo civilizado, mas que à morbidez de certas pessoas se afirma como perversidade, sadismo e outras tantas tolices, que bem caracterizam conflitospsiquicos ou mentalidade por demais rasteira e atrofiada de quem assim o julga, mutilando a ótica e turvando os horizontes.
    É bem sabido de que todo leigo tem soluções próprias para os problemas alheios. Por essa razão, compreende-se facilmente porque as lutas de galos são tão caluniadas por alguns, que contra elas despejam uma infinidade de julgamento errôneos, infundados, absurdos e em sua maioria levianos.
    Entre as opiniões mais generalizadas, figura a de que as lutas de galos são promovidas por pessoas incultas, rudes, grosseiras e na maior parte das vezes, de nenhuma ou de muito pouca civilidade. É certo de que as pessoas que esgrimam com semelhantes argumentos, certamente nunca presenciaram uma luta de galos realizada na devida forma, senão jamais argumentariam que somente indivíduos sem cultura e de instintos baixos poderiam interessar-se por essa modalidade de espetáculos. Semelhante argumentos esboroam-se facilmente quando são citados nomes de galistas ilustres, muito aliás, que se destacam nas diversas atividades em todo mundo.
    O mais interessante é que pessoas nada esclarecidas sobre os processos biológicos que regem os seres e as coisas e muitas vezes incapazes de distinguir um galo de uma galinha, arvoram-se como seus defensores, ignorando que essas extraordinárias aves brigam desde os primeiros dias de nascidas e se não houver a pronta interferência do homem, se aniquilarão ou se inutilizarão para sempre. O galista, pois, verdadeiro protetor de uma espécie de grande méritos, é um abnegado e mais do que isto, tem de possuir uma espécie de real vocação para o esporte, pois a criação e o manejo desses animais se prende à particularidades muito especiais, onde a dedicação, carinho e o espírito de observação são fatores para se levar a bom termo a tarefa. Parecerá exagero isto, mas quem conhecer de perto um galista, em pouco tempo se inteirará de seu carinho e dedicação para com suas aves e não raro verá que, com orgulho, ele lhe apontará determinado animal, já afastado das competições, com seis anos ou mais conservado como ? jóia rara ?. E feliz desse exemplar que não teve a indefectível sorte de um frango de corte!!! Morrerá de velhice ou de insidiosa doença, mas jamais para o inglório fim culinário.
    Galo-de-briga luta instintivamente, e isto se constituí no seu maior desejo. Não são instigados um contra o outro como comumente acreditam os leigos no assunto. Brigam por necessidade, pelo seu próprio instinto e pelas excepcionais qualidades com que a natureza os dotou. Apenas o homem, para que essa luta não se tornasse aleatória, como sucederia sem a sua interferência, estabeleceu normas para a igualdade em peso e altura evitando um desproporcional domínio de um lutador sobre o outro. Ninguém desconhece que as lutas de galos são praticadas em todo o mundo desde épocas imemoráveis! Nas Américas. Este emocionante é difundido da Patagônia às terras frias do Canaã. Em Orlando, na Florida, existiu um rinhandeiro famoso conhecido pelos galistas de todo mundo. Várias são as especialidades sobre o esporte publicadas nos Estados Unidos com matéria muito atraente. Podemos destacar, Gamecock, Game Fowl, News, The Feathered Warrior, Poltry Press e Grit and Steel, esta, beirando os 100 ANOS de EXISTÊNCIA. Entre centenas de anúncios de criadores de aves de combate, apetrechos galísticos, medicamentos, rações, e outros da espécie, destacam-se alguns de escolas para galistas, onde os novatos no esporte especializam-se na difícil arte de reproduzir, criar e preparar os galos para as rinhas.
    Na FRANÇA, onde o esporte está regulamentado por lei do então Presidente Marechal Charles De Gaulle, existe uma Confederação dos Galistas com sede na Cidade de Lille, com o nome ? FÉDERÁTION DES COQUELEURS RPÉGION NORD DE LA FRANCE ?, a qual mensalmente pública interessante jornal intitulado ? LE COQ GAULOIS ?.
    Transportando-nos à ESPANHA, vamos encontrar um órgão galístico, este, operando dentro do Sindicato Nacional de Ganaderia e conhecido como Grupo Sindical de Criadores y Exportadores de Gallos de Peleas y Aves Deportivas. Foi fundado em 1967 em Madrid e com grande objetividade vem controlando e incentivando a criação dessas belicosas e notáveis aves.
    Encontramos também na América do Norte entidade galística similar de grande atuação conhecida como The United Gamefowl Breeders Association ? UGBA e no MÉXICO, filiada a Unión Nacional de AVICULTORES, A Sccion de Criadores de Gallos de Combate, na própria Capital Federal.
    Na Índia, berço das lutas-de-galos, existem vários órgãos de preservação às raças de briga, como por exemplo, o The Departament of Animal Husbandry, em Andhara Pradesh que vem selecionando e aperfeiçoando a muitas vezes secular raça Assel de combate, uma das mais antigas do globo, o mesmo acontecendo no Paquistão, onde a Pakistan Poultry Association tem o encargo dessas importante tarefa. Omesmo acontece no JAPÃO, onde o combatente shamo vem sendo preservado sob o sistema de competições por vários órgãos locais, entre eles a ZENKOKU NIHON-KEI KYOKAI.
    Na Inglaterra, muito embora as lutas de galos permaneçam incompreensivelmente proibidas há mais de um século, é surpreendente como o desenvolvimento do esporte vem crescendo dia a dia, num frontal desafio às autoridades locais que perguntam a si mesmas a razão da expansão de uma prática julgada já marginalizada, sem encontrarem uma saída satisfatória.
    A resposta é fácil, entretanto. Não é necessário que recorramos ao cabedal de juristas ou a psicólogos, nem tampouco a dogmas de intolerantes puritanos para chegarmos à razão. As lutas de galos existem e florescem devido a uma Lei biológica imutável e soberana, muito diferente da lei dos homens, pois enquanto a primeira está integrada no equilíbrio natural das coisas, a segunda emana do interesse ou da conveniência de cada um, ou ainda, do admitido como certo dentro de uma comunidade. Ninguém dirá de bom senso que a lei dos homens proíba de chover ou fazer sol. Ninguém de bom senso, portanto, poderá admitir que dois galos deixarão de brigar devido a uma simples lei ditada pelos homens. Se os galos lutam é porque são belicosos e se não ocorresse, os homens jamais se interessariam por tal esporte. Tanto é assim, que em algumas reportagens o JORNAL LONDRINO ?NEWS OF THE WORLD ? focalizou o assunto, demonstrando que as lutas de galos na Inglaterra continuam mais VIVAS do que nunca. Por outro lado, existem na GRÃ-BRETANHA vários clubes de aves de briga que zelam pela preservação das velhas raças inglesas de combate, de atuação muito destacada na sobrevivência do esporte. O certo é que em nenhum país do mundo a proibição às lutas de galos possui o efeito desejado. Não é admissível, pois, que na era ATÔMICA e das viagens à lua, entidades cabalísticas que se arvoram defensoras dos animais continuem em atraso em atraso biológico secular, perpetrando acintoso crime contra a ZOOTECNIA. Caberia, isto sim, às nossas autoridades, fiscalizar tais entidades e somente permitir atividades as que possuem efetivamente condições para dentro de um campo biológico e não teórico, imprimir campanha de proteção aos animais, atendendo-se às condições peculiares a cada espécie, dentro de suas aptidões e finalidades e não explorando demagogicamente o lado sentimental dos leigos e desavisados. Não é cabível que se protejam as espécies selvagens do extermínio e se permita passivamente o aniquilamento de algumas domésticas, puras e simplesmente por um inexplicável ódio ZOOLÓGICO. Seria um paradoxo dos mais gritantes e absurdos! Aos galistas , pois, vem sendo legada a difícil e importante missão de proteger e preservar uma das mais nobres espécies domésticas, OGALO COMBATENTE, evitando sua miscigenação e abandono, sem o que viria a ser interrompido expressivo ciclo muitas vezes MILINAR de rigorosa e profícua seleção. Atentar-se contra legados de tal natureza alegando-se a tese de proteção aos animais é que não encontramos justificativas.
    Em conhecido livro sobre avicultura, JOÃO BRUNINI, categorizado autor patrício, afirma com grande propriedade que se não houver existido as PELEJAS de galos como DESPORTO POPULAR desde tempos remotos, seria pouco provável que houvesse na atualidade exemplares de aves tão fortes e perfeitas, e a AVICULTURA tanto COMERCIAL como a praticada simplesmente por afeição careceria de um de seus mais sólidos baluartes!
    Ma, magnífico exemplo, investido de grandes ensinamentos, que deveria deixar muita gente a meditar pela grandiosidade do seu conteúdo filosófico e que toca diretamente às lutas de galos, nos dá SANTO AGOSTINHO, o ÁGUIA DOS DOUTORES- nos versículos 25 e 26 do capítulo VIII ? Livro I ( Tomo Terceiro ) de sua grandiosidade obra DE ORDINE, ( BAR-LE-DUC, L. GUÉN Cº – ÉDITEURS ? 1864 ).

    Conta-nos SANTO AGOSTINHO, que após oferecido a Deus seus votos de cada dia, pôs-se a caminhar com dois amigos por um lugar que lhe era familiar, quando perto à soleira de uma porta deparou dois GALOS que se entregavam a um combate muito violento. Pararam para APRECIAR a peleja e sobre o espetáculo são essas suas considerações:

    ? Detivemos-nos. Quem não olha ou por onde não passam olhos amigos ao procurar se em alguma parte aparecerá aquela beleza da inteligência que modifica e governa tudo, tanto pela ciência como pela ignorância, que arrasta por toda parte seus discípulos ávidos, e se faz procurar por toda parte? De onde e em que lugar não pode ela absolutamente revelar-se? Assim, naqueles GALOS, era preciso ver suas cabeças inclinadas para a frente, as penas do pescoço eriçadas, os choques violentos, os desvios ágeis e em todos os movimentos desses animais, nada que não fosse conveniente. Tudo neles, REGULADO POR UMA RAZÃO SUPERIOR, enfim, a lei imposta pelo vencedor, seu CANTO DE GLÓRIA e seus membros assumindo uma forma imponente para atestar a magnificência da dominação; o vencido, testemunhando a derrota, arrepiando as penas do pescoço, não demonstrando na voz e nos movimentos senão disformidades; portanto, nada que não fosse em harmonia com as leis da NATUREZA. Indagamos então uns aos outros. Por que isso é assim? Por que RAZÃO achamos no aspecto do combate um certo prazer de espectador? Que havia em nós que buscava coisas tão longe dos sentidos?? Que havia ainda influenciado a despertar os sentidos?? Dissemos a nós mesmos; onde não está presente a lei? Onde o império não é conferido ao melhor? Onde não está presente a sombra da constância? Onde deixa de existir a imagem dessa beleza tão real? Onde deixa de existir o equilíbrio? Nossas reflexões eram locais, mas meditamos como coisas tão notáveis tinham até então escapado ao pensamento de 03 ( três ) homens que a elas se dedicavam. Assim que regressamos, pois escrevemos com cuidado este acontecimento em nosso livro. Ninguém pode recuar-se a aprova-lo, mas é raro e difícil senti-lo quando nos entregamos ardentemente a outros estudos ?.

    Também SÃO THOMÁS DE AQUINO tece considerações muito objetivas que podem ser aplicadas às lutas de GALOS.

    Diz ele:

    ? …..ninguém peca por usar uma coisa para o fim ap qual ela é destinada. Ora, na ordem das coisas, as menos perfeitas são para as mais perfeitas; assim como também, no seu processo de geração a natureza vai do imperfeito para o perfeito. Donde vem que, como na geração do homem, forma-se em primeiro lugar o ser vivo, depois o animal e depois o homem, assim também os seres que só têm vida, como as plantas, são destinados geralmente a servir todos os animais; e os animais, ao homem. Por isso, não é ilícito usarmos das plantas para utilidade dos animais, e dos animais para a nossa ?.

    ( SUMA TEOLÓGICA, VOL. XIX, PAG. 125, TRAD. DE ALEXANDRE CORRÊA ).
    Ora, dentro das utilidades destinadas ao homem, certamente que está o esporte, o divertimento. Épor isso que o cavalo é usado nas corridas, os peixes nas pescaria por distração, a raposa para satisfação da vaidade e luxo femininos e o GALO COMBATENTE conseqüentemente, para as disputas nos rinhandeiros.
    Mas, para chegarmos a origem do galo doméstico e particularmente a do GALO COMBATENTE, teríamos que retroceder a eras muito remotas. Exaustivas pesquisas nos conduziriam a épocas ASSAZ distantes antes de atingirmos a ARCH/EOPTERYX LITOGRAPHICA, cuja existência data do JURÁSSICO, era MESOZÓICA, há cerca de 120 a 160 milhões de anos dos dias atuais, como afirmam certos cientistas,arqueólogos e outros. Esta é a remota e provável responsável pelas espécies de aves que povoam o nosso PLANETA. Do GALLUS, ave selvagem e extremamente COMBATIVA, cujo habitat se estende a algumas regiões do SUDESTE ASIÁTICO, é indiscutível que surgiram os GALOS DE RINHAS de intransigente e admirável apanágio GURREIRO.
    As mais antigas citações sobre as lutas de GALOS, vêm-nos do código de MANU, há mais de 5.000 ( cinco mil ) anos de nossa era. É fácil de se entender portanto, como essas fabulosas aves chegaram ao surpreendente estágio atual de beleza, força coragem e resistência. Empregadas em sistemáticas competições durante séculos e séculos e submetidas a cada geração a processo de preparo físico especiais e alimentação adequada, é claro de que teriam de exibir semelhantes atributos, tornando-se uma das espécies domésticas dos mais altos méritos.

    O JORNALISTA LEAN CAU, num dos números da revista ? PARIS MATCH ?, membro de uma SICIEDADE PROTETORA DE ANIMAIS DA FRANÇA onde o esporte está REGULAMENTADO POR LEI, assim se refere às lutas de galos:
    ? Como se ousa fazer os galos lutarem entre si? Resposta: por se amar no mais elevado grau o que neles é o mais digno de ser amado e liberado; sua beleza, sua coragem e seu instinto. Ninguém mais do que um GALISTA ama seus GALOS. São os GALOS-DE-BRIGA, animais NOBRES, LIVRES, BELOS E ORGULHOSOS, nos quais não se injetam hormônios e não se castiga os olhos; animais a que não se impede de dormir com PODEROSAS LÂMPADAS; que não se aglutinam aos milhares, asa com asa nas granjas para que engordem em algumas semanas, onde vacilam miseravelmente sobre suas pernas de ossos frágeis; que não se mata, que não se ferve e que não se embrulha em série em papel celofane. São, ao contrário, animais dos quais se cultiva a beleza, a força e a resistência física, aos quais se oferece a alegria sim, a alegria de fazer-lhes explodir o que eles mais gostam no mundo: seu prodigioso instinto de combate, transmitido geração a geração ?.

    E sabem qual a vida média de um GALO COMBATENTE?? Sem medo de errar podemos fixa-la num ciclo de quatro a seis anos e às vezes mais, como por exemplo célebre e belicoso CHANTECLER NORTE-AMERICANO, cuja foto foi publicada num dos números de uma quase centenária revista galística daquele país irmão. Vinte anos de idade chegou a completar a referida ave, já cega pela velhice e alimentada pelo seu dedicado dono. Sua morte causou grande tristeza a seu criador, pois havia sido um grande CAMPEÃO DOS RINHANDEIROS.

    E sabem quanto VIVE UM FRANGO DE CORTE? Uma GALINHA DE POSTURA?
    Posso assegurar que o 1º ( primeiro ) não passará de noventa dias e a 2ª ( segunda ) será descartada após o 1º ( primeiro ) ano.

    A importância e a necessidade, pois, da preservação dos GALOS COMBATENTES no mundo atual dentro DO SISTEMA DE COMPETIÇÕES, tornou-se tão necessária que hoje pessoas mais diligentes vêm organizando FERERAÇÕES E ÓRGÃOS semelhantes , para que essas aves não se deteriorem nem desapareçam ou cheguem à beira DA EXTINÇÃO.
    Mas, para isso, há a necessidade também de se combater lendas e abusões, algumas fortemente arraigados à cultura popular, ou por supertição ou por simples ingenuidade. Assim, ainda há quem acredite que manga com leite faz mal. Passar em baixo de escada da azar. E outras muito corriqueiras. São crendices que antecedem nossos tataravôs e que chegam aos nossos dias atreladas a preconceitos outros do mesmo gênero, que se banalizam e se eternizam nos hábitos populares e são difíceis de ser erradicadas. O mesmo acontece com o ESPORTE GLÍSTICO, vítima de campanha infundadas, difamatórias e absurdas. Isto, tornou-se um hábito através de gerações e se deve à campanhas perniciosas de pessoas HIPÓCRITAS, PSICOLOGICAMENTE ANORMAIS E LEIGAS no que seja PROTEÇÃO aos ANIMAIS. Jamais essas pessoas souberam o que vem a ser CRUELDADE, PRESERVAÇÃO DAS ESPÉCIES, APRIMORAMENTO DAS RAÇAS OU COISAS SEMELHANTES. Falam da boca pra fora enquanto se acomodam em cômodas poltronas de suntuosos gabinetes. Ora, todo cidadão perfeitamente normal sabe que a CRUELDADE tanto pode ser física como mental. Todas são perversas. A física, pode partir de uma agressão armada ou não, enquanto a mental pode mesmo ter origem num ato de intimidação, coação ou impedimento de qualquer atividade individual. Por ser complexa é sumamente diversificada. CRUELDADE não se limita apenas a uma agressão física e muito mais do que isto, é uma ação covarde das mais variadas formas. Quando uma granja avícola sacrifica milhares e milhares de pintos, queimando-os vivos ou afogando-os num rio mais próximo, está cometendo uma abominável CRUELDADE. Quando num abatedouro coloca centenas de cabeças de aves num funil, sem qualquer defesa, para que sejam decapitadas e seu SANGUE se esvale pelo fino gargalo para que não se perca uma só gota, queiram ou não, está se cometendo uma terrível CRUELDADE. Porém, quando 02 ( dois ) galos lutam, com ou sem a interferência do homem, não há explicitamente qualquer ato de CRUELDADE, já que se trata de uma impulsão biológica traduzida numa necessidade nata do seu instinto. Por isso, eles são de RAÇA COMBATENTES. Podem ser JAPONESES, INDIANOS, CHINESES, TAILANDESES, ESPANHÓIS, INGLESES, NORTE-AMERICANOS, etc. Não importa, são todos de RAÇA COMBATENTES e com o mesmo instinto belicoso. Lutam por necessidade como o fizeram seus ancestrais há MILÊNIOS atrás. Só que numa luta de GALOS não há a interferência direta de homem sobre o animal. Apenas, há uma regulamentação para que ambos os lutadores se igualem em peso e altura para que impere um equilíbrio na disputa, coisa que não acontece em CAMPO ABERTO, quando 02 ( dois ) ou mais desses lutadores de penas fortuitamente se deparam e medem forças. Nesse caso, o menor não recuará ante o poderio do maior e o tempo se encarregará do resto. É a lei biológica, sábia e imutável que DARWIN classificou como a lei da sobrevivência que confere ao mais forte a perpetuação das espécies. Um ponto, porém, deve ser ressaltado; é que o GALO COMBATENTE, trazido à domesticidade, demonstrou outras aptidões na combatividade, já que luta apenas em defesa do território, mas por necessidade para liberação de energia. E todo GALISTAS sabe que GALO COMBATENTE EMGAIOLADO por muito tempo, afastado das lidas, morre inapelavelmente de tédio. Essa que é a VERDADE! Nos dia atuais, os pesquisadores do chamado 1º ( primeiro ) mundo, preocupam-se com grande empenho na utilização das espécies silvestres no melhoramento genético das raças domésticas. Para isso, são criados ? Bancos de genes ? com a finalidade de por em prática os animais avançados conhecimentos da engenharia genética com fins a melhorar entre outras coisas, a senectude dos plantéis das várias espécies de animais domésticos. Cogita-se, inclusive, na implantação de uma Rede Nacional de Bancos de Gemoplasma para a conservação da biodiversidade como um todo. As raças de galinhas, de carne ou postura, serão as mais beneficiadas. Embora tenham tido origem nas similares combatentes, o que é incontestável, vêm se deteriorando com sofisticação imposta à avicultura para a obtenção de produtos mais precoce e rentáveis. Para isso, os animais são mantidos sob poderosas lâmpadas, em gaiolas individuais, algumas vezes em estrados de madeira e alimentados com rações que lhes proporcionam em 45 dias condições de mercado. Em conseqüência, tornam-se apáticas, vulneráveis à doenças, perdem a fertilidade e se retiradas do local de confinamento, mal saberão caminhar. Quanto às raças de galos combatentes, isso não acontece. Selecionadas em competições em milhares de anos, com alimentação apropriada, assistência veterinária permanente e invulgar carinho, exibem-se hoje em protótipos de robustez, rusticidade, arcabouço ósseo/muscular privilegiado, fertilidade, força e coragem. Sem dúvida, o que pode haver de mais positivo para a recuperação dos rebanhos avícolas atuais, que muito carecem de um eficaz e diligente trabalho genético. E não é só. O galo combatente brasileiro é dos melhores do mundo e pode com sua rusticidade e compleição física ser utilizado na formação de aves de corte de grande categoria, evitando-se a importação de matrizes do exterior e, conseqüentemente, economizando-se divisas. Por outros lado, temos de reconhecer que as lutas de galos se constituem em uma das mais autênticas manifestações folclóricas do nosso povo. Os criadores dessas fabulosas aves, são invariavelmente, pessoas ordeiras e trabalhadoras, chefes de família exemplares e antes de mais nada preservam perseverantemente uma espécie das mais valorosas. Se não fosse sua ação nesse sentido, por certo já estaria ela extinta pela miscigenação ou pela atuação inconseqüente de pessoas de pouca ou nenhuma visão do que seja meio-ambiente, biodiversidade e eco-sistema. Certo de que existem indivíduos menos esclarecidos e levianamente mal orientados. Pode ser até que essas pessoas tenham mesmo bons sentimentos; apenas não sabem utilizá-los. Não obstante, este procedimento vem causando grandes danos a humanidade, por vezes, irreversíveis. O biólogo Forest Muir, Direto do Departamento de Ciências Avícolas da Universidade de Ohio ( USA ), em pronunciamento publicado no Columbus Dispatch, em 24 de março de 1991, referindo-se as aves de raças combatentes, faz importante referências às suas qualidades, terminando em considerá-las aves de grande importância para o futuro da indústria avícola. Se as lutas de galos fossem realmente um esporte de vândalos e cruéis personagens, não possuiriam a farta literatura mundial nas mais variadas línguas, complementadas com centenárias revistas, nem possuiriam órgãos de preservação, ou ainda, leis de proteção e preservação, como acontece em vários países, inclusive o Japão. Isto, sem dúvida, seria assunto para uma interminável explanação e consumiria ainda muitas folhas de papel. E isto é dizer pouco, sabendo-se que figuras como os Presidentes Norte Americanos Washington, Jefferson, Jackson e Lincoln foram ardentes apreciadores das rinhas de galos, sendo este último, inclusive, renomado juiz de rinhas. Também, nomes como o do inventor dos pára-raios, Benjamim Franklin, do escritor Ernest Hamingway, do Presidente Argentino Hypólito Hirigoyen e de muitos outros, podem ser acrescidos a esta lista. No Brasil, destacamos nomes como o do Senado Pinheiro Machado, Ministro Oswaldo Aranha, o do saudoso Presidente Tancredo Neves, o do jornalista Assis Chateaubriand e o de Lineu de Paula Machado, para não citar uma lista interminável de autênticos galóficos de ontem e de hoje. Na Constituição Brasileira, verifica-se na Seção III ? Do desporto, em seu artigo 217 que ? é dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não formais, como direito de cada um ?. Logo a seguir, nas alíneas IV é garantida ? a proteção e o incentivo às manifestações desportivas de criação nacional. À luz do direito, temos ainda na nossa Constituição, em seu Capítulo VI ? Artigo 225 ? Do meio Ambiente ? um esteio amplo e sólido que pode ser perfeitamente adequado aos processos de preservação das raças de galos combatentes, já que constituem elas o mais sólido baluarte de avicultura de todos os povos, bem como o definiu certo avicultor e escritor patrício. Entre outras coisas, reza o seu Artigo 225 ? Parágrafo 1º – alínea VII ? proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécie ou submetam os animais a crueldade ?. Ora, é indubitável que as raças de aves combatentes se constituem num patrimônio genético inestimável e que isso só foi possível devido à prática de sucessivas competições em milhares e milhares de anos. Também é indubitável de que esses processos aparentemente cruel, mas evidentemente necessário, premiou a espécie com atributos surpreendentemente apreciáveis, como impressionante rusticidade, musculatura privilegiada, vigor físico incomum e extraordinário potencial genético. Não fossem as lutas de galos, jamais isto teria acontecido. Por outro lado, não se pode atribuir crueldade ás práticas desse folclórico esporte, já que não há ação direta do homem sobre o animal, uma vez que eles lutam por impulso natural instintivo porque assim determina e impele seus genes. O certo é que não se pode julgar crueldade em competições galísticas sem conhecer de perto esses animais e compreender também, o amor e dedicação a eles dispensados pelos seus criadores, sejam no Brasil ou em qualquer outra parte do mundo. Crueldade contra os animais, existem sim, em proibir a prática dessas competições, já que com esses ato impensado atenta-se contra o patrimônio genético de toda uma espécie, causando-lhe deterioração e em seguida sua extinção com graves prejuízos ao contínuo melhoramento das raças destinadas ao comércio e à indústria! Não é por frivolidade que os puros-sangues são postos a competir nas pistas de corridas! Não é por sutileza de princípios que o pombo-correio é treinado para competir! Não é por requintes de agressividade que determinadas raças de cães são treinadas no combate ao crime e proteção do patrimônio público ou privado! Também não é por inominável crueldade que se põem os galos a pelejar! Tudo isto, é indubitável, possuir ligações óbvias com a célebre teoria do naturalista Lamarck, de que a função é que faz o órgão. Compreende-se assim, a necessidade da preservação do galo combatente, principalmente pela sua inquestionável importância no seio das espécies domesticas. As competições a que são submetidos, nada mais são do que um complemento à manutenção e ao aprimoramento de suas qualidades, o que ocorrendo a séculos. E é bom que se diga que a proibição a essa prática em alguns países jamais alcançou o fim desejado. E isso é muito fácil de se entender, pois um galista jamais foi ou será um contraventor e sim cultor de uma avicultura especializada, queiram ou não os ? donos da verdade ?. Não fosse isso, a espécie combatente já estaria extinta ou desfigurada pela miscigenação e dela só teríamos notícias em publicações ou livros. Aliás, as campanhas que comumente são detonadas contra o esporte galístico, até aqui, têm-se constituído num amontoado de leviandades, sem qualquer fundamento lógico, arrazoado ou científico, em que se possa enquadrar tese de proteção ou preservação de qualquer espécie animal. Que haja gente que não goste das competições galísticas, se admite. Não se pode obrigar ninguém a gostar de determinadas coisas, assim como o gosto por uma delas não pode ser imposto a quem quer que seja e, muito menos, cabe a alguém impor a outros a sua vontade de não gostar, pura e simplesmente por sua maneira de encarar os fatos. Na verdade, não compete ao ser humano guerrear irracionalmente contra os galos combatentes nem contra qualquer outra espécie animal, mas pesquisar sua utilidade e valor intrínseco no contexto biológico. Devemos, igualmente, nos compenetrar, de que Proteger pe Conservar e Não eliminar e que Por sua vez é Manter, Aperfeiçoar e Não Destruir já Que Não Existe Nenhuma Sabedoria em o Homem Destruir o que Ele Não Criou. Acrescente-se ainda, que não é só correto mas imperioso, proteger sem demagogia e preservar com sabedoria, pois o leigo geralmente é pródigo em soluções simplistas para tudo, e o mal intencionado, no seu eufemismo, um detentor de arsenal dos mais nocivos na prática do seu vandalismo ornitológico. Especificamente com respeito ao galismo, há um adágio latino de Horácio que se aplica bem ao caso e deve servir de advertência ? Naturam Expelles Furca, Tamen Usque Recurret ( expulse a natureza com um forcado e ela voltará correndo ).
    Emerson, julho de 2008

  190. Déborah disse:

    Joao Catira,sou maior de idade,e se pensa q sou criança,bom ,problema seu!!!Bom tudo bem q voce,Ronaldo nao usa as navalhas,e os seus galos saem perfeitos das rinhas,tipo assim,ileso?.Nao olha pór mim vc podem continuar a fazer rinhas tá,já q estamos num país TAOOOOOOOOOOOO CIVILIZADO,e já q nao posso empedir ninguem de praticar isto,q se divirtam,pois eu sei q faço o certo,e tenho minha consciencia muitooooo limpa.Se o governo nao tem com o que se preocupar com as rinhas,pq vc estao preocupados em ela ser legalizada,pois nao sei se vcs sabem mais quem faz o governo somos nós,e se eles nao precisam se preocupar vc tbm nao.Ronaldo e Joao Catira,os seos galos nunca saem ilesos das rinhas né,sem nenhum arranhao?Respondam.

  191. João Catira disse:

    Ronaldo esse texto ta muito bom, parabéns para o Emarson também
    Saudações Galisticas

  192. Déborah disse:

    Me responda Joao Catira e Ronaldo.

  193. João Catira disse:

    Querida Déborah leia o texto (acima) do Emerson e tenta entender alguma coisa, o Galismo é muito mais do que voce pode imaginar…

  194. Ana Paula disse:

    MEU QUERIDO, pra começar eu sou maior de idade, e NAO olho sitio do pica-pau amarelo ok.

    Vc pode ter o conceito que quiser sobre mim, afinal..NÃO ME INTERESSA o que os outros*pensam ou deixam de pensar de mim.

    Tu pode nao usar navalha mais usa algum outro instrumento, ah!só falta tu me falar que os teus galos em vez de brigar conversam!

    E se vc fosse uma pessoa inteligente nem perderia tempo mandando essas abobrinhas que vc diz ser seu trabalho.

    E que trabalho hein! Um belo exemplo pro povo Brasileiro.

    Se vc tivese lido ou pesquizado alguns assuntos, textos e slides ou até mesmo imagens reais vc iria ver que NAO É um exporte ou até mesmo uma diversão.

    Mas como vc só sabe dizer que as rinhas existem á 5.000 anos então acho melhor continuar assim porque é MUITO pra vc.

  195. Ana Paula disse:

    JULGAR UM ANIMAL PELO ATO DO HOMEM É O MESMO QUE CONDENÁ-LO Á MORTE!

    jamais esqueça disso.

  196. CANGA disse:

    Guardada as devidas proporções e ponderações, não seria aconselhável que se filmasse e saísse mostrando por aí, a matança e o “descarnear” de animais nos diversos frigoríficos brasileiros.
    Qualquer pessoa, de bom senso, que chegasse a assistir essa filmagem iria achar horripilante, não iria gostar e não aconselharia ninguém a ver, não é isso?
    Então, por esse motivo, vamos, agora, criar uma Lei proibindo toda matança de bois, cavalos, porcos, frangos, etc., e não vamos mais comer carnes? Vocês concordam?
    Claro que muita coisa pode ser melhorada e todo exagero deve ser coibido.

  197. Nada lhe pertence mais que seus sonhos. A Historia nos ensina. Que em época de injustiças e tirania O homem e chamado a lutar Os bravos de coração puro que tem fome de vida sede de justiça e dotados de grande determinação. Esses vão para a batalha Os fracos a esses sucumbem ante o medo e a covardia. Que DEUS nos de forca E coragem para não abdicarmos de nossas crenças Tenhamos FÉ para acreditarmos na luta mesmo que essa tirania tente destruir. Nossos valores. Recuperemos a nossa honra que DEUS esteja conosco nessa luta. Pois e certo eles são muitos poderosos e maus. Mas a verdade esta do nosso lado. Estamos lutando pela tradição e preservação de uma raça única no mundo na qual deveríamos inspirar e a prendermos. Pois eles lutam somente pela vitória. E somos a ultima esperança dessa raça de guerreiros Emplumados. Ante a sanha mortal dos perseguidores. Uma só semente vale por MIL FLORESRAS sejamos essa semente fértil e fecunda ainda que tudo possa parecer perdido. Façamos como nossos guerreiros emplumados lutem com todas as forcas. Pois o que conta e como lutamos, pois, a vitória pertence aos homens e a gloria a DEUS pote ser que um dia a coragem termine, Mas esse dia só será possível. Quando trairmos nossas amizades e desertarmos nossos amigos. Então terá chegado o fim da nossa FRATERNIDADE

    Mas esse dia não e hoje HOJE e um dia de luta. Podem querer dobrar-me a espinha, mas, isso só acontecera depois de morto, pois, eu venho de um lugar onde a gente Acredita nos JOVENS ouve os velhos e respeita o eterno Eu venho de um lugar aonde o canto e de campo e de rio, mas, sobritudo eu venho de um lugar onde o HOMEM tem PATRIA PENSA E OPINA EU SOU GOIANO EU SOU GALISTA,Assis Cruvinel

  198. Ana Paula quem e voce de galos voce nao tem em um PINTINHO em casa

  199. Ana Paula quem e voce pra falar de galos voce nao tem em um Pintinho em casa

  200. Doa a quem Doer
    Os Desembargadores de Mato Grosso com base na Constituição , uma vez que está preservando uma tradição popular de mais de 500 anos e por outro lado , não existe nenhuma lei que diga sobre proibição de briga de galos no Brasil , existiu um Decreto do ex-presidente Janio Quadros que proibia o uso de biquinis , briga de galo , etc , mas esse decreto foi revogado há muito tempo por ministro Tancredo Neves .
    O que existe é uma lei geral sobre maus tratos aos animais e não especificamente a briga de galos, não existe crime sem tipificação penal e nenhuma parte do Código Penal fala que briga de galo é crime . Por esse motivo os Doutos desembargadores que são profundos conhecedores do Direito Brasileiro e talvez pensando também na preservação da genética do galo brasileiro que devem ser selecionados e os melhores reproduzirão os seus descendentes para que não se estinga essa maravilhosa ave , que é o única não precisa ser estimulada para brigar . Certamente para preservação da espécie liberaram um clube de galos na progressista Cuiabá

  201. CANGA disse:

    A garantia constitucional das manifestações culturais existe exatamente porque as práticas culturais envolvem tradições, valores diversos. As questões culturais são, em todo o mundo, motivo de muitas discordias e, normalmente, as maiorias tentam banir as minorias. Foi assim com as práticas religiosas fora da Igreja Católica. Por isso as manifestações culturais precisam ser garantidas pelo Estado. Se não houvesse divergencia e perseguição não haveria necessidade desse direito constar na Constituição.(escrito por André)

  202. Ana Paula disse:

    Se eu tenho ou nao um pintinho em casa o problema é meu ok. Se vc nao tem eu nao posso faze nada.
    Inveja mata Tchutchucaa.

  203. Ana Paula disse:

    Vc é muiiiiito ignorante mesmo, não tem o mínimo de consideração!

    A ignorancia é tão grande que o problema não é se eu entendo ou nao do assunto!

    Isso pra mim não muda nada e quem disse que eu não tenho galos?! Sim eu tenho 9 galos no meu sítio e pode ter certeza que não boto eles para brigar.

    Agora pode continuar com seus comentários TOTALMENTE sem sentido pq eu sei que não vai mudar mesmo….infelismente ainda tem pessoas que pensam muiito pequeno que nem VC.

    • clayton disse:

      pq vcs so perseguem nos ja viuum caminhão gaiola cheio de bois ja foi em uma granja e nas pecuariase muito mais são maus nescessario e não maldade como diz e o fim dos galos apreendidos vc acompanha busca ai na net apreensão de 140 galos que vai ver como defendem os bichos

  204. NEURO disse:

    ANA PAULA, TENHO UMA OPINIAO SOBRE O ASSUNTO,COMO NEM TODOS SÃO A FAVOR DAS RINHAS, DEVERIA EXISTIR UMA EMENDA NESTA LEI DE QUE CADA MUNICIPIO COM SUA ADMINISTRAÇÃO E CAMARA DE VEREADORES DISCUTISSE O ASSUNTO POIS DESCENTRALIZARIA A DISCUÇÃO VIA MUNICIPIOS ENTÃO SERIA RESOLVIDO.
    SEI QUE NA MAIORIA DOS PAISES AS RINHAS NÃO SÃO PROIBIDAS MAS SIM REGULAMENTADA AI SIM OS ANIMAIS TERIAM OS DEVIDOS CUIDADOS E SEUS CRIADORES A APRECIADORES NÃO SERIAM TRATADOS COMO CRIMINOSOS, POIS CONHEÇO MUITA GENTE DE BOA INDOLE QUE PARTICIPA DE RINHAS.

  205. João Catira disse:

    A Ana Paula e a Déborah são menininhas dando opiniões sobre o Galismo que não entendem nada, elas são adolescentes que leram algum texto de jornalismo mau informado e tendencioso, depois mandam essas conversas disparatadas, sem conteúdo nenhum…

  206. Pentecorte Nunes de Oliveira disse:

    Estou neseta porque é meu R

  207. Pentecorte Nunes de Oliveira disse:

    Estou nesta porque é meu Robbie, pois não vejo… . Fico feliz.

  208. Pentecorte Nunes de Oliveira disse:

    Também tenho um amigo gaslista por nome Elson que adora galo9 de briga desde sua infância e fala ele que jamais deixará. Pois é seu Robbie.

  209. RonaldoC disse:

    Queridas Ana e Débora, é claro que os galos quando brigam não saem ilesos, se não estariam dançando balet, no entanto, o que se pretende é reduzir ao máximo a possibilidade de danos irreparáveis. Um erro muito comum que leigos cometem é dizer que os galistas botam os galos para brigar, pois, na verdade, deixamos que os mesmos briguem, uma vez que uma luta é o que sempre acontece quando dois galos de briga se encontram, independente da ação do ser humano. Ana os galos que você tem não são de briga pois, se fossem, teriam matado uns aos outros a menos que você os mantenha totalmente separados e, nesse caso, esses não poderiam ficar totalmente afastados de lutas, pois um galo de briga que não briga pode adoecer e morrer facilmente. Já que você tem um sítio, sugiro que faça uma esperiência. Arrume dois galos de briga saudáveis e um não deixe que ele brigue nunca e o outro faça que quinzenalmente ele lute com outro galo com as devidas proteções, é claro (lembrando que isso só pode ser feito por um especialista). Ao final de um ano, peça a um veterinário para comparar a saúde e aparência dos dois animais.
    Já que vocês gostam de fazer perguntas, vou fazer uma.
    Se na próxima encarnação vocês tivessem que ser um galo, de qual tipo vocês queriam ser:
    1 – Um frango de corte que vive somente 45 dias; filho de chocadeira (órfão); nunca vê o sol e no lugar deste existem luzes que ofuscam suas vistas dia e noite; é alimentado artificialmente com rações, hormônios e antibióticos; vive totalmente confinado; sofre de obesidade; e ao final dos 45 dias é sumariamente degolado. ou
    2 – Um galo de briga que vive, no mínimo 12 meses, totalmente em liberdade até os 8 meses para perfeito desenvolvimento de músculos e ossos; tem alimentação variada e natural para preservação de sua rusticidade; toma banho de sol a hora que quiser; é criado com sua mãe (ou uma adotiva) e irmãos; tem um corpo atletico por toda a vida, aproximadamente aos 17 meses de vida é sobmetido a treinamento gradativo respeitando seus limites físicos; e quando devidamente preparado terá a chance que nenhum outro animal destinado ao consumo humano tem que é a de lutar por sua própria vida e poder viver por mais de 8 anos cercado de todos os cuidados como reprodutor ou, simplesmente, por respeito ao seu heroismo.

  210. evaristo leão disse:

    acho q se a briga de galo e proibida , a vaqueijada tbm tinha q ser pois e humano contra animal e briga de galo e animal contra animal !! então na minha opinião a vaqueijda q deveria ser proibida e não a briga d galo pos eles brigão por estinto

  211. Ana Paula disse:

    Bom se vc acha que rinha de galo é um Robbie faze o que, nao posso mudar mesmo.

    Ah! Ronaldo ve se cresce!

  212. João Catira disse:

    Ana Paula o Galismo não é um Robbie é vocação, é PAIXÃO…

  213. Ana Paula disse:

    João Catira vc pelo jeito nao sabe o que é PAIXÃO.

  214. Eversong Cavalheiro disse:

    Aniversário da Morte de Ernest Hemingway, que tem um livro de lançado pelo amigo, no Brasil, Hemingway era um amante da briga de Galo, no ele deixa um comentário aos que criticam a briga de Galo , assim ele disse: “Aos que criticam a briga de Galo,que outra coisa o Galo de Briga gosta de fazer????? ” este foi Hemingway….

  215. RonaldoC disse:

    Cara Ana Paula, crescer, para mim, vai ficar um pouco difícil devido a minha idade. Só se for para os lados. No entanto, posso te dar o mesmo conselho, mas, em relação a sua visão sobre as coisas da vida. Quando eu disse que vocês estavam vendo muito sítio do pica pau amarelo eu não quis chamar vocês de crianças e, sim, dizer que vocês não têm uma visão real do que é a vida no campo e suas particularidades. Mas tudo isso não vem ao caso e sim o fato de vocês e todas as pessoas que criticam os galistas nunca apresentarem uma solução para o problema. Limitam-se a ofender e apelar para um sentimentalismo surreal pois, na verdade, promove a destruição de uma espécie. Com certeza vocês conhecem o mandamento “não julgarás”, então tomem cuidado pois podem estar cometendo um grande pecado em rotular e julgar pessoas que vocês não conhecem.
    Ah! Já decidiram que tipo de galo vocês gostariam de ser na próxima encarnação? ah, ha, ha…..
    Um feliz ano novo para todos.

  216. Ana Paula e deborah disse:

    Querido Bosta!

    O que defendemos ou deixamos de defender só diz respeito á nos.
    Se seremos galos na outra encarnação ou nao tbm só diz respeito á nos.
    cmo vc cuida dos seus galos é problema seu apenas estamos trabalhando.
    Tomara que na proxima encarnação vc nao reencarne e arda nas chamas do Inferno pq é isso que pessoas sem escrupulos merecem.

    • felipe disse:

      Eu acho, que você erdeu o debate, mas isso é só uma percepção minha. No seu comentário para com o Ronaldo, você esta mostrando qual(ou esta nos dando uma pista) seus motivos inconcientes para que você seja contra os galistas. Não existe pessoa normal que va descendoo nível na mesma proporção que seu interlocutor vai aumentando o seu, na argumentação

    • clayton disse:

      vc q defender como se não tem nem mesmo educação pra falar com os outros e vc e so mais um que vai na ideia dos outra como papagaio nem sabe nada sobre o q acha q pensa

  217. João Catira disse:

    Ana Paula, se voce quer respeito pelo que voce defende ou voce disse “trabalho”, tem que respeitar a opinião dos outros, estudar sobre o que está em discussão para poder opinar e ter uma conversa de nível, falar por falar e ofender as pessoas não vale a pena, respeito e educação sempre fazem bem a uma conversa sadia…
    Tenha um bom dia

  218. CANGA disse:

    Dos centenas de milhares de criadores de galos combatentes no Brasil, acredito eu, que 50% já desistiram de continuar criando. A outra metade continua, ainda, tão somente, pela ESPERANÇA de legalização dos combates (com regras definidas), como única forma de manutenção da espécie. (por incrível que possa parecer para os leigos).
    Acabando essa ESPERANÇA, a quase totalidade (99,99%) dos criadores abandonarão, com certeza, à atividade. Os 0,001% restantes serão levados à extinção em bem pouco tempo: cruzamentos com galinhas caipiras, desestímulo, cruzamentos com os parentes, falta de especialidade no manejo, etc., etc.
    Como a nossa Constituição Federal determina que a manutenção de todo patrimônio genético nacional é responsabilidade do Estado, como ficaria, a partir de então, a preservação dessa espécie? Que outra alternativa terão? Qual será a fórmula mágica a ser utilizada? Ou isso não tem importância…..? Somenos..?

  219. Anônimo disse:

    ¬¬’

  220. Ana Paula e deborah disse:

    Existem pessoas que nao merecem respeito, por isso muitas vezes ignormos o fato de ter uma conversa civilizada.

  221. Concriz-PB disse:

    O artigo 215 da CF diz: O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes de cultura nacional, e apoiará a valorização e a difusão das manifestações culturais. A briga de galo é nada mais do que um evento cultural praticado em todo território nacional mesmo com a perseguição do Ibama.

  222. CANGA disse:

    Já que a total proibição das brigas de galos levará, inexoravelmente, a espécie à extinção. (Só criar por boniteza, levará uma raça milenar à degeneração, em virtude da consangüinidade e outra série de fatores já claramente relatados), porque o IBAMA não estuda a possibilidade de se regulamentar a criação dos galináceos combatentes, semelhante a implantada com os criadores de pássaros em cativeiro. Mesmo assim e apesar de muitas pessoas acharem que prender passarinhos em gaiolas é uma atitude muito cruel, nem por isso o IBAMA deixou de encarar a realidade dos fatos e em consonância e respeito aos costumes de uma parcela da população, organizou, colocou regras e fiscaliza com eficiência todos os criadouros.
    Com esse trabalho de alto nível tirou da clandestinidade criadores sérios, pais de famílias e o mais importante de tudo, a transformou numa atividade LEGAL e PRODUTIVA.
    Será que os criadores de aves combatentes não poderiam merecer a tão nobre iniciativa?

  223. Deborah disse:

    Não,não acho que os criadores de aves combatentes merecem a nobre iniciativa,vcs podem continuar com os seus galos(o q eu posso fazer,nada adianta pra acabar com as rinhas)mas não me esqueço daquela mensagem q pedii para vcs verem,então acho que nenhum criador de aves combatentes merecee a nobre iniciativa e nenhum outro privilegio

  224. João Catira disse:

    Deborah voce está confundindo criação de galos combatentes com rinha de galos (competição), são coisas muito distintas, as aves combatentes tem o direito a vida como qualquer outro animal na face da terra…

  225. joaquim curitiba pr disse:

    estou torçendo para que libere as rinha sou galista tambem des dos meus 8 anos hoje tenho 40 anos vou morrer assim queira o governo ou nao.

  226. Deborah disse:

    Eu tbm,sou protetora dos bixos desde os meus 10 anos de idade e vou morrer assim, governo querendo ou não,mas acho que eles querem ,hahahaha!

  227. Ana Paula disse:

    Pois é..querido joaquim e vc querendo ou nao vamos continuar protegendo, vc querendo ou nao vamos brigar até a morte e o principal é que vc QUERENDO OU NAO a polícia e o governo sem pre estiveram do nosso lado.

  228. Ana Paula disse:

    Rinha de galo é CRIME segundo o artigo 32 da lei 9.605/98.
    Não esquece joaquim pq mais uma vez vc querendo ou nao a policia sabe disso!!!!

  229. Ana Paula disse:

    Rinha de galo é CRIME segundo o artigo 32 da lei 9.605/98.
    Não esquece joaquim pq mais uma vez vc querendo ou nao a policia sabe disso!!!!e a pena é de tres meses a um ano de detenção.

  230. João Catira disse:

    A Lei nº 9605, de 12/02/98 sobre condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, Não contém algum artigo que fala sobre RINHA DE GALOS.
    O Galismo por ser uma tradição do povo Brasileiro e fazendo parte de sua cultura, nós temos o DIREITO a uma REGULAMENTAÇÃO das Rinhas de Galo, as leis tem que ir ao encontro com dos costumes populares…

  231. Ana Paula disse:

    Meu querido a partir o momento em que vcs maltratam os animais vcs nao tem direito a NADA!

  232. João Catira disse:

    Querida Ana Paula nós não maltratamos os galos, eles birgam porque é o instinto dos Galos Combatentes, eles nasceram para brigar e vão continuar brigando, o instinto dos animais nós não conseguimos mudar…
    Eu acho bonito e certo voce defender os animais, eu também sou a favor de que se tratem bem os animais, tudo bem…
    Mais o Galismo, Criação e Competição fazem parte dos costumes do povo brasileiro, como a Vaquejada, Rodeio, Bumba meu Boi e outras tradições do nosso povo.
    A vontade popular tem que ser soberana, senão corremos o risco de perder a nossa identidade, o nosso jeito de viver, cada povo tem os seus rituais, entende…
    Boa Noite

    • felipe disse:

      eu acho que ela acha que os galos brigam por que vocês “ensinaram” ele a fazer isso, que o maltrataram e o dexaram neurótico e por isso, anti-social. Ela ta julgando os galos de acondo com a psicologia humana e canina(por que cães para brigar, aí sim são maltratados)

  233. Deborah disse:

    João,eu não estou te criticando certo!Só quero fazer todos pensarem no que vou escrever.Vc disse que o Galismo,é como a vaquejada e outras coisas e que é vontade popular,muito bem,deixa eu dizer uma coisa,cada povo tem o governo que merece,é de sua vontade termos o presidenta que temos?é de sua vontade ter o governador que tem ?é de sua vontade ter o prefeito que tem?é de sua vontade morar num país corrupto,com injustiças,com os ladrões soltos?é de sua vontade morar num país onde vc não pode usar a camiseta do mesmo,vamos pegar um exemplo simples,os E.U.A.,eles usam o slogan do país,até no arroz que comem,hehe.É de sua vontade tudo isso,com certeza não,e se não é de vontade,então não diga que é vontade popular,pois sendo o país que é,fizemos parte dele e onde um não participa,já não somos mais esta “vontade popular”.

  234. RonaldoC disse:

    Caros amigos galistas, essas duas são um exemplo típico da mediucridade da atual sociedade brasileira. Mentes fabricadas pela ignorância, preconceito e incapases de enxergar um palmo além do nariz. Vamos continuar defendendo nossos animais independente de quisquer idiotas de plantão. Infelizmente nós galistas não somos unidos, pois dessa forma ficaria muito fácil mostar a verdade às autoridades. Eu como preservador e defensor da espécie gallus gallus, tomei a iniciativa de preparar um documento de 150 páginas sobre o galismo no Brasil e no mundo, o qual será levado ao conhecimento das autoridades em Brasília. Esse documento mostra a realidade da atividade e a necessidade da criação de uma lei específica de proteção ao galo combatente, que respeite as suas características natas. Um companheiro comentou que muitos galistas desistiram de criar com a atual repressão. Esses que me desculpem mas não são galistas legítimos pois, os verdadeiros galistas, sabem da sua obrigação com a espécie a qual somente tem a nós como preservadores.
    Se vocês quiserem continuar respondendo aos comentários das duas coleguinhas, que continuem, mas eu acho perda de tempo, pois a mente delas é extremamente limitada e quando não têm um contra-argumento convincente, o que ocorre sempre, começão a xingar e ofender. Mas isso é típico.

  235. Ana Paula disse:

    Ronaldo,

    1° Ninguem pediu a sua opinião no assunto.

    2°Vc responde pq quer e de forma incapaz e indelicada ao contrario de João Catira que pelo menos educação tem.

    e

    3°a conversa é entre João Catira, Ana Paula e Déborah.

    então como ULTIMO pedido…vá procurar seus galinhos na esquina.

    Ah! João Catira querido são vcs que tem qu mudar e nao o instinto dos galos.

  236. Deborah disse:

    Meu querido Ronaldo!Idiota,estupido,ignorante,sem escrupulos é vc.Vc disse q quando não temos argumentos começamos a xingar,e do que vc chamos as “COLEGUINHAS” mesmo!Só estou te respondendo pq pra mim vale muito a pena conversar com outra pessoas q pensam diferente,critico sim,pq vc tbm criticaria uma coisa que não gosta,e sabe disso,só por favor,não seja tão soberbo dizendo-Caros amigos galistas….Ao contrario do q vc pensa minha inteligencia não é nem um pouco limitada,já viajei para a Europa,passei um ano lá,se vc tiver a oportunidade,conheça,lá não existe essas rinhas,e se existirem,bom,entaum são praticamente invisiveis!Mais naum podemos esquecer,moramos no Brasil né,onde brasileiros naão sabem cantar o hino nacional,e nem sabem que existe o hino do estado,e escrevem BRASIL com Z.Se vcs acham q devem parar de falar,ok,tudo bem,mais digam q não querem mais,pq se do contrario for,pensarei que és umempregado de Ronaldo.Como vc disse continue defendendo as rinhas,e eu continuarei defendendo a proteçao,e não me interessa se é instinto ou não,só sei que tenho uma amiga,esta tem uma fazenda,q por acaso é muito linda,cria 3 galos e algumas galinhas,mais nunca ouve briga,que eu saiba,mais como sou amiga de outros carnavais,ela já teria me contado se os galos estivessem brigando por,como vcs dizem mesmo…..aaaaa é instinto.Não estou aqui pra xingar ninguem,mais se eu for ofendida nao tenha duvida que revidarei.Obrigada.

  237. RonaldoC disse:

    Esta mensagem foi publicada em um forum de debates sobre a briga de galos.

    “Anônimo disse…
    Não sou galista, mas amo a verdade e a justiça.Hoje tenho 51 anos de idade.Lembro que quando tinha meus dezesseis anos, ganhei de presente um casal de “pintos de raça” e soltei tais aves no quintal de minha casa. Quando cresceram, reproduziram. Os filhotes eram lindos e energicos, mas como,em razão dos estudos e outros afazeres, eu apenas colocava comida e água para todos, com o tempo, vez por outra aparecia um filhote morto ou quase morto em consequência de brigas entre eles, sendo que finalmente escapou um, que cresceu e, a exemplo do pai, passou a cantar. Algumas vezes, na hora do café da manhâ, observei que, quando o filho cantava, o pai olhava com um ar diferente. Certo dia, ao chegar em casa para almoçar, encontrei pai e filho ensanguentados numa ferrenha briga e a mãe assistindo o desenrolar daquela contenda. Apartei a briga, chamei um conhecido que gostava de galos de briga e pedí para levar aquela família de aves que me surpreendeu com seu comportamento.O conhecido ainda me deu uns “trocados” e depois me disse que ganhou dinheiro no “prado” com tais animais. Hoje vejo reportagens sobre prisões de galistas e debates sobre ser ou não ser contra as brigas de galos e, pela pequena experiência que tive, não poderia deixar de dar o testemunho do que vivenciei, além de dizer que, baseado em tal fato, entendo que galo de briga nasceu para briga, independentemente da vontade humana, razão pela qual não sou contra as brigas de galos, pois também amo a natureza. É o testemunho da realidade e da verdade, façam um teste e publiquem o resultado. Estou pensando de fazer o teste para saber se o que aconteceu há trinta e cinco anos se repete, mas só quando me aposentar, porque quero vigiar os pintinhos para não deixá-los morrer e quando eles começarem a brigar separá-los e entragá-los para um especialista em galos de brigas.”

  238. Deborah disse:

    Pode ser!Mais o correto a dizer,caro INTELIGENTE Ronaldo,é que vcs,já que dizem que é da natureza,aproveitam a briga para ganhar dinheiro,e se eu sei bem o que é amar a natureza,como este senhor do forum aí diz,não é usurpar dela!

    • walter disse:

      . Débora respeite os galistas, pois, eles te respeitam você e muito neorotica te dou dois pintinhos se não se matarem antes de virarem galos se conseguir os criar juntos entro para sua onge, mas se ele se matarem em suas mãos vc também será uma galista, pois eles teram se matado em suas mãos eles brigam o fazemos e só estabelecer quando e com menos danos a eles..

  239. NPS disse:

    Sou galista a 15 anos, acho uma tremenda idiotisse dos ambientalistas de plantão que não são capases de pesquisar realmente como funciona uma rinha de galos ficarem fazendo um verdadeiro alvorosso em cima de um assunto que na realidade eles nem sequer conhecem realmente, não sabem de fato como são cuidados os galos e de todo o tratamento que recebem, preocupam-se tanto com os galos de rinha que estão querendo extinguir com a espécie, sim, pois se os galistas não criarem e cuidarem dos

  240. RonaldoC disse:

    Se for assim teremos que mandar fechar todas a lojas que vendem animais de estimação, todas as fazendas que criam animais para venda e, até, considerando que plantas também parte da natureza, todas as fazendas que possuem plantações destinadas ao comércio.
    Existem galistas que criam somente para comércio (5% do total) e eu não vejo nada de errado nisso visto que outros animais, inclusive silvestres, também são criados com esse objetivo.
    Quanto a lucrar com o jogo em briga de galos, tem uma coisa que quase ninguem sabe, que é o fato de, aproximadamente, somente 50% das pessoas que frequentam rinhas serem criadores. Os outros 50% são jogadores que não criam um único pinto e alguns nem gostam de galos de briga, somente, do jogo. Mas jogo tem em todo lugar e, no caso das brigas de galos, ele tem uma função importante que é agregar valor aos animais, viabilizando a continuidade das criações. Se não houvesse apostas em corridas de cavalos e, consequentemente, os prêmios não fossem altos, os animais também não teriam valor e existiriam poucos criadores prejudicando o desenvolvimento das raças de corrida. A maior parte dos galistas criam somente porque gostam e uma prova contundente disso ocorre com muita frequência no meio galístico e é o caso de um galista pagar, por exemplo, R$300,00 em um galo e, quando este é levado à rinha, o galista aposta apenas R$ 100,00 (se o objetivo fosse lucrar a aposta teria que ser superiosr a R$300,00). Isso ocorre porque para o galista o que importa é seu galo ser campeão e não o que ele vai ganhar com isso.

  241. RonaldoC disse:

    “Gostar ou não de algo jamais colocará a razão ao nosso lado Se é ela motivo de polêmicas. Gostamos ou não de
    Alguma coisa por razões que ás vezes nem mesmo
    O sabemos explicar, pois como é costume dizer-se;
    Gosto não se discute. Mas, se a razão tem razões que.
    A própria razão desconhece, o certo é que, nas simpatias e.
    Antipatias ela perde seus direitos! Esta é a lei natural, sem.
    Regras e sem sofismas “.
    Francisco Elias (Escritor e pesquisador sobre Galismo)

  242. RonaldoC disse:

    Galo de Rinha
    Autoria: Jayme Caetano Braun

    Valente galo de rinha,
    guasca vestido de penas!
    Quando arrastas as chilenas
    No tambor de um rinhedeiro,
    No teu ímpeto guerreiro
    Vejo um gaúcho avançando
    Ensangüentado, peleando,
    No calor do entreveiro !

    Pois assim como tu lutas
    Frente a frente, peito nu.
    Lutou também o chiru
    Na conquista deste chão…
    E como tu sem paixão
    Em silêncio ferro a ferro,
    Cala sem dar um berro
    De lança firme na mão!

    Evoco neste teu sangue
    Que brota rubro e selvagem.
    Respingando na serragem,
    Do teu peito descoberto,
    O guasca de campo aberto,
    De poncho feito em frangalhos.
    Quando riscava os atalhos
    Do nosso destino incerto!

    Deus te deu , como ao gaúcho
    Que jamais dobra o penacho,
    Essa de altivez de índio macho
    Ques ostentas Já quando pinto:
    E a diferença que sinto
    E que o guasca bem ou mal!
    Só lutas por um ideal
    E tu brigas pôr instinto!

    Pôr isso é que numa rinha
    Eu comtigo sofro junto,
    Ao te ver quase defunto.
    De arrasto , quebrado e cego,
    Como quem diz Não me entrego:
    Sou galo, morro e não grito
    Cumprindo o fado maldito
    Que desde a casca eu carrego!

    E ao te ver morrer peleando
    No teu destino cruel.
    Sem dar nem pedir quarteu.
    Rude gaúcho emplumado.
    Meio triste , encabulado,
    Mil vezes me perguntei
    Pôr que é que não me boleei
    Pra morrer no teu costado?

    Porque na rinha da vida
    Já me bastava um empate!
    Pois cheguei no arremate
    Batido , sem bico e torto ..
    E só me resta o conforto
    Como a ti, galo de rinha
    Que se alguem me
    dobrar – me a espinha
    Há de ser depois de morto!

  243. Deborah disse:

    Ronaldo,primeiro vc diz que a rinha é para perpetuar a especie,e que é da natureza do animal,e que vc fazem isto pq gostam,e depois diz que isso é um jogo,parabens,vc se contradiz!

  244. RonaldoC disse:

    Cara Débora, eu não falei que é somente um jogo, e sim que este também contribui para o processo de manutenção da espécie, assim como nas corridas de cavalos.

  245. RonaldoC disse:

    Débora, você falou que ficou chocada com os slides que você viu, pois eu gostaria que tu vices as fotos que eu tenho de galos que são apreendidos pela polícia. No Paraná um juiz mandou fazer um tapete de galos degolados e a desculpa para o extermínio foi a de que os animais estavam contaminados com substâncias tóxicas usadas pelos galistas para que os animais sintam vontade de brigar. O pior de tudo, é que quem solicitou o extermínio foi uma entidade de proteção aos animais. Aqui na minha cidade uns policiais foram a casa de um amigo meu para fazer uma extorsão, pegaram os galos dele, botaram em uma gaiola de ferro, lacraram o local onde os animais ficaram e só retornaram no dia seguinte. Os animais ficaram em um local que incidia o sol e, como estavem presos no gaiolão, todos morreram de sede e insolação. Os galos levados nas apreenções dificilmente sobrevivem, visto que os policiais e veterinários não conhecem a natureza dos galos de briga, os quais requerem cuidados especiais. Eu li o relato de um veterinário que tinha 40 galos apreendidos sob os seus cuidados, no qual ele falava que não sabia mais o que fazer para que os animais parassem de morrer, e dos 40 só restavam cinco vivos.
    O que me deixa indignado, é que quanto ao extermínio de galos de briga as entidades de proteção aos nanimais e os que se dizem protetores não se manifestam.
    Minha cara, o que sinto pelo meus galos é exatamente o que você sente pelo seu cachorro, se você tiver um é claro, por sinal eu tenho dois, e você já imaginou se as pessoas só gostassem de cachorros, o que seria dos outros animais? Mas a natureza é perfeita e criou pessoas com gostos diferentes, existindo pessoas que dedicam as suas vidas para proteger espécies tais como gorilas, elefantes, baleias, crocodilos, tubarões e outros bichos. Eu gosto de galos de briga e, já que estes não mais existem em estado selvagem, por culpa do próprio homem, cabe a nós galistas cuidar para que a espécie não seja estinta.

  246. Deborah disse:

    Os galos que,vc se refere,estão maltratados,certo? são apreendidos pelos policias e são de quem ?Provavelmente de galistas,por isso vc diz que são imagens horriveis!Mais olha só Ronaldo,vc se aceita que paremos de ficar nesta discussão,pois afinal,eu nuna irei para com a proteção,e não sei se vc tem rinha,mais se tiver,tbm,nunca vai parar,não adianta nenhum de nois dois ficar falando,de nada vai adiantar.Aceita?

  247. RonaldoC disse:

    Claro que sim, mas que fique bem claro que não venho a este espaço para convencer ninguem de nada, mesmo porque ninguem e dono da verdade, cabendo às autoridades a decisão final que, ao meu ver, tem que ser pautada em informaçõpes reais e bem fundamentadas e não com base em achismos e mentiras como tem acontecido nos últimos tempos. Então está combinado, você fica com a sua proteção e eu com a minha.

  248. João Catira disse:

    As únicas pessoas que protegem os animais são os próprios criadores, o RESTO é conversa de jornalismo mal informado e mal intencionado…
    VIVA O GALISMO

  249. RonaldoC disse:

    Mais um texto publicado por um não-galista.

    NA CHÁCARA ONDE MORO CRIO GALINHAS E GALOS CAIPIRAS E A MINHA CRIAÇÃO NÃO PROSPERAVA , HAVIA DIVERSOS TIPOS DE GAVIÕES QUE ATACAVAM OS MEUS FRANGUINHOS .OS GAVIÕES FURTIVAMENTE LEVANTAREM VÔOS COM MEUS MINHAS AVES .
    CERTA VEZ OBSERVEI UM DESSES GAVIÕES DE GRANDE PORTE ATERRIZAR NO TERREIRO CAUSANDO PÃNICO NO GALO E NAS GALINHAS CAIPIRAS , COM A FUGA APAVORADA DE MINHAS AVES ADULTAS ….HORORIZADAS COM A PRESENÇA DO PREDADOR QUE VEIO DO CÉU APROVEITOU A FRAQUEZA DO GALO CAIPIRA …E APANHOU UM FRAN GUINHO E SE ESCAFEDEU PELO CÉU …. .E A MINHA CRIAÇÃO NÃO IA PRA FRENTE …..ATÉ QUE ENTÃO , CONHECI UM GALISTA E CONTEI-LHE QUE NÃO CONSEGUIA CRIAR OS FRANGUINHOS , ELE ENTÃO DISSE VOU TE DAR UM GALO PURO DE BRIGA PARA TOMAR CONTA DO TERREIRO .
    ELE TROUXE EM MINHA CHÁCARA UM GALO MUITO BONITO PRATEADO , A SUA CALDA ARRASTAVA AO CHÃO E COM ESPORAS DE UNS 4CM APROXIMADAMENTE , FIQUEI OBSERVANDO E A TARDE DESCEU UM GAVIÃO DE GRANDE PORTE COMO DE COSTUME , AS GALINHAS CAIPIRAS , FRANGOS E UM GALO CAIPIRA CORRERAM APAVORADOS DO GAVIÃO E DAÍ O GALO DE BRIGA VEIO EM DISPARADA AO ENCONTRO DA AVE DE RAPINA E NA PRIMEIRA BATIDA DO GALO DE BRIGA CONTRA
    O GAVIÃO SAIU PENA PARA TODOS OS LADOS E O GAVIÃO FUGIU ….. ESSE GALO DE BRIGA VEIO TRAZER A PAZ AOS MEUS FRANGUINHOS ….ACABOU O PROBLEMA , NO TERREIRO NÃO DESCEU MAIS NENHUM GAVIÃO APÓS A PRESENÇA DO GALO PURO DE BRIGA .
    O GALO DE BRIGA É4 CRIADO SEPARADO DE OUTRAS AVES A CENTENAS DE ANOS POR ISSO CONSERVA A VALENTIA E INSTINTO DE BRIGA .
    GALO DE BRIGA É DIFERENTE DOS GALOS DE SÍTIOS E FAZENDAS QUE BRINGAM UM POUCO E LOGO FOGEM .O GALO PURO DE BRIGA É UMA MAJESTOSA AVE CRIADA COM A FINALIDADE EXCLUSIVA PARA BRIGAR .
    MUITOS LEIGOS QUEREM COMPARAR OS GALOS DE SÍTIOS E FAZENDAS COM O VERDADEIRO GALO DE BRIGA , ELE É DIFERENTE DE TODOS GALOS ….. É A AVE QUE ESTÁ SENDO PRESERVADA PELOS ABNEGADOS GALISTAS .

  250. Deborah disse:

    João Catira,ninguem pediu sua opnião,a conversa era e é entre EU e RONALDO,não sei se sabe diferenciar RONALDO de JOÃO CATIRA!Continuo protegendo os animais e vc naum tem que se meter,será apenas mais uma opniao inutil,eu e ronaldo já fizemos um trato,mais por favor não se meta de pato a ganso.VIVA A PROTEÇÃO

  251. IVONETE DE ARAUJO disse:

    EU ATÉ POUCO TEMPO CONDENAVA BRIGA DE GALOS , AGORA VEJO QUE ESTAVA COMPLETAMENTE ERRADO , POIS SE ERRADICAREM AS DISPUSTAS DE GALOS , QUEM CONTINUARÁ A CRIAR ESSAS AVES . o GALO DE BRIGA ESTRIA FADADO A ESTINÇÃO E EU COMO PROTETETOR ESTARIA CONTRIBUINDO PARA O DESAPARECIMENTO DESTA AVE .
    HOJE TENHO UMA VISÃO DIFERENTE DO PROBLEMA , ACHO QUE O GOVERNO FEDERAL DEVERIA FAZER UMA LIBERAÇÃO RESPONSÁVEL DE BRIGAS DE GALOS , COM REGRAS RÍGIDAS E QUE OS GALOS BRIGASSEM COM ESPORAS DE PONTA GROSSA E QUE NÃO CAUSASSEM DANOS AO GALO PERDEDOR .
    COM ESSAS MEDIDAS DO GOVERNO OU DO JUDICIÁRIO (STF) O GALO DE BRIGA ESTARIA PRESERVADO .

  252. RonaldoC disse:

    Ivonete não é a primeira pessoa que era contra e agora entendo o que realmente acontece. Crio galos de briga a 33 anos e muitas vezes me questionei sobre o que eu estava fazendo, chegando até a parar de criar por 3 anos. Tendo tomado conhecimento das atrocidades que o poder público estava fazendo com os animais e com os galistas, foi quando eu entendi a verdadeira função do galista e a sua razão de existir. Se não houverem mais galistas, quem criarão os galos de briga? O que será dessa espécie que acompanha os seres humanos à mais de 5000 anos? Criar galos de briga é uma das coisas mais difíceis do mundo, pois qualquer descuido pode levar vários animais a destruição e pequenos detalhes são importantíssimos para que a criação prospere. Vez por outra alguem me pede um casal e eu nego pois sei que pouquíssimas pessoas sabem dar o tratamento adequado e fatalmente esses animais vão morrer, no entanto faço várias doações de animais inferiores à pessoas carentes para servir de alimento. As rinhas podem parecer cruéis mas se não existissem os galos de briga já teriam sido extintos. A única forma de realmente proteger os galos de briga é a regulamentação federal do galismo estabelecendo regres e as fiscalizando, mesmo porque a atividade nunca vai acabar pois está muito enrraizada na cultura mundial e slides comos os vistos pela companheira Débora contunuarão existindo.

  253. Deborah disse:

    Ronaldo,vc esta contra os slides,lembre-se, estou fazendo uma pergunta,e tbm lembre-se do nosso acordo,é que não entendi muito bem,,se vc esta falando que vai continuar existindo os slides,ou seja estava falando serio ou se estava ironizando.Ficarei satisfeita se me responder,obrigada e um ótimo dia para vc.

  254. João Catira disse:

    Parabéns Ivonete, a sua mudança de opinião demonstra que voce se informou sobre o assunto, assim fazem as pessoas inteligentes.
    Eu como Galista a muitos anos defendo a Regulamentação das Rinhas de Galo, só assim as Competições seriam mais iguais e o Galo Combatente seria preservado.
    Mando alguns exemplos do que poderia ser feito:
    1 – Deverá ser criada uma Federação Nacional de Galos Combatentes;
    2 – Deverá ter regras fixas para todo o país;
    3 – Deverá ter a padronização das esporas e bicos;
    4 – Deverá ser padronizado o tempo de cada “raund” e o número de “raunds”;
    5 – Deverá ser obrigatório a igualdade de condições de combate;
    6 – Deverá sempre ter um árbitro em cada combate, para garantir a igualdade de condições entre as aves ao iniciar o combate e garantir o cumprimento das regras durante o combate;
    7 – Deverá ser regulamentada a profissão de árbitro de Rinhas, com a criação de sindicato de classe dos mesmos;
    8 – Deverá ser regulamentada a profissão de Tratador de Galos Combatentes, com a criação de sindicato dos mesmos;
    10 – Deverá ser regulamentado os clubes de Rinha, com alvará de funcionamento e definição da taxação dos impostos sobre a renda auferida.

    Sectores de mercado que envolve a regulamentação

    1 – Regularização dos clubes, com a arrecadação dos impostos e empregos, de administradores, empregados de limpeza e manutenção predial;
    2 – Aumento no faturamento e arrecadação de impostos na fabricação de esporas de plástico, bico em inox, tambor, sacola de pano para transporte e mala de couro para transporte em aeronaves, etc;
    3 – Aumento no faturamento das fábricas de rações, pois as rações para esses animais são específicas;
    4 – Aumento no faturamento da indústria farmacêutica, pois os medicamentos e vacinas são específicos;
    5 – Aumento de serviço e faturamento no acessoramento de veterinários;
    7 – Aumento do turismo, com movimentação em hotéis, passagens e alimentação, na promoção de torneios nacionais e internacionais.

  255. RonaldoC disse:

    Calma, não esqueci o nosso acordo, o que eu quiz dizer é que se não houver um controle e fiscalização do governo sobre o galismo, situações como aquelas mostradas no slides não poderão ser evitadas. Também tenha um ótimo dia.

  256. Deborah disse:

    Obrigada por ter respondido,e concordo que estas situações não poderão ser evitadas.

  257. Jaime Arruda Campos disse:

    CASTRAÇÃO SUINOS (RETIRA O GOSTO DE URINA DA CARNE ) ,bovinos ETC ….CASTRAÇÕES FEITAS PELOS INTERESSADOS NÃO PROTETORES DE ANIMAIS , ESSES ANIMAIS NO CASO DE SUINOS , BOVINOS PARA ALIMENTAÇÃO ….É TAMBÉM UMA CRUELDADE , MAS QUEM PRATICA ESSAS MUTILAÇÕES NÃO SÃO PROTETORES DE ANIMAIS .

    AGORA , CASTRAR CACHORRO mesmo com anestesia ( eles NÃO TEM FINALIDADE DE ALIMENTO ) É UMA CRUELDADE SEM LIMITES , E O PIOR DE TUDO É QUE ESSES PERVERSOS CASTRADORES DE CÃES EM SUA MAIORIA SÃO DITOS “PROTETORES ” DE ANIMAIS ….ESSES HIPÓCRITAS SÃO OS MAIORES CARAS-DE-PAU , ELES CONDENAM BRIGA DE GALO MAS MUTILAM OS INOCENTES CACHORROS COMETEM O MAIS HEDIONDO CRIME AMBIENTAL POR MUTILAÇÃO ….NÃO SEI PORQUE O IBAMA E O MP AINDA NÃO APLICARAM A LEI DE CRIME AMBIENTAL NESSES PERVERSOS E CRUEIS CASTRADORES DE CÃES , POR MUTILAÇÃO EM ANIMAL DOMÉSTICO .

    • clayton disse:

      muitos que dizem defender nem saber diferenciar uma galinha de um galo qto mais as raças porem falam como especialistas apenas por ver a midia a saem dizendo besteiras

  258. CANGA disse:

    DE BOAS INTENÇÕES O INFERNO ESTÁ CHEIO

    Parecia uma boa idéia na época: remover todos os gatos de uma ilha na Austrália para salvar as aves nativas. Mas a decisão de erradicar esse felinos da ilha Macquarie permitiu que a população de coelhos explodisse e, por sua vez, destruísse grande parte da vegetação da qual as aves dependiam para se abrigar, causando grande devastação do ecossistema. (Folha S.P. de 14/01/2009, fl. A14).
    Segundo estudo, as conseqüências da remoção dos gatos mostram os perigos de se intrometer num ecossistema, mesmo com a MELHOR DAS INTENÇÕES.
    Essa reportagem acima me fez conjecturar sobre a preservação de uma espécie que se mantêm há 5.000 anos (gallus gallus) e de uns milênios para cá em convívio natural e harmônico com o homem, que soube explorar suas virtudes e excepcionalidades.
    Muito diferente da interferência premeditada dos “politicamente corretos” e “bem intencionados”, mas sem conhecimento profundo do problema e com apoio de uma parte da mídia preocupada tão somente com o sensacionalismo, mas que pode acarretar uma série de conseqüências devastadoras e levar toda uma espécie a extinção.

  259. RonaldoC disse:

    É uma pena que estejamos no país da impunidade.
    No Paraná um juiz mandou degolar vários galos alegando que os mesmos estavam contaminidos com substâncias perigosas usadas pelos galistas, no entanto, em Recife outro juiz providenciou o imediato abate dos galos apreendidos em uma rinha para que sirvam de alimento no Hospital do Cancer daquela cidade.
    Daí pode-se concluir que: Ou os galos do Paraná não estavam contaminados ou em Recife o juiz quis acabar de “ferrar” com os pacientes do Hospital do Cancer.
    Somente uma coisa é certa, ambos estão errados em mandar matar os galos, pois a lei prevê que todos os animais apreendidos devem ficar sob a guarda do governo e sob os cuidados de uma profissional especializado.
    Outro fato interessante, é que foi noticiado que os galos aprendidos em Recife veliam R$ 5.000,00 cada um. Ora já que era para fazer uma caridade ao hospital do cancer, porque as autoridades não exigiram 20 frangos comuns de cada galista em troca dos galos de briga. É claro que todos os galistas aceitariam e essa seria uma atitude honesta e inteligente e os pacientes do hospital do cancer teriam mais carne e não precisariam fazer “quimioterapia” com carne dura dos galos de briga.

  260. RonaldoC disse:

    O João Catira tem toda a razão nas coisas que disse. Eu confeccionei um documento para ser apresentado às autoridades brasileiras mostrando a realidade do galismo e solicitando a sua regulamentação Esse documento contempla todos esses assuntos que ele descreveu e está na fase de encadernação para ser apresentado a políticos em Brasília.
    O meu próximo passo é fazer a minuta da própria lei de proteção ao galo combatente brasileiro. Sei que não vai ser uma tarefa fácil, mas vou lutar por isso.

  261. Jaime Arruda Campos disse:

    INFINITAMENTE MAIS CRUEL QUE BRIGA DE GALO É A CASTRAÇÃO DE CÃES( OU MAIS ELEGANTEMENTE ESTERILIZAÇÃO ) , A ESTERILIZAÇÃO NÃO É NATURAL , NÃO É O CÃO QUE PEDE PRA SER CASTRADO , É O HOMEM ARROGANTE E PERVERSO , SEM NENHUMA SENCIBILIDADE E COM UMA PERSONALIDADE DOENTIA COM ALTO GRAU DE CRUELDADE E COM UM AGRAVANTE , POIS ELES DIZEM E SE APREGOAM-SE COMO PROTETORES DE ANIMAIS ….. QUANTA HIPOCRESIA !!!!!!

    O GOVERNO PETISTA DEVERIA ACABAR COM TODAS ONGS. E ENTIDADES QUE ESTÃO NO BRASIL a mando de ESTRANGEIROs . OUTRO DIA VI PELA TV UM HOMEM FALANDO PORTUGUÊS COM SOTOQUE ESPANHOL E DITANDO ORDENS E OPINÕES SOBRE A AMAZÔNIA , E INCLUSIVE CONTRA BRIGA DE GALOS …..ESSES CARAS DE PAUS DEVERIAM SER EXPULSOS DO BRASIL . ESSAS ONGS. SÃO EM SUA MAIORIA SANGUE-SUGAS E RECEBEM DOAÇÕES DO GOVERNO E DE PARTICULARES .

  262. João Catira disse:

    Ronaldo ja agora voce pode por no teu projeto que se crie uma Lei que facilite (Menos impostos e menos burocracias) a importação de aves para a melhoria e evolução da “galaria” nacional.

  263. ELZINHO disse:

    Olá,desculpe meu atrevimento,Mais não resistir a tamanha IPOCRESIA da senhorita debora.
    Fala-se tanto em protecão,fala-se tanto em ignorancia,crime etc…
    Debora,Quando se trata de protecão animal é sem exsecoes TODOS inclusive ratos,Baratas,Lagartixa etc…
    Acredito que Na sua casa nunca entrou um destes e se entrar você é a primeira a mata-lo ,seja qual for a maneira.O Brasil mata bilhoes de galinhas com apenas 45dias de vida cheia de hormonios o qual mata bilhoes de mulheres no mundo e você comcerteza come deles.Os galistas são a unica entidades que procriam,quando morre um na rinha em suas casas nascem 100,A imprensa só mostra o que não presta e os leigos no assunto asinam em baixo como vossa excelencia.Conheço milhoes de galistas ,Homens e mulheres de familia de caracter respeito, e não marginais e criminosos como a imprensa tenta passar.FALAR É FOGO CAGAR É TALENTO.

    FORA A HIPOCRESIA

  264. Deborah disse:

    Querido Elzinho!
    Se eu como ou deixo de comer galinhas,é problema meu e não seu!
    Vc tbm, COM CERTEZA já comeu galinha,galo,frango, o q quiser
    Hipócrita é vc!
    Eu não protejo os animais?Quem é vc pra dizer isto,não convive comigo!
    Se eu mato baratas,ratos ou lagartixas,não te interessa cara,e seu eu matar,qual o problema,vc tbm mata,e o que vale pra vc com certeza vale pra mim

    Tu foi infeliz em ter colocado esta mensagem,pq antes de escrever qualquer coisa vc tem que pensar!E não pensar só no que vc vai escrever,mais tbm no que vão te responder!
    E desculpe,mais vc muito ignorante comigo,nada mais justo do que eu revidar!

  265. Deborah disse:

    Sobre um comentário,o Governo PETISTA deveria acabar!!!!

  266. josé Alencar Guimarães disse:

    LEI DE CRIMES AMBIENTAIS É BASTANTE EXPLICITA QUANDO SE DIZ MUTILAR ANIMAIS , O HOMEM/MULHER COM ALTO GRAU DE SADISMO E PERVERSIDADE SE JULGA NO DIREITO DE ESTERILIZAR CACHORROS /CACHORRAS (MESMO COM ANESTESIA É MUTILAÇÃO) ISSO É COMETEM CRIME AMBIENTAL MUITO BEM DEFINIDO E DARIA CADEIA AO CRIMINOSO ESTERILIZADOR OU MELHOR DIZENDO MUTILADOR DE ANIMAL DOMÉSTICO NÃO DESTINADO A ABATE ( NO CASO CACHORRO , GATO) .
    BASTA FAZER UMA REPRESENTAÇÃO AO MP PARA QUE O IBAMA APLIQUE A LEI AMBIENTAL POR CRIME DE MUTILAÇÃO A ANIMAIS DOMESTICOS E SE FOR MAIS DE UMA ENTIDADE INTERLIGADA NO CRIME DE MUTILAÇÃO POR ESTERILIZAÇÃO ……PODE – SE APENAR AINDA POR FORMAÇÃO DE QUADRILHA .

    ESTERILIZAÇÃO DE CÃES (MESMO COM ANESTESIA ) , É UM ATO CRIMINOSO CONFORME ESTÁ BEM DEFINIDO NA LEI AMBIENTAL POR CRIME DE MUTILAÇÃO EM ANIMAL DOMÉSTICO .

  267. João Catira disse:

    Olha pessoal voces ainda dão conversa pra Deborah, ela é uma burguesinha que não sabe do que esta falando, hipócrita, só manda conversa desparatada, sem basamento, o melhor a fazer é ignora-la, e não responder mais, não adianta, naquela cabeça não entra nada… está vazia…
    Eu acho que este Site é para os galistas falarem coisas sérias sobre o Galismo, bate boca não leva a nada…
    Saudações Galisticas

  268. Deborah disse:

    Se bate boca nao leva a nada pq vc esta neste blog,não coloque todos no seu ninho Catira,ora PESSOAL,pessoas fazem o que querem,respondem se querem,mais uma coisa, se eu sou burguesinha,qual o problema?tah com ciúmes?Todos tem motivos para estar neste blog,e eu tbm tenho os meus!Cara se as pessoas quiserem responder elas responde,vc nao pode,nao deve,e nao consegue mudar isto!Se vc for ver os politicos tem que dar conta é dos burgueses mesmo,pois somos nós,então chamados de burgueses que pagamos a maior parte do salario dos politicos!
    Abraços.

  269. João Catira disse:

    Pessoal vão ao http://www.derbyintercontinental.com.mx, que belissimo torneio o XI Derby Intercontinental entre o México X USA, isso sim é que são povos que respeitam as culturas populares e os criadores, são torneios assim que poderiamos fazer no Brasil
    Abaixo a hipocrisia a ignorância e o jornalismo mal informado e mal intencionado que existe no Brasil…

  270. josé almeida jr. disse:

    Se liberar briga de galo o povo vai ficar violento .

  271. FRANCISCO PACHECO disse:

    ” Se liberar briga de galo o povo vai ficar violento ”

    ISSO É MAIS UMA MENTIRA , POIS ATÉ A DÉCADA DE 1950 , A BRIGA DE GALO ERA LIBERADA NO BRASIL INTEIRO , EM CADA ESQUINA TINHA UMA RINHA DE GALOS , E A VIOLÊNCIA NO BRASIL NESSA ÉPOCA DE BRIGAS DE GALOS ERA NULA SE COMPARADA A ATUAL , DEPOIS QUE AS RINHAS FECHARAM A VIOLÊNCIA NO BRASIL ATÉ OS DIAS ATUAIS AUMENTOU EM FORMA DE PROGRESSÃO GEOMÉTRICA ….VIOLÊNCIA POR TODOS OS LADOS , ASSALTOS , ESTRUPOS , VIOLÊNCIA ATÉ EM ESTÁDIO DE FUTEBOL , VIOLÊNCIA POR BRIGA DE TRÂNSITO , CRIME ORGANIZADO , TRAFICANTES EM PORTAS DE ESCOLAS , ETC .

    EM RESUMO , BRIGA DE GALO NÃO DEIXA O POVO VIOLENTO .

  272. FRANCISCO PACHECO disse:

    Lei de nº 9.605/1998 – Lei de Crimes Ambientais

    Sancionada, dia 12/02/1998, pelo presidente da República, Fernando Henrique Cardoso.

    Art. 32º (É crime)
    Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou MUTILAR ANIMAIS silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
    Pena: detenção, de três meses a um ano, e multa.
    § 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
    § 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

    LEI DE CRIMES AMBIENTAIS É BASTANTE EXPLICITA QUANDO SE DIZ MUTILAR ANIMAIS , O HOMEM/MULHER COM ALTO GRAU DE SADISMO E PERVERSIDADE SE JULGA NO DIREITO DE ESTERILIZAR CACHORROS /CACHORRAS (MESMO COM ANESTESIA É MUTILAÇÃO) ISSO É COMETEM CRIME AMBIENTAL MUITO BEM DEFINIDO E DARIA CADEIA AO CRIMINOSO ESTERILIZADOR OU MELHOR DIZENDO MUTILADOR DE ANIMAL DOMÉSTICO NÃO DESTINADO A ABATE ( NO CASO CACHORRO , GATO) .
    BASTA FAZER UMA REPRESENTAÇÃO AO MP PARA QUE O IBAMA APLIQUE A LEI AMBIENTAL POR CRIME DE MUTILAÇÃO A ANIMAIS DOMESTICOS E SE FOR MAIS DE UMA ENTIDADE INTERLIGADA NO CRIME DE MUTILAÇÃO POR ESTERILIZAÇÃO ……PODE – SE APENAR AINDA POR FORMAÇÃO DE QUADRILHA .
    ESTERILIZAÇÃO DE CÃES (MESMO COM ANESTESIA ) , É UM ATO CRIMINOSO CONFORME ESTÁ BEM DEFINIDO NA LEI AMBIENTAL POR CRIME DE MUTILAÇÃO EM ANIMAL DOMÉSTICO .

    TEXTO : JOSÉ ALENCAR GUMARÃES

  273. FRANCISCO PACHECO disse:

    SE O ÓRGÃO GOVERNAMENTAL NÃO COMBATE OS MUTILADORES DE ANIMAIS DOMESTICOS OU MELHOR DIZENDO FAZ VISTAS GROSSAS , POIS EXISTEM CENTENAS DE SITES QUE ANUNCIAM MUTILAÇÕES (ESTERILIZAÇÃO EM CÃES ) ESSAS CASTRAÇÕES MESMO COM ANESTESIA É MUTILAÇÃO , SENDO MUTILAÇÃO É UM ATO DE PERVERSIDADE E CRIMINOSO , POIS ESTÁ PREVISTA DE FORMA CLARA E NÃO DEIXA SOMBRA À QUALQUER DÚVIDA COMO CRIME AMBIENTAL .

    ENTÃO ESSA LEI TEM DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS , POIS OS MUTILADORES DE CÃES ESTÃO AGINDO ABERTAMENTE ( É SÓ CONFERIR EM SITES ) E ATÉ AGORA NÃO VI O ÓRGÃO FEDERAL AGIR CONTRA OS MUTILADORES DE ANIMAIS DOMÉSTICOS , QUE ESTERILIZAM CÃES E DIZEM EM ALTO TOM QUE SÃO PROTETORES DE ANIMAIS . ESSES PERVERSOS DEVERIAM SER PRESOS POIS ESTÃO PRATICANDO CRIME PREVISTO EM LEI . NINGUÉM PODE ALEGAR IGNORÂNCIA QUE MUTILAR ANIMAL DOMÉSTICO É CRIME . OU APLICÁ-SE A LEI PARA TODOS OU NÃO APLICA PARA NINGUÉM .

  274. Ana Paula disse:

    Eu to FORA, cheeeeeeeeegaaa!

    Sempre irei proteger os animais e NUNCA mudarei de opinião sobre rinhas e sei que vcs tbm nao.

    Desejo um bom ano de 2009 a todos.

  275. CANGA disse:

    - FILOSOFANDO: Há muito, muito tempo atrás um Senhor muito poderoso construiu em sua fazenda um grande rinhadeiro. Nesse rinhadeiro os homens foram colocados para lutar contra vários monstros, contra tempestades, terremotos e furacões. Lutaram contra tigres, ursos , contra os leões. Luta de homem contra homem, na maioria das vezes fora de parelha (grande diferença de peso e altura). Lutas dos homens nas guerras por dinheiro, por poder, por política, por religião, guerra por nada, guerra em nome do “bem”, guerra sem nome, guerras que não respeitam ninguém e muito menos os pintainhos(criancinhas).
    Ainda brigam no trânsito e continuam a brigar contra a miséria, contra a insegurança generalizada, contra a falta de emprego, contra as drogas que vem devorando vossos frangos e frangas (adolescentes), contra todos, contra tudo, contra o medo, contra o terror, contra o sofrimento, contra a dor, contra a sorte e a luta final: contra a morte.
    O que nos causou estupefação foi o fato de que só agora o diabo resolver denunciar este Senhor por maus tratos de animais e ainda com base numa lei que dizia que não se podia maltratar os dinossauros, vê se pode?
    Sorte do Senhor organizador do grande rinhador da vida, que não pôde ser preso por formação de quadrilha. Sabe por quê? Porque eram somente três: Pai, Filho e Espírito Santo.

    - FALANDO SÉRIO: Acredito que Deus criou o homem a sua imagem e semelhança, dando-lhe possibilidade de através de uma luta ardorosa e exponencial através dos tempos, e fundamentada no amor, na humildade e no respeito às diferenças, seja muito mais que sua imagem e semelhança, mas também deus.

  276. CANGA disse:

    Se não fosse a rinha de galo o que seria de nós?
    fabianomarques1@ibest.com.br
    (relato feito por Fabianomarques 1@ibest.com.br
    Farei um relato breve de como foi minha vida!
    Sou o primogênito de uma família de sete irmãos, 5 homens e 2 mulheres. Nascemos em uma fazenda onde meu pai era o tratador principal de uma cocheira de galos de rinha, ou seja, ele preparava os galos para o rinhadeiro que acontecia na cidade aos sábados e domingos. Lembro que desde pequeno acompanhei como era o procedimento, meu pai ganhava nosso sustento com seu trabalho relacionado aos galos.
    Recordo que levantávamos em torno de seis horas, tomávamos nosso café e íamos para cocheira, onde tirávamos os galos para tomarem sol, os que estavam doentes eram medicados e meu pai os tratava como “filhos”, após eram recolhidos, banhados, alimentados com o que tinha de melhor, alem de exercícios regulares, tais como piscina, “caminhadas”, etc…
    Hoje sou um cardiologista de renome internacional, tenho 2 irmãos médicos, 1 engenheiro de computação que mora na Inglaterra e uma irmã dentista, e a caçula esta concluindo sua graduação no Estado da Virginia (USA).
    CRUELDADE? Eu atendi certa vez um lutador de vale tudo com parada respiratória e com deslocamento de massa cefálica que vive hoje como vegetal. ( isso é crueldade e não a rinha de galos)
    Hoje somos o quê somos graças ao esforço de meu pai que ganhou seu sustento como tratador de galos de rinha. Eu não crio e não sou galista, mas posso imaginar se meu pai não fosse tratador? Nós seriamos o que somos?
    SOU A FAVOR DA LEGALIZAÇÃO DA RINHA DE GALOS, POIS ENTENDO QUE SE TAL LEI FOR APROVADA NÓS TEREMOS NO PAIS A CRIAÇÃO DE MILHARES DE EMPREGOS!

  277. Deborah disse:

    hahahahaha!Caramba Canga,hahaha,não precisa surgir empregos novos,hahaha,basta virarmos mendigos,e se passarem 50 pessoas em um dia, eganharmos 1real de cada uma destas 50,po teremos 50 reais por dia.Ó vou continuar protegendo os animais vc querendo ou não!

  278. FRANCISCO PACHECO disse:

    CASTRAR CACHORRO MESMO COM ANESTESIA É UMA PERVERSIDADE CONTRA O ANIMAL , ESSE SER VIVO NÃO É DESTINADO AO ABATE , É A ESTUPIDEZ E ARROGÂNCIA QUE INSTIGA O “HUMANO” COMETER ESSA ESTERILIZAÇÃO NO INOCENTE CACHORRO/ GATO , E O PIOR DE TUDO QUEM MAIS FAZ ESSA SAFADEZA PERVERSA CONTRA O CÃO SÃO OS DITOS ‘PROTETORES” DE ANIMAIS .(CONFIRAM NA INTERNET )
    NENHUM CÃO /CADELA PEDIU AO SAFADO MUTILADOR PARA SER CASTRADO(A), É O PERVERSO “PROTETOR” COM SUA ARROGÂNCIA E PREPOTÊNCIA QUE SE JULGA NO DIREITO DE MUTILAR O INDEFESO ANIMAL …….. É INTERESSANTE NOTAR QUE A MUTILIZAÇÃO (ESTERILIZAÇÃO) É CRIME AMBIENTAL .

  279. Ana Paula disse:

    Francisco,

    Leia acima e perceberá que sou TOTALMENTE contra rinhas..e vc btm está certo, acho um absurdo castrar qualquer tipo de animal, porém meu querido tu disse tbm que os caes ou gatos nao pediram para serem castrados e combinamos que os galos tbm nao pedem para brigar! Isso é os que se dizem protetores e os que são a favor de rinhas.

  280. FRANCISCO PACHECO disse:

    DOIS GALOS PODEM SE FERIR QUANDO BRIGAM , ELES BRIGAM POR INSTINTO , MAS BEM PIOR É O HOMEM PERVERSO QUE DIRETAMENTE COM SUAS MÃOS MUTILA O ANIMAL (ESTERILIZA) E DIZ COM PREPOTÊNCIA E ARROGÂNCIA QUE É PROTETOR DE ANIMAIS , ESSE SER PERNÓSTICO DEVERIA SER PUNIDO E PRESO POR CRIME AMBIENTAL POR MUTILIZAÇÃO EM ANIMAL DOMÉSTICO E TAMBÉM SERIA OPORTUNO QUE SE CRIASSE UMA LEI QUE QUEM CASTRA CACHORRO TAMBÉM DEVERIA SER CASTRADO .

  281. CHIQUINHO FLORA disse:

    GALOS LEGÍTIMOS DE BRIGA QUANDO PRESOS E SEM EXERCÍCIOS FÍSICOS , ESCORVAS , SEM BRIGA É UM GALO TRISTE E NÃO DURA MUITO . LOGO MORRE .

    GALOS LEGÍTIMOS DE BRIGA COM EXERCÍCIOS , ESCORVADOS , COM BRIGAS É UM GALO FELIZ E TÊM UMA VIDA FELIZ E LONGA . TENHO REPRODUTORES (GALOS LEGÍTIMOS DE BRIGA ) COM 5 E 7 ANOS VIVEM FELIZES .

  282. CHIQUINHO FLORA disse:

    QUERER COMPARAR QUALQUER GALO A UM GALO LEGITIMO DE BRIGA É IGNORÂNCIA OU MÁ FÉ .

    O GALO LEGÍTIMO DE BRIGA NÃO VIVEM SOLTOS EM SÍTIOS , SÃO CRIADOS PELO HOMEM SEPARADO DOS OUTROS GALINÁCEOS É A AVE MAIS EXTRAORDINÁRIA QUE EXISTE NA FACE DA TERRA , SUA VALENTIA É INEGUALÁVEL , SUA EXISTÊNCIA DEPENDE DE BRIGAS , SE OS GALISTAS DEIXAREM DE CRIÁ-LOS ESSA MAGNIFICA AVE VAI A EXTINÇÃO …..
    HÁ MUITO TEMPO QUE OS FALSOS AMBIENTALISTAS FAZEM DE TUDO PARA EXTINÇÃO DA AVE COMBATENTE .

    EXISTEM CENTENAS DE RAÇAS DE GALO , MAS GALO DE BRIGA É DIFERENTE E NÃO SE PODE COMPARAR AO GALO QUE OS LEIGOS (PESSOAS DE MÁ FÉ ) CONHECEM .

  283. nativo disse:

    Esporte?? perai, eu li direito? dizem que isso é um esporte?
    que esporte o que seus ignorantes, isso é covardia, camabada de otários, e nao vou cuidar da minha vida nao palhaço, estudei mto pra fazer da vida de vcs um inferno, e vou defender e lutar em nome desses animais ate o ultimo dia da minha vida, camabada de desocupado vagabundo! luta é legalizada pq os lutadores estão ali pq querem e nao pq botaram eles ali pra lutar obrigatóriamente! concordo que as autoridades que apreendem esses animais e matam-as e/ou deicham estes em más condiçoes e sob maus tratos, são tão bandidos quanto vocês!

    nem vo perder meu tempo argumentando pq estudei mto tempo na minha vida pra fica argumentando com ignorantes que se acham espertos e são uns estupidos que acham que sabem tudo da vida!
    vocês são uns bostas

    outra que achei engraçada… “EU SOU UM GALISTA” que galista o que cambada de retardado, vocês são uns merda que não conseguram nada na vida por serem vagabundos e terem preguiça de estuda e ficam se auto intitulando uma coisa que não existe pra fazer d conta que são alguma coisa
    cambada de bunda mole bebados

    ainda vou caçar vocês um por um e botar numa jaula pra se agarrarem a pau a té a morte
    e se vcs se recusarem a lutar mato tudo a queima ropa

    • Marcos Garcia RS disse:

      Maltratar animais, pode ter diversas nuanses, ao espantar-mos um cachorro que nos persegue por estar com fome, ao surrar-mos um cavalo para que ande mais depressa e mesmo quando o domesticamos isto não é de sua vontade, ao matar-mos um animal para nos alimentar, ao colocar-mos veneno nas plantações, quando desmatamos as florestas para criar gado ou plantar, quando atropelamos um animal na estrada… talvez vendo por este prisma, ao deixar-mos que dois galos se degladeiem por sua própria vontade, havendo neste fato apenas a intervenção do homem em escolher o local do combate e auxiliar no descanso dos mesmos, não há um maltrato maior do que os que citei acima. Abraços a todos que maltratam animais!

  284. Ana Paula disse:

    é isso ai! Nativo.
    Estou com vc.

  285. João Catira disse:

    Nativo voce disse que estudou? aonde ?voce não sabe nem escrever, voce é um ignorante e estupido

  286. Deborah disse:

    Ae NATIVO! To contigo!

  287. Ana Paula disse:

    João Catira pelo amor de Deus: Poupe-me comentários! Vc ficou irritadinho só pq nao qual resposta vai dar ao ótimo texto do Nativo.
    Pois é querido um dia A MÁSCARA CAI!

  288. João Catira disse:

    Ana Paula voce acha o pobre texto do Nativo ótimo? Cheio de erros ortográficos, só falou bobagens, em matar pessoas, só falou coisas sem nexo, que porcaria…
    O Nativo é um BURRO …

  289. CAIO disse:

    NATIVO,VOCE É O LEGITIMO BABACA
    ACALME-SE ACHO QUE VOCE QUER FAZER UMA MEDIA COM ESSA TAL DE ANA PAULA OU JÁ SE CONHECEM NE?
    QUEIMAR UM POR UM, ORA IGNORANTE COLOQUE-SE NO SEU LUGAR BOBO ALEGRE.

  290. Deborah disse:

    Mas João Catira,onde se encontra a verdade,não se necessita da ortografia correta,pouco me importa os erros deles,só sei que ele é uma pessoa que não pensa no seu bem proprio,pensa nos outros tbm.A é né João Catira,o texto só de bobagens,só de bobagens pq ele não é da sua laia,e aí vc vai dizer assim—A,Déborah,vc só diz isto pq é contra as rinhas!.
    POIS DIGO MAIS.Sou contra rinhas,ninguem me faz mudar,se defendo ou deixo de defender é problema meu,ninguem tem que se meter na minha vida.
    NATIVO,to contigo!

  291. AFONSO RUAS disse:

    NATIVO DEVE SER UM MILICO …….O PRESIDENTE JOÃO FIGUEIREDO DIZIA ” QUEM FOR CONTRA A DEMOCRACIA EU PRENDO E ARREBENTO” ….NÃO ESTOU QUERENDO DIZER QUE TODOS OS MILICOS SÃO ASSIM , ESPERO QUE SEJA A MINORIA .

    NATIVO DISSE : “E SE VCS RECUSAREM A LUTAR MATO TUDO A QUEIMA ROUPA ” O HOMEM NÃO GOSTA BRIGA DE GALO , MAS É EXCESSIVAMENTE VIOLENTO .

    DEVERIA ESCREVER : E SE VCS RECUSAREM A LUTAR MATO TODOS A QUEIMA ROUPA “

  292. AFONSO CAMARGO disse:

    SOU ENGENHEIRO AMBIENTAL E ACHO INTERESSANTE QUE SE PRESERVE OS VERDADEIROS GALOS COMBATENTES , MUITOS PROFESSORES AMBIENTAIS DIZEM QUE A PROIBIÇÃO NÃO É BOA PARA O GALO , POIS AS RINHAS FICAM NA CLANDESTINIDADE e ISSO É PÉSSIMO .

  293. Narcizo disse:

    Querer acabar com as rinhas de galo, é querer também acabar com parte da história do nosso país.

  294. GERALDO DE CAMARGO ASSUNÇÃO disse:

    NA GRANJA EM LOCAL APERTADO SÃO ENGORDADOS OS FRANGOS PARA SEREM ABATIDOS , DESDE PINTINHOS ESTÃO SOB FORTE LUZ , UMA RAÇÃO COM UMA QUÍMICA PARA CRESCER , CRESCER , UMA VIDA SOFRIDA E AOS 45 DIAS É MORTO .
    NENHUM PROTETOR DE ANIMAL VEM EM SUA DEFESA , POIS PROTETOR DE ANIMAL …GOSTA DE COMER FRANGO ASSADO OU A PASSARINHO OU AINDA COM BATATAS ….O PROTETOR SE PREOCUPA COM AS POUCAS MORTES DE GALOS DE BRIGAS , MAS ESQUECE QUE TODOS OS DIAS MILHÕES E MILHÕES DE FRANGOS SÃO MORTOS PARA A FINALIDADE CULINÁRIA …..ESSES FRANGOS TÊM UMA PÉSSIMA VIDA DE 45 DIAS E UMA MORTE VIOLENTA …..
    “PROTETOR” DE ANIMAIS GOSTA DE SABOREAR UM FRANGO E AINDA SÃO SÁDICOS POIS ADORAM ESTERILIZAR CACHORROS .

    QUE CAMBADA HIPÓCRITA !!!!!!

  295. CAIO disse:

    COM CERTEZA, ANA PAULA E DEBORA NÃO CONSOMEM CARNE DE FRANGO, ELAS SÃO PROTERORAS DAS AVES… TAMBEM ESTAO EMPENHADAS EM ACABAR COM OS FRIGORIFICOS E AVIARIOS EM TODO PAÍS POIS É MUTILAÇÃO E MAUS TRATOS AOS FRANGOS, PIADA, VÃO ARRUMAR O QUE FAZER SUAS DESOCUPADAS.

  296. Deborah disse:

    Caio,desocupado é vc,como já disse,sou sim uma protetora dos animais,e se vc duvida,a meu amor,não posso fazer nada,e seu eu como carne,do animal que for,bom isto tbm é problema meu,e vc com certeza come carne de frango,mais isso não me interessa.Vc acha que todos tem que ser igual?Vc acha que todos devem estar nas rinhas?Se vc acha que sim,ó meu amor,faz me rir,gracinha,todos temos opnioes propria,já pensou o que seria do azul se todos gostasem do verde,uma grande chatisse!Eu,pelo menos acho,que sou um pouco mais educada com VC!Só por favor não me chame de Burguesinha,como João Catira me chamou,não que me ofenda,mas…..Por favor,tenha um pouco mais de respeito com as pessoas pq vc não é o dono do Brasil, e mesmo que fosse,não teria o direito de se achar o maioral.Um bom dia para vc Caio,abraços

  297. Ana Paula disse:

    Caio, nao estou nem um pouco preocupada do que vc diz a meu respeito. Tente pelo menos ser educado com os outros em nenhum momento ofendi vc ou tentei questionar algo sobre o que vc faz, tudo bem da para ver que vc nao recebeu educação em casa! Mas eu nao tenho NADA a ver com isso e nem os outros companheiros de conversa, antes de querer falar sobre rinhas e dar suas opiniões matricule-se já! numa escolinha por ai para ver se a prof te ensina a nao ser malcriado.

  298. João Catira disse:

    Pessoal estou batendo uns frangos com 12 mêses, Shamos com 3.800 a 4.100 Kg, que são uma maravilha, os bichos brigam colados (Caracteristicas dos Shamos), com uma velocidade impressionante, batendo duro, tem bicho que derruba na bucha, tô feliz da vida
    Saudações Galisticas

  299. Ana Paula disse:

    João Catira vc e o Ronaldo que fizeram esse blog??
    Um bom dia.

  300. Jorge Hurtado Jr disse:

    Fale para os leigos ….diga estou escorvando(lutam protegidos para não se machucarem ) com protetor de bicos e colocando bucha nas esporas .
    Vc fala batendo ….o leigo interpreta que vc está batendo no galo ….

  301. João Catira disse:

    Jorge o leigo também não sabe o que é escorva, eu falo é para os galistas…

  302. Ana Paula disse:

    Jorge, se vc é que sabe das coisas pq nao fala então??
    vc é outro estúpido que nao sabe que com buchas ou sem buchas com escorvas ou sem escorvas os que se dizem ‘leigos’ nao estão nem aí!

  303. Jorge Hurtado Jr disse:

    O leigo nada entende de nada ….é maria vai com as outras .

    Muitas entidades ditas “protetoras” há anos arrecadam rios de dinheiro ( doações favor depositar Banco tal) fazem uma campanha mundial contra briga de galos …e com isso enche os cofres ….. dá lucro ser contra briga de galos .
    Ninguém defende o frango …que desde pintinho recebe forte luz e ração com aditivos para crescer e é morto aos 45 dias ( No Brasil, milhões de mortes de frangos diariamente , com sangue por todos lados )ningúem lamenta a morte do frango , pois é saboroso comer um frango com polenta ou um frango frito à passarinho.
    No judiciário existem magistrados com amplo conhecimento em meio-ambiente que já liberaram briga de galo ….eles sabem que nenhuma raça pode ser extinta .

  304. João Catira disse:

    Essa gente (Cambada) que se intitula protetores dos animais são “filhos da mídia”, são gente que não tem o que fazer (Desocupados) e acham que é politicamente correto ser protetores dos animais, mais na verdade nunca fizeram nada a favor dos animais, só fazem barulho e falam muita bobagem…
    E quando não têm argumentos começam a ofender as pessoas, enfim são parasitas da sociedade…

  305. Ana Paula disse:

    Pois é João Catira vc acabou de falar que as pessoas qnd nao tem argumentos começam a ofender os outros.Ah! E o que vc acabou de fazer agora??-relembrando:1°eu nao faço parte de uma CAMBADA, ao contario de vc e dos seus amiguinhos galistas;2°Ao contrário do que pensa, eu NAO sou nem um pouco DESOCUPADA E 3°Pra VC meu querido, NAO existe SOCIEDADE.
    Bom dia.

  306. João Catira disse:

    Ana Paula a carapuça te servui sertinho…

  307. Ana Paula disse:

    Não João Catira essa já é sua!

  308. Ana Paula disse:

    Obrigada Gildão.

  309. RonaldoC disse:

    Assisti um documentário da National Geographc, na TV a cabo, onde a briga de galos, entre outros assuntos do gênero, foi abordada mostrando a sua importância no âmbito sociológico. Acredito eu que tão respeitável entidade jamais defenderia uma atividade tão polêmica se não fosse pautada em estudos verdadeiros e muito bem alicerçados, pois esse programa deve ter estado disponível para quase todo o mundo. Muito diferente das opiniões postadas pelos que são contra as brigas de galos as quais são recheadas de preconceito, hipocrisia, desinformação e agrecividade (vide “nativo”, um ícone da bestialidade humana).

  310. RonaldoC disse:

    Aí Gildão, não sei qual foi a sua intenção, mas agradeço por ter criado este espaço.

  311. RonaldoC disse:

    Artigo publicado por um colunista.

    “Há alguns meses, publiquei aqui uma nota sobre briga de galos. Foi em julho. Esta semana recebi o seguinte email do Ícaro Andrade, ainda a respeito do assunto. Um pouco extenso, mas acho que vale a discussão. Ei-lo:

    “A respeito das brigas de galo, a imprensa brasileira vem dando aula e mais aula de demagogia pura e barata, não se importando com os costumes populares. Hoje eu vejo as pessoas do nosso país parecidas com o mito da caverna de Platão, já ouviu falar? Elas estão vendo só sombras e nunca enxergam a verdade – e quando aparece uma luz que deixa enxergar a verdade as pessoas não a aceitam, pois preferem seguir o modismo da imprensa (plim, plim). É assim nesse assunto e em outros como no caso do senador Renan Calheiros, onde queriam cruxificá-lo sem ter prova o suficiente. Quando as pessoas alienadas me perguntavam sobre esse tema eu dizia ser neutro, pois não acompanhei o processo de investigação.

    Nosso país viveu um período de ditadura militar de 1964 até 1985, um período muito triste, mas hoje estamos vivendo um período da ditadura do imprensa. Não sou de acordo com o que houve na Venezuela recentemente, onde fecharam a maior rede de televisão daquele país, mas acho que deveria ter um pouco mais de ética na imprensa sim.

    Voltando para as brigas de galo, elas fazem parte da manfestação cultural do país sim, como bem disse o deputado baiano Fernando de Fabinho, do DEM. Quanto aos argumentos de que estão agredindo uma espécie, é a mais pura demagogia, pois foram justamente os adeptos desse esporte que mantiveram por tando tempo essa espécie. Quanto ao argumento de que apenas pessoas irracionais apreciam essas coisas, eu diria que ele é totalmente falho, pois, na história da humanidade, várias pessoas ilustres, como Socrates e Benjamim Franklin, eram apreciadores do “Galismo”. Quanto a dizer que isso é coisa anormal, então vão reclamar com quem criou a raça, porque os galos de briga são belicosos por natureza.

    Outra coisa: me informei com vários criadores de galo que as esporas postiças não são para aumentar o poder lesivo das aves, como muitos falam sem nem ter idéia. Pelo contrário, ela é menos contundente do que as naturais e têm a função de igualar os combates, pois os galos têm esporas diferentes de acordo com a idade; umas são mais longas que outras. Além de ser um instinto natural dessas aves, diferentemente dos rodeios e vaquejadas. Não creio que esteja na carga genética dos bois serem amarrados pelos testículos para ficarem dando pulos de dor. Por isso, um desembargador de Pernambuco, José Fernandes Lemos, deu uma liminar favorável ao palácio do galo, um clube que funciona em Olinda. Eu, como disse, não sou adepto desse “esporte”, mas já fui nesse clube por curiosidade, e não tem nada de mais nem de diabólico, como querem passar de qualquer jeito. Além do mais, meus amigos criadores tratam de seus animais como se fossem heróis, dando-lhe as melhores rações, diferentemente dos animais que serão abatidos para satisfazer o deleite carnal de milhões de pessoas do nosso país. Outro ponto que gostaria de frisar é a interpretação do artigo 215 da Constituição Federal, que diz que o Estado tem o dever de manter as práticas culturais dos brasileiros.””

  312. RonaldoC disse:

    Sábias palavras.

    “Não querendo acreditar que esses que se diz ser protetores de animais ou (inimigo do esporte galístico)
    Conhece mesmo esses animais? (Raças de galos Combatentes) ou estão apenas fingindo conhecer?
    E debatendo contra o galismo apenas para tirar completamente esta maravilhosa espécie de animal
    fora do nossa fauna nacional, como tentou fazer, apenas por capricho ou Política social o ex.
    Presidente da Republica 0 tirano Jânio Quadro Que fez guestão de extrair o Decreto n° 1.233 de 22 Que revogou o Decreto n° 50.620 de 18-05-61. Realmente esse esporte é muito antigo…isso é um patrimônio nacional.
    Fiz Questão de pesquisar mais fundo que na Constituição de 05-10-88 em defesa das Raças Combatentes e do esporte
    em si, descobri vários Art° 23 Item VII, Capítulo II (Título) III da União, quando encontramos o primeiro amparo.
    Efetivo “preservar a Floresta, a Fauna e a Flora”, e vários outros artigos que encontrei .
    O que mais seria necessário acrescentar ? Quem estiver contra , por ignorância , por fobias ou frustrações
    Na vida , sejam elas patológicas ou não que passe por longe onde existir uma rinha de galo. È a melhor terapia
    Para os inconformistas. E ao nosso saudoso Presidente Tancredo Neves, patrono dos galistas, as nossas
    Homenagens e a nossa eterna gratidão e que Deus o tenha.
    Porque em tão essas pessoas antes de falar mau do mundo galístico não faz uma pesquisa antes…
    Ou prefere pesquisar para mamãe ou vovó se aos domingos vai ter macarronada com franguinho… Pode????
    Ah…Não agüento mais …. essas pessoas, me estressa…
    Vou deixar aqui minha ultima pesquisa que encontrei de um jornalista J.E. de Macedo Soares.
    Referindo-se as pessoas que combatem o esporte galístico,
    “Essa ternura carioca (Os verdadeiros protetores destas espécies de todo território Brasileiro)
    por vítimas aparentes de simples vocação do instinto, que são os grandes selecionadores das espécies, já tem tido.
    Conseqüência aborrecidas quando resistem vitoriosamente a belos espetáculos de força e destreza,
    como acontece nas rinhas de galos e nas Corridas de touros á espanhola.
    As pessoas sensíveis e piedosas partem de um principio falso, isto é acreditem que o galo entre
    na rinha contra a vontade e sofre terrivelmente deste o primeiro pau que recebe.
    Nada mais errado. Um galo medroso e comodista não briga nem á mão de Deus padre.
    Vislumbrando o inimigo, esvoaça angustiosamente pelo picadeiro.
    E mostra categoricamente que não quer brigar, procedimento que o conduz.
    Á panela em linha reta. Agora, o galo que luta em honra da raça, o galo que mostra no rinhadeiro as nobres
    Qualidades de combatente, esse está no seu elemento, briga até o “rebolo”, com uma constância, um fervor e um espírito
    de sacrifício que na verdade enchem de glórias A sua casta ( Raça,linhagem;Qualidade,espécie )”.
    E após tudo isso, que julguem os leitores com quem está a sabedoria, a razão e o conceito irretorquível de amor
    Aos animais, pois o galo combatente também teve seu lugar na Arca de Noé.

  313. Moro em M.S brasil, divisa com a Bolivia :
    Na Bolivia se briga galo so no Brasil que nao temos este esporte:

  314. furtado disse:

    parabens aos senhores deputados pela iniciativa.sou criador a mais de vinte anos e posso vos falar que o galo de rinha so existe graças a nos que preservamos e cuidamos da especie.reforçndo o meu comentario digo-lhes que temos esportes vilentos tanto quanto ou quem sa ate mais, como por exemplo, os rodeios e as vquejadas.

  315. Ana Paula disse:

    Querido Ronaldo,

    Não adianta vc dizer ‘Sábias Palavras’ se não é vc que as cria!

  316. Antonio Calado Nunes disse:

    Há pouco tempo fui visitar um amigo e em sua chacará tem 2 galos de brigas ( vivem separados mas ambos são reprodutores e cada um deles com 6 galinhas de briga ) .Um dos galos é uma maravilha com suas penas amareladas e brilhantes , sua calda arrasta ao chão ,o outro galo é prata também maravilhoso , não sei porque que o governo não dá um côbro na perseguição aos criadores dessas explendorosas e magníficas aves , e o pior é que os desavisados e as pessoas de má fé estão querendo extinguir a mais fantástica ave do planeta Terra .
    Esses bandidos ou melhor dizendo terroristas “ambientais” se julgam no direito de extinguir o galo de briga .

  317. Antonio Calado Nunes disse:

    Ana Paula deve ser também terrorista ambiental , pois se depender dela e de deborah os galos de briga vão a extinção .
    Somente galista preserva o legitimo galo de briga , pois eles dependem de rinha para seleção das gerações ……pois galo legitimo de briga não estão soltos por aí ( sitios , fazendas), são criados separados de outros galinácios .

  318. Deborah disse:

    Antonio,não falei com vc,não te ofendi,por mim os galos não vão a extinção,vc nunca conversou comigo neste blog,então o que te leva a escrever isto,lembrando q a cada tipo de pessoa eu dou a minha resposta!!!!!

  319. RonaldoC disse:

    Querida Ana,

    O que tem a ver uma coisa com a outra. Não é pelo fato das palavras não serem minhas que eu não vou consirerar sábias ou não vou divulgar. Mesmo porque, se eu passei a idéia delas serem minhas, foi por puro engano.

  320. RonaldoC disse:

    Mas um texto que reflete a realidade e que, se não me engano, foi tirado de uma monografia.

    “A luta de galos não é apenas uma expressão cultural, no sentido estrito de cultural, sem ligação com o restante dos acontecimentos referentes à estruturação da sociedade. Ao contrário a rinha de galos expressa, reforça e, ao mesmo tempo busca modificar a divisão classista da sociedade. Em um jogo dialético constante, a luta de galos é um luta dos contrários, é um jogo de poder que ao mesmo tempo em que, visa manter o status das classes socialmente dominante, alimenta a expectativa de ascensão social das classes socialmente desfavorecidas.
    É no ambiente da rinha que o ?preá? busca a melhoria de sua qualidade de vida, seja através das apostas, que poderão lhe dar um bom rendimento financeiro, seja através da possibilidade de se aproximar da classe hegemônica, de fazer amizades com os ?doutores?, políticos e entre outros que freqüentam o mesmo ambiente. Essa possibilidade talvez seja um das únicas formas de ascensão social para as classes menos favorecidas.
    É também no ambiente na rinha que o tratador, geralmente analfabeto ou semi-analfabeto, que tem seu convívio social fortemente marcado pela segregação socioeconômica, adquire o mínimo de respeito e de dignidade humana. É nesse ambiente que ele pode sentir-se como alguém importante, que desempenha uma função social. Pouco importa a este indivíduo se, após a luta, ele será relegado novamente a seu status de estorvo da sociedade, o que lhe importa é que naquele momento, naquele espaço, ele é uma figura extremamente importante.
    A rinha também pode ser considerada como um local de produção de cultural, no sentido de que ali se realizam hábitos, atividades e até mesmo a construção de uma linguagem própria. Essa cultura, embora se entrelace com o modo de produção dominante e até mesmo lhe reforce conforme comentamos acima, pode ser entendida como uma cultura ?própria?, ?individual? a própria rinha.”

  321. RonaldoC disse:

    Mais um que não é galista mas está com a razão.

    “È… Como pode a situação econômica e política de um País
    Realmente mexer com a nação inteira.
    Onde cada pessoa é obrigada a sobreviver como
    Pode…Se escrevendo em concursos público apenas para
    Estabelecer em uma constituição.
    È…Onde o cidadão é obrigado às vezes a trabalhar num setor (de serviço)
    Que ele não gosta que às vezes ele até desconhece apenas
    Para ter o seu salário do mês, para pagar as suas contas…
    Bendito seja o cidadão que atua e trabalha no que gosta e que realmente
    Tem o conhecimento a fundo do seu trabalho.
    Eu tive a Portunidade de conhecer e morar na Europa
    Na Alemanha, França, Itália, Espanha, e Suíça onde.
    Cada trabalhador de uma constituição tem um conhecimento a fundo do que faz.
    Já no Brasil país do meu coração as Autoridades atuam diferente
    Já vai logo fazendo apreensão em rinhas de galo sem nenhum conhecimento.
    Essa pesquisa que o departamento do IBAMA esta fazendo
    Esta sendo um grande passo para o futuro, vai reformular muita.
    Coisa, dentro e fora da constituição, como, por exemplo, recrutando.
    Biólogos e Veterinários que realmente tem um grande conhecimento dos animais silvestre e doméstico.
    Podendo até estudar a fundo este mundo do galismo conhecendo essa maravilhosa Raças de Galos Combatente( do Brasil tem), isso é patrimônio nacional.
    E a mídia não sabe, não quer saber ou finge não saber.
    Parabéns a constituição IBAMA pelo esse grande trabalho que esta fazendo.

    Obrigado a todos os departamentos do IBAMA.”

  322. RonaldoC disse:

    Esse falou e disse.

    “Pois é: se o problema é gerar empregos, eu , pessoalmente, conheço vários tratadores e criadores de galos combatentes que estão à beira de perder o emprego.E uma vez desativadas as criações, serão toneladas de milho, ração e grãos nobres em geral que deixarão de circular na economia do agro-negócio, sem falar na exportação das nossas aves que são consideradas as melhores do mundo.

    Tem que fazer projeto sim! Tem que discutir e tem que regulamentar! Afinal democracia é direito igual para todos, principalmente se esse direito não fere o direito de ninguém. Se o projeto ainda não é o ideal, vamos discutir e chegar ao consenso, mas ignorar a questão e depois sair perseguindo pais de família, gente de bem, acusando-os de formação de quadrilha, faz-nos lembrar a Santa Inquisição! Isso sim é INVOLUÇÃO.”

  323. Ana Paula disse:

    Antonio me faz um favor:
    vá catar seus galinhos na esquina! Vc chegou tarde nesse blog meu querido e me diz uma coisa; isso é jeito de falar com os outros vc nao manda em ngm! vc nao manda em NADA.Vc nao manda nem em vc mesmo!
    Então te peço: poupe-me dos seus comentários.

    • walter disse:

      Ana Paula sou galista nos respeite crio estes animais, pois os amo não os ponho em competições sangrentas e existem vários igual a mim se informe melhor a como estes animais esporem seus instintos sem se machucarem cabe ao governo impor regras e não levar esta espécie a extinção acabando com as competições .

  324. edilso disse:

    pegue nessa eu sou um apostado de briga de galo e eu so aposto de 100 assima vai passa um raude ate a morte

  325. edilso disse:

    eu vo dar um murru no seu olho quenta disendo e edilso e bigode de arame vou le infola no cassete vou te mata fi da peste

  326. CANGA disse:

    multicienciaonline.blogspot.com/2008/10/aparcio-rodrigues-de-lima-por-illa.html – 168k

  327. RODRIGO disse:

    EU ACHO QUE AS BRIGAS DE GALOS NAÕ DEVIAM SER LIBERADAS SO NO MATO GROSSO MAIS SIM NO BRASIL INTEIRO ASSIM COMO EM MUITOS PAISES!!!!!!!!

  328. CANGA disse:

    Cláudio sabia brincar com a linguagem de uma forma sutilmente entendida. Gostava mesmo era de fazer revisão e ficar a noite nas oficinas. Muitas vezes seu irmão Sergio e Ivairzinho o encontrava deitado nas resmas de papel da oficina, descansando da noite de revisão. Era redator e Colunista de O REBATE e foi o fundador do DEBATINHO suplemento de O REBATE que ainda iremos editor no http://www.debatinho.com.br de propriedade de nossa Empresa Jornalistica JML Gama, jornais e Revistas.

    “Bicando na Grade” era uma coluna feita pelos Galistas de Macaé. Não tinha assinatura mais a gente sabia que por detrás estavam Roberto Moacyr, Augusto, Mangueira, Zé Luiz, Arenari, Paulo Barreto, Waldyr Siqueira e Carlos Augusto Tinoco Garcia. Todos leitores assíduos da coluna. Abordava fatos da Rinha e de seus freqüentadores. Era um setor da comunidade que a gente estava querendo atingir com a leitura do jornal e tivemos amplo retorno. Ate Waldyr Siqueira, pai de Hudson e de Ivan dava suas dicas na coluna onde o velho mestre Petrônio Ramos sempre aparecia para ler alegremente a coluna. Quando O REBATE saiu era comprada por todos que freqüentavam as mesas do Bar e Restaurante Belas Artes, Point dos anos 70 em nossa região. Ali era onde se reunia todos os expoentes da comunidade.

    Padre Nabais assinava uma coluna política/religiosa. Ao contrário de Armindo, Nabais, fazia de sua página uma mensagem política mais a esquerda. Vinha sempre com fatos ocorridos em sua terra Portugal, Criticava a ditadura de Franco e sempre tinha seus textos censurados pelos militares de plantão em nossa Redação. À noite os censores sempre vinham para ler os conteúdos das matérias. Nabais tinha um corpo franzino mais se destacava pela voz firme e compassada. Ficava horas conversando comigo Cláudio, Armando, Euzébio e com o Pastor Edmundo.

  329. CANGA disse:

    A MATERIA ACIMA FOI RETIRADA DO SITE:
    http://www.jornalorebate.com.br/…/IZAAC-DE-SOUZA-DA-SIMPLICIDADE-DE-SUA-HISTORIA-COMO-GRAFI... – 112k – Em cache – Páginas Semelhantes

  330. RonaldoC disse:

    O galismo é uma expressão cultural das mais autênticas de tal forma que o galo combatente assume a personalidade do povo que o cria. Isso ocorre quando os galistas realizam cruzamentos direcionados a produzir um animal que esteja em consonância com os valores e características da sociedade em que vivem. Muitos exemplos podem ser dados nesse sentido, tais como:
    1 – O velho combatente inglês é impetuoso, corajoso, agressivo e sanguinário ao ponto de devorar partes do corpo de seu oponente. Características fixadas pelos antigos povos guerreiros da Europa.
    2- Os galos Japoneses são extremamente inteligentes, eficientes e disciplinados na sua forma de combater. Características básicas do povo japonês
    3 – Os galos indianos são corajosos , perseverantes e muito resistentes. Características natas daquele povo.
    4 – O galo brasileiro talvez seja o exemplo mais autêntico, pois tem como característica principal a versatilidade. Característica mais marcante do nosso povo que consegue viver e ser feliz nas condições mais adversas. Nossos galos são capazes de enfrentar qualquer adversário e em qualquer modalidade de luta, pois o galista brasileiro procura no seu programa de seleção obter um animal que consegue reunir o maior número possível de formas de defesa e de ataque, ou seja, um super galo que é inteligente, valente, agressivo, eficiente, corajoso, perseverante e muito forte. Estes fatores tornaram o nosso galo muito apreciado no exterior sendo comum a sua exportação de forma informal, visto que ter um galo brasileiro é o sonho de muitos galistas em várias partes do mundo. O que faz o galo brasileiro ser tão eficiente é o fato dos galistas brasileiros não utilizarem esporas longas e pontiagudas ou cortantes e, ainda, o tempo reduzido de duração dos combates. Estando pouco armado e com pouco tempo disponível, um galo tem que ter grande habilidade para derrotar seu opositor.

    As rinhas de galos estão enraizadas na cultura popular brasileira desde o início da colonização, tendo chegado a ser a segunda atividade coletiva mais praticada, perdendo apenas para o futebol. “Antigamente dizia-se que para um povoado ser chamada de cidade teria que ter uma igreja, uma casa de prostituição e uma rinha de galos”.

  331. João Catira disse:

    Pessoal vão ao site da Associação dos Criadores e Expositores de Raças Combatentes do Estado de São Paulo, ACERCSP, la poderão fazer a inscrição de associado, só assim, com Associações que teremos representatividade para a sonhada Regulamentação do Galismo…

  332. Antonio Calado Nunes disse:

    Desabafo de um criador dos maravilhosos galo , vale a pena ver e ouvir o depoimento de um especialista .

  333. Antonio Calado Nunes disse:

    Começa com cenas fortes, galos apreendidos e jogados todos juntos , galos mortos em nome da proteção .

    Esse video retrata a covardia e a violencia contra os galos de briga .

  334. RonaldoC disse:

    João Catira você tem toda razão, só a união faz a força. Na verdade, acredito que deveria ser criada uma associação a nível nacional, mas isso não será possível sem a adesão da maioria dos galistas. O grande Eduardo Seixas poderia “pensar” em expandir a Associação Paulista ao nível nacional, não seria uma má idéia.
    Com relação ao fato citado pelo Sr Antonio Calado, eu sempre digo e repito: “Quem gosta de galo de briga é galista.” Policiais, ONG’s e pseudos protetores dos animais estam querendo mais que os galos de briga se explodam e que sejam extintos. Para eles, o lugar de um galo é na batata recheado com farofa. Isso fica bem claro quando vemos cenas como as citadas pelo Sr Antonio e quando vemos que a primeira atitude das autoridades, e até de ONG’s, é mandar exterminar os galos apreendidos, mesmo isso sendo contra a lei. Falta de respeito aos animais, hipocrisia, intolerância, corrupição, crime, incompetência e agressão à democracia é o que essa turma está cometendo. Um galo de briga tem a vida média de 3 anos, podendo chegar até 09, isto é, se não encontrar um protetor dos animais pelo caminho.

  335. RonaldoC disse:

    Vou contar um caso que aconteceu comigo e com um amigo galista, para que as pessoas possam refletir sobre assunto.
    À mais ou menos uns 18 anos eu e meu amigo Gilberto estávamos indo para uma rinha, quando no meio do caminho vimos uma aglomeração de pessoas. Gilberto reduziu a velocidade do carro, devido a grande quantidade de gente no meio da rua, e podemos ver o que estava acontecendo. Dois cavalos estavam atracados em uma luta violentíssima, pela disputa de uma égua no cio e as pessoas estavam apreciando o sangrento espetáculo. Um dos cavalos estava todo atado a uma cerca de arame farpado a qual lhe cortou as veias das pernas provocando uma enxorrada de sangue.Mas tudo isso de nada sensibilizou as pessoas em volta que ou apreciavam ou ignoravam o fato. Imediatamente gilberto freiou o carro e pertimos para cima do cavalo agressor, com o intuito de separar a briga. Este nos enfrentou, pois estava muito raivoso, mas com gritos e o uso de galos de mato conseguimos espanta-lo para longe do segundo cavalo qua já estava quase morto. Aí veio o segundo pepino, que era tirar o outro cavalo do arame farpado. Este estava nervoso e agressivo e nos recebeu com patadas e dentadas. Mas algo tinha que ser feito e aos poucos ele entendeu a nossa intensão e permitiu a aproximação. Pegamos um alicate e começamos a cortar os arames com cuidado para não mais ferir o animal. Conseguimos livra-lo e aos poucos ele consegui levantar-se. Pedimos um belde de água a uma senhora que morava por perto e o refrescamos. Através de informações achamos a casa do dono e ele se encarregou de chamar um veterinário para cuidar do animal.
    Contei esse caso porque algumas pessoas acham que galistas são pessoas cruéis e que gostam de galos de briga porque apreciam ver banhos de sangue. Não foi o que aconteceu no fato acima relatado, onde somente dois galistas tiveram a iniciativa de separar e socorrer os cavalos que lutavam, enquanto as outras pessoas não ligavam ou até gostavam da carnificina. Somente o sentimento de amor pelos animais faz com que uma pessoa se proponha a criar galos de briga, pois estes não são como cachorros que, praticamente, não dão trabalho, pois é só dar comida e água. Galos de briga consomem muita atenção, dedicação e trabalho, sem contar as frustrações que a criação dessas aves as vezes nos provoca, pois não existe maior tristeza para um galista que chegar em casa, do trabalho, e ver aqueles pintinhos nos quais ele depositou suas esperanças totalmente destruidos, pois começaram a brigar e não havia nenguem para separar.

  336. João Catira disse:

    Ronaldo a ACERCSP auxilia os interessados em montar uma Associação em seu Estado

  337. Antonio Calado Nunes disse:

    Sr. Calado como pode ….em nome da proteção de animais fazer um amontoado de galos de briga uma crueldade e ainda uma imagem chocante da degola dos galos no Paraná .Fica a má impressão que os “protetores” de animais são pessoas de má índole e crueis principalmente com galos de briga apreendidos e quando esses perversos se apoderam de galos de briga fazem uma festa da mais alta perversidade , as fotos não mentem . Foi noticiado que uma Ong estava ou está ainda fazendo a desprogramação do galo de briga ( crueldade sem limites) .
    O ÓRGÃO GOVERNAMENTAL apreende galos de criadores (preservadores do galo de briga) e entrega essas magníficas aves a pessoas , Ongs e até a Zoológico onde os galos ficam sob custódia de pessoas que não têm a mínima noção de manejo , por isso os galos não duram muito tempo ….isso sim é uma crueldade .

  338. Geraldino Freitas disse:

    Frases sobre briga de galos :

    HA MUITO QUE O CRIADOR PERMITE AOS HOMENS INTELIGENTES, CRIADOS À SUA IMAGEM E SEMELHAÇA LUTAR EM PÚBLICO. NÃO SEREI EU QUEM IMPEDIRÁ AOS GALOS O MESMO PRIVILÉGIO.
    ABRAHAN LINCOLN-(PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS).

    SE A ESTA ALTURA NÃO ESTIVESSE TÃO PRIVADO DA VISÃO, SERIA DO MEU GOSTO AS RINHAS DE GALO. É UM ESPORTE TOTALMENTE IMPARCIAL. ESTE FATOR DE JISTIÇA QUE EMERGE DO COMBATEENTRE DOIS SÍMBOLOS DE VALOR PERFEITO SERÁ SMPRE DESTACADO NOS MAIS DIFERENTES LUGARES ATRAVÉS DOS TEMPOS.
    JORGE LUIZ BORGES-(ESCRITOR ARGENTINO).

    PESSOAS HÁ QUE CONDENAM AS RINHAS DE GALO COMO CRUÉIS; MAS, PORQUE DIABOS ESSES ANIMAIS NÃO SABEM FAZER OUTRA COISA SENÃO PELEJAR? NENHUM HOMEM É GRANDE SE CONPARADO A ESSAS EXTRAORDINÁRIAS AVES.
    HERNEST HEMINGWAI-(PREMIO NOBÉL DA LITERATURA)

    PARA QUE SE COMAM AS AVES ELES TAMBÉM PRECISAM MORRER.(PORQUE NÃO PÔ-LOS A LUTAR).
    GENERAL CHARLES DE GAULLE-(HERÓI DE SEGUNDA GUERRA MUNDIAL).

    AS LUTAS DE GALOS PODEM SER TAXADAS DE ILEGAIS POR ALGUMAS PESSOAS, TODAVIA, ELAS SÃO PERFEITAMMENTE LEGAIS PARA AS PESQUISAS E DIVULGAR SUA INCONTESTAVEL ATRAÇÃO PARA SUBSTANCIAL SEGMENTODA POPULAÇÃO DO MUNDO.
    ALAN DUNDES-(PROF. DE ANTROPOLOGIA E FOLCLORE DA UNIVERSITY OF CALIFÓRNIA-BERKELEY).

    AS VERDADEIRAS RAÇAS DE GALINÁCEOS TEM SIDO CRIADAS TOTALMENTE SEPARADAS ADSCRIAÇÕES CASEIRAS DE CONSUMO DOMÉSTICO HÁ SÉCULOS. ELAS VÊM SENDO SELECIONADAS EXCLUSIVAMENTE PELAS SUAS HABILIDADES DE COMBATE. SÃO AVES IMPORTANTE PARA O FUTURO DA INDÚSTRIA AVÍCOLA.
    FOREST MUIR-(DIRETOR DO DEPARTAMENTODE CIENCIA AVÍVOLAS DA UNIVERSIDADE DE OHIO- USA)

    ….ERA UM GALO COMBATENTE CASTELHANO. EM SUAS PERNAS BRILHAVAM ESPORÕES DESAFIANTES. NUNCA PUDERA CONTEMPLAR TAMANHA SEGURANÇA E GALHARDIA.
    (ODE AO GALO)- PABLO NERUDA-(PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA).

  339. Geraldino Freitas disse:

    PUBLICANDO A VERDADE
    RONALDOC 14/07/2008
    ronaldo.aerolev@yahoo.com.br

    A ignorância das coisas conduz-nos fatalmente ao exagero. A citação não é nova, é bem sabido. A confirmação temos obtido através da história, onde povos e nações nos ofereceram muitos exemplos, alguns extremamente precipitados e sinistros, como o ocorrido a GALILEU, quase queimado vivo por sentença do Tribunal da Inquisição, simplesmente por ter afirmado ser a terra redonda. Mas, se o que ignoramos é sempre exagerado, é implícito que reconheçamos ser o exagero o subterfúgio dos desarrazoados.É o caso das lutas de galos, esporte emocionante, praticado em todo o mundo civilizado, mas que à morbidez de certas pessoas se afirma como perversidade, sadismo e outras tantas tolices, que bem caracterizam conflitospsiquicos ou mentalidade por demais rasteira e atrofiada de quem assim o julga, mutilando a ótica e turvando os horizontes.
    É bem sabido de que todo leigo tem soluções próprias para os problemas alheios. Por essa razão, compreende-se facilmente porque as lutas de galos são tão caluniadas por alguns, que contra elas despejam uma infinidade de julgamento errôneos, infundados, absurdos e em sua maioria levianos.
    Entre as opiniões mais generalizadas, figura a de que as lutas de galos são promovidas por pessoas incultas, rudes, grosseiras e na maior parte das vezes, de nenhuma ou de muito pouca civilidade. É certo de que as pessoas que esgrimam com semelhantes argumentos, certamente nunca presenciaram uma luta de galos realizada na devida forma, senão jamais argumentariam que somente indivíduos sem cultura e de instintos baixos poderiam interessar-se por essa modalidade de espetáculos. Semelhante argumentos esboroam-se facilmente quando são citados nomes de galistas ilustres, muito aliás, que se destacam nas diversas atividades em todo mundo.
    O mais interessante é que pessoas nada esclarecidas sobre os processos biológicos que regem os seres e as coisas e muitas vezes incapazes de distinguir um galo de uma galinha, arvoram-se como seus defensores, ignorando que essas extraordinárias aves brigam desde os primeiros dias de nascidas e se não houver a pronta interferência do homem, se aniquilarão ou se inutilizarão para sempre. O galista, pois, verdadeiro protetor de uma espécie de grande méritos, é um abnegado e mais do que isto, tem de possuir uma espécie de real vocação para o esporte, pois a criação e o manejo desses animais se prende à particularidades muito especiais, onde a dedicação, carinho e o espírito de observação são fatores para se levar a bom termo a tarefa. Parecerá exagero isto, mas quem conhecer de perto um galista, em pouco tempo se inteirará de seu carinho e dedicação para com suas aves e não raro verá que, com orgulho, ele lhe apontará determinado animal, já afastado das competições, com seis anos ou mais conservado como ? jóia rara ?. E feliz desse exemplar que não teve a indefectível sorte de um frango de corte!!! Morrerá de velhice ou de insidiosa doença, mas jamais para o inglório fim culinário.
    Galo-de-briga luta instintivamente, e isto se constituí no seu maior desejo. Não são instigados um contra o outro como comumente acreditam os leigos no assunto. Brigam por necessidade, pelo seu próprio instinto e pelas excepcionais qualidades com que a natureza os dotou. Apenas o homem, para que essa luta não se tornasse aleatória, como sucederia sem a sua interferência, estabeleceu normas para a igualdade em peso e altura evitando um desproporcional domínio de um lutador sobre o outro. Ninguém desconhece que as lutas de galos são praticadas em todo o mundo desde épocas imemoráveis! Nas Américas. Este emocionante é difundido da Patagônia às terras frias do Canaã. Em Orlando, na Florida, existiu um rinhandeiro famoso conhecido pelos galistas de todo mundo. Várias são as especialidades sobre o esporte publicadas nos Estados Unidos com matéria muito atraente. Podemos destacar, Gamecock, Game Fowl, News, The Feathered Warrior, Poltry Press e Grit and Steel, esta, beirando os 100 ANOS de EXISTÊNCIA. Entre centenas de anúncios de criadores de aves de combate, apetrechos galísticos, medicamentos, rações, e outros da espécie, destacam-se alguns de escolas para galistas, onde os novatos no esporte especializam-se na difícil arte de reproduzir, criar e preparar os galos para as rinhas.
    Na FRANÇA, onde o esporte está regulamentado por lei do então Presidente Marechal Charles De Gaulle, existe uma Confederação dos Galistas com sede na Cidade de Lille, com o nome ? FÉDERÁTION DES COQUELEURS RPÉGION NORD DE LA FRANCE ?, a qual mensalmente pública interessante jornal intitulado ? LE COQ GAULOIS ?.
    Transportando-nos à ESPANHA, vamos encontrar um órgão galístico, este, operando dentro do Sindicato Nacional de Ganaderia e conhecido como Grupo Sindical de Criadores y Exportadores de Gallos de Peleas y Aves Deportivas. Foi fundado em 1967 em Madrid e com grande objetividade vem controlando e incentivando a criação dessas belicosas e notáveis aves.
    Encontramos também na América do Norte entidade galística similar de grande atuação conhecida como The United Gamefowl Breeders Association ? UGBA e no MÉXICO, filiada a Unión Nacional de AVICULTORES, A Sccion de Criadores de Gallos de Combate, na própria Capital Federal.
    Na Índia, berço das lutas-de-galos, existem vários órgãos de preservação às raças de briga, como por exemplo, o The Departament of Animal Husbandry, em Andhara Pradesh que vem selecionando e aperfeiçoando a muitas vezes secular raça Assel de combate, uma das mais antigas do globo, o mesmo acontecendo no Paquistão, onde a Pakistan Poultry Association tem o encargo dessas importante tarefa. Omesmo acontece no JAPÃO, onde o combatente shamo vem sendo preservado sob o sistema de competições por vários órgãos locais, entre eles a ZENKOKU NIHON-KEI KYOKAI.
    Na Inglaterra, muito embora as lutas de galos permaneçam incompreensivelmente proibidas há mais de um século, é surpreendente como o desenvolvimento do esporte vem crescendo dia a dia, num frontal desafio às autoridades locais que perguntam a si mesmas a razão da expansão de uma prática julgada já marginalizada, sem encontrarem uma saída satisfatória.
    A resposta é fácil, entretanto. Não é necessário que recorramos ao cabedal de juristas ou a psicólogos, nem tampouco a dogmas de intolerantes puritanos para chegarmos à razão. As lutas de galos existem e florescem devido a uma Lei biológica imutável e soberana, muito diferente da lei dos homens, pois enquanto a primeira está integrada no equilíbrio natural das coisas, a segunda emana do interesse ou da conveniência de cada um, ou ainda, do admitido como certo dentro de uma comunidade. Ninguém dirá de bom senso que a lei dos homens proíba de chover ou fazer sol. Ninguém de bom senso, portanto, poderá admitir que dois galos deixarão de brigar devido a uma simples lei ditada pelos homens. Se os galos lutam é porque são belicosos e se não ocorresse, os homens jamais se interessariam por tal esporte. Tanto é assim, que em algumas reportagens o JORNAL LONDRINO ?NEWS OF THE WORLD ? focalizou o assunto, demonstrando que as lutas de galos na Inglaterra continuam mais VIVAS do que nunca. Por outro lado, existem na GRÃ-BRETANHA vários clubes de aves de briga que zelam pela preservação das velhas raças inglesas de combate, de atuação muito destacada na sobrevivência do esporte. O certo é que em nenhum país do mundo a proibição às lutas de galos possui o efeito desejado. Não é admissível, pois, que na era ATÔMICA e das viagens à lua, entidades cabalísticas que se arvoram defensoras dos animais continuem em atraso em atraso biológico secular, perpetrando acintoso crime contra a ZOOTECNIA. Caberia, isto sim, às nossas autoridades, fiscalizar tais entidades e somente permitir atividades as que possuem efetivamente condições para dentro de um campo biológico e não teórico, imprimir campanha de proteção aos animais, atendendo-se às condições peculiares a cada espécie, dentro de suas aptidões e finalidades e não explorando demagogicamente o lado sentimental dos leigos e desavisados. Não é cabível que se protejam as espécies selvagens do extermínio e se permita passivamente o aniquilamento de algumas domésticas, puras e simplesmente por um inexplicável ódio ZOOLÓGICO. Seria um paradoxo dos mais gritantes e absurdos! Aos galistas , pois, vem sendo legada a difícil e importante missão de proteger e preservar uma das mais nobres espécies domésticas, OGALO COMBATENTE, evitando sua miscigenação e abandono, sem o que viria a ser interrompido expressivo ciclo muitas vezes MILINAR de rigorosa e profícua seleção. Atentar-se contra legados de tal natureza alegando-se a tese de proteção aos animais é que não encontramos justificativas.
    Em conhecido livro sobre avicultura, JOÃO BRUNINI, categorizado autor patrício, afirma com grande propriedade que se não houver existido as PELEJAS de galos como DESPORTO POPULAR desde tempos remotos, seria pouco provável que houvesse na atualidade exemplares de aves tão fortes e perfeitas, e a AVICULTURA tanto COMERCIAL como a praticada simplesmente por afeição careceria de um de seus mais sólidos baluartes!
    Ma, magnífico exemplo, investido de grandes ensinamentos, que deveria deixar muita gente a meditar pela grandiosidade do seu conteúdo filosófico e que toca diretamente às lutas de galos, nos dá SANTO AGOSTINHO, o ÁGUIA DOS DOUTORES- nos versículos 25 e 26 do capítulo VIII ? Livro I ( Tomo Terceiro ) de sua grandiosidade obra DE ORDINE, ( BAR-LE-DUC, L. GUÉN Cº – ÉDITEURS ? 1864 ).

    Conta-nos SANTO AGOSTINHO, que após oferecido a Deus seus votos de cada dia, pôs-se a caminhar com dois amigos por um lugar que lhe era familiar, quando perto à soleira de uma porta deparou dois GALOS que se entregavam a um combate muito violento. Pararam para APRECIAR a peleja e sobre o espetáculo são essas suas considerações:

    ? Detivemos-nos. Quem não olha ou por onde não passam olhos amigos ao procurar se em alguma parte aparecerá aquela beleza da inteligência que modifica e governa tudo, tanto pela ciência como pela ignorância, que arrasta por toda parte seus discípulos ávidos, e se faz procurar por toda parte? De onde e em que lugar não pode ela absolutamente revelar-se? Assim, naqueles GALOS, era preciso ver suas cabeças inclinadas para a frente, as penas do pescoço eriçadas, os choques violentos, os desvios ágeis e em todos os movimentos desses animais, nada que não fosse conveniente. Tudo neles, REGULADO POR UMA RAZÃO SUPERIOR, enfim, a lei imposta pelo vencedor, seu CANTO DE GLÓRIA e seus membros assumindo uma forma imponente para atestar a magnificência da dominação; o vencido, testemunhando a derrota, arrepiando as penas do pescoço, não demonstrando na voz e nos movimentos senão disformidades; portanto, nada que não fosse em harmonia com as leis da NATUREZA. Indagamos então uns aos outros. Por que isso é assim? Por que RAZÃO achamos no aspecto do combate um certo prazer de espectador? Que havia em nós que buscava coisas tão longe dos sentidos?? Que havia ainda influenciado a despertar os sentidos?? Dissemos a nós mesmos; onde não está presente a lei? Onde o império não é conferido ao melhor? Onde não está presente a sombra da constância? Onde deixa de existir a imagem dessa beleza tão real? Onde deixa de existir o equilíbrio? Nossas reflexões eram locais, mas meditamos como coisas tão notáveis tinham até então escapado ao pensamento de 03 ( três ) homens que a elas se dedicavam. Assim que regressamos, pois escrevemos com cuidado este acontecimento em nosso livro. Ninguém pode recuar-se a aprova-lo, mas é raro e difícil senti-lo quando nos entregamos ardentemente a outros estudos ?.

    Também SÃO THOMÁS DE AQUINO tece considerações muito objetivas que podem ser aplicadas às lutas de GALOS.

    Diz ele:

    ? …..ninguém peca por usar uma coisa para o fim ap qual ela é destinada. Ora, na ordem das coisas, as menos perfeitas são para as mais perfeitas; assim como também, no seu processo de geração a natureza vai do imperfeito para o perfeito. Donde vem que, como na geração do homem, forma-se em primeiro lugar o ser vivo, depois o animal e depois o homem, assim também os seres que só têm vida, como as plantas, são destinados geralmente a servir todos os animais; e os animais, ao homem. Por isso, não é ilícito usarmos das plantas para utilidade dos animais, e dos animais para a nossa ?.

    ( SUMA TEOLÓGICA, VOL. XIX, PAG. 125, TRAD. DE ALEXANDRE CORRÊA ).
    Ora, dentro das utilidades destinadas ao homem, certamente que está o esporte, o divertimento. Épor isso que o cavalo é usado nas corridas, os peixes nas pescaria por distração, a raposa para satisfação da vaidade e luxo femininos e o GALO COMBATENTE conseqüentemente, para as disputas nos rinhandeiros.
    Mas, para chegarmos a origem do galo doméstico e particularmente a do GALO COMBATENTE, teríamos que retroceder a eras muito remotas. Exaustivas pesquisas nos conduziriam a épocas ASSAZ distantes antes de atingirmos a ARCH/EOPTERYX LITOGRAPHICA, cuja existência data do JURÁSSICO, era MESOZÓICA, há cerca de 120 a 160 milhões de anos dos dias atuais, como afirmam certos cientistas,arqueólogos e outros. Esta é a remota e provável responsável pelas espécies de aves que povoam o nosso PLANETA. Do GALLUS, ave selvagem e extremamente COMBATIVA, cujo habitat se estende a algumas regiões do SUDESTE ASIÁTICO, é indiscutível que surgiram os GALOS DE RINHAS de intransigente e admirável apanágio GURREIRO.
    As mais antigas citações sobre as lutas de GALOS, vêm-nos do código de MANU, há mais de 5.000 ( cinco mil ) anos de nossa era. É fácil de se entender portanto, como essas fabulosas aves chegaram ao surpreendente estágio atual de beleza, força coragem e resistência. Empregadas em sistemáticas competições durante séculos e séculos e submetidas a cada geração a processo de preparo físico especiais e alimentação adequada, é claro de que teriam de exibir semelhantes atributos, tornando-se uma das espécies domésticas dos mais altos méritos.

    O JORNALISTA LEAN CAU, num dos números da revista ? PARIS MATCH ?, membro de uma SICIEDADE PROTETORA DE ANIMAIS DA FRANÇA onde o esporte está REGULAMENTADO POR LEI, assim se refere às lutas de galos:
    ? Como se ousa fazer os galos lutarem entre si? Resposta: por se amar no mais elevado grau o que neles é o mais digno de ser amado e liberado; sua beleza, sua coragem e seu instinto. Ninguém mais do que um GALISTA ama seus GALOS. São os GALOS-DE-BRIGA, animais NOBRES, LIVRES, BELOS E ORGULHOSOS, nos quais não se injetam hormônios e não se castiga os olhos; animais a que não se impede de dormir com PODEROSAS LÂMPADAS; que não se aglutinam aos milhares, asa com asa nas granjas para que engordem em algumas semanas, onde vacilam miseravelmente sobre suas pernas de ossos frágeis; que não se mata, que não se ferve e que não se embrulha em série em papel celofane. São, ao contrário, animais dos quais se cultiva a beleza, a força e a resistência física, aos quais se oferece a alegria sim, a alegria de fazer-lhes explodir o que eles mais gostam no mundo: seu prodigioso instinto de combate, transmitido geração a geração ?.

    E sabem qual a vida média de um GALO COMBATENTE?? Sem medo de errar podemos fixa-la num ciclo de quatro a seis anos e às vezes mais, como por exemplo célebre e belicoso CHANTECLER NORTE-AMERICANO, cuja foto foi publicada num dos números de uma quase centenária revista galística daquele país irmão. Vinte anos de idade chegou a completar a referida ave, já cega pela velhice e alimentada pelo seu dedicado dono. Sua morte causou grande tristeza a seu criador, pois havia sido um grande CAMPEÃO DOS RINHANDEIROS.

    E sabem quanto VIVE UM FRANGO DE CORTE? Uma GALINHA DE POSTURA?
    Posso assegurar que o 1º ( primeiro ) não passará de noventa dias e a 2ª ( segunda ) será descartada após o 1º ( primeiro ) ano.

    A importância e a necessidade, pois, da preservação dos GALOS COMBATENTES no mundo atual dentro DO SISTEMA DE COMPETIÇÕES, tornou-se tão necessária que hoje pessoas mais diligentes vêm organizando FERERAÇÕES E ÓRGÃOS semelhantes , para que essas aves não se deteriorem nem desapareçam ou cheguem à beira DA EXTINÇÃO.
    Mas, para isso, há a necessidade também de se combater lendas e abusões, algumas fortemente arraigados à cultura popular, ou por supertição ou por simples ingenuidade. Assim, ainda há quem acredite que manga com leite faz mal. Passar em baixo de escada da azar. E outras muito corriqueiras. São crendices que antecedem nossos tataravôs e que chegam aos nossos dias atreladas a preconceitos outros do mesmo gênero, que se banalizam e se eternizam nos hábitos populares e são difíceis de ser erradicadas. O mesmo acontece com o ESPORTE GLÍSTICO, vítima de campanha infundadas, difamatórias e absurdas. Isto, tornou-se um hábito através de gerações e se deve à campanhas perniciosas de pessoas HIPÓCRITAS, PSICOLOGICAMENTE ANORMAIS E LEIGAS no que seja PROTEÇÃO aos ANIMAIS. Jamais essas pessoas souberam o que vem a ser CRUELDADE, PRESERVAÇÃO DAS ESPÉCIES, APRIMORAMENTO DAS RAÇAS OU COISAS SEMELHANTES. Falam da boca pra fora enquanto se acomodam em cômodas poltronas de suntuosos gabinetes. Ora, todo cidadão perfeitamente normal sabe que a CRUELDADE tanto pode ser física como mental. Todas são perversas. A física, pode partir de uma agressão armada ou não, enquanto a mental pode mesmo ter origem num ato de intimidação, coação ou impedimento de qualquer atividade individual. Por ser complexa é sumamente diversificada. CRUELDADE não se limita apenas a uma agressão física e muito mais do que isto, é uma ação covarde das mais variadas formas. Quando uma granja avícola sacrifica milhares e milhares de pintos, queimando-os vivos ou afogando-os num rio mais próximo, está cometendo uma abominável CRUELDADE. Quando num abatedouro coloca centenas de cabeças de aves num funil, sem qualquer defesa, para que sejam decapitadas e seu SANGUE se esvale pelo fino gargalo para que não se perca uma só gota, queiram ou não, está se cometendo uma terrível CRUELDADE. Porém, quando 02 ( dois ) galos lutam, com ou sem a interferência do homem, não há explicitamente qualquer ato de CRUELDADE, já que se trata de uma impulsão biológica traduzida numa necessidade nata do seu instinto. Por isso, eles são de RAÇA COMBATENTES. Podem ser JAPONESES, INDIANOS, CHINESES, TAILANDESES, ESPANHÓIS, INGLESES, NORTE-AMERICANOS, etc. Não importa, são todos de RAÇA COMBATENTES e com o mesmo instinto belicoso. Lutam por necessidade como o fizeram seus ancestrais há MILÊNIOS atrás. Só que numa luta de GALOS não há a interferência direta de homem sobre o animal. Apenas, há uma regulamentação para que ambos os lutadores se igualem em peso e altura para que impere um equilíbrio na disputa, coisa que não acontece em CAMPO ABERTO, quando 02 ( dois ) ou mais desses lutadores de penas fortuitamente se deparam e medem forças. Nesse caso, o menor não recuará ante o poderio do maior e o tempo se encarregará do resto. É a lei biológica, sábia e imutável que DARWIN classificou como a lei da sobrevivência que confere ao mais forte a perpetuação das espécies. Um ponto, porém, deve ser ressaltado; é que o GALO COMBATENTE, trazido à domesticidade, demonstrou outras aptidões na combatividade, já que luta apenas em defesa do território, mas por necessidade para liberação de energia. E todo GALISTAS sabe que GALO COMBATENTE EMGAIOLADO por muito tempo, afastado das lidas, morre inapelavelmente de tédio. Essa que é a VERDADE! Nos dia atuais, os pesquisadores do chamado 1º ( primeiro ) mundo, preocupam-se com grande empenho na utilização das espécies silvestres no melhoramento genético das raças domésticas. Para isso, são criados ? Bancos de genes ? com a finalidade de por em prática os animais avançados conhecimentos da engenharia genética com fins a melhorar entre outras coisas, a senectude dos plantéis das várias espécies de animais domésticos. Cogita-se, inclusive, na implantação de uma Rede Nacional de Bancos de Gemoplasma para a conservação da biodiversidade como um todo. As raças de galinhas, de carne ou postura, serão as mais beneficiadas. Embora tenham tido origem nas similares combatentes, o que é incontestável, vêm se deteriorando com sofisticação imposta à avicultura para a obtenção de produtos mais precoce e rentáveis. Para isso, os animais são mantidos sob poderosas lâmpadas, em gaiolas individuais, algumas vezes em estrados de madeira e alimentados com rações que lhes proporcionam em 45 dias condições de mercado. Em conseqüência, tornam-se apáticas, vulneráveis à doenças, perdem a fertilidade e se retiradas do local de confinamento, mal saberão caminhar. Quanto às raças de galos combatentes, isso não acontece. Selecionadas em competições em milhares de anos, com alimentação apropriada, assistência veterinária permanente e invulgar carinho, exibem-se hoje em protótipos de robustez, rusticidade, arcabouço ósseo/muscular privilegiado, fertilidade, força e coragem. Sem dúvida, o que pode haver de mais positivo para a recuperação dos rebanhos avícolas atuais, que muito carecem de um eficaz e diligente trabalho genético. E não é só. O galo combatente brasileiro é dos melhores do mundo e pode com sua rusticidade e compleição física ser utilizado na formação de aves de corte de grande categoria, evitando-se a importação de matrizes do exterior e, conseqüentemente, economizando-se divisas. Por outros lado, temos de reconhecer que as lutas de galos se constituem em uma das mais autênticas manifestações folclóricas do nosso povo. Os criadores dessas fabulosas aves, são invariavelmente, pessoas ordeiras e trabalhadoras, chefes de família exemplares e antes de mais nada preservam perseverantemente uma espécie das mais valorosas. Se não fosse sua ação nesse sentido, por certo já estaria ela extinta pela miscigenação ou pela atuação inconseqüente de pessoas de pouca ou nenhuma visão do que seja meio-ambiente, biodiversidade e eco-sistema. Certo de que existem indivíduos menos esclarecidos e levianamente mal orientados. Pode ser até que essas pessoas tenham mesmo bons sentimentos; apenas não sabem utilizá-los. Não obstante, este procedimento vem causando grandes danos a humanidade, por vezes, irreversíveis. O biólogo Forest Muir, Direto do Departamento de Ciências Avícolas da Universidade de Ohio ( USA ), em pronunciamento publicado no Columbus Dispatch, em 24 de março de 1991, referindo-se as aves de raças combatentes, faz importante referências às suas qualidades, terminando em considerá-las aves de grande importância para o futuro da indústria avícola. Se as lutas de galos fossem realmente um esporte de vândalos e cruéis personagens, não possuiriam a farta literatura mundial nas mais variadas línguas, complementadas com centenárias revistas, nem possuiriam órgãos de preservação, ou ainda, leis de proteção e preservação, como acontece em vários países, inclusive o Japão. Isto, sem dúvida, seria assunto para uma interminável explanação e consumiria ainda muitas folhas de papel. E isto é dizer pouco, sabendo-se que figuras como os Presidentes Norte Americanos Washington, Jefferson, Jackson e Lincoln foram ardentes apreciadores das rinhas de galos, sendo este último, inclusive, renomado juiz de rinhas. Também, nomes como o do inventor dos pára-raios, Benjamim Franklin, do escritor Ernest Hamingway, do Presidente Argentino Hypólito Hirigoyen e de muitos outros, podem ser acrescidos a esta lista. No Brasil, destacamos nomes como o do Senado Pinheiro Machado, Ministro Oswaldo Aranha, o do saudoso Presidente Tancredo Neves, o do jornalista Assis Chateaubriand e o de Lineu de Paula Machado, para não citar uma lista interminável de autênticos galóficos de ontem e de hoje. Na Constituição Brasileira, verifica-se na Seção III ? Do desporto, em seu artigo 217 que ? é dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não formais, como direito de cada um ?. Logo a seguir, nas alíneas IV é garantida ? a proteção e o incentivo às manifestações desportivas de criação nacional. À luz do direito, temos ainda na nossa Constituição, em seu Capítulo VI ? Artigo 225 ? Do meio Ambiente ? um esteio amplo e sólido que pode ser perfeitamente adequado aos processos de preservação das raças de galos combatentes, já que constituem elas o mais sólido baluarte de avicultura de todos os povos, bem como o definiu certo avicultor e escritor patrício. Entre outras coisas, reza o seu Artigo 225 ? Parágrafo 1º – alínea VII ? proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécie ou submetam os animais a crueldade ?. Ora, é indubitável que as raças de aves combatentes se constituem num patrimônio genético inestimável e que isso só foi possível devido à prática de sucessivas competições em milhares e milhares de anos. Também é indubitável de que esses processos aparentemente cruel, mas evidentemente necessário, premiou a espécie com atributos surpreendentemente apreciáveis, como impressionante rusticidade, musculatura privilegiada, vigor físico incomum e extraordinário potencial genético. Não fossem as lutas de galos, jamais isto teria acontecido. Por outro lado, não se pode atribuir crueldade ás práticas desse folclórico esporte, já que não há ação direta do homem sobre o animal, uma vez que eles lutam por impulso natural instintivo porque assim determina e impele seus genes. O certo é que não se pode julgar crueldade em competições galísticas sem conhecer de perto esses animais e compreender também, o amor e dedicação a eles dispensados pelos seus criadores, sejam no Brasil ou em qualquer outra parte do mundo. Crueldade contra os animais, existem sim, em proibir a prática dessas competições, já que com esses ato impensado atenta-se contra o patrimônio genético de toda uma espécie, causando-lhe deterioração e em seguida sua extinção com graves prejuízos ao contínuo melhoramento das raças destinadas ao comércio e à indústria! Não é por frivolidade que os puros-sangues são postos a competir nas pistas de corridas! Não é por sutileza de princípios que o pombo-correio é treinado para competir! Não é por requintes de agressividade que determinadas raças de cães são treinadas no combate ao crime e proteção do patrimônio público ou privado! Também não é por inominável crueldade que se põem os galos a pelejar! Tudo isto, é indubitável, possuir ligações óbvias com a célebre teoria do naturalista Lamarck, de que a função é que faz o órgão. Compreende-se assim, a necessidade da preservação do galo combatente, principalmente pela sua inquestionável importância no seio das espécies domesticas. As competições a que são submetidos, nada mais são do que um complemento à manutenção e ao aprimoramento de suas qualidades, o que ocorrendo a séculos. E é bom que se diga que a proibição a essa prática em alguns países jamais alcançou o fim desejado. E isso é muito fácil de se entender, pois um galista jamais foi ou será um contraventor e sim cultor de uma avicultura especializada, queiram ou não os ? donos da verdade ?. Não fosse isso, a espécie combatente já estaria extinta ou desfigurada pela miscigenação e dela só teríamos notícias em publicações ou livros. Aliás, as campanhas que comumente são detonadas contra o esporte galístico, até aqui, têm-se constituído num amontoado de leviandades, sem qualquer fundamento lógico, arrazoado ou científico, em que se possa enquadrar tese de proteção ou preservação de qualquer espécie animal. Que haja gente que não goste das competições galísticas, se admite. Não se pode obrigar ninguém a gostar de determinadas coisas, assim como o gosto por uma delas não pode ser imposto a quem quer que seja e, muito menos, cabe a alguém impor a outros a sua vontade de não gostar, pura e simplesmente por sua maneira de encarar os fatos. Na verdade, não compete ao ser humano guerrear irracionalmente contra os galos combatentes nem contra qualquer outra espécie animal, mas pesquisar sua utilidade e valor intrínseco no contexto biológico. Devemos, igualmente, nos compenetrar, de que Proteger pe Conservar e Não eliminar e que Por sua vez é Manter, Aperfeiçoar e Não Destruir já Que Não Existe Nenhuma Sabedoria em o Homem Destruir o que Ele Não Criou. Acrescente-se ainda, que não é só correto mas imperioso, proteger sem demagogia e preservar com sabedoria, pois o leigo geralmente é pródigo em soluções simplistas para tudo, e o mal intencionado, no seu eufemismo, um detentor de arsenal dos mais nocivos na prática do seu vandalismo ornitológico. Especificamente com respeito ao galismo, há um adágio latino de Horácio que se aplica bem ao caso e deve servir de advertência ? Naturam Expelles Furca, Tamen Usque Recurret ( expulse a natureza com um forcado e ela voltará correndo ).

    Emerson, julho de 2008

  340. Geraldino Freitas disse:

    Precisamos preservar o legimo galo de briga brasileiro , esses galos foram selecionados durante anos , temos hoje uma raça valiosa e fenomenal , mas infelizmente os “protetores” estão querendo extinguí-la . O governo Brasileiro deveria cumprir o que está escrito na constituição , isto preservar essa majestosa ave combatente e também não ignorar a tradição do povo brasileiro na questão das lutas de galo .

  341. Geraldino Freitas disse:

    O GOVERNO BRASILEIRO DEVERIA CONSTITUIR UMA EQUIPE DO MAIS ALTO NÍVEL PARA PRESERVAÇÃO DO GALO DE BRIGA BRASILEIRO , A ÚNICA FORMA DE PRESERVAÇÃO É SELECIONAR OS MELHORES ( OS QUE SÃO CAMPEÕES EM LUTAS) PARA CRUZAREM COM GALINHAS LEGITIMAS DE BRIGA E ASSIM PERPETUAR A FANTÁSTICA ESPÉCIE DE AVE COMBATENTE BRASILEIRA .

    AS PESSOAS LEIGAS E TAMBÉM AS DE MÁ FÉ MISTURAM TUDO E DIZEM QUE TODOS OS GALOS SÃO TODOS IGUAIS E SEMPRE CITAM O EXEMPLO DE GALOS DE SÍTIOS QUE BRIGAM UM POUCO E O MAIS FRACO LOGO FOGE . O GALO LEGITIMO DE BRIGA É A AVE MAIS EXTRAORDINÁRIA QUE EXISTE NA TERRA , SUA VALENTIA É INIGUÁVEL , SUA POSTURA É FENOMENAL , SUA BELEZA É VISLUMBRANTE .ESSA MARAVILHA DA NATUREZA MERECE SER PRESERVADA E ELAS VIVEM ATUALMENTE PORQUE OS GALISTAS AS CRIAM ….SE NÃO FOSSEM OS GALISTAS ELAS JÁ ESTARIAM EXTINTAS HÁ MUITO TEMPO .
    APESAR DE TODA A PERSEGUIÇÃO …..OS GALISTAS AINDA FAZEM UM GRANDE ESFORÇO PELA SUA PRESERVAÇÃO .

  342. Geraldino Freitas disse:

    NO VIDEO ACIMA, NO INÍCIO DELE PODEMOS VER O MALTRATO AOS GALOS DE BRIGA , O QUE FAZEM COM OS GALOS QUANDO APREENDIDOS …UMA VERDADEIRA BARBARIE …FOTO CHOCANTE DE GALOS DEGOLADOS NO PARANÁ.

    ESSE VÍDEO TAMBÉM MOSTRA ALGUNS EXEMPLARES DA FANTÁSTICA AVE COMBATENTE CRIADOS AQUI NO BRASIL.

    ESSE VÍDEO DEVERIA SER EXIBIDO NO CONGRESSO NACIONAL ,STF, GOVERNO PARA CONHECEREM O QUE ESTÃO FAZENDO COM O GALO DE BRIGA EM NOME DA PROTEÇÃO .

  343. Oswaldo Siqueira disse:

    Ana Paula e Deborah deveriam comentar o que está no vídeo ….o extermínio do galo de briga em nome da proteção de animais .

    Videoque consta da mensagem Geraldino Freitas

  344. Demilson Monteiro/RJ disse:

    Sou policial Militar do Estado d0o Rio de Janeiro, não vejo a Briga de Galos como, o fim do mundo, os nossos Ministros e parlamentares deveriam elaborar Leis mais severas,para Sancionar Punições adequadas a TRAFICANTES DE DROGAS, ASSALTANTES,HOMICIDAS, CORRUPTOS, buscando assim viabilizar a Segurança Pública que é um dever do Estado e Direito de Todos, Criando ainda a Maior Idade Penal; vivemos num País Democrata, Porémtenho saudades da Ditadura Militar onde Havia a Ordem Pública, período em que o A.I.( Ato Institucional) tirava plenos poderes de Parlamentares mal feitores qeu veêm a 24 anos Driblando e ludibriando o Cidadão, só aparecem quando se aproxima do período eleitoral, Mesmo assim não vejo mal algum nas Brigas de Galos, Criadores de Galos de Brigas não traficam, não matam, não vivem a margem da Lei, só defendem a LEGALIZAÇÃO DE UM ESPORTE que no Brasil pertence ao POVO LUSO-DESCENDENTE pos foi o EX Imperador D. Pedro I que itroduziu o esporte no País, assim como os Negro Criaram a Capoeira no Brasil, tais culturas fazem parte do COSTUMES DE UM POVO. Obs;Prefiria mil vezes saber que o meu filho es´teja num Rinhadeiro, do que saber que ele seja Bandido, o Meu Pai era Engenheiro Mecânico e Oficial Superior do COrpo de Fuzileiros Navais ama OS GALOS COMBATENTES, só falta o povo origináriode Galistas se Unir e Buscar através de Manifestações Pacíficas em todo o Território Nacional a liberação dos combates entre as Aves que são de Origem Asiática (Faun anão Silvestre)Vocês galistas devem cobra de quem vocês elegeram pois sem os seus votos não cegariam a Presidência da República, Senado, Câmara dos Deputados, ou Assembléias Leggislativas. Fico por Cá não sou amante da do Esporte, Mas conheço tudo sobre oas Ave, Cores, Raças, como Fazer Crusas, etc.

  345. Ana Paula disse:

    Demilson, se vc acha que rinha de galo nao é o fim do mundo, se tranque com outra pessoa e brigue com ela até a MORTE.Vamos ver se nao vai ser o fim do mundo.

  346. Francisco de Souza disse:

    Os galos que aparecem são um produto do homem através de centenas de anos , nem na natureza existem exemplares tão maravilhosos como esses do vídeo . É um absurdo querer comparar esses galos de briga com galos de sitios e fazendas que estão soltos por aí.

    Adorei o galo de briga preto com canelas e bicos brancos….não sou galista mas fico encantado quando vejo essas maravilhas , uma raça ímpar que deve ser preservada a todo custo , e a única maneira de preservar o galo de briga brasileira é através da seleção por lutas .

  347. Alvaro de Lucas disse:

    Gosto não se discute , mas na minha opinião o galo amarelo que aparece no início é soberbo e majestoso !

  348. Alvaro de Lucas disse:

    GALISTA NÃO É BANDIDO , NÃO É TRAFICANTE , PELO QUE EU CONHEÇO 99% DOS GALISTAS SÃO PESSOAS HONRADAS , BONS PAIS DE FAMÍLIA …..ESSAS PESSOAS SÃO APAIXONADAS PELA AVE COMBATENTE .

    A PIOR COISA QUE ESTÁ ACONTECENDO É APREENSÃO DESSAS MAGNÍFICAS AVES ….ELAS ESTÃO SUPER BEM CUIDADAS (QUANDO ESTÃO COM OS CRIADORES) , MAS SÃO APREENDIDAS E ENCAMINHADAS A ONGS , ZOOLÓGICOS , ETC , QUE NÃO TÊM O MÍNIMO CONHECIMENTO NO DIFÍCIL MANEJO DESSAS AVES ….SAEM DO PARAÍZO E VÃO PARA O INFERNO , POIS HÁ NOTIÍCIAS QUE UMA ONG. ESTÁ DESPROGRAMANDO O GALO DE BRIGA ( SÓ CONSEGUIRÁ ATRAVÉS DE TORTURAS AO GALO …DEIXANDO-O SUBMISSO …ISSO SIM É UM CRIME AMBIENTAL ….. O IBAMA DEVERIA INVESTIGAR E PUNIR OS RESPONSÁVEIS PELA DESPROGRAMAÇÃO DO GALO DE BRIGA.

  349. Ana Paula disse:

    Alvaro,
    Galista nao é bandido, Galista nao é traficante, Galista é sem vergonha!

  350. Jose de Alencar Olinto disse:

    No video temos a oportunidade de ver alguns exemplares de elegantes e magnificos galos de brigas , essas aves são de uma extraordinária beleza , são as mais valentes e combativas do reino animal .

    Se não fossem os galistas essa raça já estaria extinta há muito tempo.

    A briga de galo com regras e com tempo limitado seria útil para preservação dessa ave majestosa .

  351. ALVARO DE LUCAS disse:

    Ana Paula , eu te digo galista não é sem vergonha , é um apaixonado defensor da preservação do galo de briga ….galista adora criar as aves combatentes .

  352. cid disse:

    sou afavor de parar com a rinha de galo !
    desde que acabe com a vaquejada de barreto ,pesca exportiva que quebra o queixo do peixe e morre de fome ,sou contra o jogo do bicho ,sou contra a castração de touro para engorda …qdo acabar com isso ,deve acabar com a rinha degalo ,porque que os filhos da pta,querem acabar com o esporte dos pobres?

  353. ALVARO DE LUCAS disse:

    QUEM MAIS ESTERILIZA ANIMAIS SEM FINALIDADE DE ABATE , ISTO É CACHORROS/CACHORRAS SÃO OS DITOS “PROTETORES DE ANIMAIS” E ESSE CRIME ESTÁ BEM DEFINIDO NA LEI AMBIENTAL , POIS HÁ MUTILAÇÃO NO POBRE ANIMAL . AGEM ABERTAMENTE , pelo que se sabe o órgão governamental ainda não agiu contra esses mutiladores por esterilização (mutilização) em animais domésticos .

  354. Ricardo Molinar Henrique disse:

    Favoravel a legalização das brigas, porque sendo um esporte antigo e cuturalmente enrraizado no nosso país, a proibição jogou-nos na clçandestinidade e tudo que é clandestino torna-se territorio de más pessoas, o que tem contribuído pela desvalorização das raças e do esporte. O rodeio não foi regulamentado e igual mente causa sofrimento nos animais, mas artistas do meio sartenejo uniram-se e junto ao ministro Rafael Grega e foi legalizado, porque não podemos fazer o mesmo com as brigas de galo?

  355. Ana Paula disse:

    Bah Alvaro, da para ver que a paixao é tao grande que vcs galistas que se dizem preotetores dos animais botam eles para brigar!

  356. Adalberto Figueira disse:

    Esses mutiladores de cães são pessoas com elevado índice de maldade …. a arrogância e a prepotência na mente dessas pessoas é infinita ….eles dizem ainda que fazem um ato de amor ….pois a castração evita câncer … são perversos e sobretudo caras -de-paús …. então se a mutilização (esterilização ) é boa para o cão … é também boa aos “protetores de animais” , então deveria ter uma lei que quem comete o crime de esterilização(mutilação) seja também castrado/a e seguindo a linha de raciocinio dos criminosos mutiladores se a castração é boa para o cão é também boa para o homem . Pergunto , se existe algum “protetor / a ” que quer mesmo com anestesia ser castrado ????? A esterilização no(a) infeliz cão/cadela é fácil pois eles são indefesos .
    Esterilização ( mesmo com anestesia) é crime ambiental .

  357. Tiago Lacerda Franco disse:

    Muitas entidades lucros muito fazendo a campanha contra briga de galo , eles pedem doações e suas contas são engordadas .
    Ao mesmo tempo que fazem a campanha contra briga de galos eles fazem maldades contra os cachorros ( esterilizam …mutilam ovários e testísculos dos inocentes cães …um crime ambiental por mutilização !!!! )
    O IBAMA e o MP deveriam visitar essas entidades e aplicar a lei ambiental por mutilização em animais domésticos …..

  358. Tiago Lacerda Franco disse:

    LEI AMBIENTAL DIZ QUE MUTILAÇÃO É CRIME(MESMO COM ANESTESIA É MUTILIZAÇÃO) ….ESTERILIZAÇÃO É MUTILIZAÇÃO E PORTANTO CRIME ….. ENTÃO O MP E O IBAMA DEVERIAM COMBATER E MULTAR E PROCESSAR E SE O CRIME DE ESTERILIZAÇÃO (MUTILIZAÇÃO)ENVOLVER MAIS DE UMA ENTIDADE PODE SEM DÚVIDAS PROCESSÁ-LAS POR FORMAÇÃO DE QUADRILHA .

  359. ALAIR GOMES DE SOUZA disse:

    A lei canaria 8/1991 de 30 de abril (Ilhas Canárias -Espanha), de proteção aos animais em seu artigo 5.1 , estabelece a proibição de usar animais em brigas , festas , espetáculos e outras atividades que levem maltrato , crueldade ou sofrimento , MAS ESTABELECE A EXCEÇÃO NO CASO DAS RINHAS DE GALOS naquelas localidades em que tradicionalmente se vem celebrando .

  360. Ana Paula disse:

    Agoraa os que se dizem protetores dos animais influenciados por alvaro mudam totalmente de assunto!

  361. Déborah disse:

    Tudo bem,sou contra mutilar estes animais,mas e os galos,este quem são cruelmente abalados com navalhas,aaaaaaaaaaaaaaaaa,pra estes não preciisa lei,pra estes não é crime,estou fazendo uma faculdade,e um professor falou,-Pagamos um absurdo de impostos para termos direitos e onde eles estao onde mais precisamos???

  362. neuri disse:

    Senhorita Déborh quero lhe fazer uma pergunta: Oque você ganha ou deixa de ganhar com isso? E mais você gosta com serteza de um franguinho assado,guantos dias acha que ele teve dirito de viver? ha não sabe… eu já imaginava isso 35 a 40 dias.eu tenho galo de 12 anos. Faz sua faculdade e susega essa periguita;

  363. ALAIR GOMES DE SOUZA disse:

    Sou a favor da legalização de Briga de galo , mas com a condição de jamais usar esporas metalicas ou navalhas , a espora de plásticos para ambos os galos devem rigorosamente iguais e sem ponta pontiaguda …para que os galos perdedores saiam ilesos , sem graves ferimentos . Os galos se saírão melhor com a legalização e o controle governamental e toda luta deve ser acompanhada de médico veterinário .

  364. ALAIR GOMES DE SOUZA disse:

    As esporas de plasticos com encaixe em forma de dedal e fixada com fita adesiva ou por esparadrapo , isto é , as que são usadas no Brasil .

  365. João Catira disse:

    Alair nas Rinhas no Brasil as esporas são de plástico e as condições de combate são iguais para os galos, peso, tamanho e esporas, quanto a veterinários só são úteis nos Criatórios.
    O que temos o DIREITO de ter é uma Regulamentação das Rinhas de Galos

  366. RonaldoC disse:

    A verdade sobre o treinamento do galo brasileiro.

    O treinamento do galo de combatente brasileiro inicia-se desde o seu nascimento, quando o franguinho precisa receber uma alimentação abundante, diversificada e da melhor qualidade. Outro fator primordial é a liberdade, para que a ave possa desenvolver plenamente seus ossos e músculos.
    Aproximadamente aos 30 (trinta) dias de vida, inicia-se uma fase de grande dificuldade para o criador, pois os franguinhos, com o objetivo de disputar os postos de lidarança dentro do grupo em que são criados, se empenham em batalhas mortais. É nesse momento que o criador precisa intervir separando-os de forma que cadeias hierárquicas sejam criadas e mantidas sem que os animais se destruam.
    Após essa faze, ocorrerá um período de relativa calmaria que durará até os 08 meses de idade, aproximadamente, quando acontecerá a maturidade sexual e os frongos novamente envolver-se-ão em mortais batalhas pela disputa das fêmeas. Um pouco antes que esse período ocorra, ou no começo do mesmo, os frangos precisam ser separados em compartimentos individuais. Tais compartimentos devem ser espaçosos o suficiente para que as aves possam se locomover, visto que ainda estão em fase de crescimento. Normalmente são utilizados gaiolões de ferro, chamados de passeadores, os quais devem possuir a medida mínima de 1,5m de comprimento, 1m de largura e 90cm de altura. Os frangos ficarão nesses compartimentos até os 12 meses de idade quando finalizam a fase de crescimento e, após esse período, inicia-se a fase classificatória na qual o frango será submetido a testes para verificar suas aptidões para o combate, dentro de critérios relativos a métodos de defesa e de ataque. Tais testes consistem em lutas simuladas com proteções de borracha macia para que os animais não se machuquem, visto que o interesse é avaliar os métodos empregados pelos frangos. Um cridor muito eficiente conseguirá obter a aprovação de 40 a 50% dos frangos obtidos nos cruzamentos, sendo a média nacional de 35%. Tendo sido o frango aprovado na fase classificatória, o mesmo permanecerá inativo até os 17 meses de idade para que adquira maturidade e perfeita calsificação dos ossos. A maioria dos galistas extende esso prazo até os 20 a 24 meses de idade, fase em que o frango fez a primeira muda de penas e tornar-se-á um galo totalmente formado. Os frangos que não demostraram aptidões para o combate serão destinados a fins culinários, ou serão doados a pessoas carentes para servirem de alimento, ou serão doados a criadores de galinhas comuns para que sejam utilizados na reprodução, para obtenção de animais mais rústicos e com maior ganho de peso, ou, no caso daqueles que são excelentes nos métodos de defesa, mais pobres em atacar, serão utilizados como esparrings no treinamento dos galos destinados ao combate.
    Estando o galo na idade certa, conforme anteriormente exclarecido, e gozando de total saúde, iniciar-se-á o treinamento propriamente dito, o qual precisa ser gradativo e respeitar os limites de cada ave, visto que um animal que tiver seus limetes excedidos sofrerá de uma doença irreversível vulgarmente chamada de “estafa” o que acarretará na diminuição de 50% de todas as suas aptidões para o combate.
    Nessa fase o galo poderá ser tosado ou não, visto que a tosa é uma expressão mais relacionada à cultura local do que funcional. A aparação de cristas, barbelas e brincos não é necessária nos galos brasileiros, que, por serem de origem asiática, quase não possuem esses apêndices de virilidade. No entanto, se a crista for grande e pendida por cima dos olhos do galo, atrapalhando o seu campo de visão, a mesma deverá ser aparada por processo cirúrgico precedido de anestesia local.
    O treinamento do galo de briga nacional consiste de combates simulados com esparrings, utilizando as devidas proteções, que iniar-se-ão com diração de 5 minutos, aumentando gradativamente até 20 minutos, em um total de 08 a 09 combates, realizados de 07 em 07 dias, totalizando, aproximadamente, 90 dias de treinamento. Intercalados aos combates simulados serão realizados, duas vezes por semana, exercícios com o objetivo de tonificar os músculos das pernas, asas e pescoço. Banhos diários de sol no período de 06:00h às 10:00h são necssários. Nessa fase a alimentação dos galos é reforçada com grãos diversos, verduras, legumes, mel, ovos crus, carne e alguns suplementos vitamínicos existentes no mercado para animais em competição. Ao final do treinamento, estando a ave gozando da plenitude de seu vigor físico, o galo poderá ser levado a combater.
    Um galo pode combater durante quatro meses por ano podendo realizar, no máximo, 03 combates nesse período com raríssimas exceções. Nos outros meses do ano ou galo está em treinamento ou na muda das penas.
    Com a gradativa redução do tempo dos combates nas rinhas brasileiras, houve uma radical mudança nos métodos de teinamento dos nossos galos, visto que os mesmos não mais necessitam de grande massa muscular. Tais necessidades mudaram a fisiologia do galo combatente brasileiro tornando-o mais leve e ágil e o treinamento mais brando e focado na obtenção de velocidade, elasticidade e resistência.
    Cabe ressaltar que o treinamente acima descrito é básico podendo haver outros mais sofisticados, no entanto, o respeito às limitações de cada ave é primordial em qualquer método utilizado.
    O galo de briga é o único animal destinado ao consumo humano onde todos os indivíduos têm a chance de lutar por sua própria vida. Bois, porcos, carneiors e outros não têm essa opurtunidade. Um galo campeão será utilizado na reprodução perpetuando e aprimorando a espécie e poderá viver por muitos anos. É comum, nas casas dos galistas, serem encontrados galos com 7 ou 8 anos de idade conservados com muito carinho e dedicação, como reconhecimento aos seus feitos heróicos.

    RonaldoC.

  367. RonaldoC disse:

    A verdade sobre a rinha.

    O primeiro registro de rinhas de galos data de 3.000 anos AC. No Brasil, vem desde os primeiros anos da colonização pelos portugueses. A rinha é o local onde os galistas colocam a prova os seus trabalhos de seleção sendo também uma forma acessível de intreterimento para pessoas das mais diversas camadas sociais. A rinha de galos pode ser considerada o espaço público mais democrático do mundo, no qual ricos, pobres, velhos e novos podem estar juntos, fazendo exatamente a mesma coisa e com cahances iguais de obter sucesso ou não. Jovens e velhos estão totalmente integrados, estes com seu conhecimento e experiência e aqueles com a sua vontade de aprender a difícil arte de criar, selecionar e treinar galos combatentes. As rinhas no Brasil raramente têm a estrutura adequada à acomodação dos galos e, até mesmo, dos próprios freqüentadores. Tal fato ocorre em função da repressão ao galismo atualmente praticada que não torna inviável o investimento em infra-estrutura. Nos países onde esse esporte é regulamentado as rinhas são bem organizadas e possuem espaços não só para os galistas, mas, também, para suas famílias, sendo as mesmas anexas a clubes com piscinas, restauranres e vários outros tipos de intreterimento para as famílias dos galistas.
    As lutas seguem a um regulamento a nível nacional e são supervisionadas por um juiz que tem por atribuição tornar os combates justos e proteger a integridade dos animais.
    O regulamento brasileiro é um dos melhores do mundo e vem sendo aperfeiçoado para proteger cada vez mais a integridade dos combatentes. Um exemplo desse aperfeiçoamento é a diminuição do tempo dos combates que já foi de 02 (duas) horas e hoje tem a duração máxima de 01 (uma) hora. Também as esporas artificiais evoluíram, pois eram de duralumínio e hoje são de plástico, descartáveis, ponta de 03 a 04mm de espessura e imitam o formato da espora natural do galo que qual é muito mais agressiva devido a sua ponta naturalmente afiada e a sua curvatura em forma de gancho.
    O função mais importante da rinha de galos é a preservação do galo combatente pois, como pode ser observado no item “O galista”, 94.89% dos criadores destinam seus animais às rinhas e acabar com estas seria o mesmo que decretar a extinção da espécie. É na rinha que as aves precisão demonstrar seus mais valiosos atributos necessários ao desenvolvimento da avicultura de corte doméstica e industrial, ou seja, a rusticidade e o desenvolvimento muscular (ganho de peso).
    O atual regulamento prevê quatro tempos de 15 minutos, intercalados por intervalos de 5 minutos para descanso e refresco dos animais. Já existem rinhas que reduziram esse tempo para 55 minutos divididos em dois tempos de 20 e um de 15 minutos, intercalados com 5 minutos para refresco e dedescanso. Como evolução maior ainda, há algumas rinhas que reduziram o tempo das brigas para 45 minutos, divididos em dois tempos, um de 20 e outro de 25 minitus, intercalados com 5 minutos para refresco e descanso.
    O galo é dado como vencido quando o juiz percebe que o mesmo não tem mais condições de reagir aos ataques do adversário, evitando a morte da ave ou a sua total inutilização, sendo essa mais uma evolução no regulamento brasileiro.
    O Regulamento Brasileiro evoluiu muito nos últimos anos, mas ainda pode ser melhorado com objetivo de proteger os galos durante os combates.
    No Brasil não existem combates com esporas longas e afiadas ou cortantes, visto que não faz parte de nossa cultura. Tais apetrechos são utilizados em galos bankivóides que sabem lutar com essas armas.
    O assunto armas ou esporas é polêmico até mesmo entre os próprios galistas, no entanto, chegou-se à conclusão de que as de plástico, descartáveis e com ponta grossa são as ideais para o tipo de galo criado no Brasil. Alguns não-galistas acham que os galos devem lutar desarmados, no entanto, em função do curto tempo de duração dos combates aqui no Brasil, todas as lutas teriam como resultado um empate. Na Índia existe uma modalidade de luta (Dora Dirsa) em que os galos brigam desarmados e as lutas levam, muitas vezes, mais de um dia para serem decididas e os animais ficam totalmente desfigurados. Nessa modalidade de luta o que conta é a fibra e destemor do galo combatente.
    Quanto mais agressiva é a espora, menor a duração do combate e os galistas brasileiros acharam o ponto de equilíbrio, com combates de pouca duração e com grandes chances de sobrevivência de ambos os animais, sendo extremamente raros os casos de mortes em combate.

  368. RonaldoC disse:

    A verdade sobre a repressão.

    A partir do ano de 2004 as autoridades vêm imprimindo severa repressão contra as rinhas e criadores de galos de briga, no entanto, esse fato tem sido entremeado de várias irregularidades cometidas pelo próprio poder público. O que deveria ser um ato de repressão a maus tratos tornou-se um verdadeiro extermínio da espécie galo combatente, quando animais vêm sendo degolados, cremados vivos ou enterrados vivos. As pessoas que fazem as apreensões não conhecem a natureza dessas aves e o manejo necessário e, em função disso, os galos são colocados ou amarrados juntos e a destruição é total, pois, diante da sua natureza belicosa, as aves começam a brigar até a morte ou estarem totalmente dilaceradas.
    Animais apreendidos quando vão para abrigos acabam morrendo, mesmo sob os cuidados de veterinários, pois o galo de briga necessita de cuidados especiais, ou seja, pequenos detalhes no seu manejo que permitem que a ave fique saudável e que os tratadores desses abrigos não sabem.
    Casos de abuso de poder e extorsão são freqüentes e ocorrem em função das informações sensacionalistas publicadas pela imprensa a qual divulga a atividade como sendo de pessoas milionárias.
    Outro equívoco que vem ocorrendo é a não diferenciação entre rinha e casa de criador. Não existe em lei alguma a proibição de se criar galos combatentes, mesmo porque proibir a criação de galos de briga é decretar sumariamente a extinção da espécie, visto que esta não existe em estado selvagem, e isso é contra a constituição brasileira que prevê o dever do governo de preservar todas as espécies animal silvestres ou domésticas.
    O argumento utilizado para ações nas casas dos galistas é a existência de apetrechos destinados ao treinamento de galos. Tal argumentação comprova a falta de cultura das autoridades sobre o manejo do galo de briga, visto que qualquer criador, quer leve galos em rinhas, ou não, necessita de apetrechos, tais como, biqueiras, proteção para esporas, serras, tambor para treinar galos, gaiolas individuais, passeadores e etc. Tal fato se justifica pela necessidade que o galo de briga tem de pelejar. Mesmo galos que não são destinados às rinhas, regularmente, precisão ser colocados a combater com as devidas proteções, visto que um galo que não é submetido a esse tratamento ficará excessivamente obeso e terá vários problemas de saúde, principalmente nas articulações dos membros inferiores, ficará apático, entediado e terá sua vida reduzida pela metade.
    Quanto ao fato de serrar as esporas, isso, ao contrário do que muitos leigos pensam, não comprova que o galo foi ou será submetido a uma rinha. Serrar as esporas é uma prática comum até em criadores de galinhas comuns e tem por objetivo reduzir o risco de acidentes com seres humanos, outros animais e até entre os próprios galos caso algum fuja de sua gaiola e venha a se confrontar com outro galo, pois estando ambos com as esporas serradas não se destruirão.
    Outro argumento é a presença de galos tosados, fato que também não comprova a utilização dos mesmos em rinhas, pois a tosa dos galos, além de ter a função de ajudar a refrescar os animais durante os combates, é também uma expressão cultural que muda de local para local e algumas espécies de galos puros importados, quando apresentados em exposições, devem estar devidamente tosados nos moldes de seu país de origem para serem julgados. Alguns criadores que não levam galos às rinhas também tosam seus galos para que assumam uma expressão mais bonita de guerreiro medieval ou samurai.
    Outro grande equívoco diz respeito ao bico de metal que é colocado nos galos durante o combate. O que pode parecer um excesso de crueldade, na verdade, é uma das maiores evoluções do galismo em termos de proteção ao animal, pois o bico de metal é a proteção bucal do galo de briga, visto que uma das táticas que os galos utilizam nos combates é tentar destruir o bico do adversário uma vez que o bico nada mais é que o ponto de apóio para o desferimento dos golpes. Um galo com o bico quebrado fica sem ponto de apoio e totalmente a mercê de seu opositor e a luta se torna injusta. O bico de metal tem o mesmo formato tamanho e afiamento do bico natural e não é uma arma durante o combate.
    Dizer que os galos são mautratados durante o seu treinamente é duvidar da inteligência de qualquer pessoa. O galo de briga é tratado como um atleta e qual é o atleta que vai ser vitorioso tendo sido mau tratado. Para um galo ser um campeão este dever ter tido plena saúde durante toda a sua vida e o galista para obter sussesso na sua criação deve saber entender e respeitar as limitações de cada animal.

  369. RonaldoC disse:

    A verdade sobre os galistas brasileiros.

    O termo galista define pessoas que criam galos de briga, no entanto, cabe esclarecer que a criação de galos de briga pode ter mais de um objetivo, tais como:
    1 – pessoas que criam galos somente por gostar dessas aves e não praticam rinhas. Estas correspondem, aproximadamente, a 0,01% do total de criadores.
    2 – pessoas que criam galos puros, ou seja, raças internacionais puras, não praticam rinhas, no entanto, participam de exposições. Estas correspondem, aproximadamente, a 0,1% do total de criadores.
    3 – pessoas que criam galos somente para venda de frangos e não praticam rinhas. Estas correspondem, aproximadamente, a 5% do total de criadores.
    4 – pessoas que criam galos e praticam rinhas. Estas correspondem, aproximadamente, a 94.89% do total de criadores.
    Os galistas brasileiros são pedreiros, carpinteiros, médicos, mecânicos, advogados, dentistas, juizes de direito, empresários, aposentados, militares, policiais e tantos outros que passam de 1.000.000 de aficicionados que somente querem poder praticar uma cultura mundial que existe a mais de 5.000 anos. Essas pessoas estão convictas da necessidade de modernização do galismo em prol da proteção e preservação dos galos combatentes e estão dispostas a cumprir uma lei que estabeleca regras para a criação desses animais e para os combates, ou seja, uma lei que permita o funcionamento das rinhas dentro de regras que preservem o galo combatente, respeitando a sua natureza.
    Conforme já foi feito com outras atividades tais como a criação de pássaros silvestres, uma lei que regulamente o galismo poderá estabelecer critérios, principalmente, para:

    1 – as rinhas (localização adequada, autorização, estrutura mínima para acomodação das aves, autorização de funcionamento, assistência veterinária e proibição do acesso de menores de idade);
    2 – os combates (aprovação do regulamento brasileiro que estabelecerá as regras para os combates focando a proteção e preservação do galo combatente);
    3 – o cadastro dos galistas (cadastramento dos criadores junto ao órgão competente e emissão de carteira de identificação);
    4 – os criatórios (registro junto ao órgão competente, estrutura mínima para acomodação das aves e controles sanitários); e
    5 – a taxa anual (estabelecer uma taxa anual compatível a ser paga pelos criadores)

    Para elaboração dessa lei poderão participar: o órgão competente do governo (IBAMA e/ou Ministério da Agricultura); entidades sérias de proteção aos animais; representantes dos galistas e outros que forem necessários.

  370. Déborah disse:

    Neuri!Primeiramente,como vc não disse nada que contribua pra nossa sociedade posso lhe dizer que deves voltar ao colegio,pois sua escrita esta pessima,mas e vc sabia que eu sei quantos dias o frango ”fica vivo”,então pare com esta prepotencia!FAÇO SIM MINHA FACULDADE,pelo menos estou seno uma pessoa direita,integra e competente,como vc tbm deve ser,mas se só descordamos deste assunto pra que esta prepotencia nas perguntas?

  371. RonaldoC disse:

    A verdade sobre as apostas em briga de galos.

    A lei define como sendo “de azar” qualquer jogo em que a possibilidade de perder é muito maior que a de ganhar. Com base nisso, se pode concluir que a aposta em briga de galos não pode ser enquadrada nessa categoria, visto que as chances de ganhar ou perder estão, no mínimo, empatados. Pode ser levado em consideração, ainda, o fato de uma pessoa que apostou em um galo que está em desvantagem poder “pagar dobrado” para jogar novamente no outro galo que está superior e poder ganhar ou simplesmente não perder. Na verdade, o jogo na briga de galos depende somente do conhecimento sobre o galo de briga e de saber interpretar seus movimentos e suas reações durante um combate. O fator sorte influencia apenas em 5%.
    As cifras astronômicas publicadas pela mídia não correspondem à realidade da atividade. As rinhas são, em sua maioria, freqüentadas por pessoas de médio e baixo poder aquisitivo e as apostas giram em torno de R$ 5,00 a R$100,00 e o acordo entre os proprietários dos galos gira em torno de R$30,00 a R$100,00. Existem valores muito superiores a estes, no entanto, são raros e somente ocorrem nas poucas rinhas onde freqüentam pessoas das camadas mais altas da sociedade.
    As apostas exercem importante função na preservação do galo combatente, uma vez que agregam valor aos animais, viabilizando a sua criação. Tal fato pode ser comparado às corridas de cavalos, pois se não houvesse apostas e um significativo valor para os prêmios, quem iria criar cavalos de corrida? Um galo de briga pode valer de R$100,00 a R$ 5.000,00, e galistas das camadas mais pobres, mas com grande conhecimento sobre reprodução e aprimoramento de galos combatentes, realizam cruzamentos buscando obter animais superiores para venda e com isso complementar a renda familiar e com isso beneficiam-se os criadores e a própria espécie com a perpetuação e aprimoramento de suas qualidades.

  372. RonaldoC disse:

    A verdade sobre o fator econômico.

    Econômicamente muitos são beneficiados com o galismo, tais como:
    1 – Os tratadores: Para cada 25 galos sob treinamento é necessário um tratador que trabalha de 08:00h às 17:00h, durante 06 dias da semana, recebendo em torno de três salários mínimos e mais uma participação que gira entre 10 a 50% do lucro da criação. Considerando a média nacional de 30 galos em treinamento por criador, e a quantidade de em torno de 1.000.000 de criadores dos quais a metade possui, no mínimo, um empregado, pode-se calcular que o galismo produz 500.000 empregos diretos, o que é significativo considerando que essa atividade é realizada, principalmente, no interior dos Estados onde as condições de emprego são bem mais precárias.

    2 – O comércio de rações e remédios: Cada galo consome 0.1 Kg de alimento por dia, entre grãos da melhor qualidade, verduras, frutas e legumes. Considerando a média nacional de 50 animais por criador e 1.000.000 de criadores, calcula-se que o galismo consome 5.000.000 Kg de ração por dia, o que é significativo considerando que essas rações são compradas no comércio local onde ficam as cocheiras, incrementando tal atividade. O consumo de remédios é grande no galismo, visto que a criação requer um controle rigoroso de vacinação, e de parasitas, sem contar que o galo de briga precisa ser criado da melhor forma possível sendo necessário, para a sua saúde plena, o uso de vitaminas. Em países onde o galismo é regulamentado muitos laboratórios e fábricas de rações desenvolveram produtos específicos para galos de briga, visto que o grande consumo desses produtos pelos galistas faz compensar o investimento. No Brasil isso também já ocorreu, mais em menor escala devido à repressão.

    3 – O transporte aéreo de pessoas e animais vivos: é comum a troca de material genético entre galistas de todo o Brasil e até do exterior, sem contar que em torneios estaduais há a participação de muitos galistas de outros estados que precisam de transporte para si mesmos, seus tratadores e seus animais.

    4 – Hotéis e restaurantes: durante torneios estaduais os galistas de outros Estados ficam hospedados em hotéis da região e fazem suas refeições nos restaurantes lá existentes.

    5 – Os criadores: muitas pessoas que tem o conhecimento necessário para criar e repruduzir galos de briga de alta qualidade obtem lucros com a venda de animais, aumentando a renda familiar.

    6 – O povo brasileiro: os galos de briga brasileiros constituem um patrimônio genético inestimável de povo brasileiro, o qual é necessário ao desenvolvimento do rebanho avícola doméstico e industrial. Nos locais onde as condições financeiras das pesoas são precárias e é difícil o acesso a remédios e rações de primeira linha, o galo de briga exerce função primordial, visto que é utilizado em cruzamentos com galinhas comuns para o aumento da rusticidade, protegendo o rebanho contra doenças e aumentando o ganho de peso. Dessa miscigenação informal nasceu a tão famosa galinha caipira e com cruzamentos direcionados o famoso galo índio gigante.

  373. RonaldoC disse:

    A verdade sobre o galismo na cultura do povo brasileiro.

    O galismo é uma expressão cultural das mais autênticas de tal forma que o galo combatente assume a personalidade do povo que o cria. Isso ocorre quando os galistas realizam cruzamentos direcionados a produzir um animal que esteja em consonância com os valores da sociedade em que vivem. Muitos exemplos podem ser dados nesse sentido, tais como:
    1 – O velho combatente inglês é impetuoso, corajoso e sanguinário ao ponto de devorar partes do corpo de seu oponente. Características fixadas pelos antigos povos guerreiros da Europa.
    2- Os galos Japoneses são extremamente inteligentes, eficientes e disciplinados na sua forma de combater. Características básicas do povo japonês
    3 – Os galos indianos são corajosos , perseverantes e muito resistentes. Características natas daquele povo.
    4 – O galo brasileiro talvez seja o exemplo mais autêntico, pois tem como característica principal a versatilidade. Característica mais marcante do nosso povo que consegue viver e ser feliz nas condições mais adversas. Nossos galos são capazes de enfrentar qualquer adversário e em qualquer modalidade de luta, pois o galista brasileiro procura no seu programa de seleção obter um animal que consegue reunir o maior número possível de formas de defesa e de ataque, ou seja, um super galo que é inteligente, valente, agressivo, eficiente, corajoso, perseverante e muito forte. Estes fatores tornaram o nosso galo muito apreciado no exterior sendo comum a sua exportação de forma informal, visto que ter um galo brasileiro é o sonho de muitos galistas em várias partes do mundo. O que faz o galo brasileiro ser tão eficiente é o fato dos galistas brasileiros não utilizarem esporas longas e pontiagudas ou cortantes e, ainda, o tempo reduzido de duração dos combates. Estando pouco armado e com pouco tempo disponível, um galo tem que ter grande habilidade para derrotar seu opositor.

    As rinhas de galos estão enraizadas na cultura popular brasileira desde o início da colonização, tendo chegado a ser a segunda atividade coletiva mais praticada, perdendo apenas para o futebol. “Antigamente dizia-se que para um povoado ser chamada de cidade teria que ter uma igreja, uma casa de prostituição e uma rinha de galos”.

  374. RonaldoC disse:

    Copiei de um site

    PRINCIPAIS RAÇAS
    ASEEL- Originárias da Índia, suas linhagens mais conhecidas são: RAJA MURGH, KHAN, RAMPUR, CALCUTA e outras menos difundidas entre nós.De maneira geral, os Aseels têm em comum a extraordinária fibra e compleição muscular privilegiada, além de pulmões super eficientes. As linhagens puras originais são raridades mas graças ao empenho de criadores tem sido preservadas sendo requisitadas e valorizadas tanto para cruzamentos (crossbreeding) ou por criadores de raças puras.
    SHAMOS – Por essa denominação geral, são conhecidos os galos japoneses, apesar de haver variedades (KO-SHAMO, SHU SHAMO E OUTRAS). Seu porte ereto e elegante além da agilidade e colocação quando em combate, fizeram do shamo o preferido na formação do plantel nacional. É raro um combatente nacional que não tenha em sua genética uma boa dose desse sangue.
    TUSO – É comum se ouvir falar desta raça mas o difícil realmente é vê-la pois a raça original, no seu “standard”, é muito rara e poucos criadores conseguem mantê-la pura, exatamente por sua raridade. Especula-se sobre a sua origem, uns dizendo que é originária do Japão, outros dizendo que o sangue aseel da variedade Kalkatya é a base da raça mas a verdade é que o Tuso é “sui generis” como raça: tem a velocidade de um bankiva, a força e raça de um aseel aliados à inteligência e tenacidade. Quando puros são bem proporcionados de corpo mas não ultrapassam 2.500 kgs. Geralmente são de cor preto-sólida com reflexos esverdeados, sendo comum a cor preta nas canelas, esporas, bicos e até nos olhos.São muito valorizados para cruzamentos com raças bankivóides.
    MALAIO – Sua principal característica, a crista de bola ou achatada, seu porte musculoso, empenação rala que deixa entrever a pele avermelhada e a altura. Dizem alguns pesquisadores ser o ramo malaio a origem das raças aseel, shamo e outras asiáticas que foram sendo cruzadas e acabaram fixando tipos e padrões que depois receberam nomes diferentes. Por serem aves pesadas eram lentas em combate mas suas pernas musculosas eram fortes o suficiente para destroncarem o pescoço dos adversários.
    BANKIVÓIDES – São raças leves, revoadoras, de empenação farta e vistosa. Diferem das anteriores nos quesitos velocidade, métodos de combater e principalmente no porte. Enquanto é comum as raças anteriores chegarem até a 5 ou 6 kgs. os bankivóides raramente ultrapassam os 2 kgs. São igualmente corajosos e são a base dos cruzamentos em países hispânicos, norte-americanos e nas Filipinas. Dentre as variedades mais conhecidas temos o Old English Game, os Espanhóis e o Sumatra. Na América Central são inúmeras as variedades e linhagens desenvolvidas por seus criadores devido à não proibição ao esporte galístico, o que tem garantido não só a continuidade dessas espécies como também o seu aprimoramento.
    NACIONAL (BRAZILIAN GAME) – Com o advento de importações e cruzamentos ao longo dos anos, o Brasil conseguiu desenvolver uma variedade reconhecida atualmente como uma das mais completas, tanto em porte, beleza, força e raça. Das primeiras raças asiáticas trazidas pelos portugueses até o moderno combatente nacional um longo caminho foi trilhado. O plantel nacional hoje é um dos maiores do mundo, só superado talvez pela Tailândia. O combatente nacional tem porte proporcional a seu peso e altura, reúne as qualidades dos vários sangues e aportes genéticos ocorridos nos últimos 40 anos, quando ocorreu uma “modernidade” patrocinada por importações de linhagens de alta performance feitas por criadores conceituados e preocupados com o aprimoramento genético e a preservação dessas espécies.

  375. Paulo Barbosa disse:

    Aos meus amigos e amigas deste site , vou ensinar meu método personal de higiene pessoal :

    1- Após defecar limpe com papel higênico seco por diversas vezes até o ânus ficar totalmente bem limpo( parece que ficou limpo , mas não está limpo)

    2-Agora pegue uma quantidade de papel e humideça e passe no sabonete e faça um forro com papel seco para não sujar as mãos , e limpe o ânus novamente , e alternando papel molhado depois papel seco e assim por diante , voce vai perceber que a limpeza inicial somente com papel seco não limpou realmente o ânus , houve apenas uma falsa ilusão que o anus estava limpo .
    Em resumo , se vc não quer ter a sua cueca com freada de bicicleta , então após fazer a limpeza com papel seco , faça em seguida com papel molhado com sabonete , alternando com seco e molhado com sabonete.

    Até a próxima dica

  376. Ana Paula disse:

    Ridiculo esse seu comentário Paulo

  377. Paulo Barbosa disse:

    Pois é Ana Paula , dei essa dica , pois a maioria das pessoas se limpam muito mal , pensam que limpando somente com papel h seco resolve o problema e vc bem sabe que não .

    Esse método é muito bom para quem tem vermes oxiurus , isto é , quando a pessoa tem aquela coceira terrível no c , ao fazer a limpeza com papel humedecido com sabonete , acaba com a coceira , pois não fica mais nenhum residuo de fezes no ânus e esse verme enterobio vermiculares conhecido por oxiurus deposita seus ovos no c e causa a desagradável coceira ou prurido .
    Em resumo :
    1- limpeza com papel seco até parecer que está totalmente limpo .
    2- limpe com Papel humedecido com sabonete e depois limpe com papel seco ….. fazendo alternadamente até ficar bem limpo ( sem o mínimo resíduo de fezes)

    Gasta mais que um rolo mais compensa , pois ficará durante horas e horas sem nenhuma coceira no c . ´

    Diga não aos oxiurus !!!!!

  378. Chiquinho Flora disse:

    Vejam esse video , um pato brigando com frango de briga . Qem vencerá? O pato tem excelente método de briga .

    http://www.youtube.com/watch?v=sJZMa86TjO8

  379. Chiquinho Flora disse:

    O pato briga parecendo com o método canga .

  380. João Catira disse:

    O galo não tem penas nas asas por isso não consegue bater…

  381. Ana Paula disse:

    psé só que aqui falamos e damos nossas opiniões sobre RINHAS! e NAO sobre como limpar o cu!
    Se vc tem coceiras o problema nao é nosso!

  382. guerrero disse:

    Ronaldoc, parabens pelo comentario,

  383. Geraldo Fonseca disse:

    O assunto realmente é sobre briga de galos , a diga de limpeza foi excelente , eu tinha muita coceira no cu e agora com essa dica de limpeza acabou o problema .

  384. Agnaldo Ruas disse:

    esta parasitose (oxiurus)é melhor tratada com o uso de vermifugos a base de mebendazol (panfugan, pantelmin, multizol, sirben, etc.).durante três dias e repetir o tratamento 19 dias após. porem a eficiencia no tratameno exige o uso concomitante com pomada de thiabendazol (thiabena, foldan) colocada diretamente no anus 2 vezes ao dia.
    se não funcionar ,
    Existem outros medicamentos para enterobius(oxiurus)

    albendazol (zentel)

    nitazoxanida (annita )

  385. Jacinto de Barros disse:

    Gostaria de saber se a cruza de um galo espanhol com uma galinha brasileira (“japonesa”) dá bom resultado . ( devo esclarecer que as minhas galinhas não são raçudas e por isso quero melhorar a raça)

  386. Jacinto de Barros disse:

    O rabo (calda) do galo espanhol é para cima ao passo que as minhas galinhas tem a calda voltada para baixo , quase arrasta ao chão .

  387. Jacinto de Barros disse:

    O Governo preocupa e reprime as criações de galo de briga , mas esquece de fiscalizar os óleos de oliva vendido no Brasil , hoje o óleo de oliva não tem gosto e nem cheiro de oliva , antigamente o óleo de oliva era óleo de oliva e agora além de caro ….. O governo deveria colocar a Polícia federal e analisar todas as marcas de óleo de oliva .

  388. Jacinto de Barros disse:

    ANTIGAMENTE O POVO TINHA MAIS DIVERTIMENTO …BRIGA DE GALOS ……HOJE EM DIA TUDO É PROIBIDO …POR ISSO , OS JOVENS VÃO ATRÁS DO QUE NÃO PRESTA …VICIOS EM DROGAS , BEBIDAS , ETC .

    COM O FECHAMENTO DAS RINHAS DE GALOS NO BRASIL (GOVERNO DE JANIO ) TUDO SE TRANSFORMOU PARA PIOR …TORNOU-SE UM PAÍS EXTREMAMENTE VIOLENTO , TRAFICANTE DE DROGAS DOMINANDO E MANDADO EM REGIÕES , CRIME ORGANIZADO , ROUBOS E LATROCINIO , ASSASSINATOS …O BRASIL NO TEMPO DE BRIGA DE GALOS ERA UM PARAÍZO SE COMPARADO AOS DIAS ATUAIS .

  389. RonaldoC disse:

    Um amigo meu teve seus galos aprendidos e, tendo ido ver os animais no local para onde foram levados pela polícia, verificou que a maioria morreu e os restantes estão em péssimas condições de saúde. Os animais foram filmados e vou tentar conseguir as imagens para divulgação.

  390. Adriano Paes disse:

    Pois é Ronaldoc , fico estarrecido em saber que os galos apreendidos são maltratados e sofrem mais que nas rinhas , ficam nas mãos de pessoas inabilitadas e sem a mínima noção do manejo com as aves combatentes . Está na hora do governo Lula tomar providências contra as apreensões e maltrato ao galo de briga .

  391. João Catira disse:

    O des-governo Lula não faz nada, nós Galistas é que temos que exigir uma REGULAMENTAÇÃO para as Rinhas de Galo e criação de Galos Combatentes

  392. Déborah disse:

    Gente,neste lado vcs estão certos,nosso governo é muito ruim,os bandidos são tratados como reis e a vitima do bandido é q é a culpada.
    Dizem que é um horror quando prendem um bandido por 30 anos de prisão,por que cometeu um crime(neste caso morte),ele vai ficar 30 anos na prisão,coitadinho….COITADINHO UMA OVA,tem que pagar,pq quem mata uma vez mata de novo,e se ficar nas ruas aí sim q vai matar e se for pra cadeia vai sair com um doutorado em crimes,entao qual é a soluçao.Mata ele oras,pois ele já não matou alguem,temos que aprender q na sociedade que vivemos(hoje em dia)é olho por olho,dente por dente.
    Mas vc sabem quando um bandido deixa de ser coitadinho?quando este que diz -Aí pobresinho,não merece 30 anos.recebe a noticia que seu filho morreu em um assalto!Obrigada e um otimo dia pessoal!

  393. TARCISIO SCUDELER DA SILVA disse:

    O DISPÊNDIO EM DILIGÊNCIAS PARA IR ATRÁS DE GALINÁCEOS COMBATENTES É ENORME , MELHOR SERIA SE O GOVERNO UTILIZASSE ESSES RECURSOS POLICIAIS NO COMBATE AO CRIME ORGANIZADO , ASSALTANTES , AO TRÁFICO DE DROGAS , AOS CONTRABANDISTAS DE PEDRAS PRECIOSAS , MADEIRAS ILEGAIS QUE VÃO PARA OUTROS PAÍSES , A GRILAZEM E INVASORES DE TERRAS .
    QUEM CRIA GALOS DE BRIGA SÃO PESSOAS INOFENSIVAS Á SOCIEDADE E NO MOMENTO SERIA OPORTUNO QUE O GOVERNO RACIONALIZASSE AS OPERAÇÕES POLICIAIS E DESSE PRIORIDADE AOS CRIMES QUE AFETAM A POPULAÇÃO E SOBRETUDO AOS INTERESSES DO BRASIL ( LEMBREM-SE A AMAZONIA ESTÁ À MERCE DE ONGS(COMANDADAS POR GRINGOS ) E EXISTEM MILHARES DE ESTRANGEIROS COM INTERESSSES EXCUSOS NESSA REGIÃO ) .

  394. HUGO TOSI DE LUCA disse:

    ´NENHUM GALISTA DEU A DICA , AINDA , PELA PERGUNTA feita pelo SR. Jacinto de Barros :

    “Gostaria de saber se a cruza de um galo espanhol com uma galinha brasileira (”japonesa” ) dá bom resultado . ( devo esclarecer que as minhas galinhas não são raçudas e por isso quero melhorar a raça) “

  395. RonaldoC disse:

    Quanto a pergunta do Sr Jacinto.

    Caro companheiro, esse tipo de cruza que o Sr. está querendo fazer, eu já vi vários galistas tentarem e quase nenhum teve um bom resultado. Cruzar galos banquivóides com malaioides gera um produto que,normalmente,é fraco de ossatura, bate muito, mas não acerta com as esporas. Esses galos fruto desse tipo de cruzamento no início do combate parece que vai destruir o adversário, mas, logo, toma um porradão e, por não possuir estrutura óssea, logo se entrega. Outra coisa, se suas galinhas são fracas de fibra, aí o resultado será dez vezes pior.
    As raças que demonstra melhor desempenho na modalidade de combate praticado no Brasil, ou seja, pouca duração e com esporas curtas e rombudas, é a raça nacional, a tailandesa, o chamo e o azil. Os dois últimos, quando cruzados com o galo nacional, dá excelente resultado. Se suas galinhas são fracas mas são de criação boa de espora, aconselho adquirir um galo de muita fibra e de genética de ponta.
    Um grande abraço a todos.

  396. João Catira disse:

    Quanto a pergunta do Sr. Jacinto, eu a muitos anos cruzei um galo Jerezano (Bankiva)com uma galinha Shamo raça pura, deu galo com 2,5 Kg, muito batedor e muita, muita fibra, depois cruzei esse galo outra vez com galinha Shamo deu galos com 2,9 Kg brigadores e muita fibra e boa espora, faço essa cruza até hoje com sucesso, lembrando sempre que os reprodutores (Galo e Matriz)tem que ser de excelente qualidade…

  397. Raul Francisco DE ALVARENGA aSSIS disse:

    Muitas pessoas gostam de criticar as brigas de galos mas nao sabem diferenciar um galo de uma galinha nao saBEM QUE PARA BRIGAR OS GAlos tem que ter o mesmo peso o mesmo tamanho que existe um juiz para fiscalizar as brigas que de cem pintinhos talvez nao se tire dez quesirvam para brigar que os bichos sao muito bem tratados que ogoverno que diz proteger os animais nao protege nem os menores abandonados que sao criados nas ruas ate virarem marginais que o governo que diz que jogo de azar e crime mantem e banca uma infinidade de jogos ataves da caixa economica federal que o governo que di z que agiotagem e crime cobra juros exorbitantes atraves da caixa economica federal e do banco do brasil que as pessoasa que criticam as brigas de galo comem carne de frango de boi ede outros animais que sofrem muito para satisfazer o gosto dessas pessoas que tambem fazem parte do pais que e o rei da hipocrisia pois com a enorme quantidade de problemas que o brasil tem colocar ate a policia federal para olhar brigas de galos sinceramente nao pode haver maior falta de servico ou hipocrisia como queiram entender

  398. Raul Francisco DE ALVARENGA aSSIS disse:

    Alguem poderia criar um site para que todas as pessoas do brasil que sao a favor da liberacao da briga de galos possam se manifestar colocando seu nome e endereco para que possamos sensibilizar a camara PARA COLOCAR O ASSUNTO EM DISCUSSAO E REGULARIZAR UMA COISA QUE NUNCA VAI ACABAR PORQUE SE ACABAR ACABA A RACA E O GOVERNO NAO TEM NEM COMPETENCIA NEM CONHECIMENTO PARA CUIDAR DAS AVES APREENDIDAS E ISTO NO FINAL ACVABA TUDO EM PIZZA

  399. Afonso Mathias disse:

    Antigamente eu via muitos galos raçudos de canela e bicos brancos , na época alguns diziam que o galo canela branca é de origem inglesa ….será que os galos canelas brancas são da raça inglesa ? Alguém poderia esclarecer .

  400. Gegé cruz disse:

    Desde a década de 50 acompanhava as brigas de galos (eram liberadas….tempo bom!!!!) e neste tempo muitos galos tinham bicos e canelas brancas ….eram raçudos e bom de esporas . Não saberia informar qual é a origem do galo de canela branca .

  401. RonaldoC disse:

    Certa vez fui a casa de um amigo em Campos (RJ) e chegando em sua casa, fiquei sabendo que iríamos ter galo da roça no almoço. No quintal, embaixo de balaio, estava o infeliz animal que viraria “galinha caipira com aipim”. Observando melhor aquele frango, constatei que, na verdade, se tratava de um galo de briga. Perguntei ao meu amigo a origem do animal e ele me informou que o seu filho tinha ganhado de um galista e que o mesmo fou criado junto com galinhas comuns. Era um frango pedrês lindíssimo e de 3Kg de peso. Fiquei com pena de ver aquele animal ser sacrificado, sem almenos uma chance de mostrar quem ele realmente era e, sugeri que eu comprasse dois frangos no mercado para serem devorados no lugar do galo de briga. Meu amigo concordou e eu trouxe o frango para a minha casa. Submetido aos testes de praxe, o frango mostrou-se ser um galo diferente, com um método de briga que eu nunca tinha visto antes. Ele brigava abaixado no meio das pernas do adversário e apoiava-se nas coxas, embaixo das asas e no papo para aplicar golpes com uma força desproporcional ao seu peso e tamanho e elém do mais rebatia todas as investidas do adversário. Esse galo foi o melhor galo que já tive, 16 lutas e 16 vitórias e totalmente perfeito, pois nunca encontrou um adversário que conseguisse atingi-lo. Aos 4 anos de idade eu resolvi aposenta-lo, pois, devido a combates duríssimos, o mesmo não mais apresentava o mesmo desempenho de sempre. Não o utilizei na reprodução pois não sabia a sua origem genética. Gengiscan foi solto com galinhas comuns no sítio do meu pai e lá reinou até morrer de velhice com 9,5 anos de idade.
    Histórias como esta vários galistas tem para contar, pois o galo combatente é o único animal comível que tem a chance de lutar por sua vida e o verdadeiro galista respeita e ama seus animais.

  402. João Catira disse:

    Esses galos de canela branca e bico branco eram de origem Indiana, talvez Calcutá…Os galos Indianos é que são muito raçudos, e as brigas de galo no Brasil nos anos 50 eram longas como na India, não podemos esquecer que foram os Portugueses que trouceram os primeiros galos para o Brasil e que os Portugueses também tiveram colonias na India

  403. Gegé cruz disse:

    Obrigado Sr. João Catira pela sua resposta .

  404. Anônimo disse:

    Atualmente existem galos canelas branca que descendem dos antigos , inclusive os com sangue shamo . Vejam no video :
    Galo preto brasileiro de bico e canelas brancas

  405. Carlos Boscolo de Souza Filho disse:

    Parece que o belíssimo galo brasileiro preto de canelas brancas …contando do último é o quarto (do fim para o começo) .

  406. Carlos Boscolo de Souza Filho disse:

    Parece que o belíssimo galo brasileiro preto de canelas brancas …contando do último é o quarto (do fim para o começo) .Video muito bonito que denuncia os maus tratos aos galos apreendidos e também mostra os galos de briga brasileiros …inclusive um de canela branca .

  407. RonaldoC disse:

    Segundo o que já li em livros, os galos de canela e bico brancos são descendentes do “malaio” que, normalmente, possui canelas brancas, crista de bola, são muito grandes e duríssimos de raça. Em alguns países, tais como a Alemanha existem pessoas empenhadas em preservar o malaio (aqui no Brasil acho que também existe) e existem sites belíssimos sobre o assunto. Algumas estirpes de “azil” também possuem canelas e bicos brancos, mas deve ser por serem descendentes do malaio.

  408. RonaldoC disse:

    Os casos de maus tratos praticados pelo poder público contra os galos de briga devem ser divulgados para que as autoridades entendam que somente sob os cuidaos dos galistas essa espécie está protegida de maus tratos e até da extinção. Em todos os casos de apreenções a maioria dos animais não resistem à forma como são tratados, até quando ficam sob os cuidados de veterinários. Eu assisti na televisão que uma senhora de Niteroi, no Rio de Janeiro,a qual recolhe cachorros abandonados, está fazendo compartimentos para abrigar galos apreendidos. A intenção dessa senhora até que é boa, mas, como de costume, ela também não tem a mínima noção do que é um galo de briga e suas necessidades, pois os compartimentos que foram mostrados na televisão devem ter ums 20/60cm, e qualquer pessoa que entende um pouco sobre galos de briga sabe que um galo vivendo nesse espaço não dura duas semanas e, se durar, ao final desse período vai estar todo aleijado, pois o espaço mínimo que um galo consegue viver de forma saudávelé 80/80cm e ainda precisa regularmente ser solto em um espaço maior para que possa correr e se exercitar. Li também o relato de um veterinário que tem galos aprendidos sob os seus cuidados, no qual ele diz que não sabe mais o que fazer para que os animais não morram, pois de aproximadamente 50 aprendidos só restavam 8 vivos. Os galos aprendidos do nosso companheiro Teobaldo, no sul, também estão quase todos mortos. Esses erros cometidos pelo poder público, de certa forma, nos é favorável, pois demostra que o assunto não pode ser tratado como vem sendo e a única forma de se preservar e proteger a espécie é liberar o funcionamento das rinhas de forma racional e sob regras de proteção ao galo combatente. Um exemplo do que estou falando é o que aconteceu no estado do Mato Grosso, onde as autoridades visualizaram o problema da forma correta. Parabeniso a todos que vem a internete dar sua opinião sobre este assunto, inclusive os que são contra, pois são movidos por sentimentos de amor aos animais, no entanto, na minha opinião, deveriam buscar mais informações sobre o assunto, para que possam entender que as rinhas podem parecer cruéis e sem sentido, no entanto, é a única atividade que preserva o galo combatente por mais de 5.000 anos, espécie essa, que é o alicerce sólido de toda a avicultura moderna doméstica e industrial, sem a qual não há como se desenvolver novas espécies com maior precocidade, rusticidade e ganho de peso. Amigos galistas, sabemos que não somos bandidos, tarados, sádicos, pedófilos, traficantes ou quisquer outro adjetivo pejorativo que os meios de comunicação tenta nos atribuir. Somos apenas pessoas normais, pais e mães de família que tivemos a coragem de assumir nossos próprios gostos, fugindo aos modismos que a sociedade moderna impõe. Temos nossos direitos como qualquer outro cidadão e é inconcebível o poder público vir a nossas casas apanhar nossos animais super bem tratados e leva-los para o sacrifício com a desculpa de estarem protegendo-os contra maus tratos. Isso é barbárie, regressão, violência, crime contra a Nossa Constituição. Particularmente, preparei um documento para ser levado às autoridades. Esse documento está sendo preparado para edição por um jornal de um amigo para que fique no formato ideal, sem contar que ficou muito extenso (154 FOLHAS) e deverão ser confeccionados folhetos abordando apenas pontos chave. Com esse documento pretendo dar publicidade a vós de todos os senhores, pois muito do que está escrito foi retirado deste espaço e de outros na internete.
    Um grande abraço a todos.

  409. João Catira disse:

    Amigos isso de apreenção de Galos Combatentes nos Criatórios é um abuso das “autoridades”, é ROUBO, não se pode entrar em locais particulares e levar bens das pessoas, nós estamos vivendo hoje no Brasil uma DITADURA desse governo do ignorante Lula.
    Foi o povo brasileiro que votou nesse des-governo, CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE

  410. Quinzote disse:

    O STF deveria tomar conhecimento dos abusos cometidos

    quando se apreendem galos de brigas … a maior crueldade contra os galos de brigas aqui no Brasil são feitas pelos que deveriam proteger …mas por falta de conhecimento do manuseio dessas preciosas aves …elas são colocadas em diminutos espaços ou ainda são colocadas todas juntas e degladeiam até a morte …..ou ainda quando autoridades manda degolá-las ou servir de alimentação a entidades .
    Toda crueldade contra o galo de briga deve ser denunciada ao STF , Congresso Nacional , Governo Lula , Ministério Público .

  411. Quinzote disse:

    Não existe lei no Brasil que proiba a criação e trânsito de galos de briga ….quem está reprimindo está fazendo por conta própria ao arrepio da lei.

  412. RonaldoC disse:

    É para isso que querem nossos galos:

    “Notícia Publicada no ODIAONLINE”

    Aproximadamente 90 galos apreendidos no domingo em um sítio onde funcionava uma rinha de brigas, em Santa Cruz, zona oeste do Rio, deixaram de ser alimentados desde a ordem judicial que fechou o estabelecimento. O antigo ringue fica na estrada Santa Veridiana com a travessa Barbosa.
    » Leia mais notícias do jornal O Dia
    » vc repórter: Mande fotos e notícias

    Policiais militares do 27º Batalhão (Santa Cruz), que ocupam o sítio fechado pelo Ministério Público (MP), denunciaram que muitos dos animais estão doentes e outros morreram. Os galos estavam sob responsabilidade do Ibama.

    Os PMs que foram ao local disseram que os bichos, mal tratados pelas rinhas, são agora mal tratados pela falta de comida.

    A operação conjunta do MP, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão Florestal, prendeu 60 pessoas, que foram fichadas e liberadas, no último domingo.

    E os caras ainda tem acoragem de chamar o BOPE para prender criador de galinhas. Esse país é uma piada.

  413. RonaldoC disse:

    Mas um exemplo de incompetência do governo.

    Essa foi publicada no GLOBO.COM

    “Galos apreendidos em 2006 em rinhas de Cáceres (MT) são mantidos no zoológico da Universidade Federal de Mato Grosso, em Cuiabá. De acordo com o biólogo Itamar Assumpção, 35 animais foram apreendidos e apenas nove sobreviveram e recebem cuidados no local.

    Muitos deles ainda trazem no corpo as marcas da violência que sofreram. “Os animais não nascem para brigar. Eles recebem alimentação adequada, mas infelizmente ficam em pequenas gaiolas. Seria mais aconselhado terem um espaço maior”, afirma o biólogo.

    Os 26 galos que morreram estão na câmara fria do zoológico da UFMT. “Como a situação das rinhas aguarda uma posição da Justiça, estamos congelando os animais e se o juiz autorizar vamos utilizar como alimento para outros animais”, diz o biólogo.”

    Talvês essa seja uma boa sulução para matar a fome dos animais do zoológico, mas não sei se os galos debriga vão gostar.
    O pior é que os cretinos botam a culpa da morte dos animais nos galistas ao invés de confessarem que os galos morreram devido a maus tratos sofridos na apreenção e pela falta de manejo adequado.

    O mané do biólogo diz que os galos não nasceram para brigar, mas se contradiz dizendo que ficam em compartimentos individuais. Se não brigam, porque não deixa que todos fiquem juntos.

  414. RonaldoC disse:

    O que me deixa mais indignado é que para os casos anteriormente relatados não há nenhuma ação de órgão ou entidade de proteção dos animais em defesa dos galos de briga, o que nos leva a entender que estão pouco ligando para a destruição dessa espécie cujos únicos protetores e responsáveis por sua sobrevivência são os galistas.

  415. Toninho Bazo disse:

    Há dias uma pessoa idosa contou-me um fato curioso ….” disse que os ovos botados colhidos no dia 25 de março ….de cada ano quando guardados não ficam chocos ….inclusive pode ficar anos , fica seco mas não estraga .” A versão do idoso é que de 25/03 a 25/12 são 9 meses …exatamente o dia do nascimento de Jesus .

    O ano que vem ( 25/03 )vou fazer o teste para confirmar ou não essa versão .( ou seria apenas um conto folclorico ???) Alguém por acaso conhece essa estória ????

  416. Cuia disse:

    O governo brasileiro deveria coibir com urgência as apreensões de galos de brigas , pois quem cria sabe cuidar e quem apreende as aves não tem noção e nem sabe lidar com essa ave extremamente belicosa e por isso os galos são maltratados e sofrem nas mãos dessas pessoas que deveriam proteger , mas ao contrário provacam maltrato e por isso as aves duram pouco e morrem .

  417. Nene Piloto disse:

    As rinhas clandestinas não vão acabar nunca em face da quantidade de galistas e levando em conta os milhões de chácaras , sítios e fazendas no nosso imenso Brasil e sem contar ainda que os grandes galistas vão fazer brigas nos países vizinhos . Portanto , combater e apreender aves combatentes é um maltrato e desperdício de dinheiro público , em face que essa modalidade não traz nenhum dano ou perigo a população , ao contrário gera renda aos pequenos criadores de galo de briga .

    o governo deveria impor regras e liberar a exportação do galo de briga brasileiro (vai gerar muita divisas ao Brasil ) por exemplo , a Espanha incentiva a exportação de aves combatentes e lá os galistas podem selecionar as melhores aves em clube fechado .A Espanha exporta essas aves a países da América Latina .

  418. Nerval Manzini Jr. disse:

    A Espanha é um país rico e quem é rico pela lógica é melhor administrado e tem mais interesse em ganhar mais em exportação , portanto , ganha muitas divisas com vendas dos galos de briga espanhol .
    O Brasil poderia ganhar muito mais em divisas , pois o galo de briga brasileiro é reconhecido no Mundo inteiro e terá um comércio garantido no exterior .

    A Espanha já é considerado um país do 1º mundo .

  419. Nerval Manzini Jr. disse:

    O BRASIL PERDE COM ESSA ESTÚPIDA REPREENSÃO A CRIADORES DE GALOS DE BRIGA NO BRASIL , DEVERIA ICENTIVAR A CRIAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO GERANDO MILHARES DE EMPREGOS E DÓLARES AO BRASIL .

  420. ORSINE EDGARD NETO disse:

    Actualmente, poderíamos dividir o espanhol galo de briga que existe no interior da península e adicionando variantes às ilhas Baleares e Canárias, em três diferentes tipos de galos muito significativo.
    Estos tipos son los siguientes: El combatiente español propiamente dicho, el combatiente español tipo Jerezano, y el combatiente español tipo Canario, siendo estas dos últimas variantes producto de la desviación a la hora de forjar la primera raza en pos del tipo de pleito y acentuando la aportación del Old English Game en el caso del tipo Jerezano y en el tipo canario (pudiendo haber alguna sangre oriental). Estes tipos são: espanhol combatente própria, o tipo de lutador Jerezano espanhol e espanhol caças tipo Canario, e as duas últimas variantes do produto na forma de desvio da corrida para o primeiro tipo de caso e acentuando a contribuição da Velha Jogo Inglês para o tipo eo tipo Jerezano canário (Este pode ser um pouco de sangue).

    COMBATIENTE ESPAÑOL PROPIAMENTE DICHO Espanhol combatentes própria
    Respecto al standard o patrón a seguir, el combatiente español es un animal de pico corto y fuerte, alas largas heredadas de los antiguos gallos bankivas de los que proviene y que por su naturaleza eran animales voladores al contrario que esa otra rama de la que provienen los gallos orientales que se defendían corriendo y están englobados en el grupo de los corredores. Respeito à norma ou padrão a seguir, o lutador é um animal Espanhol bico curto e forte, de longa alas do antigo legado bankivas os galos próximos, e que pela sua natureza, os animais foram voando ao contrário do outro braço do próximo orientais galos foram defendendo e executando estão incluídos no grupo de corredores. Es de alzada levantada y de pecho y muslos fuertes y bien desarrollados. Recurso é levantada, peito e pernas fortes e bem desenvolvidas. Plumaje abundante y cola larga y poblada. Plumagem abundante e longa cauda e povoadas. Respecto a sus variantes de pluma y color son innumerables, pero de especial mención son los colorados, los pechinegros, los giros, los gallinos y los réculos y toda una gama de plumas que intercambiadas entre sí le dan a cada gallo, gallero y línea un carácter personal y particular. Respeito a sua caneta e cor variações são infinitas, mas uma menção especial são as cores, pechinegros, o frango e vira as costas e uma gama de canetas que negociados dão cada um com o outro galo, e uma linha gallero pessoal e particular. Actualmente se juegan con espuelas naturales de entre 18 y 20 mm. Atualmente jogando com esporas naturais de entre 18 e 20 mm. Aproximadamente, lo que le confiere un pleito que suele durar en algunos casos hasta media hora si ninguno de los contrincantes es heridor y de escasos minutos si el gallo es bueno y caza pronto al rival. Sobre dando-lhe um julgamento que geralmente dura em alguns casos, até meia hora, se nenhum dos contendores é heridor poucos minutos e se o galo é boa eo jogo em breve rival. Eso sí, este tipo de pleito es bastante martirizador, lo que para ello se requieren animales de una fineza extraordinaria y en muchos casos se observan peleas en las que las remontadas son verdaderamente apasionantes y vemos surgir fuerzas de la flaqueza en los gallos que luego son clasificados para castar. No entanto, este tipo de contencioso é bastante martirizado, que são necessários para um animal de extraordinária finura e, em muitos casos, são observadas quando as lutas são realmente emocionante volta e ver a fraqueza das forças surgem no galos que são, então, qualificada para a casta.

    Otro punto a tener en cuenta, es que muy pocos castadores utilizan la consanguinidad a la hora de hacer sus cruces y la forma de forjar las líneas es a base de cruzar lo mejor clasificado de cada cual con lo mejor que puedas obtener de una gallería amiga, evitando así los productos problemáticos que de aquí pueden surgir y dándole a los animales la fortaleza del vigor híbrido cada vez que hacemos un nuevo cruce. Outro ponto a considerar é que muito pouca endogamia castadores utilizada para fazer cruzamentos e como construir as linhas cruzadas é baseado no que cada alto-classificado com o melhor que você pode obter a partir de um amigo Galerias , evitando assim o problema de produtos que podem surgir aqui e dar os animais a resistência dos híbridos vigor cada vez que efectuar uma nova passagem.

    EL COMBATIENTE ESPAÑOL TIPO JEREZANO ESPANHOL TIPO Jerezana o combatente
    Aunque podamos englobar estos dentro del grupo anterior, tenemos que aclarar, que en la zona de Jerez de la Frontera y sus alrededores, el gallo combatiente español ha sufrido una aportación distinta al resto. Embora nós incluir esses em grupo anterior, é preciso esclarecer que a área de Jerez de la Frontera e da área circundante, o espanhol galo lutador sofreu uma contribuição distinta para o resto. Hoy en día muy codiciados por su fiereza y coraje, los jerezanos son gallos españoles de extremada elegancia, finos y bravos como el toro y heridores sin igual. Hoje, muito procuradas após a sua fúria e coragem, o espanhol Jerez galos são extremamente elegante, bela e corajosa como um touro e heridores nenhum. Existe una teoría que apunta a la aportación más acentuada del Old English Game que los ingleses introdujeron en las líneas españolas en los tiempos que acudían a las afamadas bodegas de vinos de esta tierra y de ahí que algunos observadores distingamos este tipo de gallo del resto de los españoles pero debo aclarar que hoy en día por su diversificación y mezclas con el tipo anterior sólo se trata de una observación para los que además del tipo de pleito, exigimos a nuestros animales una estructura fenotípica particular. Existe uma teoria que aponta para a contribuição mais forte do Antigo Inglês Inglês Jogo introduzidas no Espanhol linhas na época que vieram para o famoso adegas desta terra e, portanto, alguns observadores distinguir este tipo de galo no resto do espanhol, mas devo esclarecer que, hoje, para a sua diversificação e combina com o tipo acima é apenas uma observação de que também o tipo de litígio, a demanda para os nossos animais de um determinado fenotípica estrutura. El jerezano no deja de ser el mismo gallo en la península que el combatiente español en sí y la única diferencia, es que llamamos jerezanos a los gallos de cola baja, larga y bastante arqueada, de pluma preferiblemente colorada pechinegra, de extremada nobleza y elegancia, pico corto y fuerte y buen amigo en las manos. Jerez é o galo na península espanhola no combate propriamente dito, ea única diferença é que um convite Jerez galos cauda baixa, e bastante longa proa, de preferência de penas coloridas pechinegra de extrema elegância e nobreza , bico curto e forte e bom amigo em suas mãos.

  421. Furiam disse:

    Muito bom site , esclarece muito bem a raça de galo de briga espanhol .

  422. Alu disse:

    Excelente informações sobre galo espanhol.
    Gostei muito , este site colocado por Orsine Edgar é muito esclarecedor sobre o galo espanhol .

  423. Alu disse:

    A única forma de preservar o verdadeiro galo de briga é a seleção através de lutas , assim a verdadeira raça da ave combatente será preservada .

  424. Aldo Fagundes Teles disse:

    Por incrível que pareça aprendi a limpar-me (primeiro com papel seco e depois papel umedecido com sabonete) somente agora , tenho 40 anos , esse método é excelente , gasta mais , mas acaba até com a coceira . Muito obrigado , pela orientação de limpeza do ânus . muito obrigado mesmo.

  425. Disraely Braz disse:

    O governo deve legalizar a rinha de galo, pois sou biólogo e sei que a luta entre eles é institiva e na maioria das vezes esses galos são muito bem tratados.
    Que difente dos orgãos que fiscalizam, que quando os prendem os sacrificam. – Aí sim é crime!
    Deveriam fiscalizar principalmente os zoológicos brasileiros, esses sim deveriam ser fechados por maltratos aos animais que os rendem tanto R%!!!
    Grato pela atenção!!!

  426. Gildo Tavares disse:

    O governo deveria combater a pedofilia que está expondo nossas crianças a estes psicopatas sexuais .

    O governo deveria combater com todo o rigor os assaltantes .

    O governo deveria combater o crime organizado .

    o governo deveria combater os estupradores

    o governo deveria combater os sonegadores

    o governo deveria combater quem desvia dinheiro público

    o governo deveria combater os funcionários fantasmas do congresso nacional , isto é , os que ganham e por lá nunca aparece .

    o governo deveria combater os corruptos .

    o governo deveria incentivar a criação e preservação da raça de galos de briga e inclusive a exportação desses galináceos .

  427. Gildo Tavares disse:

    O governo deveria acabar com tráfico de drogas .

  428. Pedro Camargo disse:

    A maioria dos homens com o passar do tempo , geralmente após o 50 anos , tem um problema com a próstata , pois ela cresce de tamanho , não é câncer , esse aumento de volume da prostata (hiperplasia prostática benigna (HPB) ), embora benigno faz comprimir e com isso , há dificuldade de urinar e há retenção de urina na bexiga . Se não tratada ela vai crecendo …e também o incomodo . Uma prostata de tamanho normal vai de 19 gramas a 30 gramas .
    O tratamento é com o remédio FINASTERIDE …que tem o objetivo de deminuir o tamanho da prostata ( esse remedio inibe a produção de hormonio testosterona ) e pode causar diminuição do “apetite” sexual ( disfunção ereção)
    Outro remédio tomado é Bloqueadores alfa- adrenérgicos ( baixa pressão arterial )

    No meu caso , a prostata estava crescida com 58 gr e tomei o remedio SECOTEX ( É CARO , MAS ADQUIRI MAIS BARATA NA MANIPULAÇÃO .. nome é tansulosina 0,4 mg tomo um por dia, não causa disfunção sexual e não mexe com a pressão e diminuiu minha prostata para 35 g.

  429. Geraldo Barbosa Neto disse:

    Alguém deu a dica de como se limpar bem , evitando coceiras no ânus .

    Outro deu a dica de como combater o oxiurus .

    Agora outro dá dica de um remédio bom para prostata e que não causa disfunção na ereção (impotência): tansulosina 0,4 mg pode ser manipulado (nome comercial secotex) e resolve o problema .

  430. Pedro Camargo. disse:

    Tomo tansulosina 0,4 mg uma cápsula ao dia , faz 8 meses , diminuio de 58 g para 35 , fiz ultrasonografia da próstata e constatei esse resultado , continuo tomando manipulado em face do custo , e o resultado foi muito bom .

    Não aconselho ninguém a tomar remédio , mas a informação deve ser dada a todos , consulte um urologista .

  431. Odair Gomes disse:

    Existem muitos galistas , esses que criam galos não para vender e sim para brigar , esses nunca arrumam frangas de qualidade a terceiros . Uma vez fui comprar frangas de um galista chamado Tarcisio e ele vendeu uma franga preta muito bonita , mas quando pus a reproduzir com um galo bom de raça , os filhos dela não aguentavam a briga , fugiam sairam todos terra . O galista enganou-me .Esse galista tirou raça com as suas boas galinhas com um galo japones terra .
    portanto , aprendi a lição e hoje só compro frangas de criadores que não fazem briga , mas que criam somente para vender .

  432. Jorge Hurtado disse:

    Essa de limpar bem com papel seco e depois ir alternando papel umedecido com sabonete e depois papel seco e assim sucessivamente ….foi a melhor coisa que apreendi , confesso antes desta dica não sabia limpar ….pois eu limpava somente com papel seco (parecia que o c ficava limpo …mas não ficava ) .
    Obrigado

  433. Aldo de Campos disse:

    O único animal que já nasce belicoso , seu instinto é para brigar , e isso vem acontecendo há centenas de anos .

    Por exemplo , posso ter dezenas de cães da raça pitbul ou qualquer outra raça de briga , mas se eu não icentivá-los e treiná-los a brigar podem todos conviver juntos , desde que não tenha uma cadela no cio . Agora galo de briga é bem diferente , não há necessidade de ensiná-los a brigar ou treiná-los , se vc deixar, por exemplo, 10 galos adultos juntos a destruição será total , pois galos de briga independem de estimulos ou treinamentos para o galo brigar .
    Os galos são treinados apenas para adquirir preparo físico e não para estimulá-los a brigar, eles são os únicos animais que brigam instintivamente . Se algum duvidar , é simples crie um galo de briga desde pequeno e nunca faça treinamento ou estimulo de briga , quando ele ficar galo (15 meses) esperimente deixar junto com outro galo vc vai ver o que acontece !!!!!

  434. Aldo de Campos disse:

    O único animal que já nasce belicoso , seu instinto é para brigar , e isso vem acontecendo há centenas de anos .

    Por exemplo , posso ter dezenas de cães da raça pitbul ou qualquer outra raça de briga , mas se eu não icentivá-los e treiná-los a brigar podem todos conviver juntos , desde que não tenha uma cadela no cio . Agora galo de briga é bem diferente , não há necessidade de ensiná-los a brigar ou treiná-los , se vc deixar, por exemplo, 10 galos adultos juntos a destruição será total , pois galos de briga independem de estimulos ou treinamentos para o galo brigar .
    Os galos são treinados apenas para adquirir preparo físico e não para estimulá-los a brigar, eles são os únicos animais que brigam instintivamente . Se algum duvidar , é simples crie um galo de briga desde pequeno e nunca faça treinamento ou estimulo de briga , quando ele ficar galo (15 meses) experimente deixar junto com outro galo vc vai ver o que acontece !!!!!

  435. Déborah disse:

    Querido Nene Piloto,se as rinhas são boas então pq ainda existe clandestinas,agora que foi liberda no Brasil,neste Brasil hipócrita,ignorante,corrupto e sem justiça?

  436. Nene Piloto disse:

    Débora disse …..”Querido Nene Piloto,se as rinhas são boas então pq ainda existe clandestinas,agora que foi liberda no Brasil,neste Brasil hipócrita,ignorante,corrupto e sem justiça? ”

    Prezada Débora as Rinhas de Galo não foram liberadas no Brasil , por isso existem as clandestinas .

    A Justiça de Mato Grosso liberou uma rinha em Cuiabá .

  437. toni de belem do para disse:

    eu concordo com as brigas de galo, pois com a modernidade as brigas de galo se tornaram algum de valor para sociedade em “geral”.sendo que gera emprego e renda para pessoas amantes pelo que fazem.
    as pessoas que n sabem nada e nem tem conhecimento do assunto ficam falando besteiras, é o galo depois que briga ou morre ele é aproveitado. sendo que todo as pessoas querem levar para comer, pois a carne é muito gostosa bem vitaminada, sem falar com alimentação desses animais e de 1º QUALIDADE. eu acho que esses galos são melhores e mais bem cuidados que voces que criticam a briga de galo. finalizando o meu e de todos os comentarios o mundo esta assim violento e por que as pesssoa se importam mais com a vida dos outros podendo esta estudando ou trabalhando.se vc n gosta aprenda a pelo menos intender o que acontece para depois falar.

  438. proibida ou nao e a minha paixao
    galos brigam ´por enxtintos nos galistas preservamos por amor
    http://www.gallerosoy.com

  439. Maria das Graças Fantini disse:

    Sinceramente eu não sabia que a prostata cresce com o avanço da idade ,(hiperplasia prostática benigna (HPB) ) por isso , noto que meu avô levanta muitas vezes por noite pra fazer xixi , ele reclama que o jato é muito fraco e sai pouca urina e tem desconforto ( agora sei que sua prostata está muito crescida e comprime a uretra dificultando a saida da urina) .
    Valeu a dica .
    Meu avô adora criar ave combatente , quando eles ficam frangos e começam a cantar meu avô fica o dia inteiro admirando essas marvilhas da natureza .

  440. Te Gusta??? disse:

    Algo que ninguem levantou foi o sofrimento da Viúva.
    As galinhas nem ovo produzem após seu maridos morrerem em batalhas sangrentas.
    Pobres viúvas que esperam seus honrados maridos voltarem da “sanguinolenta” batalha.
    A merda os ecochato que defendem uma teoria que nào sabem nem pq defendem.
    Salve a cultura popular, salve as rinhas.

  441. Maria das Graças Fantini disse:

    Realmente não entendi a mensagem do Sr. Te Gusta???

    As galinhas nem ovo produzem após seu maridos morrerem em batalhas sangrentas.

    Pobres viúvas que esperam seus honrados maridos voltarem da “sanguinolenta” batalha

    Se for galinha ave …. as penosas não se incomodam que os “maridos” galos .

  442. Valtir Pires de Moura Campos disse:

    Depois de Deus , devemos agradecer a Noé que preservou o galo de briga em sua Arca , no dilúvio exterminador das espécies animais e aos galistas que estão preservando esta extraordinária ave há centenas de anos e agora infelizmente estão sofrendo uma violenta e virulenta perseguição e os falsos ambientalistas querem a todo custo a extinção do galo de briga brasileiro . Ao arrepio da lei vão a criatórios e apreendem as aves e inclusive no Paraná foram degoladas impiedosamente e em Olinda foram mortas para servir de refeição em hospital tudo em nome da proteção .

  443. Déborah disse:

    como tem gente que fala coisa sem noção aqui,caramba eim!!!!!!!!!!!!mais aí gente,nosso país ta do jeito que ta pq??alguem sabe?o cidadão diz que é boa a rinha de galo,e se fosse tão boa,pq estas pessoas desempregadas já não estariam com rinhas???

  444. Valtir Pires de Moura Campos disse:

    Prezada Débora .

    Se as rinhas fossem liberadas pela Justiça ou pelo Governo … pelo menos 600.000 pessoas seriam empregadas e fora os empregos indiretos .

    Ninguém está podendo abrir rinha de galo , a não ser por ordem judicial …como é o caso de Cuiabá onde o Tribunal de Mato Grosso liberou um clube de galo .

  445. Valtir Pires de Moura Campos disse:

    Esses desembargadores do tribunal de Mato Grosso são na verdade além de grandes juristas , são sem dúvidas ambientalistas , pois sabem da importância da preservação dessa magnifica ave .
    É confortante saber que existem magistrados que entendem profundamente o direito constitucional e a natureza . Eles sim querem preservar uma raça que vem sendo perseguida e que os falsos ambientalistas querem a extinção a todo custo do galo de briga brasileiro.

  446. ALFREDO DIAS DE LARA disse:

    GOSTARIA DE SABER A RESPEITO DO GALO GALINHOLA , QUEM SABE DE QUE RAÇA É O GALO GALINHOLA …ANTIGAMENTE HAVIA MUITOS , HOJE , SÃO POUCOS OS GALINHOLAS .
    QUEM PODERIA FALAR SOBRE O GALO GALINHOLA .

  447. RonaldoC disse:

    Caro Alfredo,
    Os galos galinhas ou penas redondas são descendentes de galos espanhóis pena redonda, de pequeno porte ou do kikilia (galo galinha do Seilão) que tem grande porte. Esses galos, quando puros são extremamente valentes, jamais abandonando uma luta. No Brasil a maioria dos galos galinha tem origem espanhola, não havendo registros da presença do gigante kikilia. Há, ainda, galos suros (sem cauda) de origem espanhola. Esses galos, tantos os suros, quanto os galinhas, gozam de grande prestígio em seus países de origem, pois são considerados bons de combate.
    Quero aproveitar para agradecer e elogiar os criadores de galos puros de origem pelo importante trabalho de preservação dessas aves. Se não fossem esses criadores só poderíamos ver um tuzo, um azil, um maláio ou um chamo em gravuras antigas.

  448. ALFREDO DIAS DE LARA disse:

    Sr. Ronaldoc ,

    Muito obrigado pelas informações sobre o galo galinhola .

    Noto que o Sr. além de preservador dessas extraordinárias aves , é também um profundo conhecedor das raças que até agora foram preservadas graças aos esforços dos criadores , uma vez que elas atualmente não vivem soltas na natureza .

  449. João Catira disse:

    Estes Galos Galinholas que aqui no interior de São Paulo nós chamamos de Galo Pena Galinha a anos que não vejo mais eram galos de muita espora e pouca raça, vi alguns pularem da rinha com a briga praticamente ganha…

  450. Déborah disse:

    Senhor Valtir,vcs dizem que rinha de galo é uma coisa boa,bélissima,então pq agora vai ser um emprego indireto,se é tão belo e é um trabalho tão justo pq pessoas não trabalham nisso?Um mesmo já disse neste blog(não me lembro quem)que rinhas ilegais devem continuar.

  451. RonaldoC disse:

    “Brasil país da impunidade” Quem disse essa fraze esqueceu de acrescentar, também, o termo “incompetência”. São vários os exemplos de má administração do dinheiro público, dos quais, quero ressaltar o famigerado “cargo de confiança”, o qual deveria servir para efetivar os interesses públicos afetos ao desenvolvimento do país e bem estar da população, na verdade serve de moeda de troca entre políticos, para que possam empregar seus parentes e amigos e para cuidar de interesses próprios, geralmente, não muito honestos. Em consequência deste fato, pessoas sem a mínima qualificação ocupam cargos de grande importância e tomam decisões incompetentes ou fora dos interesses do povo brasileiro. Posso dizer estas palavras com muita propriedade, pois sou funcionário público e vivencio esse problema. Muitas são as formas de desviar as atenções da população para esse e outros problemas mais graves, ou seja “enquanto corremos atráz de um único boi a boiada vai fugindo”. Trazendo este tema para o assunto aqui tratado, o poder público vem dando aulas de incompetência no trato do assunto “briga de galos”, pois como se pretege uma espécie com extermínio? “A pior corrupção é a incompetência.” Está na hora do assunto ser encarado de forma competente e responsável por parte das autoridades. Acabar com uma espécie que vem sendo mantida a céculos pelos galistas e que tem grande valor zootécnico não pode ser uma solução para amenizar as frustrações de pessoas que acham que a vida se passa na tela de um computador dentro de um apartamento nos grandes centros urbanos.
    Companheiros, façamos a nossa parte que é lutar pela preservação da espécie gallus gallus, pois sem a nossa dedicação, esses animais, que não mais existem em estado selvagem, seriam meras fotos em livros antigos.

  452. Felinho disse:

    Os galos galinhas ( los gallos gallinas ) conhecidos no Brasil também por Galinholas .

    En numerosas ocasiones me han preguntado como se originaron los Gallo Gallinas, de que cruzas surgieron. El Gallo Gallina es una de las pocas razas puras de gallos primeramente vistas en la India que debieron de haber salido de las selvas igual que el Bankiva, y que cuando se le cruza con aves de plumaje normal la progenie deja de ser Gallo Gallina. Yo creo que la raza es tal y como la hizo Dios. Sus caracteristicas fisicas, habilidades en el combate, su rapidez para golpear y su buen corte los diferencia marcadamente de sus primos, las razas de plumaje normal.

    He castado, jugado y vendido Gallo Gallinas por 65 años, por lo tanto considero que tengo los conocimientos y la experiencia necesaria para escribir su historia.

    Llegaron a Inglaterra a comienzos del Siglo XV donde los buenos castadores ingleses los perfeccionaron y en su era de apogeo retaron a todo Inglaterra con sus Gallo Gallinas. Utilizando ciertas de sus variaciones forjaron lineas de diferentes colores, incluyendo los bellos Grouse castados por John Harris. Al poco tiempo pasaron a España donde los Españoles los cruzaron con sus lineas de colorados y giros de plumaje normal. Mi buen amigo John Thrasher, casto y mantuvo sus gallos españoles tal y como se los mandaron de España, y muchos de ellos le salian Gallo Gallinas.

    Los primeros Gallo Gallinas fueron traidos a EUA por un partido de nombre Story, y resultaron fabulosos en los agujones de acero cortos que se usaban en esos tiempos en la costa este del pais. El Sr. Chester A. Lamb importo los Black Thorne y los Tabacos, y los casto por 50 años, vendiendo padrotes Gallo Gallinas a un buen numero de los castadores de su epoca. Tambien importo los Kikilia del Ceilan y me los obsequio al año de haberlos traido al pais. Mis primeros Gallo Gallinas Negros los obtuve del Sr. Lamb y tambien importe unos buenos Gallo Gallinas Tabacos de Inglaterra.

    Nunca aspire a ser un castador importante. Mantuve mis Gallo Gallinas porque me gustaban y jugaba unos cuantos cada temporada. Ganaban para mi y mis clientes alrededor del mundo, y aun despues de 65 años continuan siendo tan rapidos y violentos como en años pasados, y siguen siendo castados y jugados en muchas areas del pais. No por numerosos criadores, sino mas bien por personas como yo a quienes les gustan.

    Un buen gallero en Texas tiene un Gallo Gallina Negro con siete combates ganados en derbies. Otro gallero de Texas que fue a la gallera de Copper State la temporada pasada vio a uno de mis Gallo Gallinas Negros ganar su decima pelea en la primera soltada.

    A comienzos de 1930 le ayude a W.R. Hudlow a administrar una gallera al sur de Chickasha, Oklahoma. Esa temporada yo solo contaba con 9 Gallo Gallinas entre pollos y gallos, pero gane 34 peleas con ellos sin una sola derrota. Esto fue reportado en la revista Grit & Steel. Estos Gallo Gallinas jugaron en contra de cualquiera, incluyendo al gran Sweater McGinnis.

    Me case en 1935 y mi esposa me informo que no le gustaban los gallos. En ese entonces tenia 50 pollos listos para pelear, asi es que le dije que si me acompañaba a jugarlos me despojaria de ellos (hace locuras uno cuando se enamora).

    Estabamos echando unas peleas entre unos doce galleros locales. Eche un pollo negro Gallo Gallina de 4 libras 8 onzas en contra de Sweater. Sweater tenia un giro copeton muy bueno que desbarato a mi pollo en la primera soltada. En la segunda soltada mi pollo rodo de espaldas pero cuando el giro lo pico mi pollo le dio una metralla de tiros que sono como tambor en rol y acabo la pelea. Cuando le estaba quitando las armas al pollo llego mi esposa a pedirme dinero para apostarselo a nuestros pollos restantes. Ese dia gane las 5 peleas que eche y me hice del mejor aliado que puede tener un hombre, mi maravillosa esposa Opal.

    Asi es que mientras este vivo siempre criare unos cuantos de los que considero los mejores gallos sobre la faz de la tierra, los Gallo Gallinas Negros Dawson (Dawson’s Black Hennies).

    http://www.gallos.com.ve/biografias-de-criadores-y-razas-de-gallos/biografias-de-criadores-y-razas-de-gallos/los-gallo-gallinas.html

  453. silvio disse:

    As pessoas que criticam a briga de galo não tem conhecimento dos cuidados que as aves tem desde nascimento até o momento da sua competição.E nem deve passar pela cabeça dessas pessoas do emprego que gera diretamente e indiretamente.são muitos pais de familias que vivem do emprego e que são reconhecidos como profissionais.E na economia por que como muitos pensam galos não comem só o milho,racões variadas vitaminas e outros remédios.Se fizerem uma pesquisa e avaliar o emprego que é gerado diretamente e indiretamente.Se o brasil já vive numa crise que ninguem consegue acha uma solução imagina como vai ficar se desempregar todos as pessoas envovidos de forma direta e indiretamente.pense a respeito se realmente querem ver o brasil crescer. só tem uma soluçao emprego então para que desempregar um pai de familia.

  454. CANGA disse:

    O QUÊ EU GOTARIA QUE AS PESSOAS SOUBESSEM:
    Que um dos raríssimos animais na face da terra que têm o privilégio de conviver, concomitantemente, com seu ancestrais milenares são os da espécie galináceos domésticos de corte(“caipiras” e de “granjas”). Imagine você o homem moderno vivendo , ao mesmo tempo, com os Neanderthais, seus antepassados diretos. Infelizmente isso não foi possível, já que morreram todos há muitos milênios de anos atrás, não sobrando nenhum deles nem para contar a história.
    Milagrosamente e diferente das demais, a raça milenar “gallus gallus”, ainda com alto grau de “pureza”, existe na sua total exuberância até os dias de hoje, transpondo todos os tipos de barreiras através dos tempos e de gerações. São mais de 5.000 anos. É realmente um fato incrível. Mas, como será que isso aconteceu? Uma coisa eu posso garantir: não foi obra do acaso, não!
    Num primeiro momento, e até em virtude da propagação de um preconceito que, lamentavelmente, vem se aproximando as raias do chamado ódio zoológico, seria muito exigir dos incautos uma análise mais profunda do comportamento humano e do convívio direto do homem com esses animais por milhares de anos. Relacionamento este que foi basilar e garantiu a manutenção e a preservação dessas extraordinárias aves.
    Realmente, uma reflexão sociológica mais aguçada, seria pedir demais. Agora, um pouquinho mais de humildade para poder compreender e menos radicalismo nas ações, seriam atitudes racionais e dignas de pessoas inteligentes e que estão realmente preocupadas com a verdadeira preservação dessa espécie e igualmente e porque não, sobretudo, com o respeito à DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA. Mas…..é de se perguntar: Na atual conjuntura, será que os criadores de galos da raça combatentes no Brasil, aínda são merecedores de alguma dignidade?

  455. diego brow disse:

    sou galista e fodasse os contra

  456. CANGA disse:

    Quiz dizer: SÃO MERECEDORES DE ALGUM RESPEITO?

  457. CANGA disse:

    Melhor dizendo:
    Na atual conjuntura, será que os criadores de galos da raça combatentes no Brasil, estão tendo o direito de exigir algum respeito?

  458. Faé cristiane Ruy disse:

    Quem cria e preserva o galo combatente aqui no Brasil é um herói , apesar de toda perseguição eles ainda conseguem preservar um galo de briga maravilhoso , que é reconhecido no mundo inteiro .

    Quem conhece a natureza do galo de briga libera as lutas , por exemplo , os desembargadores de Mato grosso são conhecedores profundos do direito e não só do direito mas sobretudo do conhecimento ambiental , pois sabem que liberando as lutas essas aves não vão a extinção .

  459. Faé cristiane Ruy disse:

    Com tantos problemas ambientais, devastação de florestas , quase extintas centenas de espécies de animais silvestres ,por caça ilegal, e vendas ilegais inclusive para outros países ….Nem a dengue que está por todos os lados está difícil de controlá-la ,pois o pessoal da polícia ambiental poderia ser utilizada no combate a dengue ….os mosquitos fazem parte do meio ambiente , mas faltam policiais ambientais para combater o que seria bom para a população . Mas sobra pessoal para ir atrás de galo de briga …que paradoxo .

    Dá muito mais “IBOPE” combater briga de galos a combater outros graves problemas ambientais .

  460. Neno guadernalli disse:

    João Catira sabe que na região noroeste do Estado de São Paulo existem bons galos e eles deveriam ser preservados e para preservá-los a única maneira é a seleção através de lutas …Infelizmente com a perseguição dos òrgão ambientais o legitimo galo de briga fatalmente estará fadado a extinção .

  461. João Catira disse:

    Não acredito que o Galo de Briga vai ser extinto, felizmente existem muitos criadores no Brasil e no resto do Mundo, essa perseguição aos galistas e galos me parece ser para desviar a atenção a problemas mais graves tais como o desmatamento das nossas florestas, o contrabando de aves silvestres, e a falta de formação das nossas altoridades….
    Também não ha união e organização entre os galistas para que seja exigido aos nossos governantes uma REGULAMENTAÇÃO para as Rinhas de Galo e a criação de Galos Combatentes

  462. João Catira disse:

    Neno eu crio Galos Combatentes a 38 anos…
    Sou do estado de São Paulo e conheço a excelente qualidade da galaria paulista

  463. Navuzardan disse:

    Para uma maior agilidade na aprovação da liberação do combate de galos de briga no brasil seria preciso que fosse feito pelo (IBAMA) uma triagem criadores serios sobre o comportamento destas aves, desde o nascimento ata a faze adulta, para que as altoridades entendesem o que é realmente um GALO DE BRIGA pois ate hoje todos o que falaram algo contra não tem a menor noção do que realmente são estas aves.

  464. Déborah disse:

    Ta! Tudo bem,vamos fazer de conta que eu não sei nada de aves!Então me digam,pq que se é natural do galo brigar,como todos dizem,por que querem ganhar dinheiro nisso?O cachorro faz as fezes,é natural,e ele tem alguem ganhando dinheiro por cada bostofon que ele larga,NAO NÈ!Com o galo não é diferente!Dizem que é natureza,natureza seria se eles brigassem sem estar valendo nada,como o cachorro defeca sem valer nada tbm!

    • evandro medeiros disse:

      Ô Débora, vamos fazer de conta, não, vc não entende mesmo.Solte dois galos indios no quintal e espere pra ver o que acontece.Em instantes estarão duelando e se um não desistir brigarão até a morte, mesmo sem a interferência humana e sem apostas.

  465. João Catira disse:

    Déborah nas corridas de cavalo também se apostam dinheiro e não vejo ninguém contra isso…

  466. Carlinho Buldog disse:

    Briga de galo não sou contra , pois eles brigam instintivamente , isto é quando os galos são realmente legitimos e puros de briga , seu fim é exclusivo de briga , não existem por aí soltos , eles adoram combater .

    Sou contra briga de cachorros , pois é o homem que ensina e estimula o cão a brigar .

  467. João Nanã disse:

    Os pseudos ambientalistas esquecem que a natureza do galo de briga é diferente dos outros animais , quando adultos (15 meses) devem ser isolados uns dos outros , pois se ficarem juntos brigarão até a morte .

    Os galos da raça de briga não vivem em sítios ou fazendas . Nos dias atuais existem ainda os galos puros de briga graças ao empenho dos galistas que preservam essa extraordinária ave . Se as rinhas tivessem sido proibidas no mundo inteiro há 100 anos , essa maravilhosa raça já estaria extinta e somente através de livros poderiá-mos visializá-las .

    Portano, quem é realmente ambientalista não é contra lutas de galos legalizadas e com regras rígidas .

    Em face do exposto , podemos concluir que os desembargadores de Mato Grosso que liberaram as lutas de galos em Cuiabá são ambientalistas e preservadores do mundo animal, sobretudo da ave mais perseguida e que hoje constitui um ódio zoologico e mortal na mente dos que são contra a briga de galo e que quando apreendidas são maltratadas , degoladas .

  468. João Nanã disse:

    A união faz a força e se galistas se unirem poderia formar uma bancada no congresso nacional , basta os grandes galista descerem do muro e não ter vergonha de dizer que é um preservador do galo de briga brasileiro .
    Muitos galistas nunca se preocuparam em legalizar , pois fazem brigas de galos somente com participação da elite galista ( clubes 5 estrelas ) não se uniram e hoje estão sofrendo forte perseguição .

  469. RonaldoC disse:

    A cerca de 7 anos parei, temporariamente, de criar galos de briga. Como moro na zona rural e dispunha de um considerável espaço, resolvi começar a criar cavalos. Inicialmente, adquiri um potro (controlado) de 2 anos que logo se tornou um belo cavalo. Submetido a testes, o potro demonstrou grande potencial para competições, despertando o interesse de alguns grandes criadores. Certo dia estacionau na frente do meu sítio um carrão e um senhor muito rico me ofereceu um bom “dinheiro” no potro. Como eu tinha éguas para serem cruzadas, não o vendi. Diante da minha negativa, o rico senhor disse que meu cavalo era muito bom mas na minha mão ele não iria a lugar nenhum, pois eu não tinha dinheiro o suficiente para a sua projeção no mercado do cavalo. Tendo eu levado o cavalo para competir, tive a constatação do que o rico senhor me falou. Meu cavalo era alimentado naturalmente com o que tinha de melhor, no entanto, eu não usava anabolizantes ou drogas para aumentar o seu desempenho e, dessa forma, ví várias vezes o meu animal ser derrotado por outro cavalo inferior, mas que estava com as veias cheias de cafeína. Outra coisa que constatei é que no resultado dos julgamentos o poder aquisitivo dos proprietários tem grande influência.
    Vasculhando a internete, podemos encontrar vários comentários pejorativos em relação às rinhas de galos, feitos por pessoas que não têm o mínimo conhecimento sobre o que essa atividade significa para os praticantes e para a própria espécie galo combatente. O que essas pessoas, talvêz, não sabem é que esses comentários infundados, irresponsáveis e, muitas vezes, mentirosos estão ajudando na prática de crimes contra a nossa Constituição que são o extermínio de uma espécie doméstica e a mutilação da cultura brasileira. Na rinha de galos, ao contrário da atividade que citei na história que contei sobre a minha “passagem pelo cavalo”, tem espaço para todos. Pobres, ricos, novos e velhos têm as mesmas chances de ver um galo seu ser campeão ou não, bastando para isso somente adquirir o conhecimento necessário para criar e classificar seus animais da forma correta. Com base nisso, muitos historiadores definem a rinha de galos como sendo o espaço público mais democrático do mundo e esse aspécto está imortalizado em várias telas de pintores famosos por todo o mundo. Diante dos fatos citados, podemos entender que o galismo, para os praticantes, tem grande importância de cunho sociológico, quando podemos facilmente observar pessoas de 20 anos de idade sendo amigas de pessoas de 30, 40,60 e mais de 80 anos de idade. Sem contar que oferece a todos a chance de ascensão dentro dessa comunidade.
    Finalizando, gostaria que os leigos buscassem o conhacimento necessário para entender que uma rinha não é um local onde pessoas se reunem para assistir a carnificinas e que antes de se julgar negativamente essa atividade, vários fatores precisão ser analizados cujo mais importante que é a própria sobrevivência da espécie galo combatente.

  470. Faulim disse:

    “Tu verás las mejores peleas de gallos” …no me gusta ver las peleas de gallos de la raza español …mi preferencia es de gallos orientales .

  471. Déborah disse:

    Bom dia RonaldoC!Vou esclarecer uma coisa,eu não sou totalmente contra a rinha,mas sou contra pessoas ganharem dinheiro nisso!Sabe pq!?É que assim,esses dias eu estava no meu predio e do lado tem um vizinha que cria galos e galinhas,mais é da maneira normal,sem hormonios,só para consumir.Então vi um barulho muito estranho,como se tivesse caindo algo de algum lugar,então fui na sacada,quando olhai para baixo era um galo que estava brigando com uma galinha,(acho que era galinha,pq ela só tem um galo,e o galo era aquele)e ele estava praticamente matando a galinha,e eu super aflita no apartamneto,até que a dona dos galos apareceu.Ela pegou e separou a galinha machucada de todos os outros bichos.Hj a galinha esta bem,masi ela não ganha dinheiro com este galo,e acho que nem ela sabia que ele brigava!Tambem pudera ,a senhora tem 87 anos !!
    Eu não gosto q pessoas ganham dinheiro em cima de bichos!Em rinhas,pq se o galo briga no seu natural pq ganhar dinheiro com isso?Corridas de cavalos,pq muitas vzs eles não tem condiçoes de correr tanto!Qualquer coisa q explore o bicho eu não suporto.Uma vez eu estava indo para o trabalho e minha amiga estava comigo,iria deixa-la no shopping.Foi quando vimos um carroceiro com muitas mais muitas sacolas de lixo e o cavalo estava machucado nas patas,sem ferradura,com sede e se esforçando até não poder mais.No mesmo instante,tentei chegar perto daquele carroceiro e manda-lo parar.Ele encostou na calçada e eu do carro liguei para a policia.Desci do carro,conversei com ele e ele disse que não estva nem aí pro cavalo.neste meio tempo da conversa a policia chegou,expliquei o que tinha acontecido,e o carroçeiro desacatou o policial,dizeno que eles eram idiotas,que não sabem nada e ainda mandou pra aquele lugar pavoroso.Os policias o prenderão e mandaram o cavalo para um lugar para cuida-lo,mais eu disse que me responsabilizava pelo animal!Bom até hj tenho ele,esta no sitio do meu sogro e esta muito lindo.Obrigada e RonaldoC tenha um bom dia!!!

  472. José Bonilha disse:

    A minha preferência é ver galos de raça brasileira ( game brazilian) é um galo que tem sangue shamo,inglês e também sangue dos antigos galos trazidos pelos portugueses é maior que os bankevoides .
    muito versátil , bom de espora , excelente método de briga e é muito rápido é um galo admirado no mundo inteiro .

  473. CAIO disse:

    DEBORAH,NÓS QUE SOMOS APAIXONADOS PELA CRIAÇÃO E BRIGA DE GALOS JAMAIS VAMOS CONSEGUIR DE QUE NINGUEM APOSTE,ESTIVE PRESTANDO ATENÇÃO NO QUE ESCREVES E SEI QUE ÉS INTELIGENTE MAS ENTENDA QUE ATÉ NO FUTEBOL SEMPRE TEM ALGUEM QUE APOSTA, TEM APOSTA QUE O PROPRIO GOVERNO INCENTIVA E PARA ONDE VAI OS LUROS?ALGUEM SABE?QUANDO UM ATLETA (HOMEM) SE MACHUCA, SERA QUE O GOVERNO MANDA ALGUNS TROCADOS PARA ELE SE TRATAR?ENTÃO QUAL A EXPLICAÇÃO SOBRE APOSTAS…..NAS RINHAS OS GALOS SÃO ATENDIDOS POR SEUS DONOS COM MEDICAMENTOS,TRATAMENTOS ADEQUADOS, UM DIA DEVERIA VISITAR ALGUM CRIDOR DEPOIS TIRE SUAS CONCLUSOES COM CERTEZA VOCE NOS JULGARA DIFERENTE. ABRAÇO.

  474. RonaldoC disse:

    Cara Débora, você agiu certo quanto ao caso do cavalo, está de parabens. No entanto, vou contar uma história que aconteceu comigo a qual mostra o outro lado da moeda. Há uns dez anos, ao sair da minha casa para ir trabalhar, vi dois homens conversando, um eu conhecia e o outro não, este estava chorando e eu me aproximei para falar com o que eu conhecia e, meio que sem querer, tomei conhecimento do que estava acontecendo. O homem que estava chorando tinha uma égua que puxava uma corroça. Houve uma determinação do prefeito da minha cidade que todos os carroceiros tinham que ser cadastrados para poder trabalhar, inclusive, as corroças deveriam ter uma placa (parece maluquice mas é verdade). Como aquele carroceiro não tinha sido cadastrado, sua carroça e égua foram apreendidos. Aquele homem morava bem perto da minha casa, mas nunca tinha falado comigo, tem quatro filhos e a sua única forma de sustento eram os fretes que ele fazia com a carroça. Sem ter como ganhar dinheiro ele estava desesperado, pois não tinha o que dar para os seus filhos comer e não tinha os 200 reais para pagar a multa e reaver seu animal e carroça. Me sensibilizei com a situação daquele homem, voltei para casa, apanhei o dinheiro e o dei. Ele me disse que não tinha como me pagar e eu o disse que se não desse para pagar, que não pagasse, pois para mim o que importava naquele momento era ele voltar a trabalhar. Aproveitei e mandei algum alimento para ele a esposa e seus filhos. Aquele homem, ao contrário do que você descreveu, cuidava muito bem da égua. Hoje ele é guarda municipal e não mais depende da égua para sobreviver. Três anos após isso ter acontecido, ele foi a minha casa e me devolveu os 200 reais.
    Não sei se chegará um tempo em que o homem não mais precisará utilizar os animais para trabalho ou laser, e também não sei se acabar com essas atividades é uma prática benéfica para os animais, pois “a função faz o órgão” e com o fim dessas práticas, muitas espécies domésticas estariam fadadas ao desaparecimento ou a degeneração, posso citar como exemplo os próprios galos de briga. Acho que o ideal é o governo combater os excessos conforme prevê a lei de maus tratos aos animais e a população agir como você agiu com o caso do cavalo.
    Os países que legalizaram a briga de galos criaram leis específicas que só permitem que essa atividade ocorra sob o controle do governo, justamente para coibir excessos.
    Tenha um ótimo dia.

  475. RonaldoC disse:

    “Achei importante.”

    Um Alerta à Família Brasileira, e a todas as Famílias do mundo.
    DIGA NÃO ÀS DROGAS !
    Comunidade em combate ao uso de drogas…
    “Não deixe um traficante adotar o seu filho”

    * Endereço de URL da comunidade http://www.sonico.com/DIGA_NAO_AS_DROGAS
    * Rede Brasil
    * Categoria Internet e Tecnologia » Sites de Internet
    * Acesso à comunidade
    O galismo esta contra as DROGAS

    Diga nao as drogas
    Diga nao as drogas
    O galismo esta nesta guerra contra as DROGAS
    DIGA NAO AS DROGAS

    Diga nao as drogas

  476. RonaldoC disse:

    Débora, em relação ao caso da galinha, esse tipo de comportamento de um galo é muito estranho, pois os galos de briga, ou não, são muito carinhosos com as fêmeas ao ponto de qualquer alimento que ele encontre ele a oferece (também não sei se ele faz isso com segundas intenções). Talvês, quem estava sendo agredido, ao invés de uma galinha, era um frango mais novo e o galo sentiu sua liderança ameaçada e partiu para o ataque e isso é comum em qualquer tipo de galináceo. Vai uma dica para a sua vizinha, fale para ela cortar as esporas do galo, pois isso reduz o risco de acidentes com as galinhas, frangos e até com seres humanos, pois alguns galos se tornam territorialistas e atacam o ser humano por considerá-lo um invasor. O método é indolor e consiste em serrar as pontas dos esporões deixando apenas 1cm, utilizando uma serra com dentes bem pequenos dessas utilizadas para serrar ferro. A neta do empregado do sítio do meu pai, quando tinha um ano de idade, foi atacada por um galo desses comuns e uma das esporas perfurou a barriga da menina, que teve uma infecção gravíssima e precisou ser internada. Antes disso ocorrer, esse mesmo galo me atacou palas costas fazendo dois buracos na batata da minha perna e eu disse para o seu dono que cortasse as esporas, mas ele não me ouviu e o galo atacou a neta dele. Depois do acidente com a neta o dono do galo, ficou com raiva e, em função do galo ser todo preto, o vendeu para um centro de macumba, para que ele virasse despacho. É mole?

  477. Déborah disse:

    Obrigada RonaldoC!Sobre os cidadãos fazerem o mesmo que fiz é dificil,sabe por que?por que somos um pais sem escrupulos,sem força de vontade,ahhhhhhhhh,e sem CRISE ECONOMICA.Por estes e varios outro motivos o país esta do jeito q esta,todos ignoram o fato de ter q se meter na vida do outro,mais não é o fato de se meter,é o fato de ajudar um animal ou um ser humano!Nossa sociedade sabe disso?NAO!Nâo sabe pq?!Pq existe um corja de vagabundos (desculpe este termo,mais foi o unico que coube há esta situaçao),intoleraveis,ladroes,idiotas em BRASILIA,dizendo que farao o melhor!É a população acredita!Acredita pq?!Pq a mamaioria da nossa população é de assalariados,e pra quem estes governantes prometem coisas?Para os assalariados,e como tem muito pobre que vende o voto por 5 kg de feijão,estamos neste lixo de país!AAAA um detalhe,o assalariado só não é pobre monetariamente,mais tbm de pensamento!Eu sou contra o Governo Lula!Cria Bolsa Familia para o pobre,e para os ricos?Veja bem ,não estou banalizando o pobre,estou apenas demonstrando a “dignidade” do BRASIL.Sabe pq o rico não ganha,pq o rico muitas vzs tbm esta no meio da corja de vagabundos!Alguns não estao,mas se um brasileiro ganha um salario até 1.000 reais,não paga impostos!<<Este é o pobre.Agora um determinado brasileiro ganha até 30.000 reais,paga um GRANDE imposto!E QUEM TEM MAIS REGALIA NESTE PAÌS,O POBRE!MAIS PQ!PQ ELE È EM MAIOR QUANTIDADE.Mais ninguem observa que é o rico que ,digamos assim,”mantem o país”,e o pobre faz o que pelo nosso país.Mas não descartamos que POBRE E RICO,QUE SÃO BRASILEIROS SÃO FARINHO DO MESMO SACO!o rico é ,muitas vzs corrupto,pois aqui quem manda é o dinheiro,e o pobre muitas vzs vende seu voto por 5kg de feijão,então juntamos a fome e a vontade de comer,deu no que deu,este “maravilhosooooooo País CORRETO”.Obrigada RonaldoC e a todos que leram este meu comentario,e tenham um ótimo dia,um abraço!

  478. José Bonilha disse:

    Os galos que mais atacam o ser humano é o galo de granja , já tive diversos galos de granja ( brancos e vermelhos) quando galos estão com esporas crescidas e tornam estremamente perigosos , são os galos mais agressivos ao ser humano , principalmente para crianças . O galo puro de briga geralmente é dócil ao ser humano ,mas é super belicoso com outro galo .

    O galo de granja não presta para brigar , pois não aguenta briga , mas é muito perigoso para o ser humano …eles não exitam em atacar com suas esporas afiadas ( causa infecção de difícil cicatrização )

    Cuidado não deixem crianças se aproximarem de galos da raça de granja .

  479. RonaldoC disse:

    Caro José Bonilha, concordo com tudo que você disse.

  480. RonaldoC disse:

    Um belo conto que retrata como é o relacionamento entre galo e galista.

    O Canto da Alvorada

    “O dia já clareava, com os avisos dos pássaros. A hora certa do canto de Alvorada. Era um belo galo, senhor absoluto da primeira hora da manhã. O nome era um batismo de fé num futuro de glórias. Alvorada, desde frangote, já dominava o terreiro: distribuía bicadas nas canelas dos galinhos que ousassem desafiá-lo. Mestre Ambrósio, anos a fio a criar galos de raça, saberia a hora certa de fazê-lo descer à rinha para brigar. Criador experiente, em cada ninhada escolhia o filhote que daria um lutador imbatível durante várias temporadas. Muita fama, algum dinheiro, sensação e certeza de que a rinha continuava firme, apesar da recente proibição. Na cidadezinha, um lugar sem outros atrativos, muitos gostavam das rinhas, nos finais de semana. Era a única diversão de peões, feirantes, pedreiros, vendeiros e até de algumas pessoas influentes, que ajudavam a manter a rinha funcionando.
    Mestre Ambrósio confiava no futuro de Alvorada. Aquele galo, sim, o melhor de todos. Ia ser, com certeza. Na hora certa, quando estivesse preparado, com esporões em riste, entraria na arena para estraçalhar. Com apostas de favorito, transformaria em pinto qualquer um dos valentões calejados de pelejas e vitórias. Os freqüentadores da rinha acompanhavam o crescimento do galo, admiravam-se da dedicação do tratador e de sua fé na força do animal. Alvorada já era famoso na praça, antes mesmo de iniciar sua carreira de glórias. Era conhecido dos maiores apostadores, que já viviam na expectativa de assistir a sua grande estréia. Alguns arriscavam uma proposta pelo futuro campeão, ouvindo todos a mesma resposta firme do treinador:
    — Este galo eu não vendo por dinheiro nenhum.
    O galo já valia uma fortuna. Promessa certa de grande desempenho. Os apostadores queriam vê-lo em ação, mas mestre Ambrósio não tinha um qualquer de pressa. Já adulto, o animal estava forte e arisco, não encontrava páreo nas lutas de treinamento. Do alto de seu canto, agitava as asas com firmeza e harmonia, riscava o chão, marcando seu território, absoluto no terreiro. Galos experientes, com vitórias contadas, apanhavam, baixavam a crista diante das bicadas e dos esporões do futuro campeão. Mestre Ambrósio sorria satisfeito. Tinha certeza, já previa os lances das melhores brigas no meio da rinha. Alvorada faria estrago, invencível anos e anos. Ia ser, mas na hora certa. Por enquanto, esperassem.
    Ambrósio sabia: era preciso ter calma e calcular o momento certo da estréia. Uma coisa era o terreiro, calmo e arejado. Outra coisa era a rinha, o círculo apertado, o barulho da platéia, a pressão dos olhares. Alvorada tinha força de brigão, mas ainda não estava pronto: faltava muito pouco.
    O criador tinha uma afeição diferente por esta ave. Era o resultado de muitos cruzamentos de galos de raça com as fêmeas mais ariscas. Desde que deitara aqueles ovos de casca áspera, mais dura que o normal, tivera a intuição de que um deles daria um macho dos melhores já produzidos no seu terreiro. Acompanhou o choco passo a passo, cuidou para que a galinha não demorasse de voltar ao ninho, para que os ovos não esfriassem nem gorassem. As semanas se passavam; agia ali a natureza, com seu ciclo perfeito. O futuro galo de briga ia-se gestando.
    Quando os ovos começaram a se romper, um deles exigiu bicadas mais fortes do filhote. Ele veio à luz, estreou um pio repetido, forte, meio esganiçado, desde já imponente. Era um bom sinal. Certeza de canto firme e asas poderosas. Por coincidência ou cuidado, Ambrósio estava por perto e ajudou a alargar a saída, afastando as cascas com a unha. Riu satisfeito ao receber a primeira bicada do filhote em seu dedo. Ali estava, talvez, o animal tão esperado.
    Mestre Ambrósio tocava há tempos o negócio da criação de aves de raça. Mas o que o empolgava mesmo eram os galos de briga, paixão herdada do velho pai. Nas tardes de sábado, a rinha era como um estádio. Os aficionados chegavam de vários pontos da cidade, com seus animais de estimação super bem-tratados, transportados em tipóias típicas, bordadas por suas mulheres ou encomendadas às costureiras das vizinhanças. Eram interessantes essas peças, com suas abas, com alças semelhantes às de sacolas de tecido, um bojo onde se colocava o corpo do animal e com dois furos paralelos, por onde passavam as pernas que iam pensas, pelas ruas, ou em guidões de bicicletas.
    A rinha fazia parte da tradição do lugar, funcionava ali há mais de cinqüenta anos. Um grupo de trabalhadores do interior de Sergipe ali se estabelecera, trazendo a novidade. O finado mestre Jorge, pai de Ambrósio, trouxera da terra natal, junto aos patrícios, os primeiros galos de raça e de briga, com a idéia e o sonho de tocar uma rinha. Começou com a cara e a coragem, devagar, com dedicação e vontade. O negócio foi prosperando aos poucos, com a criação e a venda de aves de raça. Mestre Jorge foi desenvolvendo seu tino de treinador, ganhou a experiência de preparar os frangotes para a luta. Os bichos, uma vez adultos, bem nutridos com milho e ração preparada em casa, tornavam-se pequenos gladiadores de pena.
    A rinha era um templo: espaço de consagração e decepção, entre vitórias e derrotas. Ali começava ou acabava a fama de um galo de briga e de seu dono ou tratador. Tal como uma praça de touros, a rinha se desenhava enquanto palco de vida e morte. Os animais se enfrentavam com uma fúria silenciosa, olho no olho, crista a crista, a bicadas e golpes de esporões afiados. O sangue e as penas, num ruflar de asas ariscas, cristas dilaceradas, os pescoços arrepiados. As batalhas levavam horas e se transformavam em tema de discussões, dias e dias. Nas paredes, algumas fotos antigas, outras mais recentes, os assentos de madeira em volta, como uma pequena galeria de circo. Era uma arena trágica para os galos, o deleite dos amantes do estranho esporte.
    O galo que perdia o combate cambaleava até cair. Moribundo, ia para os tratos com ervas e ungüentos que pudessem recuperá-lo aos poucos, se agüentasse. Curado, poderia mais tarde retornar à rinha para as grandes revanches. Porém, se morresse em combate, ia direto para a chamada panelada de sábado, degustada pelos participantes do esporte, regada a cerveja. Já os vencedores cresciam no conceito de todos. Seu dono amealhava considerações. As apostas subiam cada vez mais. O animal pegava valor no preço, como subia o valor de um canário que cantasse melhor após a primeira muda de penas.
    O tempo glorioso de Mestre Jorge passou. O velho tratador não resistiu à decepção de ver o seu melhor galo, pelo qual chegara a enjeitar uma oferta alta em dinheiro vivo, perder uma luta e morrer na rinha. Trovão caiu feio, sangrado por um franguinho de primeira luta. Um golpe de sorte, um puro acaso. O velho Jorge entendeu o pressentimento que tivera naquele dia. Não tivera tempo de fazer a simpatia especial que dava mais força ao galo. Subestimara o inimigo, e Trovão morreu. O tratador, chateado demais, quebrou as regras: não deixou que levassem Trovão à panelada daquele sábado. Enterrou o galo no terreiro, como um ente querido, ao lado de seu saudoso cachorro perdigueiro. Depois disso, o velho Jorge perdeu a graça, ficou triste e desanimado. Não preparou nenhum outro galo de briga. Morreu com essa tristeza, sem jeito que se desse.
    Mestre Ambrósio herdou o lugar do pai. Desde menino já acompanhava o velho, ajudava no trato diário das aves, aprendia a profissão por vivência e entusiasmo. E agora, experiente e afamado, sabia que cada galo tem a hora certa de subir ao ringue, encarar o inimigo de frente, sem cacarejar. Havia lá uns segredos que guardava para si mesmo, algo como uma superstição, que ele empregava. Quando preparava um galo para briga, tratava-o de maneira especial. Deixava-o a sós com as galinhas, dono do terreiro, por três dias. O galo ali se sentia senhor absoluto, sem rival que lhe disputasse as fêmeas. Horas antes da luta, o mestre recolhia a ave, prendia-a num abrigo ali mesmo no terreiro, e soltava outro macho em meio às galinhas. O lutador, privado de seus privilégios, e vendo o rival livre para desfrutar de suas fêmeas, ficava inquieto, riscava o chão com as esporas, cacarejava alto, inconformado. Dali saía para a rinha certamente com muita raiva acumulada. E descontava no adversário, com toda fúria, castigando-o a bicadas certeiras, com esporões vingativos. Depois da luta, o galo treinado por mestre Ambrósio regalava-se de volta ao convívio com suas fêmeas. Esse era o segredo a sete chaves que tornava mestre Ambrósio um treinador respeitado, já que vencer seus galos era um desafio quase impossível. E nisso também se apostava, quando e quem o venceria. A fama corria, vinham tratadores de outras cidades, e mais de longe, adversários cada vez mais qualificados. Galo de Ambrósio era invencível, até que um dia se provasse o contrário.
    Muitos queriam ver Alvorada lutar. Alguns para admirar os lances de perícia adquirida nos treinos, outros com sede de ver o tratador derrotado.
    — Está com medo de botar o galo na rinha, compadre?
    A provocação irritava mestre Ambrósio. Por que tinham tanta vontade de derrotá-lo, se ele preparava galos para todos, se proporcionava espetáculos que valiam pelas apostas e pelas diversões? Ora, talvez por isso mesmo. Tudo fazia parte da mesma festa. A sede de pequenas crueldades permeava aquele esporte esquisito. Uma delas era o gosto de ver o favorito perder a briga, pela emoção da surpresa e do desafio. Degustar a carne de um favorito, inesperadamente derrotado, era talvez mais saboroso. Mestre Ambrósio se preocupava com isso. Mas estava certo de que não iam conseguir derrotá-lo. Alvorada estava pronto para brigar bonito, de igual para igual, com o melhor galo que aparecesse. Com a velha simpatia que pai lhe ensinara deixaria o galo enfezado e feroz, capaz de derrotar o qualquer que o desafiasse. Mas, e se não fosse um dia bom? E se Alvorada perdesse a briga, como acontecera com Trovão há tantos anos? Este era o receio do tratador, pelo amor que sentia pelo galo, um verdadeiro animal de estimação.
    — Como é, vai ou não vai botar o galo na rinha? Ou está com medo?
    — Vou, claro que vou. Vocês vão ver.
    Espalharam o boato de que Alvorada subiria à rinha na próxima jornada de lutas. As apostas foram se multiplicando, nas rodas de conversas, nas praças, nas feiras. Era clima de festa esperada, sem volta. Mestre Ambrósio, de surpreso com a notícia, se viu enredado, que não podia recuar. Mas o treinador se perguntava se o galo estava mesmo pronto. E não havia jeito de adiar a estréia no sábado. As apostas cresciam, a notícia da luta se espalhava entre os interessados, corria até nas cidades vizinhas. Alvorada havia de subir à rinha sem falta, sob pena de provocar pilhérias, descrédito, desmoralização. E isso Ambrósio não podia tolerar. O galo estava bem treinado, forte, em forma. Certamente estava pronto para a briga. Mas isso garantia que iria vencer? No terreiro, o tratador observava a ave, que ciscava despreocupado, soberano. Ora, Alvorada venceria qualquer peleja.
    No sábado a rinha estava apinhada, entre conversas e animação, na torcida pelos galos, nas brigas preliminares. Os homens se acomodavam como era possível, na casa lotada, com visitantes de fora, alguns estranhos, com seus galos a tiracolo, gente de outras bandas. Chegava a hora de se definir o adversário de Alvorada, pela escolha da platéia, ou pelo desafio da maior oferta em aposta. O desafiante firmava o valor da aposta que oferecia, como uma espécie de leilão da luta. Entre os desafiantes, dentre os da cidade, apenas dois fizeram um desafio, porém sem convicção de que pudessem vencer. Naquelas circunstâncias, seria honroso desafiar o galo de Mestre Ambrósio, ainda que para dali ver sua própria mascote ir direto para a panelada de sábado.
    Na hora de firmar o desafio, surgiu, da última fila, a voz de um visitante. Era um homem moreno, estatura média, cabelos grisalhos e bigode ralo. Nunca fora visto antes por ali. Trazia um galo à mão, numa tipóia bem bordada, o bicho de olhos vivos, piscando sem parar, como se nervoso com o barulho do ambiente, de prontidão para a luta. Com voz pausada, o homem fez, em desafio, uma aposta dez vezes maior que qualquer outra oferta já cantada naquela rinha. E diante dos olhares surpresos e silenciosos dos presentes, o desafiante se apresentou.
    — Sou Manuel Ramos, venho de Estância, cidade de seu pai. Sou filho de um velho compadre de Seu Jorge. Eu também trato de galos de briga; aprendi com meu pai . Eu soube de sua fama, resolvi vir para o desafio. Este aqui é o melhor galo que já tive na vida. Venho cuidando para que seja um vencedor. Estréia hoje para valer, igual a seu galo. Vamos ver quem é melhor.
    Mestre Ambrósio coçou a nuca, acariciou a crista de Alvorada na tipóia vermelha, com frisos brancos. Pensou um pouco. Não havia mais jeito. O desafio estava posto de forma irrecusável. Era confrontar Alvorada contra o galo do visitante, que aparentava ser um treinador experiente, firme e confiante. Era um lance arriscado, mas não podia recusar.
    — Muito prazer, seu Manuel. Aceito a aposta – disse, com certa preocupação, diante do vozerio geral.
    Na hora da luta, cada tratador fazia os preparativos finais para o combate. Acertavam os esporões de metal nas patas dos bichos. Massageavam as asas e o pescoço, apertavam o bico abrindo e fechando algumas vezes, faziam gestos de avançar com a mão sobre a ave para apurar os seus reflexos. Diante da expectativa da platéia, inquieta, em conversas e comentários animados, era hora de se iniciar o combate. Como um ritual, os galos eram apresentados à platéia, seguros pelas asas pelos treinadores, em lados contrários da arena de luta. Assim alçados, ao sinal de uma contagem de um até três, soltavam-se as aves na arena mortal.
    Os dois galos logo se encararam, arrepiando penas do pescoço e das asas, cabeças em riste, olhos adrenalinos. Reconheciam-se já em disputa pelo mesmo espaço, correram para o centro da rinha, em franco combate. Era a sorte lançada. Um balé de gestos agressivos, numa coreografia de volteios, saltos, golpes, espera, avanços e recuos, diante da gritaria animada dos torcedores em volta. Dois galos bem treinados, uma briga com lances espetaculares, como poucas vistas por ali.
    Eu, narrador futuro, me espremia num canto, mais atrás, firme na ponta dos pés para ver os lances da briga. Sorrateiro, bem quieto, com medo de ser posto para fora, pois proibiam meninos naquele lugar. Mas o dia era de total atenção ao centro da rinha, ou, pelo simples, toleravam minha presença discreta. A cada bicada, a cor avermelhando-se nas cristas e pescoços dos galos, isso me deixava preso no misto de angústia, pena, expectativa, sem saber para que ave torcer, com medo de ver uma delas, cada qual tão bonita, cair derrotada na rinha, entregue ao abate, direto para a panela.
    Em meio àquela gritaria, as aves guerreavam, em gestos acirrados, mostrando os efeitos de treinamentos requintados. Manuel, nervoso e arisco, gritava para seu galo desafiante: — Vamos, Veloz! – revelando o sugestivo nome do combatente. Mestre Ambrósio permanecia calado, concentrava-se em estudar, nos lances dos animais, qual era a tendência da luta. Embora calado, notava-se uma aflição no seu cenho enrugado. Ele sabia quando uma briga era das mais ferozes, daquelas que deixava um galo morto e outro bastante estragado. E essa era uma briga das mais perigosas. Ele avaliava o esforço das aves, sentia pelos saltos e golpes de Veloz que Manuel era um excelente treinador.
    Ia a luta se desenrolando, de parte a parte, os bichos se atacavam, se revezam em golpes mais fortes. Veloz era melhor nos saltos, quando suspendia o esporão de forma perigosa para Alvorada. Ia acertando-o na coxa, sempre arriscando encaixar um golpe certeiro, talvez mortal. Esses golpes repetidos serviam para minar a resistência do inimigo pouco a pouco, deixando-o sem forças para saltar, para avançar. Com tempo, ia se cansando, ferido na base, acabava se entregando aos golpes fatais do adversário. Alvorada era mais forte, atacava com mais consistência e às vezes acuava Veloz num ponto da rinha, de um lado ou do outro. Havia equilíbrio, a luta mostrava-se empatada, sem vantagem clara para uma das aves.
    Nas brigas de galo acertava-se, por acordo, um intervalo. Servia para descansar um pouco os lutadores, quando se julgava a luta empatada. O treinador podia ajustar as esporas dos bichos, limpar os pescoços sanguinolentos, massagear o peito, refrescar com um curioso banho. O treinador enchia a boca de água gelada, segurava a ave diante de si, na altura do seu rosto e borrifava, soprando o líquido da boca no corpo da ave, daí massageando o peito e as coxas para aliviar as dores e a tensão. Alguns acariciavam seus galos, até beijando-lhes o pescoço como incentivo à luta. Mas cada treinador só podia pedir um intervalo de cada vez, e se o outro concordasse. Só tinha direito a novo pedido, depois que o adversário usasse o mesmo direito.
    A briga empolgava a platéia. Os galos não decepcionavam. Alvorada distribuía toda a sorte de golpes, conforme seus treinos mais requintados. Veloz, no entanto, era um galo surpreendente, forte, bem treinado, ou mesmo o que se diz: — um galo bom de briga! Um páreo duro para mestre Ambrósio. Os bichos seguiam em saltos, bicadas, negaceios de asas, olho no olho, procurando acertar um ao outro com os esporões em riste. Um balé de golpes e saltos, desenhando ziguezagues na arena, uma coreografia que deixava respingos de sangue pelas cabeceiras do ringue, no revestimento de um tecido rústico com enchimento acolchoado. A platéia admirava-se da disposição das aves na briga. Os mais empolgados faziam novas apostas. Alvorada e Veloz recebiam novas cotações. A torcida quase que dividida, uns até apostando num improvável empate, se ambos restassem vivos, mas esgotados, sem forças para lutar. Seria uma pena se um daqueles magníficos galos viesse a morrer, numa carreira de luta tão curta, mal iniciada. Podiam dar espetáculos contra inimigos mais fracos, fazendo o delírio dos torcedores.
    Este narrador espichava o pescoço, procurava acompanhar a dança de golpes pelo tablado, prognosticando o fim das duas aves. Parecia-me que ambas estavam prestes a cair mortas, mutuamente vencidas, causando um silêncio de pena. Seria um castigo para todos aqueles homens.
    A briga continuava e Veloz agora parecia estar em vantagem, acertando mais bicadas do que levava. Alvorada lutava, mas sempre recuando, com saltos cada vez mais baixos, sem alcançar vantagem contra o inimigo. Manuel, satisfeito com o desempenho de sua mascote, observava de esguelha, verificando o ânimo de mestre Ambrósio, se ele entregava os pontos. Mas a regra era clara, se o tratador entregasse os pontos, o galo perdedor saía desacreditado, jamais voltava a lutar na rinha. E Alvorada não merecia tamanha desonra, já que, em desvantagem, bastante machucado, lutava sem medo contra a fúria de Veloz. Mestre Ambrósio, observador experiente de quantas lutas, sentia que os golpes de seu galo atingiam o inimigo, mas não faziam um bom efeito. E viu que, pela posição que Veloz adotava, os esporões de Alvorada não o alcançavam em cheio. Restavam forças para reagir, mas os golpes não surtiam efeito. Assim, a sua derrota era uma questão de tempo, suas forças iam-se minando, o cansaço ia-lhe abatendo. Só um intervalo poderia reverter a situação, corrigindo-se o ângulo das esporas de metal. Era preciso fazer algo: uma parada, um borrifo de água gelada, uma massagem no peito, algo que salvasse Alvorada da derrota. Mas era nítido que Veloz estava vencendo e Manuel não consentiria em parar a luta. Confiante, enfrentava o olhar nervoso de mestre Ambrósio, diante da gritaria da platéia, que sentia a proximidade de uma definição na luta, uns apreensivos pelos valores apostados, outros comemorando a vitória iminente.
    Os gritos se chocavam: Veloz! Veloz! Alvorada! Alvorada! O galo de mestre Ambrósio cambaleou pela primeira vez, junto à borda almofadada da rinha. Mas seguia lutando, aplicando os golpes de esporão, mas sem atingir o alvo em cheio. Nesse momento, o tratador sentiu perto o perigo de perder sua ave predileta. Pensou em fazer algo, pedir uma pausa, sair da luta, salvar Alvorada. Mas não tinha coragem de ceder, pois sentia que o galo queria lutar, espanando as asas, perdendo penas, o sangue escorrendo da crista. Eram lances fortes, bicadas firmes, esporeadas no ar, cortes nas coxas dos gladiadores de penas, ambos sangrando, bicos abertos de cansaço, penas espalhadas pelo chão. A platéia, quase em delírio, seguia gritando a cada lance mais espetacular, aos gritos: “Vai! Aí! Bica! Vai! Sangra! Mata!”. Era a expectativa de um lance fatal. Pelos movimentos da luta, muitos já esperavam ver Alvorada tombar vencido.
    O galo de Ambrósio cambaleou mais de uma vez e, diante de uma bicada forte de Veloz, os torcedores já esperavam de pé pela queda fatal. Ali, quase solenemente, fez-se um silêncio longo. Uma espera, uma aflição, um galo bicava, o outro retrocedia, sem ânimo. Então mestre Ambrósio, meio que em desespero, quebrou sua tradição: de calado rompeu a pular e a gritar, com as palavras de incentivo que usava ao treinar o seu galo.
    — Eia! Vai! Pega! Reage, Alvora! Enfrenta! Alvora!
    Era só sua voz no recinto, nervosa, quase embargada, uma lágrima vinha brotando dos olhos cansados do velho tratador. Foram a voz e os apelos de Ambrósio? O que foi que deu ânimo novo ao galo? O que se sabe é que Alvorada soltou um cacarejo como um gemido de aflição, agitou as asas, riscou o chão e partiu instintivamente para cima do inimigo. Veloz, num lapso de surpresa, abaixou um pouco o corpo, recuando. Alvorada, por estar meio desequilibrado, acertou de lado, com o esporão em cheio no pescoço do inimigo. O golpe prostrou Veloz na rinha e este foi o último gesto de luta de Alvorada, que ambos tombaram lado a lado, com as cristas e os pescoços ensangüentados.
    A luta chegava ao final, já se apurava o resultado. Ou se considerava o empate por esgotamento, ou o empate por morte dos dois galos. Já se examinavam as aves, daí logo constatando: Veloz, sem reação, não respirava: estava morto, vencido, nas mãos de seu dono desapontado. Veloz, conforme a praxe, seguia dali para se juntar aos demais perdedores da tarde, como iguaria da panelada. Alvorada, sem reação, ainda respirava: estava vivo, embora extenuado. Já recebia os cuidados nos braços de mestre Ambrósio, agora feliz, aliviado.
    Esportivamente, Seu Manuel veio cumprimentar o mestre, e pagar a aposta devida. Prometia voltar para novas jornadas. E assim avaliou:
    — Foi uma boa luta, em verdade um empate – disse, traindo no ritmo da fala uma certa tristeza. Dobrou a tipóia de Veloz, tentou enfiar num dos bolsos, mas não conseguiu. Então, olhou-a mais uma vez e atirou num canto, na minha direção. Eu peguei a tipóia do galo vencido, guardei como troféu que até hoje figura em meu velho baú de lembranças.
    Seu Manuel se despediu, que já ia pegar a estrada, de volta a sua cidade. Ali, de ouvidos atentos, ouvi as suas observações, que deixaram Ambrósio em silêncio, preocupado.
    — É uma pena. Seu galo é muito bom, mas, assim ferido, dessa noite não escapa.
    Aquele sábado terminou em festa, com rodadas de cerveja, cantigas ao som de sanfonas e violões. A panelada já ia para o fogo e a expectativa era grande, pois diziam que galo bravo dava mais caldo, tinha mais sabor.
    Mestre Ambrósio não ficou para comemorar. Seguiu para casa com o seu campeão na tipóia, muito ferido, num silêncio que só cedia a um ruído de cacarejo impossível, como gemidos de dor. Em casa, Ambrósio preparou beberagens que lhe enfiou bico adentro, passou ungüentos medicinais no corpo do bicho, tratou os ferimentos da crista, fez curativos no pescoço. Agasalhou Alvorada num ninho especial, com serragem e maravalhas finas, num canto bem arejado do terreiro. Ele se sentia culpado pelo sofrimento do animal, e orgulhoso pela vitória contra o pior inimigo que já vira na rinha. Manuel era um treinador dos melhores, com certeza. Ambrósio acariciou seu galo de estimação, abaixou-se e o beijou no bico. E, aproximando-se das aurículas do bicho, disse: “Boa noite, velho!”. Mas logo voltou, para ficar observando-o mais um pouco. “Você vai escapar dessa, velho”, ainda disse. E daí se recolheu, entre enternecido e confiante.
    Na cama, sua mulher, Dona Dália, já ressonava, que dormia sempre mais cedo. Ela detestava brigas de galo. Já deitado, mestre Ambrósio sentiu o cansaço do dia, dos anos, da vida. Pela primeira vez sofrera de verdade com uma briga de galo. Sentira um aperto, quase uma dor no peito, com medo de perder. Não pela aposta em si, mas pela vida do galo. Não queria ver o bichinho cair morto diante de todos, virar tira-gosto de sábado, devorado com cerveja. Agora, Ambrósio sentia: Alvorada não era apenas um galo; era seu animal de estimação, mais que um amigo. E se emocionou, lembrando do trato diário com o pinto, o frango, o belo galo. Vinha-lhe a decisão firme. Nunca mais entregaria Alvorada à rinha. Deixaria essa vida de uma vez, como Dália vivia pedindo. Livre, Alvorada viveria solto pelo terreiro, a cobrir as galinhas de raça, como um verdadeiro reprodutor. Era o melhor galo de todos os tempos. Merecia ter uma linhagem, ninhada após ninhada. Os filhotes de Alvorada iriam povoar todos os terreiros, com aquele porte de campeão invencível, com aquele canto que encantava a manhã. Um canto que fazia os pássaros suspenderem a voz para ouvir.
    Ambrósio estava sem sono, via a noite se arrastar. Como se sonhasse de olhos abertos, revia os piores lances da luta. Imaginava Alvorada morto, como seria sua enorme tristeza. Mas logo revia as melhores cenas, e o lance final da luta: o galo inimigo tombando, Alvorada reagindo, olhos semi-abertos, ferido mas vivo, vivo como sempre. Alvorada vivo!
    A madrugada declinava, começava a clarear, com os avisos dos pássaros. Era a hora certa, como todo dia era, do canto de Alvorada. E, de repente, esquecido das feridas da ave, que também doeram, agudas, dentro dele, Ambrósio apurou bem os ouvidos. E de lá do terreiro, ouviu o canto de Alvorada. Era o belo canto de sempre, absoluto sinal de vida, entre os primeiros raios da manhã. Era um canto nítido, claro, imponente, superior: este canto, este que só mestre Ambrósio ouvia, e de agora para sempre ouviria, todo dia. Porque, nas redondezas, outros cantos longínquos assumiam o vago romper da manhã. No terreiro desolado, era só a alvorada que rompia e se elevava, e era alva como todos os dias. No entanto, estava envolta num silêncio de luto – que só se escutava, ali e além, o canto triste dos passarinhos.”

  481. RonaldoC disse:

    Paulo Zenni Araujo
    Deus no Pago – Ed. Sulina
    gentileza de Marcel H. Figueiredo

    Eu tive um galo de rinha
    puro sangue, cor prateada,
    com uma mancha rajada
    cobrindo-lhe todo o espinhaço.
    Bico mais forte que o aço,
    galo do tiro certeiro,
    que nunca deixou rinhedeiro
    amargurando fracasso.

    Me foi dado já maduro,
    calejado de peleias
    mas corria em suas veias,
    sempre um sangue efervescente,
    igual a do tipo valente
    que despeito de arrogância,
    sempre pronto em vigilância,
    para um combate iminente.

    Por não ter com quem pelear,
    serviu na reprodução,
    pra deixa uma geração
    que seguisse a sua trilha
    qual cerna de coronilha
    que não se dobra por nada
    e permanece encrustada
    no topo de uma coxilha.
    Da cruza com uma jacu
    preta forte elegante,
    nasceu uma pinto gigante,
    cor da mãe, sangue do pai.
    No lote se sobressai
    aquele preto graúdo,
    com um porte macanudo
    de peledor que cai.

    Tornau-se logo um franguito,
    cantava batendo as asas,
    e, em seguida ensaiava
    um avançar impetuoso,
    e no correr sinuoso,
    via um galo corpulento,
    arrojado, violento,
    seria também, vitorioso.

    Do pai, herdou valentia;
    da mãe a serenidade.
    Esbanjava agilidade
    e altivez permanente.
    E eu deduzi, claramente,
    que todo o índio agressivo
    tem um lado positivo:
    é o reagir prontamente.

    Bastava estalar os dedos,
    pra merecer atenção.
    E se lhe estendesse a mão,
    ficava mui submisso;
    parecia um compromisso
    a sua total obediência.
    Fazia até referência,
    e eu me orgulhava disso.

    Foi criado em liberdade
    como dono do terreiro,
    havia um branco, de raça,
    que não queria trapaça
    por pretensa hegemonia.
    E pra demonstrar valentia,
    fazia grande arruaça.

    Por entre ripas da cerca,
    os dois galos se toreavam.
    E se nunca se puavam.
    foi por não ter condição.
    Mas numa desatenção,
    o pacato galinheiro
    transformou-se em rinhadeiro,
    e resolveu-se a questão.

    Meu galo agüentara muito
    deboche, provocação.
    Fiel a mim seu patrão,
    mostrava nada entender.
    Mas chega um dia que o ser
    perde a calma, vira bicho,
    esquece norma e capricho,
    nem que tenha que morrer.

    Foi tal a carnificina.
    Meu frango com menos peso,
    batoque, sem pua, mas teso,
    largou o branco correndo.
    E depois cantou dezendo:
    - foi só pra te ensinar!
    Eu sei, não devo matar
    quem está quase morrendo.

    Que te sirva de lição,
    de um modo de ensinamento;
    grave bem no pensamento
    que minha raça tem brio,
    tem fibra; jamais caiu.
    Por isso de hoje em diante,
    neste terreiro não cantes,
    nem quero que dês mais um pio.

    Meu pai me dera o direito,
    mas me fora sentenciado.
    Ele havia concordado
    que o frango fino eu criasse.
    Mas que também eu cuidasse,
    pois mandaria matá-lo
    se algum dia este meu galo
    com o seu branco brigasse.

    Cumpriu-se então a sentença,
    o pacto foi encerrado.
    Meu galo sacrificado
    por ter vencido sua rinha.
    A tradição se mantinha,
    milenar, inflexível,
    desta estirpe imbatível
    que desde a origem vinha.

    Foste a página virada
    do livro da minha vida.
    A sentença foi cumprida
    em toda a sua versão.
    Se manteve a tradição,
    só um galo, companheiro!
    cantou no nosso terreiro,
    foi meu pai Velho João.

  482. DANILO .J.V disse:

    QUERIA ;POR FAVOR;SABER A ALIMENTAÇAO;CORRETA PARA MIM DAR MEU GALO POR QUE ELE ESTA DEMORANDO TERMINAR SUA MUDA(TROCA DE PENAS)POR FAVOR TO COMESANDO A CRIAR SO TEM 4 ANOS E NAO SEI QUASE NADA AINDA,ME AJUDE!!!OBRIGADO.

  483. joacir.souza.arealva disse:

    abraços. para todos de sao paulo aqui continua tudo bem

  484. joacir.souza.arealva disse:

    danilo 30 minutos de sol todos os dias raçao preparar sendo 30k.milho quebrado .30k.milho.20k aveia 5k amendoim .10k.girasol. 25k.hemolene.1cc.de catosal.
    cada 15 dias ingetado no peito com agulha fina.
    boa sorte. 014.97724643.

  485. João Catira disse:

    Danilo da pro seu galo ração TUC (Rações Tangará), acrescenta semente de Girasol e milho quebrado, mais nada, tem galos que demoram mais a muda

  486. luciano disse:

    essas pessoas que sao contra a rinha tinhao que se informar um pouco mais para pode fala!!! pois é um monte de abobrinha que elas falao, nosso galos sao tratados com muita atençao e dedicasao e principalmente cuidado,e o galista tems mais de mil anos de historia, nos nao vamos nos rende a essa gentinha mediucre e sim cultura nem uma!!!! Um viva pro galistas que ainda nao desistirao mesmo com tudo essa perseguisao que esta avendo!!!!!!abraços a meus amigos galistas!!!!!!!!!

  487. Déborah disse:

    Mediucre e sem cultura!A por favor,são duas coisas que de MIM não podem dizer,principalmente sem cultura,senhor luciano,vc gosta de rinhas eu não gosto,então respeitar as opnioes é muito bom!Voce tem a sua eu tenho a minha.Mais é bom se respeitar sabe,acho que isso vc deveria de saber,pois toca no nome da cultura!!!!!!!quem nao tem cultura não respeita ninguem!

  488. Pablo disse:

    Muy bien , esa de limpiar el ano con papel mojado con jabón del tocador ( jabobete) es bueno , yo limpiava el ano solamente con papel higienico en seco y ahora limpio con papel humido con jabonete .

    Mui buena ideia .

  489. danilo.j.v disse:

    joacir souza estou mandando este recado para te agradecer pelas dicas sobre a alimentação do meu galo vou tratar corretamente e depois te conto os resultados,valeu de coração,sempre que poder me manda dicas porque estou começando agora,até mais.MUITO OBRIGADO!

  490. danilo.j.v disse:

    João Catira valeu pela dica,depois eu te mando um recado contando os resultados.MUITO OBRIGADO!

    Será que voce poderia me falar o que fazer quando os franguinhos estão brigando ja com tres meses de vida,estão com as cabeças todas beliscadas de tanto brigar e o que fazer com as femeas.SE VOCE PODER ME RESPONDER VOU FICAR MUITO AGRADECIDO!OBRIGADO.

  491. João Catira disse:

    Danilo é melhor separar os franguinhos “brigões” até que fiquem curados e quando voltar a coloca-los com os outros tem que serem vigiados, pois podem voltar a brigar, quando chove ficam mais propensos pra brigar, ficam molhados e mudam de cor e se estranham, é bom sempre separar os machos em um criadouro e as femeas em outro assim evita competição entre os frangos, também não colocar puleiros pois todos querem ficar mais em cima e começa as brigas, tem que ter sempre muita atenção pois são aves de raça combatente…

  492. CANGA disse:

    Danilo, qto aos franguinhos brigões eu sugiro que faça da seguinte maneira:
    Construa quadrados de aproximadamente 1mx1m, cobertos e com pisos, mas que pegue sol, principalmente de manhã. A “ciência” está em separar esses quadrados, colocando nas paredes vizinhas telas finas. O ideal é colocarmos duas telas finas distante dois centímetros uma da outra. Separe os brigões em quadrados vizinhos por 10 dias. Após isso, dificilmente voltarão a brigar, podendo ai ficar até por volta de dois a três meses de idade. Após soltar em piquetes grandes, com sombra, água limpa e comida boa.
    Dentro desse Piquete maior, o bom ter também um quadrado de 2x3m aproximadamente, cercado de telas. Antes de soltar uma nova remessa de franguinhos(+ ou- 3 meses) no Piquete, coloque-os nesse espaço por uns 15 dias. Após esse período você pode soltá-los que antigos não vão bater nos recém chegados.
    Claro que existem as excessões. Ai, só o tato e o carinho do criador irão resolver.
    Abraços….. eu também sou um aprediz.

  493. Afonso dias conrado disse:

    Há dias li na internet uma pessoa oferecendo galo cruzado com jacu …., deste anuncio fiquei muito curioso , pois são aves de espécie diferentes e acredito que não seja possível esse cruzamento ( ? ) .Pediria aos galistas esclarecer a questão ou se alguém conhece essa cruza ( galinha de briga + Jacu ) .

    • MARCOS oliveira disse:

      È possível sim o cruzamento, porém o macho tem que ser o jacú e cruzar com uma galinha de boa raça, assim como é possivel galinha com urubú, pois tenho um exemplar de galiha com urubú.

  494. Aparicio Casagrande disse:

    Se o jacu fosse uma ave belicosa e houvesse a possiblidade de missigenação acredito que o resultado de cruzamento seria também uma ave belicosa , mas se o Jacu não for ave belicosa o cruzamento com ave combatente seria uma ave imprópria para o combate , pois não teria fibra .

    Penso se o Jacu for de espécie totalmente distinta com genes totamente diferentes esse cruzamento seria impossível,

  495. DANILO .J.V disse:

    canga;muito obrigado;acho que todos nos criadores de galo de rinha somos aprendises; por que eu tenho certesa que o galo de rinha ainda tem muitas surpresas que ainda nao foram descobertas.falou ;amigo!!!

  496. DANILO .J.V disse:

    joaô catira;muito abrigado,valeu mesmo!!!

  497. DANILO .J.V disse:

    afonso dias ;esse crusamento pode sim ser feito ;eu sou prova porque eu ja fiz essa experiencia;mas para brigar naô serve os fragos correm atoa apos voçe colocar o frango no tambor e so ele ver o outro galo que ele pula para fora;se voçe quiser experimentar e so pegar um macho de jacu e colocar num viveiro grande junto com uma galinha india preta de preferencia pequena ;quado a galinha botar a primira postura fose naõ deixe ela chocar so na segunda postura;se naõ der serto da primeira vez separe o jacu e deixe sozinho um tempo ;depois torna colocalos de novo;naõ esquesa e do jacu preto barbeludo;os frangos saem muito bonito porem naõ servem para brigar ;falou ;boa sorte!!!

  498. gedeon oliveira disse:

    entao moro en jose de anchieta serra es. tamben sou un louco por galos de brigas apaixonado pela minha criaçao barbudos barrigeiros,mesmo com a proibiçao vou continuar porque axo que as altoridades ten algo mas importante a se preoculpar,adoro cortejalos e colocar nos passeadores.deixo um recado a vc quanto mais recruzalos mais tera galos brutos jae.

  499. Peão Guardenally disse:

    Se é possível com Jacu (???) , então , também não seria possível com mutum (??? )
    Ronaldoc ou João Catira ou Canga saberia algo a respeito de cruzamento de ave combatente com outras espécie ?

    Existem muitos galos silvestres que brigam alguns segundos(1 ou 2 minutos ) e o mais fraco foge , são diferentes do legitimo galo de briga que pode brigar horas e horas (dia inteiro) o mais fraco morre mais não foge .

  500. FIFI disse:

    Os galos do Expedito
    Artigo de Aramis Millarch originalmente publicado em 27 de julho de 1976
    O deputado Expedito Zanotti (MDB-Apucarana) conseguiu destaque nacional com sua posição em defesa dos “galistas”: como é um dos mais apaixonados adeptos de brigas de galo, o deputado emedebista apresentou um projeto de lei dispondo sobre a atualização para briga de galos, “antes de tudo a defesa de uma classe que nasceu para lugar e que, não o fazendo, está indo contra sua própria natureza”. Aproveitando a proposição do deputado paranaense e o sucesso que a dupla João Bosco /Aldir Blanc faz no momento com o lp “Briga de Galos” (um dos melhores lançamentos do ano), a editoria de “Fatos & Fotos” dedicou ao assunto uma reportagem de 4 páginas – o maior destaque que o deputado Zanotti poderia conseguir junto a imprensa nacional.

    xxx

    O deputado paranaense acredita que “a verdadeira violência não está na sangueira que escorre nas rinhas, mas no decreto nº 50.620, de 18 de maio de 1961, elaborado pelo então presidente Jânio Quadros, que proibiu os combates dos chamados machões dos poleiros em todo o território nacional”. Expedido raciocina a respeito:

    - Não entendo porque os ringues do boxe e luta-livre ainda não foram fechados. Afinal de contas, o enunciado do artigo 2º do decreto está bem claro: “Fica proibido realizar ou promover espetáculos cuja atração constitua a luta de animais de qualquer espécie. E nisso tudo onde fica o homem? Por acaso ele também não é um animal?

    xxx

    Mineiro mas radicado no Norte do Paraná há anos, Expedido, ex-vereador em Apucarana, é um grande criador de galos de briga. Milionário, viaja constantemente para permutar ovos e reprodutores. Mas, dizem seus amigos, que ele canaliza toda sua agressividade para as rinhas de galo. Pessoalmente é um homem calmo e tranqüilo. A não ser quando alguém argumenta contra as brigas de galo. Daí que briga é o Expedito.

    Texto de Aramis Millarch, publicado originalmente em:
    Veiculo: Estado do Paraná Caderno ou Suplemento: Nenhum Coluna ou Seção: Tablóide Página: 4 Data: 27/07/1976

  501. DANILO.J.V disse:

    QUANDO O GALO DE BRIGA ESTA FAZENDO MUDA ELE PODE SER ESCOVADO COM SABAÔ DE COCO???;PARA QUEM PODER ME RESPONDER!!!

  502. FIFI disse:

    CASTAR GALLOS DE PELEA , VOCÊS SABEM O QUE SIGNIFICA CASTAR ……. CASTAR É SINÔNIMO DE CRIAR .

  503. RonaldoC disse:

    Um caso inusitado.

    Há momentos que eu acho que a sociedade brasileira merece o governo que tem.

    Aproximadamente, 50 galistas foram presos em uma rinha no estado do Rio de Janeiro e todos levados para a delegacia. Ficaram todos de 14:00h às 04:00h da madrugada do outro dia em uma sala que cabiam apenas 5 pessoas e, após as autuações, foram liberados. O que há de inusitado em tudo isso, é que às 15:00h do mesmo dia, quando os galistas já estavam na delegacia, houve a entrada de uma mulher, sua filha e um homem que teria estuprado a referida menina, tendo o estuprador sido liberado às 23:00h do mesmo dia, após prestar depoimento e ser autuado.
    Diante disto, se pode concluir que o crime de estupro é menos grave que participar de uma rinha de galos. Certo?

    Infelismente, pertencemos a uma sociedade que está tratando animais como homens e homens como animais.